=====================================================

Da jornalista Rosane Santana na área de comentários do Bahia em Pauta:

“Vitor, veja que excelente texto do nosso amigo Chico Bruno
Direto da Varanda, por Chico Bruno “.

Vi, li e concordo plenamente. Tanto, que o texto sobe ao palco principal de noticiário e opinião deste site blog, para que os leitores e ouvintes do BP possam avaliar. Confiram.
(Vitor Hugo Soares, com agradecimentos a Rosane e Chico).

==========================================

Política sem fronteiras: muito marketing e o mais do mesmo

A cada dia que passa a política brasileira ultrapassa todos os limites do bom senso.

Hoje quem toca a política nacional não são os políticos, mas os marqueteiros de plantão nos governos e nos partidos.

As propagandas oficiais são de um descaramento tão grande, que muitas pessoas nas redes sociais escrevem que querem morar nas propagandas veiculadas pelos governos.

Quem assiste a propaganda do programa Mais Médicos veiculada nas TVs fica perplexo.

O governo federal afirma que estão em obras 818 hospitais e 601 UPAs, mas não diz onde.

Uma retórica demagógica destinada a favorecer as candidaturas do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo, e a reeleição da presidente Dilma Rousseff.

Na ânsia de tornar popular o ministro e reeleger Dilma, os marqueteiros do governo federal criaram nas coxas o programa Mais Médicos.

Se o governo quer solucionar o problema da saúde pública brasileira deveria começar pelo começo, com um plano nacional de saneamento básico, pois a saúde saudável de um povo começa por esse item.

Mas, como um programa desse porte não se torna realidade do dia para a noite, o governo decidiu incutir na cachola dos brasileiros que o problema da saúde é a falta de médicos.

Pelo raciocínio do governo Dilma os médicos são os salvadores da pátria.

Médico não faz milagre. Para que consigam remediar é preciso medicamentos, equipamentos e outros itens básicos.

Por exemplo, para onde os médicos contratados pelo programa vão enviar os casos mais graves que diagnosticarem, se os hospitais públicos estão superlotados e não dispõem de equipamentos para os exames necessários.

O programa pode até ajudar Padilha e Dilma em seus objetivos eleitorais, mas não convence, pois o diagnóstico da saúde pública no Brasil deixa muito a desejar, para dizer o mínimo.

Resumo da ópera.

Vivemos uma política sem limites, movida, antes de tudo, pelo interesse eleitoral.

Trocamos o planejamento pelo marketing.

Infelizmente é assim.

Be Sociable, Share!

Comentários

Marcirio on 16 Janeiro, 2014 at 18:54 #

É claro que essa é uma ação voltada unicamente para continuar enganando o desinformado povo do Brasil. Esses médicos não resolverão o problema de assistência médica. Muito menos de saúde do povo. Esse é mais um programa eleitoreiro. Esse PT é absolutamente incompetente, vejam a inflação, a própria saúde que o apedeuta chefe abriu sua bocarra imunda para dizer que estava à beira da perfeição. Cretino mentioroso.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos