Marcelo Duarte: cassado pela ditadura, ex-deputado
se emocional ao depor na Comissão da Verdade

==================================================

DEU NO JORNAL A TARDE

PATRÍCIA FRANÇA

O senador falecido Antonio Carlos Magalhães (DEM), que apoiou o golpe militar de 1964, foi apontado como o responsável direto da ação que levou à cassação, prisão e perda dos cargos públicos do ex-deputado estadual Marcelo Duarte. Eleito pelo então Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em 1966, o jurista, hoje com 82 anos, teve os direitos políticos cassados três anos depois pelo AI-5.

Em depoimento à Comissão da Verdade da Assembleia Legislativa da Bahia, ontem de manhã, tanto Marcelo Duarte como seus familiares citaram ACM como personagem central nas perseguições políticas ocorridas naquela época no estado.

“ACM foi o pior perseguidor da nossa família. Ele futucava a vida de todo mundo porque todo mundo que era contra ele não gostava. Então ele tinha que tirar (do seu caminho) de qualquer maneira. Ele era muito perverso”, declarou emocionada Amália Duarte, esposa do deputado cassado.

O ex-parlamentar também lembrou dos momentos difíceis que enfrentou nas duas vezes em que foi preso. “Eu não fui torturado, maltratado fisicamente. Colocaram a gente lá, mas fui trucidado (psicologicamente). Depois fui para a Europa com a minha família. Agora, a verdade está sendo restaurada”, disse Duarte, sob forte comoção.

O depoimento de ontem foi a primeira oitiva comandada pelos presidentes das Comissões da Verdade do Estado e da Assembleia, sociólogo Joviniano Neto e deputado Marcelino Galo (PT), autor do projeto que pleiteia a devolução dos mandatos para os parlamentares cassados.

“Gravamos os depoimentos e vamos formular um documento para auxiliar outras comissões a resgatar a verdadeira história para a sociedade. A intenção é cumprir um cronograma de acordo com a disponibilidade dos envolvidos, e convocar os outros três ex-deputados cassados que estão vivos (Luiz Leal, Sebastião Nery e Wilton Valença) e familiares dos nove que faleceram, para terem esse reconhecimento da sociedade”, assinalou Galo.

O advogado Inácio Gomes, que defendeu presos políticos e preside a Comissão da Verdade da OAB-BA, fez um pronunciamento no ato.

Os filhos do deputado cassado (Nestor, Márcio e Lucília) também deram depoimentos. Nestor Duarte Neto, atual secretário da Administração Penitenciária e Ressocialização, que tinha 7 anos quando o pai foi preso na primeira vez, definiu a época como “extremamente dura”.

“Meu pai não fez nada. Estava defendendo um mandato, professor de direito, intelectual, de tradição familiar política e de uma hora para a outra vai preso como se fosse um bandido”, frisou Nestor.

Be Sociable, Share!

Comentários

Luiza Moreira on 23 setembro, 2013 at 9:58 #

Caro amigo, estamos com saudades.
Arnaldo e eu te amamos muito.
BJS


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2013
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30