==================================================

DEU EM O GLOBO

BRASÍLIA — A Câmara aprovou, em segundo turno, a PEC 349, que acaba com todas as possibilidades de voto secreto, com 452 votos a favor, e nenhum contra ou abstenções. Eram necessários 308 votos para aprovar a PEC. A medida vale para as deliberações do Congresso, da Câmara, do Senado, das assembleias legislativas, da Câmara Legislativa do Distrito Federal e das câmaras de vereadores. Como foi aprovada em segundo turno, a matéria será analisada ainda pelo Senado, também em dois turnos.

No caso do Senado, por exemplo, o voto secreto não será mais usado na aprovação de indicações de ministros dos tribunais superiores; de ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) feitas pelo Presidente da República; de governador de território; de presidente e diretores do Banco Central; do procurador-geral da República; de chefes de missão diplomática de caráter permanente; e da exoneração, de ofício, do procurador-geral da República antes do término do mandato. A proibição alcança inclusive a análise de vetos nas sessões do Congresso.

DEU NA FOLHA DE S. PAULO

VALDO CRUZ
DE BRASÍLIA
ANDRÉIA SADI
DO PAINEL, EM BRASÍLIA

Indignada, Dilma Rousseff cogita a possibilidade de cancelar a viagem oficial aos Estados Unidos programada para outubro caso o presidente Barack Obama não dê “respostas satisfatórias” sobre as ações de espionagem da NSA (Agência de Segurança Nacional) que teriam atingido a presidente brasileira.

Dilma está não só “indignada”, mas também “muito irritada”, segundo assessores da área diplomática, porque sente-se “enganada” pelo governo norte-americano.

Dilma foi espionada pelos EUA, diz TV
Governo brasileiro quer e-mail nacional contra ‘bisbilhotice’

Afinal, quando surgiram as primeiras notícias sobre espionagem da agência americana no Brasil, os Estados Unidos garantiram que a atuação da NSA estava circunscrita a operações de “metadados”, com cruzamentos de informações que seriam inclusive de interesse do governo brasileiro.

Ainda não há uma decisão final sobre a possibilidade de cancelamento da viagem de Estado, e o Palácio do Planalto espera que o presidente Obama explique de forma cabal e tome as medidas necessárias para contornar o “grande mal-estar” que foi gerado pela informação de que a presidente Dilma foi alvo direto da espionagem feita pela NSA, conforme reportagem do programa “Fantástico”.

Oficialmente, o Palácio do Planalto informa que “esta possibilidade [cancelamento da viagem] não está na mesa” e não está em análise.

A Folha obteve a informação com três assessores do governo. Segundo eles, sem uma resposta de Obama, Dilma não teria como viajar aos Estados Unidos e ficar “tirando foto” ao lado do americano.

De acordo com eles, seria o mesmo que o Brasil dizer, mundialmente, que não se importa em ser espionado.

No governo brasileiro, a informação de que Dilma foi alvo da espionagem é considerado o “episódio mais grave” desde o início do vazamento de documentos secretos envolvendo a ação da NSA.

O Palácio do Planalto espera não ser obrigado a cancelar a viagem, prevista para o dia 23 de outubro, pois isso representaria uma crise diplomática. A expectativa é que a pressão brasileira sobre Obama dê resultado e o caso seja superado.


———————————————————–
Telmo Martino:depressão no fim da vida

DEU NO IG

O jornalista Telmo Martino morreu na madrugada desta terça-feira (dia 3) de falência de órgãos múltiplos, em decorrência de uma pneumonia.

Martino estava internado desde 22 de agosto no hospital Samoc, no Rio de Janeiro.

Nascido no Rio de Janeiro em 10 de janeiro de 1930, Martino escreveu para o iG entre 2002 e setembro de 2010. Foi sua última colaboração para a imprensa.

Em crise de depressão, Martino já não saía de sua casa, no Rio, e não achava graça em escrever nem mesmo sobre novelas e TV, material de muitas de suas colunas.

Martino passou por diversos veículos como as revistas “Senhor” e “Diners” e os jornais “Última Hora”, “Correio da Manhã”, “Folha de S.Paulo” e “Jornal da Tarde”. Neste último, a partir de 1971, publicou uma celebrada coluna social que levava seu nome até o final dos anos 1980.

Em 2004, alguns de seus melhores textos foram publicados no livro “A Serpente Encantadora”.

DEU NA FOLHA DE S. PAULO

FABRÍCIO LOBEL

COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

SONIA WALKIRIA DE SOUZA COUTINHO (1939-2013)

===========================================================
Sentada na cadeira de balanço, entre olhares vazios para o Corcovado e a lagoa Rodrigo de Freitas e rabiscos de pensamentos num caderno, Sonia Coutinho tramou muitas de suas histórias.

Nascida em Itabuna (BA), mudou-se aos 11 anos para Salvador, onde se casou com Florisvaldo Mattos. Foi ele quem a levou para as reuniões do grupo Mapa, formado por uma geração de intelectuais modernistas baianos da metade do século 20.
Entre eles estava o futuro cineasta Glauber Rocha, então colega de trabalho de Mattos no “Jornal da Bahia”. Pela editora Macunaíma, criada pelo grupo, Sonia publicou seu primeiro romance, “O Herói Inútil”, em 1964.

Decidida a tornar-se escritora, divorciou-se, despediu-se do pai, que fora presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, e mudou-se para o Rio de Janeiro, em 1968. Lá, trabalhou como jornalista na agência de notícias Reuters e no jornal “O Globo”.

Pela sua obra literária, ganhou o Prêmio Jabuti em 1979 e 1999 (“Os Venenos de Lucrécia” e “Os Seios de Pandora”, respectivamente) e o Prêmio Clarice Lispector, em 2006 (“Ovelha Negra e Amiga Loura”). Um de seus textos integra o livro “Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século”, ao lado de nomes como Machado de Assis e Moacyr Scliar, publicado em 2000.

Ultimamente, trabalhava como tradutora e dedicava-se a cursos de artes plásticas.

Morreu no sábado (24), aos 74 anos, de infarto. Deixa a filha, Elsa, e dois netos. A pedido de Sonia, suas cinzas devem ser jogadas na baía de Todos os Santos, em Salvador.

===================================================

DEU NA FOLHA/PODER

FELIPE BÄCHTOLD
DE PORTO ALEGRE

Os restos mortais do presidente João Goulart (1919-1976) terão “honras de chefe de Estado” durante o transporte a Brasília para uma análise que deve ocorrer ainda neste ano, afirmou ontem a ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos).

O corpo de Jango -nome como ele era conhecido- será exumado no cemitério em que está enterrado na cidade de São Borja (RS) e passará por exames que tentarão identificar se ele foi morto por agentes ligados à estrutura de repressão da ditadura militar (1964-1985).

Governo inicia preparação para exumação do corpo de João Goulart
Exumação dos restos mortais de Jango será feita até o fim do ano

Maria do Rosário se reuniu ontem com a direção estadual do PDT, em Porto Alegre. Apresentou ao partido, de Christopher Goulart, neto de Jango, o plano de remoção dos restos mortais para a capital federal.

Segundo a versão oficial, o presidente sofreu um ataque cardíaco quando vivia no exílio, na Argentina.

A Comissão Nacional da Verdade e o governo federal, porém, investigam as circunstâncias. Jango foi deposto pelo golpe militar de 1964.

A data do transporte do corpo deve ser marcada no próximo dia 17. O governo ainda articula detalhes do traslado e eventuais homenagens em Brasília.
O retorno a São Borja, segundo a ministra, também será “com as honras de um presidente”.

“Jango terá o tratamento que não recebeu quando foi deposto e no momento do seu sepultamento.”

Maria do Rosário disse ainda que o corpo foi recebido na época “pelo povo” nas ruas, mas, por ordens da ditadura, o caixão foi transportado com rapidez, de maneira “desrespeitosa”.

Christopher, que é vereador em Porto Alegre, diz que o presidente nunca teve as honras oficiais devidas. “Quando ele morreu, não teve luto oficial, não teve bandeira a meio mastro. Agora, seria algo muito simbólico, a mesma coisa que quando um presidente da República falece. Todas as pompas oficiais”, afirmou.

Autoridades de São Borja se mobilizaram, no mês passado, para que o Planalto assumisse o compromisso de transportar de volta o corpo de Brasília ao jazigo no interior do Rio Grande do Sul após o fim das análises.

EXUMAÇÃO

A exumação e os exames envolverão familiares do presidente, técnicos da Polícia Federal e peritos argentinos e do Uruguai. Na Argentina também há uma investigação sobre o caso. A Cruz Vermelha dará apoio aos trabalhos.

A ministra diz ver uma “possibilidade muito clara” que o presidente tenha sido assassinado por forças da Operação Condor, a aliança entre ditaduras da América do Sul.

Entre os argumentos para essa tese, estão as evidências de que Jango havia sido monitorado no período em que estava afastado da política e vivia seu exílio na Argentina

set
03
Posted on 03-09-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 03-09-2013


===========================================
Ykenga, hoje, no portal A Charge Online

====================================================

OPINIÃO POLÍTICA

ACM Neto, objetivo

Ivan de Carvalho

O prefeito ACM Neto, na entrevista que concedeu ontem ao programa Balanço Geral, apresentado na TV Itapoan pelo radialista Raimundo Varela – que o vinha criticando severamente nas edições anteriores desse programa, principalmente pelos buracos nas ruas da cidade e falhas em alguns serviços públicos de responsabilidade exclusiva ou concorrente da prefeitura – teve um excelente desempenho.

Ele passou longe de qualquer discurso vazio destinado a engrupir, a “enrolar” o público, emitindo um sinal forte de que não se dispõe a dar continuidade, em sua vida pública, ao tipo de político predominante no Brasil, que foge à realidade e à objetividade para dizer nada parecendo que está dizendo muita coisa (fenômeno comum nos países em que o nível de educação e cultura da população é, em média, muito baixo, como é o caso do Brasil).

Procurou fixar-se na sua gestão à frente da administração de Salvador, mas não fugiu, antes foi bastante claro quando, inquirido, respondeu a questões políticas e eleitorais. Disse, inclusive, o que pode ser considerado uma novidade, apesar do tempo já decorrido: eleito prefeito, um diálogo foi estabelecido entre ele e o governador Jaques Wagner e o prefeito, então, conforme disse ontem com toda a clareza, mostrou (ele que mostrou, não o inverso, portanto) ao governador que todos só tinham a ganhar (esses dois políticos e mais a cidade e, suponho, o próprio estado) se o governador e o prefeito adotassem uma conduta colaborativa. O governador, como está evidente até agora, concordou.

Ainda na parte política da entrevista, ACM Neto repetiu, com ênfase absoluta, que não será candidato a governador no ano que vem. Mais para a frente, achando que o momento chegou, tudo bem. Mas desta vez não, apesar da liderança disparada nas pesquisas eleitorais (capital e interior). “Se as pesquisas me dessem 110 por cento, o que é impossível, eu não deixaria a prefeitura para ser candidato. Se me dessem 98 ou 100 por cento, eu não seria”.

E deu uma explicação convincente. Por enquanto, seu trabalho (12, 14 horas por dia, sem folga nos sábados) tem sido para “organizar a prefeitura”. É uma coisa essencial, diz respeito à capacidade da prefeitura de cumprir sua função na atual gestão e no futuro, portanto. Trata-se de um trabalho que deverá ir até o fim do primeiro trimestre de 2014. Representará um legado importante à cidade, mas não será uma coisa visível. A coisa visível mais próxima – ele disse quase que de passagem – é recompor as ruas da cidade, dar um jeito na buraqueira, assim que acabe o período de chuvas, o que deve acontecer já.

As coisas maiores que estão sendo planejadas, essas estão sendo cuidadas agora nas áreas de planejamento e financiamento (não podem ser feitas apenas com dinheiro municipal, estão sendo buscados recursos federais, estaduais e de empréstimos) e irão se materializando durante a gestão, até seu final. Portanto, mais uma razão para não sair antes.

Na entrevista ficou uma lacuna importante. Não houve questionamento a respeito: a reeleição. Mas se lhe houvessem perguntado, ACM Neto responderia objetivamente? Este talvez fosse o único ponto em que o prefeito sairia da linha geral da entrevista de respostas objetivas. Primeiro, a candidatura à reeleição dependerá de como estiver a sua popularidade e a aprovação de sua gestão em 2016 e ainda de como estiver a conjuntura política baiana e nacional nesse mesmo ano. O prefeito acredita firmemente que estará bem com a população – na atual fase da gestão “tive que dizer não a muita gente”, como teve que adotar algumas medidas que estão desagradando e vão desagradar mais. Caso evidente do reajuste do valor venal dos imóveis para o cálculo do IPTU. Mas depois as coisas agradáveis, acredita ele, irão surgindo. Já pôde dizer, ontem, que a prefeitura alcançou o “equilíbrio fiscal”.

Candidatos a governador pela oposição? Citou Paulo Souto, o prefeito de Feira, José Ronaldo, José Carlos Aleluia, secretário municipal de Infraestrutura, todos do Democratas, Geddel Vieira Lima, do PMDB, João Guarberto, uma gentileza com o PSDB. Quando chegar a hora, dirá sua posição. Mas isto não significará brigar com Wagner e Dilma, deixou explícito, porque prejudicar a cidade está fora de cogitação.

Gracinha:

Pensando em uma música capaz de sintetizar na letra, melodia e contexto uma homenagem digna de Maria das Graças Dourado Tonhá neste 3 de setembro de seu aniversário, bateu de saída esta composição de Zé Ramalho e Otacílio Batista, interpretada por Amelinha, que ficou famosa na trilha sonora de “Lampião”, da Rede Globo.

Quantas vezes a ouvimos e cantamos juntos no apartamento da Peixoto Gomide(SP)-você, Lauro, Margarida e eu ( Laura recém nascida no berço) – naqueles anos loucos e gloriosos na paulicéia desvairada, na Bahia e no País.

Uma música maravilhosa que escuto e sinto também como uma trilha de vida de uma mulher especial, que você sempre foi e continua sendo.Amiga e cunhada sem medidas.

Este é o nosso presente musical para você, com votos de muita saúde, alegria e toda felicidade que vc merece.

(Vitor Hugo e Margarida)

  • Arquivos

  • setembro 2013
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30