ago
24
Postado em 24-08-2013
Arquivado em (Artigos) por vitor em 24-08-2013 12:40


========================================

http://youtu.be/UZBE5AeOQ0M

===============================================

PANELAS, MÚSICA E POESIA

Maria Aparecida Torneros

Tem barulho e tampas de panelas em todas as cozinhas da vida. Ali, onde se processa a transformação magica que dá sabor aos alimentos e repassa energia aos corações estomacais. Um oásis de satisfação, um porto seguro onde o cais ancora cheiros e temperos, musica para os narizes e línguas, lugar de conferencias e provadores. A gula, o enfeite extasiante para o amargor das dores. Produzir delícias que vão encher barrigas e fazer viajar almas necessitadas de boas ilusões. Cantam as cozinheiras, sorriem, conversam, fofocam, trocam receitas, alegram os mundos onde há fome de amor e bom gosto. Amores que se conquistam e se mantem através da boa mesa. Fantastica poesia do encontro em torno do jantar ou do almoço. Quanto moço apaixonado pelas gostosuras que hábeis mãos vão criando com maestria. Ritmo dos deuses, lembro do filme A festa de Babete, naquela comunidade endurecida pelos preconceitos, a mulher convida ao jantar que transforma seres, a cada garfada, um diluvio de prazer que a boa cozinha pode inundar, com certo batuque.

Na cozinha brasileira, o som do samba combina com feijoada de intenso salivar do banzo africano. Sinhá quer encantar e aprende o que consegue com as mucamas extrovertidas. Mulatas assanhadas que sambam enquanto mexem as comidas, numa ginga especial e inesquecível. Meninos que entram e roubam os bolinhos, saem correndo, degustando e queimando dedos e beiços. Chefes que comandam cozinhas de grandes restaurantes, sussurram óperas, talvez, ou, em seus momentos de grande inspiração, evocam feitiços para seus caldeirões ferventes.

Haja batuque em cada cozinha, haja sabor e amor, mas reaja ao pecado, ora, ora…pequenas porções, moderação, saboreie petiscos, embale-se na obra vagarosamente, coma com parcimônia, observe como comem os passarinhos. Pouco a pouco, para que cantem muito e voem mais!

A música que ressoa desde a cozinha, esse tal batuque, é tambor alvissareiro. Anuncia que o mundo gira em torno do calor que faz comida e faz canção em cada estômago carente de alimento e de amor!

Cida Torneros, jornalista, escritora, poeta, moradora do território livre e sagrado de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, onde ela edita o Blog da Cida, que abrigou originariamente o texto publicado no BP.

Be Sociable, Share!

Comentários

Cida Torneros on 24 agosto, 2013 at 18:44 #

Desejo a todos do BP, uma noite de bons paladares!
Bjs
Cida Torneros


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • agosto 2013
    S T Q Q S S D
    « jul   set »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031