jul
12
Postado em 12-07-2013
Arquivado em (Artigos) por vitor em 12-07-2013 01:20

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA/IG

Lílian Machado

Apesar de ter dito recentemente que a onda de protestos, que se intensificou no país com forte repercussão na Bahia, não traria mudanças nas estratégias da gestão no Estado, o governador Jaques Wagner (PT) surpreendeu na quarta-feira (10/7) ao promover na Governadoria uma reunião com o secretariado executivo e pedir ajustes em cada secretaria para a redução dos gastos do governo.

No encontro, ocorrido a portas fechadas, o chefe do Executivo baiano analisou as manifestações e colocou em destaque a meta de austeridade ao passar para os auxiliares como “dever de casa”, a apresentação nos próximos dias de sugestões de cortes em custeio. Embora não tenham especificado quais iniciativas deverão tomar em suas pastas, os secretários ouvidos pela reportagem da Tribuna ressaltaram o comprometimento, em relação à meta de menores despesas.

Entre as medidas, o governador recomendou à diminuição de gastos com viagens e diárias. “A austeridade e a busca pela melhor eficiência são compromissos da nossa gestão”, disse o governador.

Conforme Wagner, as despesas devem ser executadas dentro do limite do orçamento de 2013, porém sem trazer impacto para os investimentos. “Reduziremos os gastos com o custeio da máquina sem comprometer a qualidade dos serviços públicos e nossos investimentos”, ressaltou.

A tendência de cortes teria sido uma resposta às manifestações, embora, conforme o secretário estadual de Comunicação, Robinson Almeida, antes mesmo desses movimentos, o governo já havia executado ações, no sentido de melhorar a vida da população. “A predominância das falas é de que há um conjunto de demandas na sociedade que já têm sido trabalhadas pelo governo federal e que aqui tem tido reflexo. As demandas da rua estão tendo o acolhimento do governo”, afirmou.

O secretário contou que em um prazo dez dias, a equipe irá apresentar a Secretaria de Administração, comandada por Manoel Vitório, indicativos para reduções em custeio. Questionado se essa medida traria consequência para o volume de gastos com propaganda, esfera criticada pelos oposicionistas, Almeida descartou.

O secretário de Turismo, Domingos Leonelli, frisou que o ponto alto da reunião foi a análise política do momento vivido em todo o país. “Não foi feito nenhum balanço específico das pastas, mas foi muito positiva com bom nível de intervenção de cada secretário”. Ele não quis dizer quais itens irá cortar em sua gestão.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos