Papa Francisco em Lampedusa: olhar piedoso sobre
uma tragédia humana de africanos na Europa

=============================================

Um dia para viver, um dia para pensar

Maria Aparecida Torneros

Há dias assim, a gente vive e a gente pensa sobre o mundo imenso, complexo e infestado de seres personalistas, egoístas, voltados para o imediatismo dos seus proprios problemas ou a ilusao dos seus podres poderes.

O Papa vai rezar na ilha localizada ente Italia e África onde milhares de imigrantes refugiados se aventuram em barcos superlotados tentando alcançar o sonho da sobrevivencia digna e terras européias. Sua Santidade fala da insensibilidade dos governantes de nações desenvolvidas e de um modo geral como nos acostumamos a não sofrer quase nada com as dores dos nossos irmaos de humanidade.

Leio sobre o chefe chinês condenado a morte por corrupção, que amealhou fortuna pessoal, esquecendo-se do sonho chinês do comunismo que prega igual direito de todos aos meios licitos de sobrevivencia, sem mais ostentações.

Aí, ouço as palavras do governador do estado do Rio de Janeiro, defendendo seu uso indevido das aeronaves a seu serviço, desviadas para transporte de cabeleireiros, personais, amigos em direção a casa de praia da família, etc, e, ele declara que não é o unico a fazer isso.

Realmente, como ele, como o lider chines condenado, milhares de pessoas vivem suas vidas limitadas ao agora e nem pensam no quanto estão humilhando e explorando seus semelhantes cujas oportunidades de sobrevida não incluem transporte à disposição, empregados para os servir, nem sequer, alimentação, cuidados de saúde ou acesso à educacao decente para seus filhos.

A estes, lhes cabe , como lembrou o Papa, a tentativa de refugiar-se, de revolucionar ou de desistir.

Quantos séculos ainda, constataremos que viver sem pensar é viver sem lembrar que somos todos humanos?

Dia de viver. Dia para pensar.

Acho que meu sentimento maior não é revolta. Mas é piedade. Piedade dos que se julgam superiores ao viajar de helicoptero para aproveitar fins de semana, enquanto outros, com fome, frio e sede, enfrentam mares e arriscam vidas levando o sonho de sobreviver em algum lugar onde haja respeito pela condição de terem nascido neste planeta, e serem pessoas, isso mesmo, pessoas iguais a todas as outras, nem superiores e nem inferiores, apenas, injustiçadas por aqueles que, idiotamente, se acham donos de um poder que é pura ilusão material e efêmera.

Mas, alguém estará, piedosamente, orando por estas criaturas soberbas, que desviam aeronaves e verbas, como o corrupto chinês e os governantes do mundo que vivem o hoje sem pensar no amanhã dos seus fraternos eleitores, dos seus irmãos de espécie e até dos seus filhos que merecem amor com bons exemplos!

Cida Torneros, jornalista e escritora, professora universitária de Comunicação, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Cida, no qual este texto foi publicado originalmente

Be Sociable, Share!

Comentários

Cida Torneros on 9 julho, 2013 at 17:17 #

Beijos fraternos para todos!


Lilyane on 9 julho, 2013 at 23:47 #

Olhe Cida, nem precisava pensar nos desvalidos citados por você. Eu me atenho a pensar somente naqueles que perderam tudo na serra fluminense e estão até hoje esperando uma ajuda. Realmente, nessas horas penso que o ser humano é o pior dos animais.


Iracema on 10 julho, 2013 at 8:44 #

Quando pensamos na pobreza que vivem milhares de pessoas, é revoltante
aquilo que tomamos conhecimento.
O ser humano não respeita ninguém.
Bjss


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos