abr
26
Posted on 26-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-04-2013

=====================================================

DA AFP

A lenda da música country George Jones, cantor de hits como “She Thinks I Still Care” durante uma carreira de mais de meio século, faleceu nesta sexta-feira aos 81 anos, informou seu agente.

Ele faleceu no Centro Médico da Universidade de Vanderbilt, em Nashville, Tennessee, oito dias após ser internado no hospital com febre e problemas de pressão arterial, informou o Webster and Associates em seu site.

Casado de 1969 a 1975 com Tammy Wynette, a cantora de “Stand By Your Man” que morreu em 1998, Jones emplacou seu primeiro sucesso em 1959 com “White Lightnin”, que liderou as paradas da Billboard por cinco semanas.

A vida pessoal de Jones, nativo do Texas, foi por muito tempo permeada pelas drogas e pelo álcool, mas ele apontava seu casamento com Nancy Ford Sepulvado, em 1983, como o responsável por voltar a colocar a sua vida e a sua carreira nos trilhos.

No ano passado, Jones anunciou uma turnê de despedida que deveria terminar em novembro deste ano, com um show em Nashville com a presença de diversos astros country, incluindo Garth Brooks, Randy Travis, Charlie Daniels e Kenny Rogers

==================================================================

DEU EM O GLOBO( REPRODUZIDO NO SITIO DE cHICO bRUNO)

A 5º Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação do banqueiro Ângelo Calmon de Sá a quatro anos e dois meses de reclusão, em regime semiaberto, pelo crime de gestão fraudulenta de instituição financeira. Ex-ministro da Indústria e Comércio do governo Geisel (1974-1979), ele ainda terá que pagar 30 dias-multa. A condenação está ligada ao caso da Pasta Rosa, série de documentos que mostrava a contribuição de US$ 2,4 milhões do Banco Econômico às campanhas de 25 candidatos nas eleições de 1990 e de 24 candidatos subsidiados pela Febraban, prática proibida na época. O colegiado considerou não ser aplicável a redução pela metade do prazo prescricional, prevista no Código Penal, por ele ter completado 70 anos. A decisão é de 23 de abril.

abr
26
Posted on 26-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-04-2013


Deu no Jornal do Brasil

Luiz Orlando Carneiro

O ministro Dias Toffoli, na condição de relator dos mandados de segurança com pedido de liminar dos deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP) e Roberto Freire (PPS-SP), que querem sustar a tramitação da proposta de emenda constitucional (PEC 33/2011) – cujo objetivo é limitar o poder do Supremo Tribunal Federal de dar a última palavra sobre a inconstitucionalidade de emendas constitucionais – deu prazo de 72 horas à Mesa da Câmara e ao presidente da Comissão de Justiça da mesma Casa para que se manifestem nos autos. Ou seja, não acolheu os pedidos de liminar, nem os rejeitou.

Em despacho divulgado nesta sexta-feira, Dias Toffoli escreveu, nos dois casos: “Ante a natureza excepcional do presente mandado de segurança, e por ser o autor detentor de poder de representação coletiva, aplico, por analogia, o prazo de 72 horas do parágrafo 2º do artigo. 22 da Lei 12.016/09 para abertura de prazo para manifestação nos presentes autos antes da apreciação do pedido de liminar”.

Na petição inicial, o deputado Carlos Sampaio, líder do PSDB na Câmara, ressaltou que a proposta – já aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara – fere “cláusula pétrea”da Carta de 1988, por “alterar a dinâmica do controle de constitucionalidade, as relações entre os poderes, as funções do Judiciário e do STF, e o procedimento de aprovação de emendas à Constituição Federal”.

Roberto Freire, por sua vez, sustentou que “a matéria não deveria sequer ter sido analisada por ser flagrantemente inconstitucional”. E pretende que o relator Dias Toffoli anule a decisão da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, que aprovou a “admissibilidade” da PEC 33.


Principal suspeito diante da câmera

===================================================

Um menor infrator apreendido na madrugada desta sexta-feira, 26, por suposta participação no assassinato da dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, afirmou à Polícia Civil que um dos principais suspeitos de cometer o crime, Jonatas Cassiano Araújo, de 21 anos, lhe ligou confessando o homicídio. Cinthya morreu após ser queimada viva dentro de seu consultório, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, na tarde de ontem, 25.

O menor foi pego em casa, também em São Bernardo, por volta das 2h30 desta sexta-feira, após uma denúncia anônima feita à Polícia Militar. A corporação disse inicialmente em nota que ele próprio havia confessado o crime. No entanto, acabou liberado do 2º DP da cidade depois que seu envolvimento foi descartado.

Segundo o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho, o menor contou que chegou a ser convidado para o roubo, mas não pôde ir – o motivo não foi esclarecido. Também afirmou que um dos suspeitos ligou para ele depois do assassinato contanto. “O colega telefonou dizendo que tinha dado m…”, afirmou o delegado. A mãe de Araújo foi identificada pela PM na noite de quinta e reconheceu o filho em imagens de uma câmera de segurança mostradas na delegacia. Ela foi encontrada porque seu carro, um Audi preto, foi usado na ação pelos bandidos.

De acordo com as investigações, ao menos três homens participaram do crime. Segundo o delegado seccional de São Bernardo, Waldomiro Bueno Filho, a polícia acredita que um quarto bandido aguardava na frente do consultório, dentro de um Audi preto. Ele desconfia que uma quadrilha especializada em assaltos a consultórios esteja agindo na região. “Temos investigações em andamento, já temos imagens de um dos bandidos e em pouco espaço de tempo vamos tirá-los de circulação”, afirmou.

O assalto

Os criminosos invadiram a clínica odontológica a Cinthya e dois deles roubaram-lhe o cartão de crédito para fazer um saque em um caixa eletrônico. Após constatarem que a dentista só tinha R$ 30 na conta, eles retornaram ao consultório, atearam fogo na vítima e fugiram.

Cinthya atendia uma paciente – cujo nome não foi divulgado – quando os criminosos apertaram a campainha. Um dos bandidos disse que precisava de atendimento odontológico e a dentista abriu o portão, momento em que mais dois criminosos invadiram a casa. A paciente ficou com os olhos vendados durante todo o assalto e teve a bolsa, o celular e dinheiro roubados. Segundo o delegado seccional, a paciente – que não ficou ferida – conseguia ouvir a dentista gritando “não faz isso” e pedindo socorro. “Ela tentou apagar o fogo quando os bandidos fugiram, mas não foi possível. A dentista morreu em menos de três minutos.”

Vizinha de Cinthya, Lindacim de Olivera, de 54 anos, sentiu o cheiro de queimado e ouviu os gritos da dentista. Foi ela quem chamou o Corpo de Bombeiros. “Ouvi alguém pedindo socorro e fui até o portão do consultório ver o que estava acontecendo.”

O consultório de Cinthya funcionava nos fundos de sua casa. Ela morava com os pais e uma irmã, que tem deficiência mental. O pai dela, Viriato Gomes de Souza, de 70 anos, afirmou que ela não costumava ficar sozinha em casa no horário do almoço. “Ela ia buscar a irmã na escola, mas, como tinha uma paciente, eu fui com a minha mulher.” Quando o pai chegou à rua, viu a movimentação na frente de casa. Foi avisado pelos vizinhos da morte da filha. “Quis entrar, tentei reanimá-la, mas já não dava para fazer nada.”

Emocionado, ele diz não saber o motivo de tamanha brutalidade. “Ela era uma pessoa boa, sem inimigos. Agora, a gente não sabe o que vai fazer da vida, se continuará morando lá. Espero que ninguém precise passar pela dor que estou passando.” O enterro da dentista está marcado para as 13h no Cemitério Vila Euclides, em São Bernardo do Campo.

Leia mais sobre o assunto no IG (www.ig.com.br)


Alejandra: a chavista dos Desportos

===================================================

por Luís Manuel

(Diário de Notícias, de Lisboa)

O presidente venezuelano Nicolás Maduro colocou no comando do ministério Desporto nacional Alejandra Benitez, esgrimista de 32 anos, com três presenças olímpicas e chavista convicta. A ligação ao Movimento Bolivariano já a tinha levado a ser deputada da Assembleia Nacional da Venezuela. Além disso, Alejandra é uma mulher muito bonita, que já trabalhou como modelo, quando vivia em Paris.

No momento em que foi divulgada a escolha, a especialista de sabre, que foi vice-campeã sul-americana afirmou que ao assumir este novo desafio o iria fazer “com o mesmo compromisso de uma atleta que defende o seu país custe o que custar.

Na guerra partidária, a nova ministra do Desporto é tão “bolivariana” quanto Chávez e Maduro. “Sou orgulhosamente parte dos milhões de patriotas que não voltam as costas a Chávez”, afirma, criticando os opositores que considera “medíocres e focas de circo que não têm identidade própria”.

abr
26
Posted on 26-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-04-2013


——————————————————————
Aroeira, hoje, no Jornal do Sul

======================================================
Uma milonga portenha na sexta-feira de outono chuvoso em Salvador, para recordar a minha primeira e mais inesquecível noite no “Viejo Almacén”, em Buenos Aires .

A sensação de ouvir o magistral cantor Edmundo Rivero, no palco da mais famosa e autêntica casa de tango buenairense, assobiando os primeiros acordes e, em seguida, interpretando como só ele, esta melodia imortal.

Narrativa de uma das mais trágicas histórias de paixão de todas as milongas argentinas.

Descubro agora, diante do teclado do computador, que nada que escreva neste espaço vai expressar a exata sensação do momento único naquele outono portenho no Viejo Almacen.

Melhor ouvir Silbando, outra vez, na voz do saudoso e inimitável Rivero, como naquela noite memorável de Buenos Aires.

(Vitor Hugo Soares)


Mãe Stella na ABL: dia histórico para a cultura

=======================================================


DO G1 BA

A ialorixá do terreiro Ilê Axé Opó Afonjá, Mãe Stella de Azevedo dos Santos, também chamada de Mãe Stella de Oxóssi, a partir desta quinta-feira (24), passa a ocupar a cadeira de número 33 da Academia de Letras da Bahia .

A mãe-de-santo recebeu 22 votos dos acadêmicos em sessão realizada nesta quinta-feira (25) com objetivo de escolher o novo nome para vaga deixada pelo historiador Ubiratan Castro, que morreu em janeiro.

Mãe Stella foi comunicada pelo presidente da Academia, Aranis Ribeiro Costa, e aceitou ser a nova “imortal”. “Acredito que é a primeira vez que uma mãe-de-santo entra em uma Academia de Letras. Isso é absolutamente pioneiro, não tenho conhecimento disso em nenhum outra do Brasil ou do mundo. Representa o reconhecimento de uma cultura, de uma raça e da história de um povo. É uma figura notável”, comemora.

O poeta Castro Alves é o patrono da cadeira 33, que já foi ocupada por nomes como Francisco Xavier Ferreira Marques, Heitor Praguer Frois, Waldemar Magalhães Mattos, além de Ubiratan, que era presidente da Fundação Pedro Calmon.

A Academia de Letras da Bahia tem 40 membros, entre eles, João Ubaldo Ribeiro, José Carlos Capinan, Myrian Fraga, Cid Teixeira, Ruy Espinheira Filho, Consuelo Pondé, Hélio Pólvora, Florisvaldo Matttos e Edivaldo Boaventura.

Mãe Stella é colunista do jornal A Tarde e autora de livros como “Meu tempo é agora”, “Òsósi – O Caçador de Alegrias” e “Epé Laiyé- terra viva”. Em 2009, recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

http://youtu.be/fKQWolQ7cP4

===================================================

Graça:

Um cravo de Lisboa, um cheirinho de alecrim português e muitos dos mais lindos boleros românticos do mundo (como você gosta) para celebrar com plenitude este 25 de abril de seu aniversário.

Parabéns! Anos e mais anos de felicidades!

Com os agradecimentos do Bahia em Pauta e a amizade afetuosa.

(Vitor Hugo , Margarida e Maria Olívia)


================================================================

DEU NO TERRA MAGAZINE

Paquito

(Músico, compositor , intérprete e cronista dos melhores)

No último post, falei tanto de Jesus, mas confesso meu ateísmo. Criado no catolicismo, ficou o encantamento pelas narrativas biblícas, mais ambivalentes do que pregam muitos pentecostais brasileiros.

Jesus, na cruz, a pedir pelos que o crucificaram – “perdoa-os, Pai, pois não sabem o que fazem!”- ao mesmo tempo que atesta sua humildade, revela altivez absurda, auto-referente, com a lucidez e loucura que parecem possuir os profetas. A lucidez de ver as coisas com clareza, e a loucura advinda do não pertencimento, da sensação de estar à margem, apartado do viver comum.

Há muito tempo não falava com Arto Lindsay – como eu, ovelha desgarrada, e também criado por pais religiosos, só que protestantes – e manifestei a saudade ao telefone:

– Sinto falta do seu senso de humor, Arto!

E ele:

– Eu também.

Arto, além de possuir uma sensibilidade musical diferenciada, foi quem enviou uma foto a Caetano, de Prince andrógino, com o comentário “Eu sou neguinha?”, a partir da canção de Gerônimo – Eu sou negão – o que inspirou Caetano a fazer a sua Eu sou neguinha.

Gerônimo também é forrozeiro. O “preferido de Caymmi” tá apresentando seu Forró Doido na Praça Quincas Berro D’ água, no Pelourinho de Salvador, toda quinta, a partir das 20 horas, e com a verve habitual, diz que “todo artista baiano, homem menino menina mulher, quando passa o carnaval, bota o chapéu de palha, uma camisa quadriculada, e vira sobrinho, filho e neto de Gonzagão”. Gerônimo e a banda Monte Serrat cantam e tocam Gerônimo, Gonzagão e o que houver, junina e genuinamente, com graça baiana.

Humor baiano: após Daniela Mercury assumir sua relação gay, ouvi, de relance, um sujeito, sentado ao lado de uma banca de revistas, a manchete estampada, comentar:

– Logo, logo é Ivete!

Segunda feira – após o Vitória golear o Bahia por 5 X 1 no na reinauguração da Fonte Nova, arena do vencido – no Centro Médico João das Botas, uma pequena multidão espera o elevador no andar térreo.

Não dá pra todo mundo entrar, mas apenas um homem fica de fora, impedido pelo ascensorista, justamente um sujeito vestido com a camisa do Bahia. Antes da porta do elevador se fechar, ele protesta:

– Só porque eu sou Bahia, é?

Caetano, quando quis continuar a fazer análise, voltando de Londres, não encontrou profissionais da área na Bahia. Ele conta, naquela entrevista ao Bondinho, da década de 1970, que João Gilberto ria com orgulho, como se dissesse:

– Não precisa…

Mas hoje é diferente. Talvez por conta da terra-útero não andar essas coisas, psicanálise na Bahia é mato.

Caminhada de final de tarde, ouvi o seguinte diálogo entre dois psicanalistas no Corredor da Vitória, em Salvador:

– Ô, fulana, vai amanhã pro Espaço Freudiano?

– Vou, claro! Melancolia e suicídio, né?

Na praia do Porto da Barra, converso com Boneco, vendedor de cerveja, que desconstrói teorias deterministas relacionando gosto e classe social, sem saber. Ele diz que não liga pro Ba-Vi recente.

– Não gosto de ver time ruim jogando. Ver Ba-Vi é o mesmo que ver show de arrocha, dá vontade de dormir.

– E o que é que você gosta de música, Boneco?

– Eu gosto de mpb.

– O que de mpb?

– Eu gosto de João Gilberto. O cara faz música e faz humor, brinca com o público e faz música ao mesmo tempo. O cara é humorista.

João, rei dos sambas de sempre. E há sempre um a redescobrir, tantos são os que foram gravados nas décadas de 30 e 40 no Brasil. Antigamente, a gente tinha de fuçar bastante e achar Lps de gravadoras independentes de uns abnegados heróis que se dedicavam a juntar os vários 78 rpm em um vinil de, por exemplo, Noel Rosa. E aqui relembro meu amigo, o saudoso Leon Barg, que criou o selo Revivendo em Curitiba.

Agora a gente clica no Youtube e vem Chico Alves e Mário Reis aos borbotões, como se cantassem: somos o futuro, um futuro imenso e intenso de sambas e marchinhas. Não conhecia, por exemplo, a versão do próprio Lamartine Babo cantando – sem voz, mas com vez, como ele mesmo dizia – a sua Canção pra inglês ver, acompanhado apenas de piano. Lamartine cria um esperanto dadaísta em que os significados se perdem e se desorganizam, deixando de ter de existir, e só o som passa a significar:

I love you

Forget sclaine maine itapiru

Morget five underwood I shell

No bonde silva manuel.

Lalá, engraçado e sólido. Lamartine fazia sátira e canção-piada que resiste a ser contada várias vezes.E, modernisticamente, tirava sarro dos futurismo e outros ismos, como no A. B. Surdo, dele e de Noel. Canção brasileira independente. Non sense nosso.

Meu bem eu topamos no YouTube, por acaso, em Vivo deste amor, samba lindo de Bide e Marçal, interpretado por Francisco Alves, que eu também não conhecia, e trata de amor e morte:

http://youtu.be/Aeq-oF87fHI

Eu sou bem feliz

Vivo deste amor

Que me traz a vida em flor

E o paraíso, na terra encontrei

Mas no fim, meu Deus, não sei.

Ninguém sabe

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 24 25

  • Arquivos