——————————————————————–

BOAS NOVAS

Maria Helena RR de Sousa

Fiquei animada com a fundação do Partido da Mobilização Democrática.

Precisamos de mais partidos? Não, claro que não. Os que temos já ultrapassam em muito as nossas necessidades. Então minha animação é fruto de falta do que fazer?

Não, não é.

Minha animação deriva do fato dos responsáveis pelo novo partido terem se posicionado, de cara, como de oposição ao atual governo. Não se apresentaram como “quem sabe, então, pode ser, depende, talvez, vou, não vou”.Declararam logo que farão oposição ao PT e coligados.

Lembro-me da irritação que fiquei nas últimas eleições, com José Serra se derramando em elogios ao governo Lula. Dava a impressão que fazia parte da campanha da Dilma. Custei a decidir que votaria nele. Foi mesmo por absoluta falta de opção.

Há cerca de uns 15, 20 dias, tive a mesma sensação ao ler empenhados elogios de Eduardo Campos aos governos Dilma/Lula. Concluí: assim, ele perde um voto, o meu. E como de grão em grão…

Pois é. Não é hora de perder nenhum voto.

É preciso que os candidatos saibam que quem não gosta do governo que o PT vem fazendo não quer votar em quem acha que o país está muito bem entregue. Fica sempre a dúvida: se fizessem um bom acordo, esse candidato seria vice de Dilma?

Eis, portanto, a razão de minha animação: o surgimento de um partido que se posiciona decididamente na oposição. Além de contar com nomes que respeito.

E segundo notícias ainda muito em gestação, Eduardo Campos seria o candidato à presidência da República por esse novo partido. Gosto dele. Gosto de seu DNA: do avô, do pai e dos tios. Minhas dúvidas: ele já se definiu ou estão usando seu nome? E, tão importante quanto sua definição, seu vice, quem seria?

Espero que essa notícia se confirme e que o governador de Pernambuco assuma que é oposição. Grato ao que o Governo Federal fez por Pernambuco? Sim, e a gratidão é um belo sentimento. Mas sem esquecer que o Governo Federal não fez mais que sua obrigação.

E tem mais: a ‘paura’ que a Situação mostrou com a criação desse novo partido é muito significativa. A tentativa de sufocá-lo ainda no berço foi infame. E de nada adiantará.

Para comemorar o nascimento dessa nova agremiação, que tal ouvir Doris Day com sua linda voz nos dizendo ‘Que será, será’?

Maria Helena RR de Sousa, cronista e articulista , mora no Rio de Janeiro, de onde escreve para o BP.

Be Sociable, Share!

Comentários

Lilyane on 22 Abril, 2013 at 12:57 #

Vamos aguardar, porque, do jeito que está, não dá mais.


Bia on 22 Abril, 2013 at 23:27 #

Já está mais do que na hora de termos alguma opção. Não dá para votar em nenhum dos “eternos candidatos” nem em seus postes.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos