Deu no portal europeu TSF

A autoridade militar da prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba, transferiu hoje, para celas individuais, reclusos de uma ala, onde um grupo de prisioneiros está em greve de fome, há dois meses, em protesto contra a sua detenção.

Alguns dos presos ofereceram resistência com armas improvisadas, tendo os guardas respondido com armas não letais, informou em comunicado o comando da base naval, assegurando que, dos confrontos, não resultaram feridos graves.

A transferência dos prisioneiros, de celas comuns para individuais, foi justificada com a necessidade de «garantir a saúde e a segurança dos detidos».

Os guardas entraram na zona comum do módulo VI da prisão e uma equipe médica avaliou a situação de cada recluso, adiantou o comunicado, citado pelas agências internacionais, sem mencionar o número de detidos transferidos para as celas individuais.

O Pentágono reconheceu, na quinta-feira, haver 43 prisioneiros em greve de fome, de um total de 166 detidos em Guantánamo.

No entanto, o Centro para os Direitos Constitucionais, uma organização que representa alguns dos detidos, com os quais mantém contacto telefónico, alega que o número de reclusos em greve de fome ascende a 130.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos