Polícia socorre vítima do desastre no Iguatemi
Foto:Correio

================================================

DEU NO CORREIO

Da Redação

Cinco pessoas morreram em um acidente envolvendo dois ônibus de transporte coletivo na tarde deste domingo (14) na região do Iguatemi. Os dois veículos bateram de frente na via exclusiva da avenida ACM, por volta de 15h30. Onze passageiros ficaram feridos.

O acidente ocorreu em frente à Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos. Segundo a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador), os ônibus envolvidos são das empresas BTU e União.

De acordo com a Central de Polícia, assustados, diversos passageiros pularam as janelas para sair dos ônibus. Sete homens, duas mulheres e duas crianças foram levados por equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital Geral do Estado (HGE). A maioria está em estado grave.

O ônibus da BTU havia saído da Lapa e seguia para Monte Gordo, em Camaçari, e o outro fazia a linha Campo Grande – Colina Azul. O trânsito na região ficou lento por conta do acidente.

A suspeita inicial é de que o motorista da União tenha tentado desviar de um buraco na pista antes de bater no ônibus da BTU.

Veja abaixo os nomes dos feridos que estão no HGE:

Roberto Costa de Souza, 32 anos
Deise, 28
Marcos, 35
Débora Cristina Santana Reis, 32
Hanna Clara Santana Reis do Carmo, 7
Gean Silva de Oliveira, 25
Gabriela Reis Gomes da Silva, 5
José de Oliveira Freitas, 56
Getúlio Ferreira dos Santos, 50, – jornalista do Tribuna da Bahia
Pablo Antonio da Silva, 32
Cristiano Santos Freitas, 37

Com informações da repórter Camila Botto

===================================================

De Pedro Caetano e Claudionor Cruz, Orlando “Imortal” Silva canta ” Caprichos do Destino”, para leitores e ouvintes especiais do BP no fim do domingo. Confira e se emocione com o cantor das multidões. Hoje como sempre.

(Tema musical e vídeo garimpados pelo jornalista Gilson Nogueira)

abr
14
Posted on 14-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 14-04-2013


Madri, hoje:Rei em baixa na Espanha
==========================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS (PORTUGAL)

Mais de oito mil pessoas desfilaram no centro de Madrid para reclamar a chegada da III República em Espanha e criticar a monarquia, abalada por vários escândalos.

Com bandeiras republicanas, de cor vermelha, dourada e violeta, gritaram “A Espanha amanhã será republicana” ou “Abaixo uma alteza com tanta baixeza” e brandiram cartazes que diziam “Juan Carlos, estás despedido”.

O protesto, anual, foi convocado para assinalar o aniversário da II República, proclamada a 14 de abril de 1931, e seguida de 40 anos de ditadura franquista após a guerra civil (1936-1939).

Este ano, segundo os media espanhóis, havia mais gente na marcha que partiu de Cibeles até à Porta do Sol.

Nos últimos anos, o Rei Juan Carlos viu a sua popularidade diminuir por causa de sucessivos escândalos: desde a sua caçada aos elefantes no Botswana, num momento de grave crise económica em Espanha, até à investigação por corrupção que afeta o seu genro, Iñaki Urdangarin, e que já atingiu a sua filha, a infanta Cristina.

“Ninguém elegeu o Rei. Queremos um referendo”, disse uma das manifestantes à AFP.

===========================================================

DEU NA EDIÇÃO IMPRESSA DESTE DOMINGO, 14, DO JORNAL O GLOBO

Ainda Feliciano?

Caetano Veloso

Por que mentir tão descaradamente sobre fatos conhecidos?

Nem estou acreditando que volto ao assunto do pastor/deputado/presidente da CDHM. Mas, como muitos devem ter visto, ele mentiu reiterada e estridentemente sobre mim. Há um vídeo no YouTube em que Feliciano, esbravejando de modo descontrolado, diz-se com Deus contra o diabo e, para provar isso, mente e mente mais. As pessoas religiosas deveriam observar o quanto ele está dominado pela soberba. Faz pouco, ele se sentiu no direito de julgar os vivos e os mortos, explicando por meio de uma teologia grotesca a morte dos garotos dos Mamonas e sagrando-se justiçador de John Lennon. Agora, aferra-se à mentira. Meu colega Wanderlino Nogueira notava, com ironia histórica sobre as espertezas da igreja católica, que a mentira não está entre os sete pecados capitais. Mas sabemos que “levantar falso testemunho” é condenado pelo Deus de Moisés. Por que mentir tão descaradamente sobre fatos conhecidos? Será que minha calma observação, aqui neste espaço, de que sua persona pública é inadequada ao cargo para o qual foi escolhido (matizada pela esperança no papel das igrejas evangélicas) o ameaça tão fortemente? Eu diria a pastores, padres, rabinos ou imãs — sem falar em pais de santo e médiuns espíritas, que são diretamente agredidos por ele — que atentassem para o comportamento de Feliciano: como pode falar em nome de Deus quem mente com tão evidente consciência de que está mentindo?

Sim, porque não há, dentre aqueles que prestam atenção no meu trabalho, quem não saiba que, ao cantar a genial canção de Peninha “Sozinho” num show, eu indefectivelmente dizia não apenas que me apaixonara por ela através das gravações de Sandra de Sá e de Tim Maia: eu afirmava que cantá-la ao violão era só um modo de chamar a atenção para aquelas gravações. Como pode Feliciano dizer que “a imprensa foi rastrear” e descobriu que a música já tinha sido gravada por Sandra e Tim? Essas duas gravações eram sucessos radiofônicos. E como pode ele, sem piedade daqueles que com tanta confiança o ouvem em seu templo, afirmar que eu disse em entrevista coisa que nunca disse e nunca diria, ou seja, que o êxito inesperado de minha versão de “Sozinho” se deveu a eu ter mostrado a faixa a Mãe Menininha e esta ter-lhe posto uma bênção que, para Feliciano, seria trabalho do diabo? Mãe Menininha, figura importante da história cultural brasileira, já tinha morrido fazia cerca de dez anos quando gravei a canção.

É muita loucura demais. E muita desonestidade. Aprendi com meu pai os gestos da honestidade — e tomei o ensinamento de modo radical. Me enoja ver a improbidade. Feliciano sabe que eu nunca dei tal entrevista. Mas não se peja de impressionar seus ouvintes gritando que eu o fiz. Ele, no entanto, não sabe que eu jamais sequer mostrei qualquer canção minha à famosa ialorixá. Nem a Nossa Senhora da Purificação eu peço sucesso na carreira. Nunca pedi. Nem a Deus, nem aos deuses, e muito menos ao diabo. Decepciono muitos amigos por não ser religioso. Mas respeito cada vez mais as religiões. Vejo mesmo no cristianismo algo fundamental do mundo moderno, algo inescapável, que é pano de fundo de nossas vidas. Mas não sou ligado a nenhuma instituição religiosa. Eu me dirigiria aqui àqueles que o são. Os homens crentes devem tomar atitude mais séria em relação a episódios como esse. O que menos desejo é ver o Brasil dividido por uma polaridade idiota, em que, de um lado, se unem os que querem avanços nos costumes, e de outro, os que necessitam fundamentos de fé, ambos gritando mais do que o conveniente, e alguns, como Feliciano, saindo dos limites do respeito humano. Eu preferiria dialogar com crentes honestos (ou ao menos lúcidos). Não aqueles que já se põem a uma distância segura da onda neopentecostal. Eu gostaria de dialogar com um Silas Malafaia, de quem tanto discordo, mas que respeita regras da retórica e da lógica. Marina Silva seria ideal, mas poupemo-la. Não é preocupante, eu perguntaria a alguém assim, que um dos seus minta de modo tão escancarado? É fácil provar que nunca fiz aquelas declarações e é fácil provar que Sandra e Tim tiveram êxito com a obra-prima de Peninha. E que eu louvei esse êxito ao cantar a canção. Foram dezenas de milhares de brasileiros que ouviram. Se Feliciano precisa, para afirmar sua postura religiosa, criar uma caricatura caluniosa dos baianos e da Bahia, algo é muito frágil em sua fé. A maré montante do evangelismo não dá direito à soberba irrefreada. O boneco tem pés de barro. E cairá. Eu creio na justiça e na verdade. Esses valores atribuídos a Deus têm minha adesão irrestrita. Não sei que Deus sustenta a injustiça e a mentira. Ou será que é aí que o diabo está?

abr
14


Venezuela. hoje, 14. Foto Reuters/DN
================================================

Deu no Diário de Notícias, de Lisboa

Quase 19 milhões de venezuelanos escolhem hoje o Presidente que dirigirá a Venezuela até 2019, sucedendo ao carismático Hugo Chávez, que se manteve no poder durante 14 anos, até morrer em 05 de março.

Mais do que a eleição do novo chefe de Estado venezuelano, as eleições presidenciais antecipadas de hoje são vistas por analistas locais como um verdadeiro “referendo” sobre a continuidade da construção do “socialismo bolivariano do século XXI”, idealizado por Chávez.

As presidenciais serão disputadas por sete candidatos mas a verdadeira luta centra-se em Nicolás Maduro, indicado por Hugo Chávez como seu sucessor, e Henrique Capriles Radonski, o líder em volta do qual se coligaram vários partidos da oposição para enfrentarem Hugo Chávez nas anterioes eleições, realizadas em 07 de outubro de 2012.

Henrique Capriles Radonski perdeu, mas a morte de Hugo Chávez gerou nova oportunidade eleitoral para as forças da oposição tentarem chegar ao poder.

A votação de hoje decorre entre as 06:00 locais e as 18:00 , com as forças armadas da Venezuela mobilizadas para garantirem a segurança.

Nos cadernos eleitorais estão registados 18.9 milhões de eleitores, que votarão em 13.638 secções de votação.

abr
14
Posted on 14-04-2013
Filed Under (Charges) by vitor on 14-04-2013


=======================================
Nani, hoje,no portal A Charge Online

Deu no portal europeu TSF

A autoridade militar da prisão norte-americana de Guantánamo, em Cuba, transferiu hoje, para celas individuais, reclusos de uma ala, onde um grupo de prisioneiros está em greve de fome, há dois meses, em protesto contra a sua detenção.

Alguns dos presos ofereceram resistência com armas improvisadas, tendo os guardas respondido com armas não letais, informou em comunicado o comando da base naval, assegurando que, dos confrontos, não resultaram feridos graves.

A transferência dos prisioneiros, de celas comuns para individuais, foi justificada com a necessidade de «garantir a saúde e a segurança dos detidos».

Os guardas entraram na zona comum do módulo VI da prisão e uma equipe médica avaliou a situação de cada recluso, adiantou o comunicado, citado pelas agências internacionais, sem mencionar o número de detidos transferidos para as celas individuais.

O Pentágono reconheceu, na quinta-feira, haver 43 prisioneiros em greve de fome, de um total de 166 detidos em Guantánamo.

No entanto, o Centro para os Direitos Constitucionais, uma organização que representa alguns dos detidos, com os quais mantém contacto telefónico, alega que o número de reclusos em greve de fome ascende a 130.

abr
14

Música Tirada do cd Metamorfose Ambulante 1988

================================================

Raulzito, olhai por nós.

Ontem, hoje e sempre!

BOM DOMINGO

(VHS)

abr
14

=========================================================

Por Ricardo Kotscho

no blog Balaio do Kotscho ( reproduzido no Blog do Miro)

De vez em quando, ultimamente, fico até com receio de perder meu tempo escrevendo. O mundo já poderá ter acabado quando este texto chegar aos caros leitores. Quem vai ler?

Sem falar na sempre iminente guerra nuclear das Coréias, o fim do mundo está onipresente no noticiário nacional, como se houvessem estabelecido uma programação prévia para não deixar o brasileiro respirar sossegado dois dias segundos.

Mal se termina de falar de uma crise e já aparece outra nas manchetes, sem que tenha dado tempo da anterior terminar.

O ano mal começou, e já tivemos de volta as notícias alarmistas sobre os iminentes riscos de apagão de energia em razão da falta de chuvas nos reservatórios, ao mesmo tempo em que as enchentes em outros pontos do país provocavam novas tragédias. Imagens de reservatórios com pouca água e morros despencando eram acompanhadas de análises dos especialistas de sempre para quem o país, com este governo, não tem nenhum futuro, seja por falta ou excesso de chuvas.

Os brasileiros nem tivemos tempo de comemorar o recorde da safra de grãos, e já começaram as séries de reportagens sobre o colapso na infraestrutura, com estradas intransitáveis e congestionamentos nos aeroportos.

E assim fomos seguindo o ano de 2013, de agonia em agonia, até que sobreveio a grande crise do preço do tomate, a maior de todas, porque esta pode explodir ao mesmo tempo a inflação e os juros, levando o país à ruína completa. Em apenas três meses, ficamos novamente à beira do abismo.

Esses problemas todos existem, é claro, e alguns são bastante sérios, como já mostramos aqui no Balaio, tornando mais difícil a recuperação da economia. O clima de catastrofismo, porém, vai além da realidade dos fatos e tem como pano de fundo a sucessão presidencial de 2014, ativada pela antecipação da campanha e pela ausência de candidatos competitivos para enfrentar a candidata do governo.

Inconformados com os altos índices de popularidade da presidente Dilma Rousseff, que nas atuais pesquisas lhe garantem a reeleição já no primeiro turno, setores da sociedade que se sentiram prejudicados com a queda de juros e tarifas, especuladores e rentistas, aquela gente que não se conforma com medidas que visam a beneficiar a população de baixa renda, resolveram investir em outros campos, já que o cenário eleitoral não lhes dá muitas esperanças de voltarem ao poder tão cedo.

Alguma coisa está fora de ordem e de lugar quando assistimos à judicialização da política e à politização do judiciário, e os grandes protagonistas da cena brasileira se tornam o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, e o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que agora têm uma opinião formada sobre tudo e dão seus pitacos definitivos sobre qualquer assunto, mesmo quando não são chamados.

Gurgel já decidiu que a nova distribuição dos royalties do petróleo só deverá valer a partir de 2016, Barbosa comenta a indicação do polêmico deputado pastor Marco Feliciano para uma comissão da Câmara, e ambos se dedicam com afinco para colocar na cadeia os condenados da Ação Penal 470, recusando sumariamente qualquer recurso dos advogados de defesa.

Citado pelo ex-ministro José Dirceu numa história no mínimo malcontada no episódio para a sua indicação para o STF, o ministro Luiz Fux manda responder que não vai polemizar com réus condenados. Na mesma semana, o procurador-geral Gurgel determina ao Ministério Público e à Polícia Federal investigações sobre o ex-presidente Lula, a partir de declarações feitas por Marcos Valério, réu condenado a mais de 40 anos de prisão.

No mesmo momento em que Barbosa denuncia o “conluio” entre advogados e magistrados, o escritório de Sergio Bermudes, um dos mais caros do país, anuncia o patrocínio de uma festa de arromba para mais de 300 pessoas em seu apartamento de 800 metros quadrados, no Rio de Janeiro, para comemorar o aniversário de 60 anos de Luiz Fux, cuja filha Marianna, candidata a uma vaga no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, trabalha com o anfitrião. A pedido da mãe do homenageado, diante da repercussão do regabofe, a festa foi cancelada, segundo os jornais deste sábado.

Mas não faltarão outras festas do gênero, por mais que isso irrite Barbosa, para congregar os comensais dos dois lados do balcão da Casa Grande, que podem perder as eleições, mas nunca perdem a pose nem o poder.

  • Arquivos