“Vida dura” das paticinhas baanas

==============================================

DEU NO COREIO

Luana Ribeiro

Escondendo o rosto sob os longos cabelos com luzes californianas, Sendy Gabrielli Gomes, 27, revoltava-se com o fato de estar presa. “Deve ser bonito para eles (policiais) terem prendido duas patricinhas”, argumentava ela, algemada ao lado de Débora Ruth Carvalho de Menezes, 19.

As duas foram presas, na noite de terça-feira, por PMs em uma blitz no Vale do Ogunjá, após serem flagradas dirigindo um carro roubado, um Palio Fire branco, de placa original OKO 8596. Além de roubado, o veículo estava com a placa NZZ 0215, pertencente a uma caminhonete L-200 prata.

Sendy afirma ser promotora de eventos e Débora disse ser estudante de Direito da Faculdade Ruy Barbosa — a instituição, no entanto, informa não haver registros dela como aluna ou ex-aluna.

Segundo o delegado titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DRFRV), Marcos César Silva, não foi apenas a aparência e classe social das vítimas que chamou a atenção da polícia.

“Já prendi muito bandidão, mas é a primeira vez que vejo uma coisa dessas. A delegacia parou depois que elas chegaram. Achávamos que elas não participavam ativamente de assaltos, mas duas vítimas já as reconheceram como autoras de roubos”, disse. O chefe do Serviço de Inteligência (SI) da unidade, Getúlio Barbosa Nery, confirmou a impressão: “Foram mais de cem ligações”, afirmou.

As denúncias colocam as duas jovens como suspeitas de diversos crimes: roubo de veículos na região de Brotas, onde as duas moram, saidinhas bancárias, assaltos a turistas na Ilha de Itaparica, além de transporte de armas e drogas para traficantes da região apontados como Papa, Tio Chico e outro traficante do Buraco da Jia, no Acupe de Brotas. “Elas transportariam de Brotas para Cosme de Farias, Fonte do Capim, Dias D’Ávila”, citou Barbosa.

Elas também são acusadas de atrair clientes para programa sexual com o objetivo de roubá-los. “As informações são de que elas frequentavam a barraca Terapia, no Imbuí, e levavam as vítimas para lugares mais afastados”, disse Barbosa. As denúncias estão sendo investigadas. “Elas não têm passagem, que atenua a favor delas, mas, ao que tudo indica, elas são extremamente perigosas e são envolvidas com crimes”, disse.

Receptação
Até agora, as duas jovens foram autuadas em flagrante por receptação e adulteração de sinal identificador de veículo (placa) e estão detidas na Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca).

Segundo Débora, o carro foi emprestado por um amigo identificado como Marquinhos. Elas afirmam ter pedido o carro para ir até o Porto da Barra ver o pôr do sol. Para devolver o carro às 19h, elas voltaram por volta das 18h e, no caminho, foram paradas pela blitz. “Eu até parei tranquilamente. Não tem nada a ver”, ressaltou Débora, que disse ter conhecido o amigo há pouco mais de um ano.

“Nunca soube dele ser envolvido com nada. Para mim, ele vendia tênis”, afirmou. Segundo a polícia, elas foram abordadas na blitz às 20h e, no carro, havia um cachimbo e pequena quantidade de maconha.

Jovens aparecem bebendo champagne em fotos no Facebook (Foto: Reprodução)

Ao resgatar o Palio roubado na DRFRV, o filho do proprietário do carro afirmou que dois homens roubaram o veículo, no dia 26 de março, na rua Arlindo Fragoso, em Brotas. “Eu estava parando o carro e fui fechado pela frente por um Palio Adventure. O carona entrou armado no carro e me mandou sair. Foi coisa de um minuto”, relatou o analista de sistemas Rafael Rebouças, 30.

Momentos depois, ele conta que ligou para um celular que deixou no veículo e foi atendido por uma mulher. “Mas não entendi o que ela falou e logo ela desligou”, disse.

As mulheres negam todas as acusações. “Se eu tivesse roubando, como estão dizendo, eu não estaria passando dificuldade para manter minha pele e meu cabelo bem cuidados. Meu xampu é caro!”, argumentou Sendy, que afirma estar morando há alguns dias na casa dos pais de Débora, após ter saído de um apartamento emprestado pela tia. Segundo a polícia, elas moram no condomínio Novo Horizonte, em Brotas.

De todas as acusações, a que mais incomodou Débora é a de ser usuária de crack. “Maconha também é droga, mas usuária de crack? É uma vergonha! Imagino minha mãe ouvindo isso”, lamentou, chorando.

http://youtu.be/CCLYo1rztC0

Dominguinhoos e Anastácia, que dupla grandiosa!

Com Chiico Buarque no meio, é covardia!

Confira

(Vitor Hugo Soares)

DEU NO PORTAL A TARDE

Começa nesta segunda-feira, 15, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (Gripe), que segue até 31 de maio e pretende alcançar 372 mil pessoas. Este número equivalente a 80% do total do público-alvo de Salvador: idosos com mais de 60 anos, crianças de seis meses a dois anos, gestantes, mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias, trabalhadores da saúde, pessoas com doenças crônicas, população privada de liberdade e indígenas.

A vacinação será realizada das 8h às 17h, nas unidades de saúde municipais, além do atendimento especial a asilos, creches, hospitais, maternidades, delegacias e penitenciárias.

Já no Dia D, em 20 de abril, além do funcionamento das unidades tradicionais, a Secretaria Municipal da Saúde instalará postos de vacinação em áreas de grande circulação de pessoas, como shoppings, supermercados, igrejas e escolas, ampliando o acesso da população.

Esta vacina combate os principais vírus que circularam no último inverno: Influenza A H1N1, Influenza A H3N2, Influenza B. A imunização pode reduzir em até 45% o número de hospitalizações por pneumonias e até 75% a mortalidade global por complicações da influenza. Em 2011, de acordo com o Ministério da Saúde, foram registradas 110 mortes por gripe em todo o Brasil. Em 2012, foram confirmados 16 casos de Influenza A H1N1 no estado da Bahia, sendo sete em Salvador.

abr
11
Posted on 11-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 11-04-2013

==================================

DEU NO “PÚBLICO”, DE LISBOA

Os convites formais só serão feitos nesta quinta-feira ao final do dia, mas já se sabe que a Presidente argentina, Cristina Fernandez de Kirchner, não vai receber nenhum. Isabel II e os ex-primeiros-ministros Tony Blair e Gordon Brown, por seu turno, confirmaram que estarão presentes do funeral de Margaret Thatcher, na quarta-feira.

A ausência de convite a Kirchner está confirmada, escreve o diário Independent, adiantando que a cerimónia incluirá um tema musical evocativo da guerra das ilhas Falklands, Malvinas para os argentinos. Em 1982, depois da invasão argentina, Thatcher recusou todos os apelos de negociação e ganhou a guerra.

Recentemente, Kirchner pediu a Londres a reabertura de conversações sobre as ilhas (que ficam a 75 minutos de avião da ponta Sul da Argentina), o que David Cameron recusou. Entretanto, realizou-se um referendo e a maioria dos 3 mil habitantes afirmou continuar a identificar-se como “ilhéus das Falklands”, ou seja, britânicos.

Para além de Kirchner, sabe-se que o ex-líder soviético Mikhail Gorbatchov não estará presente na cerimónia marcada para a catedral de São Paulo. Gorbatchov, de 82 anos, não pode deslocar-se a Londres por razões de saúde, disse o seu porta-voz.

A par de Gorbatchov, a baronesa partilhou o palco político da década de 1980 com Ronald Reagan. Também já se sabe que Nancy Reagan, a viúva do antigo Presidente dos EUA, não estará presente no adeus oficial à baronesa: “Infelizmente, ela já não está em condições de fazer uma viagem deste tipo”, informou a porta-voz da Fundação Presidencial Ronald Reagan.

Quem estará em Londres é F.W. De Klerk, o último presidente do apartheid na África do Sul. O homem que ordenou a libertação de Nelson Mandela lembrou Thatcher como “não só um dos maiores primeiros-ministros britânicos, mas uma daquelas líderes cujas políticas e abordagens tiveram um impacto significativo nas políticas de todo o mundo”.

Dez membros do pessoal do hotel Ritz, onde Thatcher esteve desde o Natal e até morrer, na segunda-feira, já foram convidados para o funeral.

O cortejo fúnebre de Thatcher promete tornar-se uma dor de cabeça para a polícia londrina, que receia que a cerimónia seja perturbada por protestos. Segundo o Independent, a polícia está a monitorizar as redes sociais para perceber que acções de contestação estão a ser planeadas e admite-se o recurso a “detenções preventivas” – que as autoridades dizem servir para evitar “riscos de segurança”.

A polícia metropolitana cancelou as folgas e há um comando especial montado para gerir o dia, enquanto grupos anarquistas ameaçam dar uma festa em Trafalgar Square.

Os custos com o policiamento prometem ser uma importante fatia do custo com o funeral (que poderá ultrapassar os 10 milhões de euros), mas as forças de segurança vão estar também atentas às festas que estão a ser organizadas para o mesmo dia em várias cidades. Algumas das festas de rua organizadas após a morte de Thatcher terminaram em escaramuças com a polícia e foram duramente criticadas pelos líderes políticos, mas os organizadores prometem voltar à carga.

“Odiamos tudo o que ela fez”, disse ao jornal um líder sindical de Durham, onde Thatcher mandou encerrar a mina que era o sustento de centenas de famílias.

0

abr
11
Posted on 11-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 11-04-2013

O cônsul-geral adjunto do Brasil em Roterdã, Alexandre Motta Barboza, foi encontrado morto nesta terça-feira (9), no consulado. A informação foi confirmada pelo Itamaraty. De acordo com a assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores, ainda não há informações sobre a causa da morte do diplomata, que será investigada pelas autoridades locais.

abr
11
Posted on 11-04-2013
Filed Under (Charges) by vitor on 11-04-2013


============================
Amorim,hoje, no Correio do Povo

===========================================================


OPINIÃO POLÍTICA

O Dia Seguinte

Ivan de Carvalho

No dia seguinte ao que, durante uma reunião de líderes dos partidos representados na Câmara dos Deputados – que se dividiram – ficou excluída a possibilidade do deputado Marco Feliciano, do Partido Social Cristão, renunciar ou ser, por algum truque regimental, afastado da presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, a CDHM reuniu-se a portas fechadas (já que a portas abertas se revelou inviável ante a gritaria de manifestantes contrários e favoráveis a Feliciano).

O presidente da comissão disse que esta está indo “de vento em popa”, tendo aprovado ontem “requerimentos e a realização de audiências públicas”. Admitiu, ante uma pergunta de jornalista, que a CDHM está “vazia de projetos”, explicando que existem nela “meia dúzia de projetos, a maioria polêmicos. Neste momento, eles só criariam uma celeuma”. E sacou uma frase cujo exato sentido, se alguém entendeu, eu não: “A Comissão de Direitos Humanos precisa ter projeto de integridade na sociedade”.

Mas o essencial é a pauta e a alteração feita na pauta da CDHM pelo deputado Marco Feliciano, ao assumir a presidência. Ele retirou de pauta projetos polêmicos que nela estavam para serem votados. Vejamos. Um desses projetos prevê a convocação de um plebiscito para consultar a população (os eleitores brasileiros) sobre a união civil de pessoas do mesmo sexo.

Outra proposta semelhante retirada de pauta é de autoria do deputado André Zacharow e estabelece que os eleitores brasileiros respondam a uma questão “Você é a favor ou contra a união civil de pessoas do mesmo sexo?”. A relatora da proposta é a deputada Erika Kokay, do PT, parlamentar ligada a entidades que defendem as reivindicações dos homossexuais. O projeto de André Zacharow, sob relatoria de Erika Kokay, começou a ser apreciado em dezembro, mas a votação foi suspensa por um pedido de vista (tempo para analisar) do deputado Ronaldo Fonseca, do PR. Agora, foi retirado da pauta de votação pelo presidente Feliciano.

Antes de Marco Feliciano ser eleito presidente da CDHM pela maioria evangélica da comissão, esta esteve por muitos anos sob controle do PT e de uma maioria de parlamentares de “esquerda”, o que talvez explique uma pauta de votação direcionada para questões defendidas por esses segmentos políticos. E certamente isso explica a razão de ter havido um estupor e estar havendo um choque profundo e de ampla repercussão ante o fato dos evangélicos, por “benevolência” do PT, tornarem-se maioria na CDHM e a presidência ter ficado com o deputado Marco Feliciano, que é pastor.

Também está na CDHM da Câmara dos Deputados um projeto de autoria do senador Paulo Paim, do PT, que busca definir com mais precisão os crimes resultantes de “discriminação e preconceito de raça, cor, etnia, religião ou origem”. Tramitando desde 2005 no Congresso, a proposta é relatada na CDHM da Câmara pela deputada petista Erika Kokay. Um outro projeto polêmico – e, por enquanto, apenas por enquanto, aparentemente irônico – constava na pauta alterada pelo presidente Marco Feliciano. É um projeto que criminaliza discriminação contra heterossexuais. Trata-se, evidentemente, de algo que busca responder à criação do crime de homofobia, que seria a discriminação (ou discordância?) de qualquer tipo em relação aos homossexuais.

A iniciativa desse projeto que pretende preservar os heterossexuais de qualquer discriminação é do deputado Eduardo Cunha, membro da bancada evangélica da Câmara e, atualmente, líder do PMDB na Casa. A proposta determina que as medidas e políticas públicas antidiscriminatórias atentem para a necessidade de preservar os heterossexuais de todo preconceito.

Em sua atual composição e sob seu atual comando, a CDHM seria um obstáculo a qualquer projeto que pretenda favorecer o aborto no país.

Ante o exposto, o leitor percebe facilmente a amplitude da guerra que está em curso. Os setores que se mobilizam “contra Feliciano” perderam uma batalha e um espaço – e eles não podem admitir isso como uma coisa normal, querem virar o jogo na marra por entender que ceder, conformar-se com um passo atrás, pode estimular o adversário a lutar e a ver que ainda tem condições para isso.

http://youtu.be/BL_NbbzyJJs


Ella Fitzgerald & Louis Armstrong – April in Paris

========================================================

=======================================================

“April in Paris”:Três intérpretes extraordinários – Ella Fitzgerald, Louis Armstrong e Doris Day – em duas versões incriveis de uma da mais bonitas canções de sempre.

Um presente duplo do Bahia em Pauta a todos os seus ouvintes e leitores nesta quinta-feira.

Mas com uma dedicatória muito especial a dois casais de queridos amgos do BP -Natascha e Fabrício, Thiago e Dani- que espalham paixão e felicidade por Paris inteira neste 11 de abril, começo de primavera europeia.

Com a palavra, a canção.

(Hugo, Ila e Marcia, pelo BP)

  • Arquivos