abr
09


Meggie Thatcher:amor e ódio dos britânicos
Th Gadan:Foto: Gerard Fouet/AFP/Getty Images

=========================================

Maggie! Fora!

Maria Helena RR de Sousa

Em um artigo no The Guardian de hoje, 9 de abril, assinado por Ian McEwan, leio uma descrição interessantíssima que talvez ajude a compreender o amor/ódio dos britânicos por sua Dama de Ferro:

“Maggie! Maggie! Fora! Fora! Fora!”, o cantochão da esquerda que dominou a cena política durante a década de 80, finalmente foi completa e inteiramente atendido. Nas incontáveis manifestações daqueles anos, uma estranha ambivalência tomava conta das ruas: um ‘Maggie’ que denotava intimidade, seguido de uma rejeição furiosa, quase uma ordem: ‘Fora!’. Para aqueles de nós que estavam decepcionados com a repulsa da primeira-ministra ao estado de Bem-Estar Social, não bastava detestá-la. Nós gostávamos de detestá-la. Ela nos forçava a decidir o que era verdadeiramente importante”.

Gostei do artigo porque descreve perfeitamente o que pude observar: aquele país esteve dividido, no período Thatcher, entre amor e ódio pela primeira mulher a realmente comandá-lo depois do fim das monarquias absolutas.

Assisti dois períodos diferentes do governo Thatcher. A admiração do povo pelo pulso da Dama de Ferro em enfrentar os generais argentinos que certamente acharam que uma mulher no comando seria barbada para eles – machismo ali é que o não faltava… – e depois, em 1990, as verdadeiras batalhas campais contra seu governo quando ela impôs as Poll Taxes.

Londres, a civilizada Londres, transformou-se da noite para o dia: quando o governo mexe excessivamente no bolso dos cidadãos e o povo tem brio, é o que acontece…

As poll taxes era realmente um absurdo: Thatcher pretendia trocar o imposto predial/territorial (parente do nosso IPTU) por uma taxa única a ser cobrada por habitante.

Resultado: recusa da população em fornecer dados, uma confusão dos diabos pelas ruas da Grã-Bretanha, mas essa Thatcher não levou!

Ainda ontem, a Inglaterra se dividiu em lamentos e festas. Aparentemente para o cidadão britânico não tem essa de morrer virar santo…

O serviço religioso ao qual a rainha comparecerá está marcado para 17 de abril. Acho que vai ser um dia e tanto!

Maria Helena RR de Sousa, articulista e cronista, mora no Rio de Janeiro, de onde colabora com o Bahia em Pauta

Be Sociable, Share!

Comentários

vangelis on 10 Abril, 2013 at 10:09 #

British graffite:

Iron Lady?
RUST IN PEACE


vangelis on 10 Abril, 2013 at 23:38 #

DING DONG THE WITCH IS DEAD!!!! Hoooray!!!!

http://www.youtube.com/watch?v=2j5Jpmu67t8


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos