abr
07
Postado em 07-04-2013
Arquivado em (Artigos) por vitor em 07-04-2013 18:36

==============================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

O dia prometia ser muito especial para a dupla BaVi, independente do resultado dentro de campo. Após mais de cinco anos, torcedores tricolores e rubro-negro puderam voltar ao local da antiga Fonte Nova, que deu lugar a um grande, moderno e imponente complexo multiuso. Bahia e Vitória se enfrentaram neste domingo (7), pela quarta rodada do Campeonato Baiano. No clássico, o rubro-negro levou a melhor e goleou o Bahia por 5 a 1. Com o resultado, o Leão chegou aos 12 pontos, ocupando a liderança do grupo 2. Enquanto isso, o Bahia permaneceu com 5 pontos, na primeira posição do grupo 1.

Cerimônia de abertura

Antes da bola rolar, as pessoas que acompanharam a cerimônia de abertura da arena acompanharam um show de 40 minutos com as presenças de Ivete Sangalo, Cláudia Leitte, Margareth Menezes, Márcia Short, Mariene de Castro e Dan (Filhos de Jorge). Após a apresentação, o Olodum comandou a execução do hino nacional e do hino da independência da Bahia, já com os elencos de Bahia e Vitória perfilados.

Rivalidade e muitas vaias: Torcida x artistas

Durante a apresentação da cantora Ivete Sangalo, torcedores do Bahia não perdoaram a rubro-negra, que sempre faz brincadeiras com o time rival, e vaiaram a baiana. A torcida do Vitória, no entanto, também não perdoou a banda Olodum, que distribuiu abadas com o escudo errado do clube, com os dizerem “vice”. Durante a execução dos hinos, torcedores do Leão ficaram divididos entre vaias e gritos de “nego”

Primeiro tempo: Primeiro gol da Arena Fonte Nova foi rubro-negro
O clássico BaVi começou bastante movimentado e com um cenário melhor para o Tricolor. Logo aos 4 minutos de jogo, o Bahia deu um susto no rubro-negro. Adriano invadiu a área adversária e, sozinho, tocou para o gol. Deola fez uma defesaça de ponta dos dedos e salvou o Leão.

Após o susto, o rubro-negro se recuperou e equilibrou o duelo. Bastante nervosas, as duas equipes encontraram dificuldade para controlar os ânimos. Em meio a faltas e empurrões, o árbitro Wilson Pereira Sampaio precisou usar a sua experiência para apaziguar a situação dentro de campo.

Embora o Tricolor tivesse iniciado o jogo com maior posse de bola e mais qualidade, o Vitória estudou bem o adversário e reagiu por volta dos 20 minutos, quando passou a dominar mais a partida e ter mais chances de chegar ao marcador.

Aos 32 minutos. Escudero perdeu uma bela chance de marcar o primeiro gol da Arena Fonte Nova. Após puxar contra-ataque, o gringo tocou para Biancucchi, que deixou a zaga Tricolor para trás e devolveu para Escudero. O meia, livre, não conseguiu alcançar a bola, que ficou para Lomba.

Com menor posse de bola, o Bahia soube aproveitar boas chances de contra-ataque, mas foi em uma falha de Neto que surgiu o primeiro gol da Arena Fonte Nova. Aos 40 minutos, o lateral do Tricolor derrubou Mansur e o árbitro assinalou o pênalti. Renato Cajá partiu para a cobrança e, com categoria, marcou o seu nome na história do estádio, marcando o primeiro gol da arena

Após o tento, nenhuma das duas equipes ofereceu perigo de gol, encerrando a primeira etapa com o placar de 1 a 0 em favor do rubro-negro.

Bahia e Vitória jogaram na inauguração da nova Arena Fonte Nova

Intervalo: Fala, galera!
O meia Renato Cajá já está marcado na história do futebol baiano. O atleta foi o responsável por marcar o primeiro gol da Arena Fonte Nova, após cobrar um pênalti aos 40 minutos do primeiro tempo.

O responsável por sofrer a penalidade, Mansur, comentou a emoção de estar ligado ao primeiro tento do complexo multiuso. “De certa forma entrei na história. Já estava trabalhando durante a semana, inclusive com a nossa psicóloga, além da comissão, que me ajudou muito. Está aí o resultado dentro de campo”, disse emocionado.

Já Renato Cajá, não escondeu a euforia pela marca. “Fui premiado por Deus, mas o importante não é só fazer o primeiro gol, mas vencer esse jogo. Estamos firmes e vamos tentar marcar logo o segundo”, disse o meia.

Já pelo lado do Tricolor, o volante Hélder disse que a palavra chave para reverter a situação era “tranqüilidade”. “O time está bem. O pênalti foi só um detalhe, mas é um detalhe que decide clássico. Vamos voltar com tranqüilidade e empatar esse jogo para, depois, virar”, explicou.

Segundo tempo: Leão atropela super-homem
O Vitória voltou empolgado no início da segunda etapa. Logo aos 5 minutos de jogo, Maxi Biancucchi aproveitou que o goleiro Marcelo Lomba estava adiantado e mandou um chute da entra da área, marcando um golaço na Arena Fonte Nova e ampliando o marcador para o Leão.

Logo após o gol, o Bahia esboçou uma reação com Obina, que recebeu passe pela esquerda e mandou a bola no fundo das redes, mas o assistente já havia assinalado o impedimento.

Se o Bahia esboçou uma reação, o Vitória agiu e marcou o terceiro. Aos 12 minutos, Michel tabelou com Dinei e, cara a cara com Marcelo Lomba, mandou para o fundo das redes, deixando o marcador mais elástico na Arena Fonte Nova.

Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos