abr
07

==========================================================

Vitória com V maiúsculo . Pode comemorar torcida rubronegra.

Festa na Fonte, nas ruas de Salvador e em todo canto da Bahia onde pulsar um coração e gritar uma garganta de torcedor do Vitória.

Canta, Daniela!!!

(Vitor Hugo Soares)

==============================================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

O dia prometia ser muito especial para a dupla BaVi, independente do resultado dentro de campo. Após mais de cinco anos, torcedores tricolores e rubro-negro puderam voltar ao local da antiga Fonte Nova, que deu lugar a um grande, moderno e imponente complexo multiuso. Bahia e Vitória se enfrentaram neste domingo (7), pela quarta rodada do Campeonato Baiano. No clássico, o rubro-negro levou a melhor e goleou o Bahia por 5 a 1. Com o resultado, o Leão chegou aos 12 pontos, ocupando a liderança do grupo 2. Enquanto isso, o Bahia permaneceu com 5 pontos, na primeira posição do grupo 1.

Cerimônia de abertura

Antes da bola rolar, as pessoas que acompanharam a cerimônia de abertura da arena acompanharam um show de 40 minutos com as presenças de Ivete Sangalo, Cláudia Leitte, Margareth Menezes, Márcia Short, Mariene de Castro e Dan (Filhos de Jorge). Após a apresentação, o Olodum comandou a execução do hino nacional e do hino da independência da Bahia, já com os elencos de Bahia e Vitória perfilados.

Rivalidade e muitas vaias: Torcida x artistas

Durante a apresentação da cantora Ivete Sangalo, torcedores do Bahia não perdoaram a rubro-negra, que sempre faz brincadeiras com o time rival, e vaiaram a baiana. A torcida do Vitória, no entanto, também não perdoou a banda Olodum, que distribuiu abadas com o escudo errado do clube, com os dizerem “vice”. Durante a execução dos hinos, torcedores do Leão ficaram divididos entre vaias e gritos de “nego”

Primeiro tempo: Primeiro gol da Arena Fonte Nova foi rubro-negro
O clássico BaVi começou bastante movimentado e com um cenário melhor para o Tricolor. Logo aos 4 minutos de jogo, o Bahia deu um susto no rubro-negro. Adriano invadiu a área adversária e, sozinho, tocou para o gol. Deola fez uma defesaça de ponta dos dedos e salvou o Leão.

Após o susto, o rubro-negro se recuperou e equilibrou o duelo. Bastante nervosas, as duas equipes encontraram dificuldade para controlar os ânimos. Em meio a faltas e empurrões, o árbitro Wilson Pereira Sampaio precisou usar a sua experiência para apaziguar a situação dentro de campo.

Embora o Tricolor tivesse iniciado o jogo com maior posse de bola e mais qualidade, o Vitória estudou bem o adversário e reagiu por volta dos 20 minutos, quando passou a dominar mais a partida e ter mais chances de chegar ao marcador.

Aos 32 minutos. Escudero perdeu uma bela chance de marcar o primeiro gol da Arena Fonte Nova. Após puxar contra-ataque, o gringo tocou para Biancucchi, que deixou a zaga Tricolor para trás e devolveu para Escudero. O meia, livre, não conseguiu alcançar a bola, que ficou para Lomba.

Com menor posse de bola, o Bahia soube aproveitar boas chances de contra-ataque, mas foi em uma falha de Neto que surgiu o primeiro gol da Arena Fonte Nova. Aos 40 minutos, o lateral do Tricolor derrubou Mansur e o árbitro assinalou o pênalti. Renato Cajá partiu para a cobrança e, com categoria, marcou o seu nome na história do estádio, marcando o primeiro gol da arena

Após o tento, nenhuma das duas equipes ofereceu perigo de gol, encerrando a primeira etapa com o placar de 1 a 0 em favor do rubro-negro.

Bahia e Vitória jogaram na inauguração da nova Arena Fonte Nova

Intervalo: Fala, galera!
O meia Renato Cajá já está marcado na história do futebol baiano. O atleta foi o responsável por marcar o primeiro gol da Arena Fonte Nova, após cobrar um pênalti aos 40 minutos do primeiro tempo.

O responsável por sofrer a penalidade, Mansur, comentou a emoção de estar ligado ao primeiro tento do complexo multiuso. “De certa forma entrei na história. Já estava trabalhando durante a semana, inclusive com a nossa psicóloga, além da comissão, que me ajudou muito. Está aí o resultado dentro de campo”, disse emocionado.

Já Renato Cajá, não escondeu a euforia pela marca. “Fui premiado por Deus, mas o importante não é só fazer o primeiro gol, mas vencer esse jogo. Estamos firmes e vamos tentar marcar logo o segundo”, disse o meia.

Já pelo lado do Tricolor, o volante Hélder disse que a palavra chave para reverter a situação era “tranqüilidade”. “O time está bem. O pênalti foi só um detalhe, mas é um detalhe que decide clássico. Vamos voltar com tranqüilidade e empatar esse jogo para, depois, virar”, explicou.

Segundo tempo: Leão atropela super-homem
O Vitória voltou empolgado no início da segunda etapa. Logo aos 5 minutos de jogo, Maxi Biancucchi aproveitou que o goleiro Marcelo Lomba estava adiantado e mandou um chute da entra da área, marcando um golaço na Arena Fonte Nova e ampliando o marcador para o Leão.

Logo após o gol, o Bahia esboçou uma reação com Obina, que recebeu passe pela esquerda e mandou a bola no fundo das redes, mas o assistente já havia assinalado o impedimento.

Se o Bahia esboçou uma reação, o Vitória agiu e marcou o terceiro. Aos 12 minutos, Michel tabelou com Dinei e, cara a cara com Marcelo Lomba, mandou para o fundo das redes, deixando o marcador mais elástico na Arena Fonte Nova.


============================================================

DEU NO PÚBLICO (LISBOA)

Está à venda a primeira revista dedicada a leitoras lésbicas na Rússia. Com uma capa onde o tom predominante é o rosa, a Agens, que em latim significa “poderoso”, é uma publicação glamorosa, editada com o objetivo de desafiar a homofobia do país. Atualmente, o Parlamento analisa um projeto-lei que pretende punir toda a publicidade homossexual.

A intenção da revista é “criar uma nova imagem da comunidade lésbica”, revelou a editora Milena Tcherniavskaïa, de 24 anos, no seu editorial.

Com 120 páginas, a revista trimestral, tem artigos sobre conselhos para ter um cabelo mais bonito ao lado de outros sobre “como revelar a sua homossexualidade”.

Apresentada como uma “revista de mulheres para mulheres”, a primeira edição, com apenas 999 exemplares – pode ser comprada em sites gays ou em clubes especializados –, tem uma capa brilhante onde o cor-de-rosa é predominante e a recomendação “interdita a menores de 18 anos” está impressa, bem visível, tal como prevê a lei russa.

É “a primeira revista com glamour” para lésbicas na Rússia, a pensar nas mulheres entre os 22 e os 32 anos que trabalham, ganham um salário médio e têm um bom nível de educação, define Tcherniavskaïa. Portanto, as suas leitoras potenciais são jovens activas e interessadas no que acontece no mundo, continua.

O objectivo da revista – que custa 299 rublos (cerca de 7,4 euros) – é dar a conhecer jovens mulheres que não têm medo de reconhecer a sua orientação sexual ao mesmo tempo que são profissionais de sucesso, continua Tcherniavskaïa. “Elas não têm medo de ser quem são e nós admiramo-las por isso”, acrescenta.

A Agens pretende distanciar-se dos activistas gays, salvaguarda a editora, lembrando que muitas vezes esses militantes são muito agressivos na tentativa de defender os seus direitos. “Nem todos nos queremos manifestar”, justifica.

A publicação da primeira edição (o número zero) surge num momento em que a câmara baixa do Parlamento russo (a Duma) volta a discutir um projecto-lei que pune os autores de qualquer “acto público” que promova a homossexualidade ou a pedofilia. Esta lei, que prevê multas até 500 mil rublos (12.500 euros), já foi aprovada numa primeira instância, no início do ano, o que provocou críticas da comunidade gay.

Legislação semelhante já está em vigor em várias regiões da Rússia como, por exemplo, em São Petersburgo. Tcherniavskaïa reconhece que todos estão com “um pouco com medo” porque já algumas pessoas terão sido multadas.

O autor dessa lei em São Petersburgo, o deputado Vitali Milonov já lamentou a criação desta revista. “A sua publicação não vai contra a lei, mas teria sido melhor se elas tivessem uma revista sobre gatos”, disse Milonov à agência noticiosa Ria Novosti.

A homossexualidade foi considerada crime na Rússia até 1993 e uma doença mental até 1999. Segundo uma sondagem recente do Centro Levada, mais de dois em cada três russos dizem-se “hostis” ou “reservados” em relação ao tema que, para a maioria, devia ser proibido.


==================================================================

DEU NO TERRA

André Naddeo – Direto do Rio de Janeiro

Uma marcha pelo direito ao Estado laico e contra o pastor e presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Congresso Nacional, deputado federal Marco Feliciano (PSC) reuniu cerca de 300 manifestantes e lideranças religiosas na manhã deste domingo, na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro.

Com faixas com dizeres como “Nada deve ser impossível de mudar”, e com gritos contra o atual presidente da CDH, como “Feliciano, você vai ver, a maioria não precisa de você”, o ato foi liderado pelo deputado estadual e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Alerj, Marcelo Freixo (Psol), e contou com representação de artistas globais, como a atriz Luana Piovani, além do deputado federal Jean Wyllys (Psol).

“Vivemos num Estado laico, esse é o principal ponto, e não a religiosidade dele. Suas falas e convicções representam a violação dos direitos humanos, ele não tem condições de representar uma comissão tão importante”, opinou Freixo, ciente também de que Feliciano não vai abrir mão do cargo e que a estrutura do Congresso Nacional é quem deve se mobilizar para retirá-lo.

“Não é nosso objetivo, e sim mexer com a estrutura do Congresso e com a opinião pública. A gente espera que o Congresso tome uma posição, pois é um assunto muito sério”, completou ainda. Jean Wyllys, por sua vez, entende que a estrutura engessada de distribuição de comissões acabou por legitimar a posição de Feliciano, uma vez que a indicação foi do próprio PSC.

“Quando a gente identificou isso, sugerimos o nome do (deputado) Hugo Leal, que é um cara com diálogo aberto”, lembrou. “Um cara reacionário como o Feliciano não pode estar nesta posição. Estamos pressionando. A maneira dele agir é arbitrária, e vamos continuar lutando”, complementou Wyllys.

Feliciano foi eleito presidente da CDH mesmo com um histórico de declarações tidas como homofóbicas e racistas. É contra representações como esta que o padre Ricardo Resende, uma das lideranças religiosas presentes, e membro do Movimento Humanos Direitos, fez questão de marcar presença no ato desde domingo ensolarado.

http://youtu.be/XXPVcoXZkLg

==================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS (PORTUGAL)

Joe Jackson, pai de Michael Jackson, voltou a referir numa entrevista ao programa Legendários, em São Paulo, que era frequente agredir o filho famoso. E fez uma revelação: disse que a mãe do cantor lhe “batia muito mais”.

“Eu batia muito em todos os meus filhos, também batia no Michael, eu não sabia direito o que estava a fazer”, admitiu Joe Jackson, referindo-se aos anos em que bebia muito. Mas foi ainda mais longe e completou: “Só que tem um detalhe, a mãe batia-lhe muito mais”.

Polémico, o pai do grand artista op fez ainda uma consideração surpreendente: “Jermaine, do Jackson Five, cantava melhor do que Michael Jackson”, avaliou o patriarca, sobre um dos irmãos do meio de Michael.


Pai e filho:lembranças e novas emoções na Fonte

=====================================================

DEU NO PORTAL A TARDE

Da Redação

Bruno Porciúncula | Agência A TARDE

Primeiros torcedores a entrar na Arena Fonte Nova revelam emoção por conhecer o novo estádio

Os portões da Arena Fonte Nova foram abertos por volta das 11h30 deste domingo, 7, e os torcedores da dupla Ba-Vi já podem adentrar o estádio para se acomodar e esperar pelas atrações do evento inaugural da nova praça esportiva baiana.

Pai e filho, Eduardo Belas Pereira e Eduardo Belas Pereira Júnior foram os primeiros torcedores a entrar na Arena e, emocionados, contaram qual foi a sensação de conhecer de perto o estádio que receberá jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo.

“Foi maravilhoso. Só quem está aqui sabe a emoção. A Arena é mesmo muito bonita”, disse Eduardo pai.
Saiba mais
Torcedores já começam a chegar na Arena Fonte Nova

07/04/2013 | Comentários(0)

Torcedores já começam a chegar na Arena Fonte Nova

Saudoso, ele lembrou também a antiga Fonte Nova e contou qual foi o seu jogo preferido: “Meu jogo inesquecível aqui foi Vitória 1×0 Cortinhians, pelo Campeonato Brasileiro de 1993”.

Clássico festivo – Além do clássico, que está previsto para começar às 16h, haverá também, às 14h30, uma cerimônia de abertura com a participação de consagrados artistas baianos. Todos os ingressos para o evento inaugural da Arena Fonte Nova já foram esgotados.

abr
07
Posted on 07-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 07-04-2013


============================================================
Enio. hoje, na Gazeta de Alagoas

  • Arquivos