http://youtu.be/RybESN6fas8

====================================================

Personnel :

Cannonball Adderley – Alto saxophone
Sérgio Mendes – Piano
Durval Ferreira – Guitar
Octavio Bailly, Jr. – Bass
Dom Um Romão – drums
Pedro Paulo – Trumpet
Paulo Moura – Alto saxophone

Via BP, um time de craques sai do túnel do You Tube e entra no ar para homenagear o dia internacional do Jazz

BOA NOITE DE JAZZ

(Gilson Nogueira )



Dilma e o Dia do Trabalho: Na TV, distantes dos sindicatos
==================================================

DEU NO IG

A presidente Dilma Rousseff optou por ficar de fora das comemorações do Dia do Trabalho organizadas pelas centrais sindicais. Em vez disso, Dilma fará um pronunciamento oficial na quarta-feira (1º), no qual deve anunciar, entre outras medidas, subsídios para a compra de eletrodomésticos da chamada linha branca para beneficiados do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida.

A escolha de Dilma pelo pronunciamento, que terá o tratamento do publicitário João Santana, mira mais no trabalhador comum que no trabalhador mobilizado na luta sindical. Interlocutores da presidente disseram que ela fará um discurso direto, simples, procurando enaltecer a situação denominada pelo próprio governo de “pleno emprego”.

Dilma falará também dos programas do governo destinados à qualificação de mão de obra e das conquistas dos trabalhadores nos 10 anos do PT . Pesou também na escolha da presidente, segundo interlocutores, a avaliação de que não há uma comemoração unificada do Dia do Trabalho.

Em 2010, quando estava no período de pré-campanha, Dilma, ao lado do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outras lideranças petistas, foi estrela da festa da CUT que reuniu cerca de 3 mil pessoas no Memorial da América Latina, zona oeste de São Paulo.

Essa foi a única participação de Dilma nas comemorações. Em 2011, a presidente escalou o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, para representá-la e, neste ano, não será diferente. Carvalho já foi convocado para definir com Dilma, em reunião nesta terça-feira como será sua participação.

Mesmo com a CUT, que tradicionalmente mantém melhor relação com o governo petista, o clima não está dos melhores. O convite para participar da festa, organizada pela representação da CUT em São Paulo, chegou a Dilma há cerca de um mês. De acordo com a CUT, não houve resposta do Planalto sobre o assunto.

Os sindicalistas reclamam ainda que, desde que se reuniram com a presidente, no dia 6 de março, nenhuma outra conversa foi chamada pelo Planalto. “Ela precisa chamar para conversar, nem que seja para dizer não”, reclamou o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Carvalho explicou que ainda não há definição do governo sobre a pauta das centrais. “Estamos olhando”, disse. Entre os pedidos estão a redução da jornada de trabalho semanal de 44 para 40 horas, o fim do fator previdenciário e a regulamentação do direito de greve.

Para a festa da Força Sindical estavam sendo esperados dois dos possíveis adversários de Dilma em 2014. O tucano Aécio Neves (PSDB-MG) confirmou presença. Já o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB-PE), alegou, por meio de sua assessoria, incompatibilidade de agenda para não comparecer à festa.

=============================================

Leio na área de comentários do YouTube, assinado pela ouvinte Maria Eugenia Brito Marins:

“Que saudades da minha infância! Minha mãe tocava? essa música para mim no violão!”

E recordo neste 30 de abril de 2013, também com saudade e agradecimento:

Aprendi esta rara canção de Caymmi ( Jô Soares costuma falar dela, sem lembrar a letra, em suas entrevistas na madrugada da Globo) ainda menino das barrancas do Rio São Francisco, pertinho da cachoeira de Paulo Afonso.

Escutava Alaor Soares, meu pai, canta-la no banheiro com a perfeição de voz e interpretação de um consumado artista do canto, que nunca foi, mas sempre sonhou.

Depois, quando passava de trem pela estação de Alagoinhas,em viagens para Juazeiro e Petrolina, eu mesmo a cantava baixinho (meio envergonhado) da janela do vagão da locomotiva.

Não dá para esquecer. Nunca!

Salve Dorival Caymmi, mágico da canção, no dia de seu aniversário! E os cantores de banheiro. Sempre!.

(Vitor Hugo Soares, duplamente com saudades, daquelas das boas como a do baião de Luiz Gonzaga, “pro mode o cabra aprender que é feliz sem saber, e não sofrer” )

abr
30

DEU NO “PÚBLICO”, DE LISBOA

Depois do alerta lançado pelos advogados, de que alimentar de forma forçada os prisioneiros de Guantánamo em greve de fome desde o início de Fevereiro podia ser tortura, a Associação de Médicos dos Estados Unidos manifestou o receio de que essa prática viole o código de ética dos profissionais. Mais especialistas e enfermeiros foram enviados para o campo de detenção na base naval norte-americana em Cuba para assistir na ingestão líquida de alimentos e assim evitar que algum prisioneiro morra.

Dos 166 prisioneiros de Guantánamo, 100 estão em greve de fome – são números oficiais, ultrapassados pelos 130 estimados pelos advogados. O movimento nasceu a 6 de Fevereiro pela forma como os guardas examinaram o Corão, durante uma busca, mas depressa se transformou num protesto contra a detenção indefinida sem julgamento ou culpa formada da maioria dos prisioneiros, alguns em Guantánamo há mais de dez anos.

Os 86 prisioneiros declarados passíveis de serem libertados por não constituírem ameaça continuam presos por restrições impostas pelo Congresso dos EUA.

A barreira simbólica dos 100 prisioneiros em greve de fome foi atingida no último fim-de-semana, quando chegaram à base naval norte-americana em Cuba reforços das equipes de especialistas e 40 enfermeiros da Marinha, bem como elementos militares, treinados para dar assistência médica básica.

Pelo menos 21 perderam muito peso e estão recebendo alimentos líquidos por tubos nasais, escreve a AFP. Jeremy Lazaruz, presidente da Associação dos Médicos, enviou uma carta ao secretário de Estado da Defesa Chuck Hagel, exortando-o a garantir que não sejam exigidas aos médicos práticas que violem as regras éticas da profissão.

“Não vamos permitir que os detidos façam mal a si próprios, o que inclui tentativas de suicídio mas também situações de fome extrema auto-induzidas ou pressionadas por outros prisioneiros”, disse o porta-voz do Pentágono Tenente-Coronel Todd Breasseale.

Responsáveis militares citados pela AFP garantem que a ingestão dos alimentos se faz de forma suave, por tubos flexíveis. E dizem que muitos dos prisioneiros estão sendo pressionados por outros para aderir ao protesto.

O protesto iniciado a 6 de Fevereiro intensifica-se todas as semanas, tornando-se inédito pela dimensão e natureza. Andrea Pawson, especialista em contraterrorismo da organização Human Rights Watch diz à AFP que a morte de um prisioneiro, se acontecer, coloca não apenas questões de saúde ou bem-estar destas pessoas; coloca “questões sérias de segurança nacional “. Porque a morte de um prisioneiro seria vista “fora dos EUA como sendo da responsabilidade dos EUA”.

E conclui: este é o “momento mais crítico da história de Guantánamo”. Uma história de 11 anos. O seu fim foi anunciado pelo Presidente Barack Obama na tomada de posse do primeiro mandato em 2009. Continua por cumprir.

Na sexta-feira passada, a Casa Branca prometeu acompanhar de perto a situação dos prisioneiros em greve, garantiu que Obama “mantém o compromisso” de fechar Guantánamo, e lembrou que um obstáculo fundamental continua a ser a oposição no Congresso.

abr
30
Posted on 30-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 30-04-2013

========================================================

DEU NO EXTRA

Lancepress

O presidente de honra da Fifa, João Havelange, renunciou ao cargo honorário após ter seu nome ligado a um escândalo de corrupção dentro da própria entidade, em relação ao Caso ISL. A renúncia foi feita no dia 18 de abril, mas apenas tornada pública nesta terça-feira, por Hans-Joachim Eckert, presidente do Comitê de Ética.

O relatório divulgado nesta terça-feira também inocenta o presidente da Fifa, Joseph Blatter, de qualquer malefício causado à instituição. No entanto, o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e o recém-aposentado Nicolás Leoz, que renunciou à presidência da Conmebol, também foram culpados de receberem propinas da ISL entre 1992 e 2000.

Leia mais: http://extra.globo.com/esporte

abr
30
Posted on 30-04-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 30-04-2013


Pater, hoje, no jornal A Tribuna (ES)

abr
30

========================================================

DEU NO SITE BRAINSTORM9

30 de abril foi decretado o Dia Internacional do Jazz. A iniciativa foi tomada pela UNESCO em 2011 para promover e destacar o papel do Jazz na união das pessoas e suas culturas. É uma música sem preconceitos, livre, aberta a novas interpretações e novas contribuições. É um estilo musical democrático e quase diplomático, segundo o conceito dos organizadores.

Para comemorar o International Jazz Day 2013, vários artistas espetacualares vão tocar em Istambul, a cidade oficial do evento nesse ano.

Na lista de estrelas que vão participar estão nomes como George Duke, Vinnie Colaiuta, Bandford Marsalis, Al Jarreau, James Genus, John Beaslay… só para citar alguns.

Para quem gosta de Jazz, dia 30 de abril deveria virar feriado.

==============================================================


OPINÃO POLÍTICA

A crise e seus focos

Ivan de Carvalho

Os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senador Federal, deputado Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros, foram ontem à casa do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal e de lá saíram com a versão de que, além de uma conversa muito cordial, as relações entre o Congresso e o Supremo Tribunal Federal experimentam no momento uma distensão, após a crise que houve na semana passada.

Um dos pontos principais é o de que o presidente da Câmara saiu analisando possíveis maneiras de desmanchar o malfeito perpetrado pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa, que aprovara a PEC 33, uma espécie de monstro legislativo que pretende submeter o STF ao Congresso nos poderes mais essenciais da Suprema Corte.

Enquanto o presidente da Câmara dava a entender, como hipótese para desfazer a aprovação da PEC 33 pela CCJ, que a sessão da Comissão de Constituição e Justiça poderá ser anulada por ter sido marcada por anomalias graves, o ex-presidente do Senado e da República, senador José Sarney, do alto dos seus 83 anos e do seu governismo peemedebista, fez declarações duras contra a PEC 33, dizendo que o Congresso “jamais” aprovaria uma emenda tão estapafúrdia (foi proposta pelo deputado Nazareno Fonteles, do PT).

Já o atual presidente do Senado, Renan Calheiros, depois da conversa com o Gilmar Mendes, sugeriu que quando uma proposta legislativa contraria frontalmente a Constituição, especialmente ferindo uma de suas cláusulas pétreas, ela pode ser simplesmente arquivada pela presidência da Casa Legislativa. E acrescentou ele: “Não sei se é o caso”. Não sabe, mas levanta a bola para Henrique Eduardo Alves, após resolver a questão da aprovação da PEC 33 pela CCJ, determinar o arquivamento definitivo da proposta, alegando que fere a Constituição, inclusive em cláusulas pétreas, o que é verdadeiro.

Bem, parece que há mesmo por enquanto uma distensão. Aparentemente foi aberta uma estrada para que o Congresso e o STF – onde já existe ação do PSDB e da Mobilização Democrática (a nova legenda surgida da fusão entre o PPS e o PMN) contra a PEC 33 – lidem com o assunto e cheguem à única conclusão racional, para a qual parecem marchar: a PEC 33 é lixo, uma monstruosidade legislativa, tentativa desavergonhada de golpe legislativo contra o Poder Judiciário, os fundamentos da Constituição e a democracia.

Mas restarão ainda dois focos de crise. Um deles, que já está rolando há algum tempo no Congresso, é a PEC 37, que restringe as funções do Ministério Público e tem sido apelidada de “PEC da impunidade”. Impede que o MP (federal ou estaduais) tome a iniciativa de investigar, bem como de supervisionar as investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelas polícias civis estaduais. Tenta-se implantar no Brasil o que, no mundo, é uma raridade.

Em outras palavras, dá às polícias a exclusividade da investigação, impedindo a vigilância e, se necessário, interferência do MP. Como as polícias são submissas ao Poder Executivo (o que não ocorre com o MP, que é autônomo), as investigações poderão ser, eventualmente, totalmente manipuladas pelo Executivo, para descobrir ou encobrir, sem nada que se possa fazer para evitar as distorções.

Além dessa “PEC da impunidade”, a PEC 37, o outro foco de crise, este a curto prazo bem mais candente, é o projeto de lei que inibe a criação de novos partidos. A Câmara dos Deputados o aprovou, agora está no Senado, onde os governistas querem aprová-lo para bombardear a candidatura a presidente de Marina Silva e fragilizar as de Eduardo Campos (governador de Pernambuco e presidente do PSB) e Aécio Neves, do PSDB. Melhor dizendo, remover os principais obstáculos à reeleição da petista Dilma Rousseff.

O ministro do STF Gilmar Mendes paralisou a tramitação do projeto no Senado, através de medida liminar em mandado de segurança. Resta saber se ele reverá sua decisão ou se o pleno do STF a manterá ou não. Mantida a decisão contra o projeto casuísta, será foco de crise. Derrubada, ficará parecendo uma troca pela PEC 33.

========================================================

Isadora Peron

O Estado de S. Paulo

Em mais uma movimentação para criar o seu novo partido, a ex-senadora Marina Silva conseguiu agendar uma audiência com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, para a próxima semana, na terça-feira, 7. O tema da conversa será o projeto de lei que dificulta as regras para a criação de novas legendas.

Desde fevereiro, Marina vem articulando a criação da Rede Sustentabilidade, sigla pela qual pretende concorrer ao Palácio do Planalto em 2014.

Na semana passada, o ministro do STF Gilmar Mendes concedeu uma liminar que suspendeu a tramitação no Senado do projeto de lei de autoria do deputado federal Edinho Araújo (PMDB-SP). A proposta, que já foi aprovada da Câmara, tem o apoio do governo federal e restringe o repasse de recursos do Fundo Partidário e tempo na TV a novos partidos.

Em um vídeo divulgado no site da Rede nesta segunda-feira, 29, Marina agradeceu a Mendes pela atitude. A ex-senadora tenta agora conquistar mais um apoio na Corte para impedir que a projeto avance e prejudique os seus planos.

O argumento recorrente usado pela ex-ministra do Meio Ambiente é o de que é preciso ter isonomia, pois, no ano passado, o Supremo concedeu esses benefícios ao PSD, partido criado pelo ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab.


Vanzolini e Adoniran:amigos e boêmios amantes de São Paulo

=================================================

Um Homem de Moral

Maria Helena RR de Sousa

Dr. Vanzolini foi uma figura especial. Além de ser um cientista de renome internacional, a quem o Brasil deve muito sobretudo por suas pesquisas que dão importância ao Instituto Butantã, de São Paulo, era um grande compositor, autor de letras imortais, boêmio por natureza e grande amante da cidade de São Paulo.

Foram bons amigos, ele e Adoniran Barbosa. Ambos com sangue italiano nas veias, ambos com a inteligência à flor da pele, um muito instruído, com bagagem intelectual de primeira, o outro com as lições aprendidas na escola da vida, tinham em comum o fato de gerarem músicas deliciosas sem tocar um instrumento sequer. Ambos dependiam de amigos para pôr em um papel as suas músicas.

Paulo Vanzolini é autor de letras sensacionais: Praça Clovis, Samba Erudito, Napoleão, Quando eu for eu vou sem pena, Juízo Final, Ronda, e do hino Volta por cima do qual ele disse: “Mas “Volta por cima” tem um fracasso. Porque ninguém entendeu que o importante não é dar a volta por cima, é reconhecer a queda”. Grande lição, que eu recém aprendi…

Ricardo Dias, cineasta e grande amigo do dr. Vanzolini, fez um documentário intitulado “Um Homem de Moral” que é uma preciosidade. Assisti aqui no Rio em junho de 2009. Espero que os cinemas brasileiros prestem a homenagem que Paulo Vanzolini merece e programem a reapresentação do documentário.

Não podemos perder nossa memória. Não devemos perder nossa memória. Não seremos nunca um país se não repassarmos para as gerações vindouras os feitos dos nossos grandes. E Paulo Vanzolini foi enorme.

Trouxe para vocês um clip onde Ana Bernardo, a maravilhosa companheira de Vanzolini, canta o samba que ele compôs para seu amigo Adoniran Barbosa:

Ô, Seu Barbosa, nóis era dois casado certo
Morando num bairro longe, mas passando ônibus perto
Uma vista tão linda, de cima do nosso morro
E as crianças precisando de um pronto-socorro – só uma hora dali
Eu e Marli, vivia satisfeito
O que fizeram com nóis, seu Barbosa, não está direito
O pivô do enguiço foi um gato
Pertencente a cidadão, por nome de Rubinato
O miau sumiu, ele botou o dedo ni mim
Só porque me viu, encourando um tamborim
Foi na delegacia, se acertou com o escrivão
Já no outro dia recebi intimação
Mas eu vou lá, quem não deve não dá bola
Eu provo que o tamborim eu fiz com o gato da espanhola
Seu Rubinato, vou lhe dar um bom conselho:
Você arranja outro gato e a Marli lhe ensina a fazer coelho.

Maria Helena RR de Sousa, cronista, colaboradora do Bahia em Pauta,mora no Rio de Janeiro. É filha de Adoniran Barbosa

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 24 25

  • Arquivos