mar
19
Posted on 19-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-03-2013

Deu no G1 BA

Uma das dicas de segurança da Polícia Militar da Bahia, postadas no site da PM, chama a atenção de quem busca orientação para o caso de ser sequestrado e jogado no porta-malas de um carro. A PM diz que é preciso agir de forma a chamar a atenção de quem passa na rua, com objetivo de ser resgatado. “Chute os faróis traseiros até que eles saiam para fora, estique seu braço pelos buracos e comece a gesticular feito doido. O motorista não verá você, mas todo mundo verá. Isto já salvou muitas vidas”, indicava o site. A informação foi retirada da página da PM na internet nesta terça-feira (19). No entanto, segundo a PM, por um problema interno de tecnologia, as orientações ainda podem ser vistas em alguns tipos de navegadores.

Em nota, a Polícia Militar informou que “está reavaliando o conteúdo das dicas de segurança publicadas no site institucional com o objetivo de disponibilizar recomendações mais atualizadas ao cidadão, e que contribuam para um comportamento mais adequado nos aspectos preventivos e em situação de vítima de ações delituosas”.

Ainda na nota, a PM reforça a orientação de que o cidadão não deve reagir a abordagens criminosas. Nas dicas contidas no site, havia a mesma orientação. “Jamais reagir, só em filmes dá certo. O elemento surpresa é favorável ao bandido, que normalmente não está sozinho”, diz a dica.
saiba mais

A PM não deu previsão de quando as informações serão recolocadas no site. Todos os itens (segurança para condomínios, para evitar afogamentos, contra incêndios, para evitar acidentes nas estradas, prevenção contra estelionato, prevenção em caixas eletrônicos e agências bancárias, prevenção no dia-a-dia, prevenção contra sequestros relâmpagos, dicas de segurança no carro, dicas de segurança no carro e dicas de segurança em rodovias) foram retirados do site institucional da Polícia Militar da Bahia.
Dicas de segurança no site da PM Bahia (Foto: Reprodução site da PMBA)Dicas de segurança no site da Polícia Militar da Bahia (Foto: Reprodução site da PMBA)

Caso Polícia Civil

A Polícia Civil da Bahia também retirou do site oficial da instituição, no dia 12 de março, um link com dicas para a população agir de forma segura em caso de assalto. Uma das orientações continha a seguinte informação: “carregue um pouco de dinheiro (para satisfazer o ladrão), mas poucos cartões”.

Em nota, a Polícia Civil informou que o link “Dicas de Segurança” foi retirado dos sites da instituição e da Secretaria da Segurança Pública (SSP) temporariamente, após determinação do delegado-geral Hélio Jorge Paixão. Ainda na nota, a polícia afirma que as informações contidas no link estavam postadas há mais de cinco anos e vão passar por revisão e atualização. Até as 13h30 desta terça-feira.

==================================================
Grande voz! Grande interpretação!!!

(VHS)


Maria Helena
=====================================================

================================================================


CRÔNICA/ Ê, BAHIA!!!

O baiano que sonhou ser Papa

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

“Pense num absurdo, na Bahia tem precedente” é frase atribuída ao ex-governador Otávio Mangabeira, célebre político baiano. É frase recorrente e nem sei dizer quantas vezes a li ou ouvi. Sempre, confesso, achando graça e atribuindo esse dito ao DNA marqueteiro dos baianos. Se há povo talentoso nessa área, seja “marquetando” para outrem, seja para si mesmo, são os baianos.

Até abrir “O Globo” de 16 de março e na página 40 encontrar um artigo de Luciano Figueiredo chamado “O Papa Imaginário – Documentos descobertos no Vaticano revelam autobiografia de baiano que sonhou ser Pontífice”.

“Hei de ser Papa” dizia o baiano Antonio Dias Quaresma, que viveu entre os séculos XVII e XVIII e cuja autobiografia, terminada de escrever em 1744, foi recentemente descoberta por dois historiadores, a professora Maria Leda Oliveira (USP) e o arquivista do Arquivo Geral da Ordem dos Servos de Maria, em Roma, Odir Jacques Dias.

O material, além da autobiografia, reúne cartas pessoais do extraordinário Antonio. Em português de nosso tempo, o cara era um fenômeno!

Lembremos que Antonio viveu numa época quando milagres, revelações, sinais da presença de Deus eram tidos como realidade e nunca como fantasia ou delírio. Conversar com o santo de sua devoção e depois relatar o papo para os amigos e parentes, não causava maiores comoções.

Mas cismar que ia ser Papa, tirar isso da cartola, por assim dizer, e nisso botar toda a sua energia, creio que é fato único.

A vida do baiano Antonio, mesmo tirando sua determinação em ser sucessor de Pedro, daria um livro e tanto só com os detalhes de seu nascimento, infância (voou pelos ares ao ser chifrado por um boi; aos 11 anos escapou de morrer afogado) e adolescência, viagens para Lisboa, Rio de Janeiro, Santos, trabalho e enriquecimento em Minas Gerais, amásias, filhos, aventuras, dono de terras e de escravos (com esses sempre mau como um pica-pau).

Acredito que o livro resultante dessas pesquisas dará um filme daqueles de filas na porta quando, durante a leitura, os bons diretores ficarem sabendo que Antonio de repente volta a ceder à sua vocação original e larga tudo para se dedicar a peregrinar pelo mundo, esmolando, sofrendo, debaixo de nova visão que lhe ordenava a fundação de uma nova religião.

E nosso Antonio acaba chegando a Roma onde consegue, em 1733, ingressar na Ordem dos Servos de Maria, para depois ser ordenado sacerdote com o nome de frei Uguccione Maria Antônio.

Em meio a visões fantásticas que incluíam ordens do Imperador, imagens suas com a estola e a tiara de Pontífice na cabeça, portas abertas em pleno ar por onde passavam figuras que só se deixavam entrever, tudo isso interpretado pelo místico Antonio como “o meu interior me dizia que era para ser Papa”.

Convencido que deveria ser Papa, dedicando seus dias às orações e a exercícios espirituais, o baiano Antônio Dias Quaresma faleceu em 1756 sem ter chegado ao Papado. Mas, pelo visto, estava escrito que sua vida aqui na Terra não passaria em branco e que ainda ouviríamos falar muito nele.

Para mim serviu como lição. De agora em diante, já sei: não adianta querer inovar. Na Bahia, certamente, será reapresentação!

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa, cronista, mora no Rio de Janeiro.

mar
19

DEU NO IG

Rio – Subiu para 20 na tarde desta terça-feira o número de mortos após o forte temporal que atingiu município de Petrópolis, na Região Serrana do Rio.

Em nota, a Secretaria de Estado da Defesa Civil disse que o número de mortos chega a 20, com duas vítimas encontradas no bairro Independência.

Pai de duas vítimas acusa Prefeitura e Bombeiros de negligência

Luciano Santos de Barros, pai de Lucas Ladislau dos Santos, de 16 anos; e Jade Siqueira Barbosa, de 12 anos, que morreram soterrados, afirmou que há quatro meses pedia para a prefeitura fazer a contenção do muro que desabou sobre sua casa e matou seus filhos.

“Em janeiro, comecei a fazer a obra pagando do meu meu próprio bolso, mas não consegui terminar por falta de dinheiro”, disse ele.

De acordo com Luciano, seu filho ainda foi retirado dos escombros com vida por volta de 00h40, mas os bombeiros só chegaram ao local para prestar socorro às 4h. O menino não resistiu e morreu.

“Tenho certeza de que se os bombeiros tivessem chegado mais rápido, meu filho teria sido salvo”, afirmou.

Lucas será enterrado nesta terça-feira, no Cemitério Municipal de Petrópolis, a menina Jade, foi sepultada nesta segunda, no mesmo cemitério.

A família tem ainda mais três filhos, que não sabem que os irmãos morreram. Os pais estão esperando para contar quandos as crianças estivem menos abaladas pela perda da casa onde moravam.

“Nossa família está destroçada, perdemos nossos anjinhos, nossa casa está em ruínas, estamos em um abrigo, mas até agora a prefeitura não apareceu para dizer o que será da gente”, disse Luciano.

Seis corpos serão enterrados nesta terça-feira

Leia mais sobre a tragédia em Petropolis no IG

mar
19


DEU NO JORNAL DO BRASIL

Diogo Alcântara

A aprovação do governo Dilma Rousseff chegou a 63%, o melhor resultado desde 2011, revela a pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta terça-feira. O índice está um ponto percentual acima da última pesquisa, de dezembro do ano passado, quando 62% dos entrevistados consideraram o governo ótimo ou bom. É a primeira pesquisa de avaliação do governo e avaliação pessoal de Dilma em 2013, ano considerado “decisivo”, segundo interlocutores, para a campanha rumo à reeleição.

Além dos 63% que consideram o governo ótimo ou bom, 29% dos entrevistados avaliaram a gestão de Dilma como regular e 7%, ruim ou péssima.
Índice de aprovação de Dilma cresceÍndice de aprovação de Dilma cresce

O trimestre analisado foi marcado por anúncios populares da presidente, como a entrada em vigor da redução do custo da energia elétrica e também o anúncio da desoneração dos impostos federais sobre os itens da cesta básica.

A pesquisa CNI/Ibope entrevistou 2.002 eleitores de 143 municípios. As entrevistas foram feitas entre 08 e 11 de março e a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Aprovação pessoal

A aprovação do modo de governar da presidente Dilma bateu novo recorde e chegou a 79%, contra 78% da pesquisa de dezembro. Apenas 17% dos entrevistados não aprovam a maneira como a presidente governa.

Quando questionados se confiam ou não na presidente, 75% dos entrevistados responderam afirmativamente, contra 22% que não confiam em Dilma Rousseff. Os outros 3% não souberam ou não responderam à questão.

Otimismo mantém trajetória de crescimento

A expectativa dos eleitores ouvidos pela pesquisa CNI/Ibope em relação ao restante do mandato de Dilma Rousseff vem seguindo um ritmo de otimismo, mas não chega ao índice do início do governo. Dos 2.002 entrevistados, 65% responderam que espera um resto de governo ótimo ou bom. Em março de 2011, logo após o primeiro trimestre de governo, esse otimismo era de 68%¨.

===================================================


“São João do Carneirinho” é um dos maiores sucessos de Luiz Gonzaga em todos os tempos. Composição de autoria de Gonzagão com o cearense Guio de Moraes.

Gravado no Álbum: Luiz Gonzaga – São João na Roça.
Ano de 1962.

=============================================

No dia de São José este canto nordestino (de alcance universal) vai em duplo tributo:

A Francisco, o novo Papa dos católicos, nascido no simpático bairro portenho de San José de Flôres, em Buenos Aires, e que escolhou a data em louvor ao santo da paciência para iniciar oficialmente o seu pontificado .

E para dona Jandira (minha mãe), uma doce e querida sertaneja cem por cento, que teve em José, o santo da sua maior devoção e crença até os últimos dias de vida.

Ateu que acredita em milagres (principalmentes nos de Antonio, João e Jose) estou certo de que dona Jandira (onde quer que esteja) cantará feliz com Luiz Gonzaga (outra de suas grandes devoções) neste 19 de março.

(Vitor Hugo Soares)

=======================================================

DEU NO JORNAL PÚBLICO (LISBOA)

O Papa Francisco lançou nesta terça-feira um apelo aos responsáveis econômicos, políticos e sociais para “não permitirem que os sinais de destruição e de morte acompanhem o progresso do nosso mundo”. Todos devem ter “respeito por toda a criatura de Deus e pelo ambiente”, sublinhou.

“Tudo está confiado ao homem. Quando o homem falha nessa responsabilidade, quando não cuidamos da criação e dos irmãos, a destruição acontece”, disse, num registo em que se percebe a influência de Francisco de Assis, figura da Igreja cujo nome escolheu.

“Em todas as épocas há Herodes com projectos de morte, [que] destroem e desfiguram o rosto do homem e da mulher”, disse também, na homilia de inauguração do pontificado, na Praça de São Pedro, em Roma.

O novo líder dos católicos afirmou também que o “verdadeiro poder” de um Papa é “o serviço humilde, concreto”.

Ao comentar a leitura do Evangelho que invoca José, marido de Maria, mãe de Jesus, disse que o pontífice deve “abrir os braços para […] acolher com afeição e ternura toda a humanidade, especialmente os mais fracos, os mais pobres, os mais pequenos”.

“Não devemos ter medo da bondade, nem da ternura”, disse, em voz forte, provocando aplausos da multidão.

Francisco, que prestou homenagem ao seu “venerado antecessor”, Bento XVI, recebeu no início da cerimónia os símbolos que marcam o início do pontificado: o pallium – uma estola branca com uma cruz vermelha, que lhe foi colocada pelo cardeal protodiácono, o francês Jean-Louis Tauran; e o anel papal – em prata dourada e não em ouro, em sinal de humildade – que lhe foi colocado na mão direita pelo decano dos cardeais, o italiano Angelo Sodano.

=========================================================

A atriz, cantora e modelo Lindsay Lohan conseguiu evitar uma pena de prisão, mas vai passar três meses numa instituição onde fará um programa de reabilitação, por ordem de um juiz de Los Angeles. Também terá de fazer 30 dias de trabalho comunitário.

O juiz decretou ainda que a atriz, cuja promissora carreira tem sido prejudicada por sucessivos problemas legais e comportamento errático, terá de fazer psicoterapia, ficando durante dois anos em liberdade condicional.

No início deste mês, um juiz recusou-se a arquivar o processo por condução perigosa e obstrução da investigação contra a atriz e determinou que fosse julgada.

Lindsay declarou-se inocente das acusações relacionadas com a colisão do seu Porsche com um caminhão, em junho de 2012, em Santa Monica, na Califórnia. Nessa altura disse à polícia que não era ela que conduzia, mas a investigação demonstrou o contrário.

Desde 2007 que Lohan tem somado problemas com a justiça, tendo, antes, sido condenada a uma pena de prisão suspensa, por outro caso.

mar
19
Posted on 19-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 19-03-2013


==================================================
Pelicano, hoje, no Bom Dia (SP)

=====================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Outra vez, o papa

Ivan de Carvalho

Miserando atque eligendo – com misericórdia o chamou – está, por decisão de Francisco, no brasão do novo papa. E refere-se, óbvio, ao chamado do Alto a ele para o posto que assumiu. A misericórdia também está explicitada numa exortação por ele feita após sua eleição para sucessor de Bento XVI – e de Pedro. “Misericórdia… esta palavra muda tudo. É o melhor que nós podemos sentir. Muda o mundo. Um pouco de misericórdia faz o mundo menos frio e mais justo”, disse.

Há quem diga – ainda que eu não necessariamente concorde – que um homem está realizado se tem um filho, planta uma árvore e escreve um livro. Tenho filhos, já plantei pé de milho em festa escolar e arranquei beldroega no quintal lá de casa em Itiúba (ah, como são limitadores os apartamentos).

Mas, embora escreva um artigo quase todos os dias (o problema é sempre a qualidade), nunca escrevi um livro. Nem me sinto entusiasmado com a idéia – talvez, entre outras razões, pela qualidade de outros livros que andei tentando ler e não consegui e desconfiado que algo semelhante possa acontecer com um do qual venha a ser autor.

Assim, quem não tem livro caça com artigo. É o que faço agora, pinçando algumas atitudes e atos do papa Francisco, encontrados dispersos no noticiário. Ele que, hoje, do papamóvel saúda os fiéis na Praça de São Pedro, antes de celebrar a primeira missa oficial do seu pontificado, com a presidente Dilma Rousseff na fila do gargarejo.

Tenho certeza de que as companhias áreas estão furiosas com o papa. Depois que ele foi eleito para este posto, espalhou-se o rumor fundamentado de que, quando ainda cardeal de Buenos Aires, nas suas viagens aéreas preferia a classe econômica ao invés da primeira classe ou da classe executiva. Pior foi quando, nomeado cardeal por João Paulo II em 2001, pediu a centenas de argentinos que se preparavam para ir a Roma celebrar que desistissem da viagem e doassem o dinheiro aos pobres. Agora, reincidiu. Papa, pediu a bispos e fiéis argentinos que arrumavam a bagagem para ir à missa de hoje em Roma que desfizessem as malas e, claro, dessem o dinheiro da viagem aos pobres.

Pobres companhias de transporte aéreo de passageiros.

Mas estas não são atitudes isoladas, pois em Buenos Aires usava o metrô e o sistema de ônibus, havendo notícia de que somente uma vez utilizou o carro com motorista da Arquidiocese e não havendo registro de que haja usado helicóptero para se deslocar em Buenos Aires. Em Roma, já vestido com sua roupa cardinalícia vermelha, seu porta-voz Guillermo Marco tomou um susto ao lhe perguntar como iriam do hotel para a Santa Sé: “Como como vamos? Caminhando.” E o então cardeal tranquilizou-o, com uma gargalhada: “Não se preocupe, em Roma você pode andar pelas ruas com uma banana na cabeça e ninguém vai dizer nada”.

Já como papa, vem reiteradamente recusando deslocar-se na limusine papal. E foi usando um carro preto que foi celebrar uma missa numa igreja de Roma, em frente da qual foi assediado pelos fiéis, apertando mãos, beijando crianças e apontando o relógio de plástico para mostrar que estava na hora da missa. Depois dela, postou-se na porta da igreja e cumprimentou, uma a uma, todas as pessoas que saíam. Uma sugestão para todos os cardeais, bispos, monsenhores e padres?…

Foi nesse mesmo carro preto que, transitando em Roma depois de eleito papa, pediu ao motorista que parasse e entrou no hotel em que estivera hospedado para acertar pessoalmente as contas. Mais: como recusou a limusine, recusou também, ao apresentar-se pela primeira vez como papa de uma janela da Basílica de São Pedro, a bela e luxuosa capa ornamentada de pele que Bento XVI usava em ocasiões muito especiais: “Não, monsenhor, você pode vesti-la. O carnaval acabou”. E em seguida inovou outra vez, pedindo aos fiéis na Praça de São Pedro que orassem por ele e o abençoassem antes que ele lhes desse a bênção. Também, ao ser quebrado o selo dos aposentos papais, olhou aquela vastidão e disparou: “Aqui cabem umas 300 pessoas. Não preciso de todo esse espaço.” Cardeal, residia em um apartamento modesto em Buenos Aires.

Ontem, disse que “Deus não se cansa de nos perdoar. O problema é que nós nos cansamos de pedir perdão. Mas ele nunca se cansa de nos perdoar e nós nunca deveríamos nos cansar de pedir perdão”. Aí, entra o pastor.

Pages: 1 2

  • Arquivos