mar
16
Postado em 16-03-2013
Arquivado em (Crônica, Janio) por vitor em 16-03-2013 11:56

======================================================

Habemus Jacuipense e Juazeirense

Janio Ferreira Soares

Agora que a Argentina nos deu um zignal e emplacou o Papa, pelo menos um consolo material para os baianos. Trata-se do novo estádio da Fonte Nova que, justiça seja feita, ficou muito bacana.

Só lamento que seu virginal gramado já comece sendo brutalmente violentado por chuteiras bavinianas que não merecem sequer apilar o barro amarelo dos campos das várzeas.

A propósito, com todo respeito aos seus torcedores, é constrangedor assistir na TV a apresentadores cortando o maior dobrado para me convencer de que Jacuipense, Juazeirense e Feirense representam algo além de uma feliz consonância, que pode até servir de inspiração para batizar essas bandas moderninhas que misturam Jackson do Pandeiro com batidas eletrônicas (“Jacuipense Samba Trio”, “Juazeirense Bossa and Roll”…) – ou então nominar alguma instalação politicamente correta desses artistas de vanguarda, cuja obra ninguém entende lhufas (tipo: “Feirense, Jacuipense e Juazeirense sob o olhar inocente de um pequeno afro-nagô santamarense”).

Daí a neguinho querer me persuadir a perder preciosos minutos de um tempo cada vez mais escorregadio assistindo a jogos insignificantes em tristes estádios vazios, aí já é demais.

Mas, como na piada do cachorro que tem o pescoço preso numa armadilha e quando acha que nada pode ficar pior aparece um vira-lata malandro para desmoralizar sua macheza, o que era ruim apenas para uma minoria agora se expandirá. É que depois do fiasco na Copa do Nordeste, Bahia e Vitória finalmente estrearão no campeonato baiano aumentando consideravelmente o público nos estádios e fazendo com que a mediocridade, até então restrita a poucos gatos pingados, agora seja testemunhada por milhares de cúmplices que se acham torcedores.

Em tempo: acho que Simanca ouviu meu papo com um amigo especialista em fumaça antes de fazer sua charge da última quarta-feira. Enquanto a chaminé do Vaticano soltava o negro fumacê, ele me disse: “meu velho, pela carburação, cor e textura acho que só tem cardeal da Jamaica nesse conclave!”.

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura, Turismo e Esportes de Paulo Afonso, na margem baiana do Rio São Francisco.

Be Sociable, Share!

Comentários

Ednaldo on 16 Março, 2013 at 21:37 #

De extremo mal gosto, comentário sobre dupla ba-vi estrear campo da fonte nova.


Ivan de Carvalho on 17 Março, 2013 at 0:08 #

De extremo mau gosto dupla ba-vi estrear campo da Fonte Nova. De extremo bom gosto e sensatez o comentário do Janio a respeito.
Aliás, por mim, nem Arena Fonte Nova haveria. Preferia umas obras contra as secas aí pelo deserto do sertão baiano.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos