http://youtu.be/zY3hSzqFjss

======================================

Blogbar do Fontana — Nos balcões dos bares da vida

SÉRGIO RICARDO – A GRANDE MÚSICA DE SÉRGIO RICARDO

PHILIPS – 1967

Capa – Ziraldo

Música – “A Praça É Do Povo” (Sérgio Ricardo & Glauber Rocha)

Letra:

A Praça É do Povo

(Sérgio Ricardo & Glauber Rocha)

A praça é do povo
Como o céu é do condor
Já dizia o poeta
Dos escravos lutador

Outro poeta dizia
Que até o mar se levanta
Quando na praça em festa
É o povo quem canta
até o mar se levanta
até o mar se levanta
Quando na praça em festa
É o povo quem canta

Outro poeta lembrava
Dos tempos de alegria
Na voz do povo em festa
Enchendo a praça vazia.

————————————-
Viva Glauber e outro Viva para os poetas do Brasil!

(Vitor Hugo Soares)


O Papa Francisco paga conta no hotel de Roma
(Foto: L’Osservatore Romano)/ Clarin

DEU NO G1 BA

O governador da Bahia, Jaques Wagner, anunciou por meio das redes sociais, na tarde desta quinta-feira (14), que determinou a suspensão de itens polêmicos no edital de concurso público no estado. “Sobre o edital do concurso da Polícia Civil, determinei a IMEDIATA SUSPENSÃO dos itens que possam causar constrangimento ou discriminação às mulheres”, diz a mensagem deixada na página do petista no Facebook.

O edital dá a opção para que candidatas que tenham “hímem íntegro” apresentem relatório médico que comprove a condição, como substituição ao exame preventivo, também solicitado. Na quarta-feira (13), a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Bahia, divulgou nota de “repúdio” contra a situação.

Na página 22 do edital, o item 12.12.11 apresenta o seguinte texto: “A candidata que possui hímen integro está dispensada de entregar os exames que constam no item 11.12.2.1, inciso VI, alínea “a”: colposcopia, citologia e microflora, desde que apresente atestado médico que comprove a referida condição, com assinatura, carimbo e CRM do médico que o emitiu”. O concurso será realizado no mês de abril, mas as inscrições já foram encerradas.

A presidente Dilma Rousseff confirmou que irá a Roma para a cerimônia de entronização do papa Francisco. A cerimônia ocorre na próxima terça-feira. A presidente decidiu aceitar o convite do Vaticano no início da tarde desta quinta-feira.

O Palacio do Planalto já informou ao governador Jaques Wagner que a visita que a presidente da República faria à capital baiana na segunda-feira para participar da cerimônia oficial de entrega da Arena Fonte Nova, também está cancelada. O governo da Bahia ainda não marcou nova data para o evento.

Dilma ainda não definiu a comitiva que irá acompanhá-la. Na agenda da presidente para a próxima segunda-feira, estava prevista uma viagem a Salvador, para a inauguração da Arena da Fonte Nova — uma das sedes de jogos da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. A presidente já cancelou a viagem.

( Com informações de ZERO HORA, AGÊNCIAS e TV Bahia)

Link de Origem

http://youtu.be/yp7xU9Kh_Kw

DEU NO YOU TUBE

Poesia, música e amor flagra Vinicius de Moraes (1913-1980) em sua fase baiana, ao lado de Toquinho, Maria Creuza, Aloysio de Oliveira, a mulher Gesse e do inseparável copo de uísque, sob o disque-disque dos coqueirais de sua idílica Itapoã. Fala de suas características poéticas (O pronome da primeira pessoa vem sendo, pouco a pouco, substituído pela terceira) e assume as influências de Rimbaud, Baudelaire, Verlaine e Manuel Bandeira. O filme mostra Vinicius acompanhando-se sozinho ao violão em sambas de sua lavra, como Quando tu passas por mim.

=======================================

BAHIA EM PAUTA PERGUNTA:

O QUE PODE HAVER DE MELHOR NO DIA DA POESIA?

RESPONDA QUEM SOUBER.

(Vitor Hugo Soares)

==================================================

Do blog do poeta e declamador Jose Marcio Castro Vlves

Veja mais:http://josemarciodeclama.blogspot.com.br

Poesia para todos, principalmente para os que mais precisam dela.

VAI DEDICADA AO POETA DE MARÍLIA (SP) LUIS FONTANA, EDITOR DO BLOGBAR DO FONTANA E SEU BALCÃO DA POESIA.QUE O BP RECOMENDA, EFUSIVAMENTE.

SALVE CASTRO ALVES E UM VIVA PARA OS POETAS DO BRASIL EM SEU DIA!

(Vitor Hugo Soares)

========================================================

Os jesuítas negam que a sua ordem, criada por Inácio de Loyola no século XVI, seja uma igreja dentro da Igreja. A verdade é que o seu superior-geral quando escolhido é, tal como o Papa, para a vida. E, por isso, lhe chamam o “Papa Negro” porque essa é a cor das suas vestes, por oposição ao Papa, o bispo de Roma, que se veste de branco. Esta quinta-feira, o superior-geral da Companhia de Jesus congratula-se com a escolha do cardeal Jorge Bergoglio, jesuíta, para o lugar deixado por Bento XVI.

“Em nome da Companhia de Jesus, dou graças a Deus pela eleição do nosso novo Papa, o cardeal Jorge Mario Bergoglio, sj [as iniciais em latim para Companhia de Jesus], que abre a Igreja a um caminho cheio de esperança”, escreveu Adolfo Nicolás, o superior-geral daquela ordem, esta quinta-feira. Pela primeira vez, o Papa pertence à Companhia de Jesus, fundada por Inácio de Loyola em 1534.

Todos os jesuítas vão acompanhar com as suas orações o “irmão” Francisco e agradecer-lhe pela “generosidade de aceitar a responsabilidade de guiar a Igreja numa situação crucial”, continua o comunicado. Para Adolfo Nicolás, a escolha do nome Francisco é uma aproximação à pobreza, às pessoas mais simples e o seu compromisso para a renovação da Igreja. “Desde o primeiro momento em que ele apareceu perante o povo de Deus, ele deu um testemunho visível da sua simplicidade, da sua humildade, da sua experiência pastoral e da sua profundidade espiritual”, continua o responsável-geral dos jesuítas.

Adolfo Nicolás termina lembrando que a Companhia de Jesus continua disponível para trabalhar na “vinha do Senhor”, seguindo o espírito e os votos de obediência que une os jesuítas ao Santo Padre.

“Importante é o Papa e não o jesuíta”

Alberto Brito, provincial da Companhia de Jesus em Portugal, começa por lembrar uma história antiga. Santo Inácio de Loyola, o fundador dos jesuítas, escreveu os exercícios espirituais – oração, meditação, contemplação, revisão de vida com o objetivo de descobrir a vontade de Deus –, e estes começaram a ser adoptados por muitos até que o Papa Paulo III os traduziu para latim. A partir dessa altura Inácio passou a usar a versão do Sumo Pontífice e não a sua. Moral da história: os jesuítas estão sempre com o seu Papa. Aliás, Inácio de Loyola pronunciou um voto de obediência incondicional ao bispo de Roma.

Mas, em muitos momentos da História, este laço esteve tremido e os jesuítas foram vistos como um contra-poder no interior da Igreja. Por exemplo, no século XVIII, Roma tenta limitar o poder da Companhia de Jesus no Extremo Oriente, devido a conflitos com o rei Luís XIV de França. A ordem chegou a ser extinta pelo Papa Clemente XIV depois da expulsão dos jesuítas de Portugal, Espanha e França. Mais tarde, 25 anos depois, a ordem é oficialmente reabilitada.

O provincial português está feliz pela escolha do conclave mas relativiza o fato de Jorge Bergoglio pertencer àquela ordem religiosa. “O importante é o Papa e não o jesuíta”, diz ao PÚBLICO. Contudo espera que a “inspiração inaciana [de Santo Inácio de Loyola] ajude o Papa Francisco” a estar numa maior comunhão com Deus; a manter uma capacidade de diálogo com os crentes e não crentes; e a implementar o Concílio Vaticano II – que celebra o seu 50.º aniversário. “Deve ser alguém que cuide, zele, acarinhe, promova, guarde e intensifique a comunhão”, resume.

O que diferencia os jesuítas no seio da Igreja Católica? “O grande investimento que fazem na formação intelectual, no diálogo com as culturas dos países em que se encontram; e a sua autonomia”, resume Teresa Toldy, teóloga da Universidade de Coimbra.

São homens que, por norma, não têm apenas a formação teológica mas outras. São médicos, professores, engenheiros. Bergoglio tem formação em engenharia química. Aliás, a aposta que a Companhia de Jesus faz na educação é clara – em Portugal existem três colégios; só nos EUA são 28 universidades, uma delas é Georgetown com cerca de 30 mil alunos. Os jesuítas são acusados de trabalhar para as elites (pela sua aposta na educação), mas dedicam-se sobretudo aos mais desfavorecidos como os refugiados, exemplifica António Valério, diretor do centro universitário da Companhia de Jesus em Braga. “Todas as obras têm dimensão social”, sublinha.

O provincial Alberto Brito lembra que existem 90 bispos da Companhia de Jesus e que a maioria “está em missão”, “em terrenos onde pouca gente está”, na América Latina, Ásia e África. Os jesuítas vão para onde for “mais urgente, mais necessário, mais universal”, continua. E é esse espírito que Alberto Brito quer que o novo Papa não perca.

Francisco de Assis ou Xavier?
Ambos, acreditam os jesuítas Alberto Brito e António Valério. A escolha do nome é uma homenagem a São Francisco de Assis, o homem que viveu um momento crítico da Igreja e que a chamou à sua essência, à pobreza, à vivência do Evangelho. Na época actual “é importante ter um Papa que aposte na simplicidade e na verdade”, defende António Valério.

E é também uma homenagem ao santo jesuíta Francisco Xavier, o missionário por excelência, aquele que saiu de Portugal e durante 15 anos percorreu a Ásia em missão. Hoje, os terrenos da missão mudaram, já não se faz apenas no mundo descristianizado, mas no tradicionalmente católico aonde o Evangelho de Jesus encontra dificuldades para entrar, continua o padre jesuíta de Braga.

Alberto Brito espera que Francisco permita uma maior abertura da Igreja ao mundo. “É preciso renovar. Quanto mais depressa muda o mundo, mais nós temos de mudar também. Pedro Arrupe [penúltimo superio-geral da Companhia de Jesus] dizia ‘O mundo muda mesmo sem nós, de nós depende que mude connosco.’ É essa capacidade de resposta que espero”, conclui.

(Reportagem publicada na edição desta quinta-feira, 14, do jornal PÚBLICO, de Portugal.


Residência invadida em Juazeiro.
Foto: Blog de Geraldo José

===============================================


DEU NO BLOG DE GERALDO JOSÉ, EDITADO NA REGIÃO DO VALE DO SÃO FRANCISCO. NOTÍCIA POSTADA NA ÁREA DE COMENTÁRIOS DO BAHIA EM PAUTA PELO LEITOR JUAZEIRENSE QUE ASSINA VANGELIS.

Uma invasão de residência seguida de roubo, com cárcere privado, movimentou a área policial em plena manhã de ontem (13), em Juazeiro. De acordo com informações colhidas no local dois homens chegaram por volta das 6:00h, invadiram a residência, armados em busca de pertences e dinheiro dos moradores.

Os bandidos, de acordo com as informações colhidas no local, levaram pertences da residência e deixaram a casa antes da chegada da polícia, que foi alertada por vizinhos ao perceberam uma movimentação suspeita.

A polícia, após receber informações e liberar família que ficou trancada no banheiro, saiu em diligencia tentando encontrar os assaltantes.

mar
14
Posted on 14-03-2013
Filed Under (Charges) by vitor on 14-03-2013


===================================================
Simanca, hoje, no jornal A Tarde


——————————————————————-

OPINIÃO POLÍTICA

O papa Francisco

Ivan de Carvalho

Na noite de 11 de fevereiro, data em que o papa Bento XVI anunciou que renunciaria em 28 do mesmo mês, uma forte tempestade desabou sobre parte da Europa, incluindo Roma. Um raio caiu na cúpula da Basílica de São Pedro e foi filmado, exibido no mundo inteiro, em velocidade normal e em câmera lenta. Muitos viram nisso mera coincidência, outros perguntaram se seria ou não coincidência e ainda outros quiseram ver um sinal dos céus.

Vale recordar que haviam sido intensos e eram ainda muito recentes os rumores de que o mundo iria “acabar” em 21 de dezembro, enquanto para outros a data assinalada no chamado Calendário Maia indicava o fim de uma Era e o início de outra. O “final dos tempos” anunciado na Bíblia se produziria com uma destruição radical da atual civilização e o retorno de Cristo Jesus para julgar a todos e dar início à nova Era.

A renúncia de Bento XVI, hoje Papa Emérito, a não pouca gente pareceu um sinal, até mais que o raio. E levou uma parte dessa gente a mais uma vez buscar a profecia de São Malaquias, que a partir do papa Celestino II elaborou uma lista de 112 papas, dos quais, pelas contas dos intérpretes, Bento XVI seria o penúltimo e seu sucessor, “Petrus Romanus”, o último. Então, se ontem, ao ser eleito, o cardeal Jorge Mario Bergoglio escolhesse o nome de Pedro II, estaria, presumivelmente, confirmando a profecia – seria o último, morreria nos porões da Barca (os subterrâneos do Vaticano), a cidade das Sete Colinas (Roma) seria destruída e o “juiz tremendo” julgaria o povo. E daria início aos tempos novos.

Para quem acredita na profecia, a opção do novo papa pelo nome de Francisco – um nome rico de simbolismos e, pelo que dele se diz, em notável afinidade com o seu comportamento e modo de ser, especialmente a humildade de São Francisco de Assis e a sua identidade com os pobres e doentes – desnorteia e pode sugerir (peço perdão por falar em tom jocoso de coisa muito séria) que o fim dos tempos haja sido ligeiramente adiado. Vale assinalar, no entanto, que o papa Francisco disse em sua saudação: “Parece que os meus irmãos, os cardeais, foram buscar quase no fim do mundo, um papa” – referindo-se à distância de Roma à Argentina, onde fazia oposição ao governo de Kristina Kirchner. Quase no fim do mundo…

Anote-se, ainda, que o novo papa tem 76 anos – uma idade avançada. Mas convém lembrar que o genoma humano está programado, não havendo erros, uma vida saudável de 120 anos. A duração de 120 anos está revelada na Bíblia, no final do drama do Dilúvio – “e todos os seus dias serão de 120 dias” –, para as gerações pós-diluvianas (as antediluvianas viviam várias centenas de anos) e a programação genética para 120 anos é hoje confirmada pela ciência.

Sobre as saudações de chefes de Estado e outras personalidades que desabaram sobre o Vaticano logo após o anúncio da eleição do arcebispo de Buenos Aires para papa, vale destacar três: Esta semana, em plebiscito, 99,9 por cento aprovaram em plebiscito continuar integrando o Reino Unido. Houve só três votos contra. O monsenhor da Igreja Católica em Port Stanley, nessas ilhas, Michael Bernard McPartland, parabenizou o papa Francisco, observando que ele não será visto como argentino, mas como papa.

Outro parabéns notável, e talvez amargo, foi o da presidente Cristina Kirchner, com cujo governo o papa, quando cardeal, tinha severas divergências – que não vão desaparecer. Entre elas o apoio de Kirchner à instituição do casamento homossexual na Argentina.

O mais surpreendente cumprimento, no entanto, partiu da Venezuela. O “presidente” interino Nicolás Maduro disse que Hugo Chávez, morto na semana passada, “influenciou no Céu para que seja eleito um papa latino-americano”. Disse mais: “Alguma nova mão (sic) chegou e Cristo disse que chegou a hora da América do Sul. Nós sabemos que nosso comandante subiu às alturas e está frente a frente com Cristo”. Anunciou, ainda, que em breve deve ser convocada “uma constituinte no céu para mudar a igreja”.

Maduro me parece muito imaturo.

Pages: 1 2

  • Arquivos