====================================================
A presidente argentina, Cristina Kirchner, cumprimentou nesta quarta-feira o seu compatriota Jorge Bergoglio, o primeiro latino-americano a ser eleito papa na Igreja Católica.

“É nosso desejo que tenha, ao assumir a condução e guia da Igreja, uma frutífera tarefa pastoral desempenhando responsabilidades tão grandes para com a justiça, a igualdade, a fraternidade e a paz da humanidade”, disse a mandatária em carta publicada em sua conta na rede social Twitter.

Bergoglio, que escolheu ser chamado de Francisco, foi eleito surpreendentemente no segundo dia do conclave para definir o sucessor de Bento 16, que renunciou inesperadamente no mês passado.

( Deu no Terra. Reportagem de Maximilian Heath e Karina Grazina)

====================================================

A la huella, a la huella, Jose y Maria,
por las pampas heladas, cardos y hortigas.
A la huella, a la huella, cortando campo,
no hay cobijo ni fondas, sigan andando.
Florecita del campo, clavel del aire,
si ninguno te aloja, adonde naces?
donde naces florcita que estas creciendo,
palomita asustada, grillo sin sueño.
A la huella, a la huella, Jose y Maria,
con un Dios escondido… nadie sabia!

A la huella, a la huella, los peregrinos.
Prestenme una tapera, para mi niño.
A la huella, a la huella, soles y lunas,
dos ojitos de almendra, piel de aceituna.
Ay, burrito del campo! Ay, buey barcino!
que mi niño ya viene, haganle sitio
un ranchito de quincha solo me ampara
dos alientos amigos, la luna clara.
A la huella, a la huella, Jose y Maria,
con un Dios escondido… nadie sabia!

A la huella, huellita, Jose y Maria.

==========================================

A voz potente e saudosa de Merdedes na saudação do BP à chegada de Francisco I ao comando da igreja dos católicos.

Longa vida ao novo Papa,o argentino de Flores, descendente de italianos, primeiro jesuita a conduzie os destinos de sua igreja, em hora de tumultos e muitos desafios.

(Vitor Hugo Soares)


Bergoglio, o Papa Francisco: “foram me buscar no fim do mundo”

======================================================

O cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio foi eleito o novo papa, anunciou nesta quarta-feira o cardeal diácono francês Jean-Louis Tauran ao aparecer na varanda central da Basílica de São Pedro. Bergoglio, que adotou o nome de Francisco e se tornou o primeiro papa latino-americano da história, terá a missão de liderar os 1,2 bilhão de católicos do mundo após a renúncia de Bento 16 , oficializada em 28 de fevereiro .

“Meus irmãos cardeais foram buscar-me quase lá no fim do mundo”, disse o novo Papa em sua primeira mensagem e benão “Urbi et Orbi” , da varanda da Basílica de São Pedro. O novo Papa falou para uma multidão entusiasmada de fiéis que lotava a Praça de São Pedro em noite romana de chuva e frio, e para milhões de católçicos no mundo inteiro. “Mas aqui estamos”, acrescentou o cardeal argentino Bergonio, que adotou o nome de Francisco, como Papa.

“Annuntio vobis gaudium magnum, Habemus Papam, Eminentissimum ac reverendissimum Dominum, Dominum Odilonem Sanctæ Romanæ Ecclesiæ Cardinalem Bergoglio Qui sibi nomen imposuit Francisco”, anunciou Tauran.

A tradução desse anúncio oficial é: “Eu anuncio com grande alegria, temos papa, o mais eminente e reverenciado Senhor, Senhor Bergoglio, cardeal da Sagrada Igreja Romana Bergoglio, que usará pra si o nome de Francisco.”

Já com as vestes papais, o novo papa, que é o 226º papa eleito na história, apareceu na varanda para dar sua primeira benção ao mundo católico. “Antes de abençoá-los, porém, quero que vocês orem e peçam que Deus me abençoe”, pediu o novo pontífice.

O anúncio de que os 115 cardeais reunidos desde terça haviam elegido o novo pontífice foi dado às 19h10 locais (15h10 de Brasília), após cinco rodadas de votação no conclave na Capela Sistina . Além da fumaça, badalos do sino ecoaram no Vaticano para que não restassem dúvidas de que o novo papa já havia sido escolhido.

(Com informações do IG e CNN en Espanhol)


Surpresa na praça de Pedro:
Novo Papa em dois dias

=================================================

Deu no Jornal do Brasil Online

“Habemus Papam”. Os fieis que aguardavam ansiosos o resultado da primeira reunião do início da tarde durante o Conclave que começou nesta quarta (14) foram surpreendidos com uma fumaça branca no alto da Capela Sistina. Ou seja, o nome do Papa que vai substituir Joseph Ratzinger (Bento XVI) já foi escolhido e o cardeal aceitou a missão de conduzir o Missionário de Pedro.

Mais informações a seguir

===================================

Uma recordação

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa

Criada na Igreja Católica, creio em Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Só não recebi dois dos sacramentos, os óbvios no meu caso.

Sigo, com algumas derrapadas, os 10 mandamentos que são, para mim, a mais importante das Constituições.

Estudei nos EUA e no college onde me matriculei, aos 16 anos, na ficha perguntavam “Religião”. E eu, bem brasileira, respondi “Católica”.

À tardinha de minha 2ª segunda-feira por lá recebo a visita do padre da Igreja Católica da cidadezinha onde eu estava. Muito gentil, ele viera me convidar para as reuniões vesperais que organizava na sacristia da Igreja às quintas-feiras e que, segundo ele, eram uma espécie de sarau: tinha música, leitura de poemas e de textos variados e um pequeno lanche.

E muito sinceramente acrescentou: “Você disse ser católica. Não costuma ir à missa dominical?”. Fiquei muito sem graça, mas respondi que muito raramente. Ele sorriu e renovou o convite para as reuniões.

Foi uma bela lição para essa mania que temos de nos dizer católicos sem lembrar que para isso, é preciso cumprir os preceitos da Igreja… Daquela época em diante, sempre me digo cristã: católica.

Não cheguei ao ponto de nunca acrescentar católica…

Casei no religioso. Batizei meu filho. Na Primeira Comunhão de meu filho a emoção que tomou conta de mim foi tão forte que eu chorava de chamar a atenção dos outros, a ponto de minha mãe se preocupar. Não só com o “auê”, como com minha saúde…

Mas essa não foi minha maior emoção relacionada à Igreja Católica.

Em 1960, eu conheci Roma. Ir a Roma e não ver o Papa é não ir a Roma. Mas era verão e João XXIII estava em Castel Gandolfo. Nosso grupo, cerca de 80 pessoas, a maioria argentinos, tinha algum pistolão pois além de conseguirmos uma audiência na casa de verão dos papas, ainda tivemos o privilégio de assistir uma missa rezada pela Papa, de quem recebi a comunhão.

Não vou nem tentar descrever a emoção que se apossou de mim. Não ia conseguir repassar para vocês a intensidade do que senti.

E olhem, eu teria um motivo para não ficar tão emocionada, crítica como sou por temperamento: a entrada dele na capela em sua Sede Gestatória, que muito me chocou. Uma coisa era ver as fotos dos papas sendo carregados em seu trono. Outra era ver isso ao vivo.
Os outros motivos viriam depois, bem depois. Alguns pontos do Concílio Vaticano II com os quais não concordo. Mas quem sou eu para dizer com o que e com o que não concordo em matérias de Religião?

PS – Foto copiada no Google, o Papa está em São Pedro; infelizmente, não tenho nenhuma foto tirada por mim. Acho até que não podíamos fotografar…

Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa, cronista e articulista de opinião, mora no Rio de Janeiro, de onde escreve para o Bahia em Pauta.


===================================

As primeiras imagens da segunda gravidez da atriz espanhola Penélope Cruz, casada com Javier Bardem, são capa da revista Hola!. O casal de atores, que está de férias nas ilhas Barbados, no Caribe, já tem um filho, Leo, de dois anos.

São as primeiras imagens da atriz espanhola de fama mundial, após ter confirmado a segunda gravidez. Aos sete meses de gestação, a protagonista de Volver, de 38 anos, aproveitou para descansar no Caribe, na companhia do marido, o também ator Javier Bardem, e do filho de ambos, Leo.

Ciosos da sua privacidade, Penélope e Bardem casaram-se em segredo em julho de 2010. Também o nascimento do primeiro filho, que aconteceu em janeiro de 2011 nos EUA, esteve envolto em secretismo, tendo o nome da criança sido revelado acidentalmente por um amigo do casal.

(Infformações do Diário de Notícias. de Lisboa)


Da Redação

O Ministério Público da Bahia pediu que R$ 15,1 milhões do ex-prefeito João Henrique fiquem indisponíveis, pois o dinheiro pode ter que ser devolvido aos cofres públicos da cidade para ressarcir prejuízos causados durante sua gestão. O pedido é de ação civil pública assinada pelos promotores de Justiça Heliete Viana, Rita Tourinho, Adriano Assis, Célia Boaventura e Patrícia Machado, do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (Gepam).

Segundo o MP, caso a Justiça aceite o pedido, João Henrique também pode ter seus direitos políticos suspensos de cinco a oito anos e ainda terá que pagar multa civil de até duas vezes o valor do dano, além de ser proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios fiscais ou de créditos por cinco anos.

De acordo com a ação, a principal causa do déficit foi a abertura de créditos suplementares por anulação de dotações, ultrapassando o limite definido pela Lei Orçamentária. Também foram abertos créditos da mesma natureza por excesso de arrecadação sem comprovação dos recursos disponíveis.

O MP diz que as irregularidads aconteceram em 2009 e 2010, ocasiões em que as contas do então prefeito foram rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios do Estado da Bahia. A rejeição se baseou em pareceres que apontavam as irregularidades, destacando, além da abertura irregular dos créditos complementares, o descumprimento do investimento mínimo de 25% para educação, assim como foram descumpridos os mínimos constitucionais para ações e serviços públicos em saúde.

Outras irregularidades apontadas estão em processos licitatórios, ou dispensas de licitações, contratações com preços considerados “irrazoáveis”, processos que não observaram as regras no empenho, liquidação e pagamento de despesas, entre outros pontos.

O ex-prefeito não foi encontrado para comentar o caso.
Envie para um amigo

mar
13
Posted on 13-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 13-03-2013


====================================
Sid, hoje, no portal Metro1

http://youtu.be/bOH_mioL3TU

===================================

Dá-lhe Louis. Triplamente enpolgante!

Boa quarta-feira para todos!

(Vitor Hugo Soares)


===================================

OPINIÃO POLÍTICA

Transferência de responsabilidade

Ivan de Carvalho

1. Estou concluindo a leitura de um livro – Busque e Destrua. Com o subtítulo “Por que você não pode confiar no Google Inc.”. O autor, Scott Cleland, especialista em Google é considerado por muitos o principal crítico “da empresa mais poderosa do mundo”.

Há toda uma robusta fundamentação e conclusões distribuídas nas suas 286 páginas (sem contar as 62 ocupadas pelas notas bibliográficas) que nos levam à impressão, quase convicção, de que o Google Inc. está se tornando a grande base para a imposição global do Big Brother – o Grande Irmão totalitário de “1984”, o livro profético de George Orwell.

Só um detalhe, quanto a isso: reagindo a um ataque massivo de hackers da China contra seus bancos de dados, o Google buscou a ajuda do mais poderoso e tecnológico serviço secreto norte-americano – a NSA, Agência de Segurança Nacional. Estabeleceu-se aí uma colaboração não mais interrompida entre o Google Inc. e a NSA. Objetivo declarado do Google: ter toda a informação do mundo. Sobre isso, muito mais está no livro.

Mas vamos a outro aspecto. A fundamentação de “Busque e Destrua” sustenta que só a privacidade do Google Inc. é importante para esta empresa. Não a das outras empresas, organizações e dos indivíduos. Nunca a teletela do Big Brother esteve tão operante quanto agora, graças ao Google. Pois bem. O Google grava tudo em seu sistema de servidores – e não apaga nunca, nunca. Mesmo que você mande para a lixeira e exclua, você apenas perdeu seu acesso ao material, mas o Google o mantém e pode entregá-lo a um governo que o solicite “legalmente”, inclusive o conteúdo dos emails que você envia ou recebe pelo Gmail e até o conteúdo dos rascunhos que você haja resolvido descartar. O Google bisbilhota sua lixeira, assegura Scott Clelland.

Ela quer saber absolutamente tudo sobre você e tem até um programa para aprender seu modo de mover a seta do mouse na tela. O objetivo é servir aos anunciantes da maneira mais eficaz possível (embora diga que sua prioridade são os usuários). Como a invasão da privacidade alheia é quase absoluta e como os sistemas de segurança do Google em relação aos dados de terceiros não são uma prioridade, também é grande o risco de invasões de hackers. Por esta e outras razões, o Google Inc. tornou-se especialista no que o livro de Scott Clelland chama de “transferência de responsabilidade”.

Um aspecto. Se seus dados armazenados no Google são “raqueados”, a empresa inverte a responsabilidade: ensina que os usuários devem ser cuidadosos, rápidos em avisar quaisquer anomalias notadas e tomar tantas precauções que parece que eles é que têm a obrigação de impedir que os hackers invadam os bancos de dados do Google. Ah, o Google Inc., segundo o livro de Clelland, se apresenta em pele de cordeiro, mas escolheu uma réplica de Tiranossaurus Rex em tamanho natural como sua mascote. A novilíngua de Orwell: Liberdade é Escravidão; Cordeiro é Tiranossaurus Rex.

2. Bem, chega de Google. Mas não de transferência de responsabilidade. Lembre-se o leitor que as agências bancárias estiveram fechadas por alguns dias, por causa de uma greve dos vigilantes. Uma lei impede que uma agência bancária funcione sem pelo menos dois vigilantes (particulares) em seus postos. Mas, pela Constituição, a segurança pública é responsabilidade do Estado. A tal lei é uma transferência de responsabilidade, talvez até inconstitucional.

Outro caso: entre os conselhos encontrados no site da Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia para aconselhar a população a se proteger está o de levar sempre o cidadão algum dinheiro para o ladrão. O agora chamado “imposto do ladrão”. Assim, haveria mais chances de ele ficar satisfeito e ir embora sem praticar outros crimes. Não vou dizer que o conselho é errado.

Afinal, muitas pessoas, por conta própria, pois o Estado não fornece a grana, já levam – quando têm – o “dinheiro do ladrão”. Errado é o Estado estar transferindo aos cidadãos a responsabilidade pela segurança pública, que é dele. É quase como se dissesse: “Se os bandidos saírem matando pessoas por aí por não estarem levando o dinheiro para eles, a culpa é dos mortos”.

  • Arquivos