mar
11
Postado em 11-03-2013
Arquivado em (Artigos) por vitor em 11-03-2013 00:39


=================================

OPINIÃO POLÍTICA

Brasil sem miséria

Ivan de Carvalho

1. Brasil Sem Miséria, como todo mundo sabe, é um programa lançado e ampliado com muita fé pela presidente Dilma Rousseff e tem como objetivo declarado erradicar a miséria, ou, por outras palavras, tirar da “extrema pobreza” as pessoas que vivem nela. Para isto, os cerca de 2,5 milhões de brasileiros cadastrados no programa Bolsa Família vão receber, quando for o caso, uma complementação financeira que eleve o benefício mensal a R$ 70 reais (por pessoa, naturalmente).

O que significa exatamente isto? Bem, muita coisa poderia ser dita, mas vamos à maneira mais simples, até porque já vem pronta de um bem elaborado trabalho de pesquisa jornalística divulgado ontem pela Folha de S. Paulo. Simulações feitas pelo jornal mostram que, para adquirir as porções da dieta mínima estabelecida no Guia Alimentar para a População Brasileira, editado pelo Ministério da Saúde, seriam necessários pelo menos R$ 103 reais.

Então, aquele ser humano que, graças à generosidade oficial, conseguiu emergir da miséria, colocando-se imediatamente acima da linha de “extrema pobreza”, ficará ainda com um buraco de R$ 33 reais no bolso, o que o impede de atender à alimentação mínima recomendada pelo Guia Alimentar produzido pelo Ministério da Saúde. Isso, quanto à comida, com a qual terá de gastar “quase 50 por cento menos” do que precisaria para seguir a recomendação do próprio governo.

Acontece ainda que o plano alimentar mínimo oficial é rico em calorias e pobre em nutrientes. Segundo Celso Cukier, médico nutrólogo do Instituto de Metabolismo e Nutrição, isso permitiria até manter o peso elevado, mas sem saúde. “Vai ter uma população até obesa, e desnutrida. Essa dieta teria que ser mais cara”, disse ele à Folha. Parece que o Ministério da Saúde errou feio na elaboração da dieta.

Posta a questão da comida, vamos ao restante, para o qual não sobrou um só centavo. Assim, fiquemos somente com uma parte desse “restante”. Habitação – se não ganhar um presente do Programa Minha Casa, Minha Vida, vai ser morador de rua ou de favor. Vestuário – dependerá de roupas doadas, improvisação com trapos e jornais velhos ou se vestirá com a improvável barrica de Diógenes, ou uma mais acessível caixa de papelão.

Calçados – melhor sem eles, para captar as energias telúricas e verminoses. Mas, querendo-se, é possível, em tempo seco, improvisar sapatos de papelão, como em alguns lugares da Europa, logo após a Segunda Guerra Mundial.

Miséria que passou, vida que segue.

2. Sinais nos céus. No fim de semana, mais precisamente no sábado à tarde, um asteroide passou perto da Terra. Tem um nome apropriado, 2013ET e um diâmetro respeitabilíssimo, 100 metros. Em termos astronômicos, pode-se dizer que passou “raspando”, mas, pensando bem, 960 mil quilômetros – cerca de duas vezes e meia a distância da Terra à Lua – o separaram do nosso planeta nessa passagem. O que é inquietante é que, apesar de seu tamanho, ele só foi descoberto no domingo, dia 3. Um susto.

Além dos misteriosos e ocultadores retângulo e octógonos negros, e outras estranhezas, que podem ser vistas no Google Sky ativando-se o telescópio espacial infravermelho IRAS (procure em “virgem”, “oitante” e “cepheus” e um astro alado nas proximidades de “Leo” – faça um pequeno zoom para ver melhor neste caso), está ocorrendo nas últimas semanas uma impressionante corrida de asteroides pelas proximidades da Terra.

O 2013 EC, com dez metros de diâmetro, só foi descoberto dias antes de passar aqui por perto. E aquele que explodiu sobre a Rússia em 15 de fevereiro, deixando 1.200 feridos, sequer foi detectado antes de ingressar na atmosfera. No mesmo dia, o asteroide 2012 DA14, com 45 metros de diâmetro, detectado com antecedência e assustador, passou a 27.680 quilômetros de altitude, mais baixo que os satélites artificiais de comunicação.

As coisas parecem bem agitadas em nossa vizinhança cósmica.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos