Rosita Thomas:parte uma referência
de elegaância e arte no Rio de Janeiro
=================================

DEU NO G1

Cristina Indio do Brasilo

A atriz Rosita Thomas Lopes(1920-2013) morreu às 20h45 desde sábado (9), no apartamento em que morava na Rua Henrique Dumont, em Ipanema, Zona Sul do Rio. Segundo a nora da atriz, Bárbara Harrington, a causa da morte apontada pelos médicos foi falência múltipla dos órgãos.

De acordo com Bárbara, o velório começa às 13h, na capela 1 do cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio. O enterro está marcado para às 16h, segundo Antônio Tomaz Lopes, filho da atriz.

Antônio contou que a mãe não tinha qualquer problema grave de saúde, mas estava debilitada pela perda de mobilidade nos últimos meses. “Há três meses ela ficou confinada à cama. A partir de então se debilitou apesar de sempre consciente”, explicou.

Para ele, a melhor imagem para representar a mãe é de companheirismo. “Ela sempre foi uma referência de pessoa equilibrada e sensata. Nós sempre a procurávamos para buscar conselhos em situações difíceis. Ela foi muito companheira”, explicou Antônio que acredita ser também esta característica da atriz uma avaliação dos colegas de teatro. ” No meio teatral os colegas dela vão dizer a mesma coisa. Ela era uma pessoa muito centrada”, analisou.

Antônio disse que a mãe começou a atuar aos 40 anos porque sentiu necessidade de buscar uma atividade profissional. “Antes ela era simplesmente uma dona de casa e nos anos 50 era considerada uma das mulheres mais elegantes do Rio de Janeiro. O fato dela querer se reinventar é mais um motivo de orgulho é mais uma razão para admirar”, comentou o filho, que esclareceu ainda que apesar do sobrenome da família ser Tomaz ela optou pela grafia Thomas quando se tornou atriz.

Segundo ele, Rosita começou a carreira artística ainda de forma amadora com Maria Clara Machado até entrar para a companhia Tônia-Celi-Autran, criada em 1956, pelos atores Tônia Carrero, Adolfo Celi e Paulo Autran. “Já na estreia em 61 com a peça “Castelo na Suécia” ela recebeu um prêmio de atriz coadjuvante. Depois entrou para a companhia Carioca de Comédias, do Ítalo Rossi, Célia Biar e Napoleão Muniz. O teatro era a grande paixão dela”, lembrou.

Rosita teve também grande atuação em televisão, onde se destacou em diversas novelas com personagens de mulheres elegantes e ricas. Na TV Globo, Anjo Mau, Brilhante, Rainha da Sucata e Pátria Minha, quando fez a personagem Úrsula Pelegrini estão entre as novelas em que Rosita atuou. A última participação foi em A Força de um Desejo, na qual interpretou a pesonagem Fabíola.

Be Sociable, Share!

Comentários

maria helena on 12 Março, 2013 at 11:57 #

Conheci Rosita. Era uma mulher linda, interessante e muito, muito elegante. Era bem mais velha que eu – a certa altura 17 anos fazem muita diferença – e eu torcia para ficar como ela. Mas qual… Não cheguei nem perto. Mas seu charme nos palcos e na loja da Xuxa Lopes, ali perto da Rua Inhangá, na eterna Copacabana, onde às vezes eu ia comprar uma roupinha, são inesquecíveis. Lembrança de um Rio que já não é.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos