Nesta tarde de despedida, eu quero Rosita Thomas como referência de saudades do Rio. Eu quero porque é bom!!!

(Vitor Hugo Soares)


Rosita Thomas:parte uma referência
de elegaância e arte no Rio de Janeiro
=================================

DEU NO G1

Cristina Indio do Brasilo

A atriz Rosita Thomas Lopes(1920-2013) morreu às 20h45 desde sábado (9), no apartamento em que morava na Rua Henrique Dumont, em Ipanema, Zona Sul do Rio. Segundo a nora da atriz, Bárbara Harrington, a causa da morte apontada pelos médicos foi falência múltipla dos órgãos.

De acordo com Bárbara, o velório começa às 13h, na capela 1 do cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio. O enterro está marcado para às 16h, segundo Antônio Tomaz Lopes, filho da atriz.

Antônio contou que a mãe não tinha qualquer problema grave de saúde, mas estava debilitada pela perda de mobilidade nos últimos meses. “Há três meses ela ficou confinada à cama. A partir de então se debilitou apesar de sempre consciente”, explicou.

Para ele, a melhor imagem para representar a mãe é de companheirismo. “Ela sempre foi uma referência de pessoa equilibrada e sensata. Nós sempre a procurávamos para buscar conselhos em situações difíceis. Ela foi muito companheira”, explicou Antônio que acredita ser também esta característica da atriz uma avaliação dos colegas de teatro. ” No meio teatral os colegas dela vão dizer a mesma coisa. Ela era uma pessoa muito centrada”, analisou.

Antônio disse que a mãe começou a atuar aos 40 anos porque sentiu necessidade de buscar uma atividade profissional. “Antes ela era simplesmente uma dona de casa e nos anos 50 era considerada uma das mulheres mais elegantes do Rio de Janeiro. O fato dela querer se reinventar é mais um motivo de orgulho é mais uma razão para admirar”, comentou o filho, que esclareceu ainda que apesar do sobrenome da família ser Tomaz ela optou pela grafia Thomas quando se tornou atriz.

Segundo ele, Rosita começou a carreira artística ainda de forma amadora com Maria Clara Machado até entrar para a companhia Tônia-Celi-Autran, criada em 1956, pelos atores Tônia Carrero, Adolfo Celi e Paulo Autran. “Já na estreia em 61 com a peça “Castelo na Suécia” ela recebeu um prêmio de atriz coadjuvante. Depois entrou para a companhia Carioca de Comédias, do Ítalo Rossi, Célia Biar e Napoleão Muniz. O teatro era a grande paixão dela”, lembrou.

Rosita teve também grande atuação em televisão, onde se destacou em diversas novelas com personagens de mulheres elegantes e ricas. Na TV Globo, Anjo Mau, Brilhante, Rainha da Sucata e Pátria Minha, quando fez a personagem Úrsula Pelegrini estão entre as novelas em que Rosita atuou. A última participação foi em A Força de um Desejo, na qual interpretou a pesonagem Fabíola.

mar
10
Posted on 10-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 10-03-2013

DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

===================================

A eleição do novo Papa está transformada numa verdadeira oportunidade de negócio no Vaticano. Os preços de terraços com vista para a Basílica de São Pedro subiram como flecha e em tempo de crise tudo serve para fazer dinheiro.

Por 89 cêntimos, qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, pode ter acesso a uma ferramenta electrónica chamada “Alerta Conclave”. É uma aplicação para tablets, que permite seguir à distância o que acontece em Roma por estes dias: informação biográfica dos cardeais, novidades do processo de eleição, enfim, tudo sobre a escolha do novo Papa.

Mas há quem tenha mais olho para o negócio que pode ser feito in loco, nos arredores da Basília de São Pedro. As reservas nos hotéis aumentaram 30 por cento, criaram-se pacotes especiais para peregrinos, com preços mais baixos, combinados, para os que optarem por almoçar ou jantar no restaurante do hotel.

Nos correios do Vaticano, a edição especial de selos vende-se como pãezinhos quentes e nas lojas de artigos religiosos, as fotografias de Bento XVI não sossegam nas prateleiras. Não costumava ser assim (e alguns comerciantes reclamavam do fato de este ser um papa menos carismático que João Paulo II), mas tudo mudou com a notícia da renúncia.

Nas caixas registadoras das lojas somam-se euros, em quantias capazes de fazer esquecer a crise (ainda que por alguns dias), embora a maior fatia do bolo vá para quem tem casas com terraços voltado para a Basílica. São alugados ao dia ou apenas por algumas horas e numa lógica de “quem dá mais”.

mar
10
Posted on 10-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 10-03-2013


Aroeira, hoje, em O Dia (RJ)

  • Arquivos