Namora Comigo – TRILHA SONORA LADO A LADO

Intérprete: Mart`nalia

Composição: Paulinho Moska

Namora Comigo
Mart’nália

Hoje eu estou sozinha
Você está na minha
Não adianta se esconder
Já não tem mais jeito
Tudo está perfeito
Agora é só eu e você
Juntos na mesma estrada
Atravessando a madrugada
Pra ver o sol nascer
E em nossa aurora perceber
A delícia de viver
Tudo que a gente sempre quis
Olhar nos olhos de alguém
E conseguir dizer:
Estou feliz!

Estou feliz!
Estou feliz!

Fica comigo
Namora comigo
Casa comigo
Viva comigo até o fim
Porque sou seu abrigo
Não tem mais perigo
Fica comigo
Namora comigo até o fim

=============================================

E agora vamos chegando para perto do aparelho de TV para o derradeiro capítulo de Lado a Lado, este marcante folhetim de época, que vai deixxar saudades. Venha também conferir!

(VHS)

DEU NO IG

O goleiro Bruno ficou decepcionado com o resultado do julgamento que o condenou a 22 anos e três meses de reclusão em regime, incialmente, fechado. Após ouvir a pena, o goleiro virou para o advogado de defesa e falou: “A Justiça então é isso aí?”

O goleiro esperava que, com a confissão, a pena estivesse próxima da punição do amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, que foi condenado a 15 anos de reclusão , em novembro do ano passado.

Segundo o advogado de defesa de Bruno, Lúcio Adolfo, os advogados já protocolaram uma ação para pedir a anulação do julgamento com base em algumas irregularidades. A primeira seria que o julgamento foi realizado enquanto ainda é apreciado um recurso contra a expedição do atestado de óbito de Eliza. A segunda é que o julgamento aconteceu enquanto há uma investigação em andamento. A terceira é que nesta quinta-feira, às 14h07, o advogado José Arteiro, assistente de acusação por parte da mãe de Eliza, disse para os jurados que Bruno tinha se recusado a responder as perguntas, o que é ilegal segundo o Código Penal.

A defesa do goleiro espera que Bruno possa estar nas ruas em 2017. Ele já cumpriu dois anos e nove meses da pena. E, por ter trabalhado na lavanderia da penitenciária Nelson Hungria durante o tempo em que está preso, o jogador ainda tem direito a mais uma parcela de redução na punição. Segundo previsão de Lúcio Adolfo, Bruno poderá progredir para o regime semiaberto em três anos e seis meses. Se continuar a trabalhar na prisão, a expectativa é que esse prazo caia para dois anos e oito meses.

Acusação: Promotor pede condenação máxima a Bruno e absolvição de Dayanne
Defesa: Advogado diz que Macarrão desviava dinheiro de Bruno

A promotor Henry Vasconcelos também afirmou que vai recorrer da sentença. Ele afirmou que esperava que a pena de Bruno ficasse entre 28 e 30 anos. A mesma intenção de recorrer tem a advogada Maria Lúcia Borges, que representa o Bruninho no processo.

A ex-mulher de Bruno, absolvida no julgamento, tentou disfarçar a alegria na saída do plenário ao por a mão no rosto para tentar esconder o sorriso, mas não se conteve ao afirmar rapidamente: “Amei, meu Deus. Estou muito feliz”.

Na saída do julgamento, a mãe de Eliza, dona Sônia Fátima de Moura, não se mostrou tão feliz com o resultado, mas afirmou que fez o seu papel. “Eu sei que amanhã posso olhar nos olhos do meu neto e dizer que não fui omissa a isso”, afirmou.

mar
08


====================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS. DE PORTUGAL

De acordo com o site ‘Now This News’, a manequim britânica vai fazer o ensaio fotográfico ainda este mês, em Londres

A edição comemorativa do aniversário da Playboy só chegará às bancas em janeiro do próximo ano, altura em que curiosamente Kate Moss completa 40 anos.

De acordo com a mesma publicação, a manequim vai posar para as objetivas dos conceiturados fotógrafos Mert Alas e Marcus Piggott, que já fizeram vários trabalhos de moda com Kate Moss.

Apesar de já ter feito sessões fotográficas sem roupa, esta será a primeira vez que a manequim britânica vai protagonizar a capa da conceituada revista masculina detida por Hugh Hefner.

Com os versos eternos de Agustin Lara e a voz majestosa de Plácido Domingo, cantemos a todas elas.

BOA SEXTA-FEIRA, 8 DE MARÇO DE 2013!!!

(Vitor Hugo Soares)

mar
08
Posted on 08-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-03-2013

==============================================================

DICA DAS JORNALISTAS ZORAIDE VILASBOAS E MARIA OLÍVIA SOARES PARA O BAHIA EM PAUTA

Os dois anos da tragédia de Fukushima serão marcados com atos em diversas partes do mundo. Em Salvador, os baianos poderão conhecer a dramática realidade dos sobreviventes da bomba de Hiroshima, assistindo o documentário “08:15 de 1945”, do cineasta Roberto Fernández, que será lançado dia 11 (segunda-feira próxima) em três espaços: no auditório 2 da Faculdade de Educação da UFBA, às 10 hs; na sala 2 do Instituto de Biologia da UFBA, também às 10 hs. A noite, às 19 hs, a exibição será na Sala Alexandre Robatto Filho da Fundação Cultural da Bahia, na Biblioteca Central nos Barris. No dia 15 (sexta-feira), haverá nova exibição às 16hs, no auditório do Mestrado em Saúde e Meio Ambiente no Trabalho, da Faculdade de Medicina da UFBA, no Terreiro de Jesus.

Conhecer como vivem milhares de sobreviventes (Hibakusha) da bomba atômica lançada pelos Estados Unidos, há 68 anos, sobre a população civil japonesa é uma forma de reverenciar a memória de milhares de vitimas da explosão de Fukushima, ocorrida há 2 anos (11/03/2011), e manter viva a chama de alerta ante as perigos dos programas nucleares, como mostrou o derretimento da usina de Daiichi, cujas consequências para a sobrevivência da humanidade ainda não foram calculadas pela Ciência. Dois anos depois, as noticias são as piores possíveis, como a continuidade da queima de resíduos tóxicos e o aparecimento de peixes ultraradioativos na região.

Roberto Fernández é argentino, radicado em São Paulo, e trabalha com a Associação Hibakusha Brasil Pela Paz. O documentário relata os efeitos da explosão da bomba de Hiroshima e como o casal Morita fundou a Associação das Vítimas de Bomba Atômica no Brasil, para conseguir benefícios iguais aos que recebem os sobreviventes que ficaram no Japão, em especial a assistência à saúde. O documentário clama pela não violência, pelo respeito aos Direitos Humanos, pela Paz! Os eventos são promovidos pela Associação Movimento Paulo Jackson –Ética, Justiça, Cidadania, Instituto Memória Roberto Pires, com apoio da DIMAS, FACED, IBIO, MSAT/FAMEB, COMPOP, Instituto Búzios, O Movimento Falso e entidades socioambientalistas da Bahia.

mar
08
Posted on 08-03-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-03-2013


==============================================
Clayton, hoje, no jornal O Povo (CE)

=========================================================
OPINIÃO POLÍTICA

Constituição no lixo

Ivan de Carvalho

1. A Constituição da Venezuela, feita sob o regime de Hugo Chávez, estabelece que se o presidente eleito não chegar a tomar posse (como, por exemplo, ocorreu no Brasil com Tancredo Neves), o presidente da Assembléia Nacional assume a chefia do
governo e convoca novas eleições presidenciais, a se realizarem no prazo de 30 dias.

Quando Chávez, já reeleito, não pôde assumir por causa do câncer, viajando para a quarta e última cirurgia em Cuba – antes contactou Lula e sondou a possibilidade de tratar-se no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas foi inviável pelas exigências extremas de sigilo, inclusive a reserva de todo um andar para Chávez e seu pessoal.

Ao seguir para a quarta cirurgia, Chávez indicou ao povo como seu eventual sucessor o vice-presidente escolhido por ele (não eleito), Nicolás Maduro. Ao chegar o dia da posse e não tendo Chávez assumido, deveria ocupar interinamente a presidência, segundo a Constituição diz em dispositivo expresso e absolutamente claro, o presidente da Assembléia Nacional, o também chavista (de facção diferente da de Maduro) Diosdado Cabello.

Mas como na Venezuela, além do Executivo e da Assembléia Nacional, também o Supremo Tribunal de Justiça é chavista até a medula, fez o que Chávez queria – decidiu, sem nenhuma base constitucional, que ele podia tomar posse outro dia qualquer e, enquanto não o fizesse, como havia sido reeleito, caracterizava-se “continuidade administrativa” de governo e Maduro, que era o vice antes, continuava vice na “continuidade” e Chávez na presidência mesmo sem tomar posse, o que acabou mesmo não acontecendo, ressalvada a estranhíssima hipótese de uma posse tão secreta no
Hospital Militar de Caracas que nem depois haja sido anunciada. Algo fantasmagórico.

Agora, morto Chávez, caberia obviamente voltar à Constituição e cumprir o que ela manda. Empossar como presidente interino o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, que convocaria as novas eleições e presidiria o país durante o curto período eleitoral de 30 dias. Mas como Nicolás Maduro, por indicação de Chávez (caudilho que por algum tempo pode ficar para a Venezuela como Perón esteve para a Argentina), será o candidato do Partido Socialista Unido da Venezuela a presidente do país, então mais convém que ele prossiga na presidência, cargo em que terá mais pose, meios e visibilidade para reforçar sua campanha eleitoral, já impulsionada pela comoção que a morte de Chávez gerou.

2. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, rejeitou pedido dos advogados do réu e ex-ministro José Dirceu para ausentar-se do país a partir de ontem e até, no máximo, 24 horas após a cerimônia fúnebre por Hugo Chavez. Os passaportes dos réus condenados no processo do Mensalão estão no STF a pedido do procurador geral da República, Roberto Gurgel, para dificultar eventuais fugas antes do início do cumprimento das penas.

Dirceu, cuja alegação básica para pedir a autorização foi a de ser muito amigo de Chávez, aproveitaria a chance para fugir? Aposto que não. A chance disso acontecer seria, talvez, uma em mil. Ou em um milhão. Ou nenhuma. Mas o presidente do STF e relator do Mensalão só poderia considerar, para atender ao pedido de Dirceu, motivos humanitários, como doença grave ou morte de um parente próximo no exterior. No caso de José Dirceu, havia uma relação próxima, mas política, ainda que disso pudesse haver decorrido amizade.

Outro complicador: se Barbosa abrisse a porta, ficaria na obrigação moral e jurisprudencial de abri-la para quaisquer outros condenados no processo do Mensalão que entrassem com pedidos fundamentados em razões equivalentes às usadas pelos advogados de José Dirceu. E alguns deles poderiam não voltar.

Postado no espaço de comentarios do You Tube por Rita Ferreira Mattos:

“Famoso lundu composto por Xisto de Paula Bahia, brilhante compositor, ator, cantor, instrumentista,(1841/1894), gravada em 1902 , “Isto é bom” é destaque atual, com algumas modificações. É muito bom ver isso.

Trilha Sonora belíssima (de Lado a Lado). Amei”.

==========================================
BAHIA EM PAUTA COMENTA

Nós no Bahia em Pauta também gostamos muito, Rita. Pena que termina hoje.Uma novela tão boa quanto a sua trilha sonora, cheia de nuances e surpresas.

Um folhetim de época que vai deixar saudades, principalmente pela reconstituição de um período marcante e referencial da história do Brasil: o fim do Império e o começo da República.

Rolaram temas candentes como a luta de afirmação das mulheres, a rebelião afirmativa dos negros, na Revolta da Chibata, as transformações da imprensa, do teatro, da cultura. Elenco, cenários e direção de primeira.

Tudo enriquecido com lindos casos de amor, coragem e superação pessoal, política e social.

Mesmo para quem não viu o folhetim completo, BP recomenda o capítulo final de hoje, às 18h, para sentir o que perdeu.

E para os que acompanharam cada capitulo da trama na TV Globo, hoje é imperdível!

(Vitor Hugo e Margarida)

Famoso lundu composto por Xisto de Paula Bahia, brilhante compositor, ator, cantor, instrumentista,(1841/1894), gravada em 1902 , “Isto é bom” é destaque atual, com algumas modificações. É muito bom ver isso.

Trilha Sonora ? belíssima. Amei.

mar
08

DEU NO R7

Nélida Fernández. Caracas (EFE)

Delegações de mais de 50 países são esperadas em Caracas para a cerimônia fúnebre do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, cuja morte provocou a declaração de luto nacional em 16 países.

Governantes e chefes de Estado, chanceleres e representantes de organismos internacionais como a Organização dos Estados Americanos, a Unasul e o Mercosul anunciaram que acompanharão o “irmão”, “amigo” e “companheiro” Chávez, que faleceu na terça-feira passada aos 58 anos.

O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assinalou que está confirmada a presença de chefes de Estado e de Governo “de 55 países do mundo” e mais cedo o chanceler, Elías Jaua, antecipou que 16 países decretaram dias de luto nacional, entre eles Brasil, Bolívia, Argentina, Nigéria, Belarus, China e Cuba.

“Que nosso povo saiba a magnitude do afeto, do carinho que o comandante presidente, Hugo Chávez, conseguiu cultivar, não só para ele, mas também para nosso povo”, destacou Jaua. Os primeiros governantes a dar os pêsames aos parentes de Chávez na Venezuela foram a argentina Cristina Kirchner e o uruguaio José Mujica, que chegaram na noite de terça-feira no país, enquanto o boliviano Evo Morales, chegou no dia seguinte.

Morales acompanhou ontem parte do percurso do cortejo fúnebre que partiu do Hospital Militar e terminou na Academia Militar de Caracas, onde o caixão do chefe de Estado venezuelano permanece sendo velado. Cristina, por sua vez, já retornou à Argentina e deixou o chanceler Héctor Timerman para representá-la na cerimônia fúnebra esta sexta-feira.

Do Irã, que também decretou um dia de luto, o presidente, Mahmoud Ahmadinejad, confirmou sua viagem a Caracas e manifestou a Maduro que “Chávez seguirá vivo (…) enquanto as nações estiverem vivas e se esforçarem para estabelecer a independência, a bondade e a justiça no mundo”. Também é esperado na Venezuela o chefe de Estado de Belarus, Aleksandr Lukashenko, enquanto o da Guiné Equatorial, Teodoro Obiang, já chegou ao país.

De acordo com um comunicado divulgado pela presidência de Belarus, Lukashenko viajará a Caracas, apesar de sua concorrida agenda, porque “com nenhum outro chefe de Estado Hugo Chávez tinha relações mais próximas e amistosas”. Lukashenko se referia a Chávez como “uma das maiores personalidades sociais e estatais da atualidade, invencível herói, fervoroso patriota e defensor da independência, destacado político, pensador e orador, um homem brilhante, forte e amante da vida”.

Nesta quinta-feira os primeiros a chegar foram os presidentes de Cuba, Raúl Castro, e a presidente Dilma Rousseff, que chegou na companhia de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. A expectativa é que nas próximas horas cheguem o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, e sua chanceler, María Ángela Holguín, o equatoriano, Rafael Correa, o hondurenho, Porfirio Lobo, o nicaraguense, Daniel Ortega, entre outros.

Também é esperada a chegada do príncipe Felipe, que comandará a delegação espanhola, enquanto os Estados Unidos estarão representados por dois congressistas, um deles aposentado, e seu encarregado de negócios em Caracas. “Nós lhes agradecemos por estar aqui e todos dizem ‘como não estaríamos aqui, como não faríamos uma homenagem a esse grande amigo dos povos do mundo que é Hugo Chávez'”, comentou o ministro das Relações Exteriores da Venezuela.

Para Jaua, a mobilização internacional e os gestos das nações após a morte do líder “é um testemunho de reconhecimento ao peso, à importância da liderança política do presidente Hugo Chávez” que deixa “como legado os venezuelanos”.

O Governo stendeu por mais sete dias as honras fúnebres para que os venezuelanos possam ver o presidente e anunciou que seu corpo será embalsamado e exposto em um caixão de cristal no Museu da Revolução, em Caracas. Chávez morreu na terça-feira aos 58 anos após mais de 20 meses de luta contra um câncer na zona pélvica cuja natureza nunca foi informada oficialmente.

  • Arquivos