fev
23
Posted on 23-02-2013
Filed Under (Charges) by vitor on 23-02-2013


Nani, hoje, no site A Charge Online

==================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Lídice, Campos e o PSB

Ivan de Carvalho

Em um cenário normal, o aviso da presidente estadual do PSB, senadora Lídice da Mata, de que seu partido está na corrida para a sucessão do governador Jaques Wagner poderia ser interpretada de duas formas.

Uma delas, a simples intenção de Lídice da Mata de, por intermédio do PSB, apresentar seu nome – não existe outro na seção baiana em condições políticas e eleitorais para isso – para o governo.

Uma avaliação do quadro sucessório mostra que nas oposições não há um candidato forte (o nome que se destaca nas pesquisas é o do prefeito de Salvador, democrata ACM Neto, que somente em condições especialíssimas, improváveis de ocorrerem, poderia deixar tão cedo o comando da prefeitura para mergulhar numa dura batalha eleitoral).

Enquanto isso, na área governista o quadro também não é confortável. O PT, até onde se sabe e por tudo que dele se conhece, não pretende abrir mão da candidatura a governador, ainda mais estando numa posição de força entre os partidos aliados, graças às suas posições de poder estadual e federal. Essa generosidade não é da sua natureza, antes a contraria.

Mas, apesar dessa situação preponderante, o PT não está bem. Dos quatro nomes relacionados por sua executiva estadual como de pré-candidatos a governador, três (Rui Costa, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano) precisam, para se afirmar verdadeiramente, construir alianças e afastar obstáculos dentro do próprio PT, além de construir pontes ou metrôs que os unam, não a Itaparica ou Lauro de Freitas, mas aos partidos aliados e, numa segunda e não menos difícil operação, ao eleitorado.

O quarto pré-candidato petista tem a vantagem de ser senador, líder do PT no Senado e enfrenta sérias dificuldades para construir um consenso ou algo próximo disso na sessão estadual do partido e até obter o apoio de Lula (que simpatiza com a candidatura de José Sérgio Gabrielli).
Mas Pinheiro tem a vantagem de, além de senador, portanto, politicamente autônomo, ser o nome petista que aparece com maior preferência no eleitorado – abaixo do democrata ACM Neto e do vice-governador Otto Alencar, presidente estadual do PSD e nome mais popular para o governo na coalizão situacionista. A aparição expressiva de Pinheiro em pesquisas eleitorais (reservadas) decorre na maior parte, no entanto, de ter ele concorrido a duas recentes eleições majoritárias – para prefeito de Salvador, em 2008 e para senador, em 2010. Seus índices representariam, em grande parte, não uma preferência dos eleitores, mas uma “lembrança”. Uma lembrança que não deixa de ter seu valor.

Bem, neste cenário petista assim vazio, Lídice estaria, segundo a primeira daquelas interpretações inicialmente referidas, entrando com o seu PSB no rol de candidatos ao governo para ver se cola, modo pelo qual se poria em situação similar (não significa igual) às de Otto Alencar e Marcelo Nilo, presidente da Assembléia Legislativa.

Ou, na interpretação menos ambiciosa, anunciando a disposição do PSB de disputar o governo apenas como estratégia para valorizar o partido nas negociações eleitorais e na participação no futuro governo.

Essas interpretações eram válidas enquanto não se conhecia – e agora já se conhece – a disposição do presidente nacional do PSB. O governador Eduardo Campos, de Pernambuco, pretende concorrer à presidência da República em 2014, se não houver obstáculo político incontornável. A decisão de Campos e do PSB que ele controla (excetuada a forte dissidência do Ceará, com os irmãos Ciro e Cid Gomes) explica melhor a posição de Lídice da Mata – ela entra na disputa para governador (com seu mandato de senadora garantido até início de 2019) por decisão partidária, para nuclear um palanque com densidade na Bahia para a candidatura presidencial de Eduardo Campos, caso esta se concretize. No mais, o que houver é lucro.

DO YOU TUBE:

Nesse vídeo-montagem Angela Maria canta “Voltei” belissimo samba-canção de Irany de Oliveira e Getúlio Macêdo, gravado em Discos Copacabana em 1955 em 78rpm número 5867 lado A e no lado B “Apaixonada” outro belo samba-canção. Abelim Maria da Cunha, nascida em Conceição de Macatu. distrito de Macaé no Rio de Janeiro. “Angela Maria” é e sempre será a Rainha do Rádio e a eterna musa da Rádio Nacional.

====================================
Salve Angela e todas as cantoras do Rádio.
Bom sábado para todos

(VHS)



Midia em pé de guerra na Venezuela
FOTO:Bob Fernandes/TM

==============================================


DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

POR BOB FERNANDES

DIRETO DE CARACAS

Um espetáculo impactante. Raro para quem não mora na Venezuela.

– Com a maior neutralidade possível… a Venezuela terá um futuro sem Chávez em curtíssimo prazo… (José Angél Hernández, analista político, num telejornal).

– Vocês viram? Angél Hernández diz, num comentário político de TV colombiana, que Hugo Chávez está “terminal”. Isso é inacreditável. (Mario Silva, no La Hojilla,no Canal 8, estatal da Venezuela, ao reproduzir o comentário de Angél Hernández).

– Vou ler esse e-mail de Miguel Enrique Otero (editor do diário El Nacional). Ele escreveu (câmera no texto): “Mario Silva, esse consumidor de cocaína… se segue assim, matamos dois com um só tiro. Um com câncer (Chávez) e o outro de enfarto (Mario Silva)… os dois serão embalsamados… ”

– Pois eu digo, Miguel Enrique Otero, quem vai morrer de enfarto é você. Você foi quem roubou milhões de dólares de quem está morrendo nos Estados Unidos. Você, que tem um diário… Você é um ladrão! Ladrão! Eu digo, Enrique Otero, você é um ladrão!

Final da noite da quinta-feira, 21 de fevereiro. Um espetáculo impactante. Raras vezes, mundo afora, será possível sentir com tanto impacto a força, o poder e a dimensão da comunicação, da mídia eletrônica, quando se joga na disputa por milhões de corações e mentes. Poucas vezes, além da Venezuela, se assistirá na televisão a diálogos tão perturbadoramente agressivos, tão escrachados. E tão ideológica, política e partidariamente engajados.

O espetáculo se deu na sequência da informação oficial dada por Ernesto Villegas, ministro da Informação: Além do câncer em tratamento na região pélvica, persiste e resiste a deficiência respiratória de Hugo Chávez.

Em uma trincheira, no canal 33, a TV Globovisión, nessa noite estrelando Kiko Bautista e Carla Angola à frente do Buenas Noches.

Em outra trincheira, no Canal 8, estatal, Mario Silva comanda o programa La Hojilla.

Valendo-se de temas do dia, o Buenas Noches dedica-se basicamente a atacar desabridamente. Ataca Chávez, mas, diante da comoção provocada pelo câncer e da recente volta do presidente a Caracas, anuncia compaixão enquanto bate no governo, no vice- presidente em exercício, Nicolás Maduro. E em Chávez.

As notícias e manchetes dos jornais do dia seguinte servem de mote. Kiko e Carla se revezam. Nesta noite, protestam, ouvem especialistas, cobram: A Globovisión está fora do pacote de TV Digital anunciado na véspera pelo vice-presidente Nicolás Maduro. Não terá espaço no digital.

O La Hojilla, no Canal 8, tem um foco e objetivos anunciados e claros: esmiuçar e analisar as mensagens dos adversários. Capturar reportagens televisivas, comentários, análises políticas dos demais canais, reproduzi-los e entregar a bola para Mario Silva desancá-los, acidamente. Mario começa pela Globovisión e sua ausência no espectro digital:

– Mas a TV digital é exatamente para que se tenha espaço para responder aos ataques da Globovisión, da mídia da direita… E a sequência é pesada. Mario coloca no ar entrevistas e análises da CNN em espanhol, da colombiana RCN, da NTV24. Antes, avisa:

– Notem, na CNN, Globovisión, NTV24, RCN, todos usando a mesma expressão. O tema dos comentários e os títulos é o mesmo, “incertidumbre”. (incerteza). Eles receberam uma ordem de cima…

Luis Vicente de León, presidente do instituto de Pesquisa Datanalisys, diz ser “muito recente” a relação de Nicolás Maduro com “as massas” tomadas pela emoção com a doença de Chávez. Portanto, não há ainda como fazer um diagnóstico preciso do desempenho de Maduro em eventual pesquisa. Fala-se também em “falta de credibilidade”. Mario Silva, lembra:

– Esse aí, o pesquisador que errou nos números a favor de Capriles (Henrique, governador de Miranda e derrotado por Chávez na eleição presidencial de 7 de outubro último), agora é analista político.

Quem zapeia pelas emissoras ouve a bateria de más notícias:

– Como será a transição sem Chávez? Faltam farinha, açúcar e azeite… incerteza na economia… incerteza na política… incerteza na vida… 96% das divisas do país são do petróleo… saquearam o país…

Uma senhora, Colette Capriles, na reprise de “Alí Ciudadano”, de Leopoldo Silva – da mesma Globovisión – tenta explicar alguma coisa do ponto de vista psicanalítico:

– Incertidumbre (incerteza)… temos nas pessoas… incertidumbre é quando quem coloca a vida de um e de outro. Estamos diante de um controle externo… insegurança existencial…

Leopoldo atalha:

– E a tolerância chegou ao limite…

Fazem coro com o Jornal 2001, este chavista, que titulou:

– Ausência de Presidente causa incerteza na população.

Um “constitucionalista” pergunta em seu comentário:

– Chávez é ou não? Está ou não está? Por que não participa de um programa de TV?

E afirma:

– Tudo isso é inconstitucional. Todos estes atos são nulos.

Jesú Casiqué, da Universidade de Preston (EUA), informa:

– Com a desvalorização da moeda o salário mínimo caiu de U$ 476 para U$ 325.

Na CNN em espanhol, reproduzido no La Hojilla, longo e duro comentário. Na verdade, um editorial sobre a incerteza… a crise econômica… o inconstitucional… o chavismo, o Chávez… uma aula sobre como a Venezuela deveria se portar e o que deveria fazer.

Até que Mario Silva interrompe e informa:

– Vocês sabem quem é esse “comentarista”, esse analista político? Vejam essa foto antiga. Sim, é ele mesmo. O que não faz o tempo… .ele era um dos Menudos! Vocês se lembram dos Menudos? Pois é, esse aí, um dos Menudos, agora é analista político… um Menudo analisa a Venezuela… – relembra Mario Silva enquanto canta uma canção dos Menudos e exibe a foto do Menudo/Comentarista.

Antonio Ledezma, o Alcade (Prefeito) Mayor de Caracas. Ex-deputado, ex-governador do Distrito Federal, ex-senador. No vídeo reprisado no La Horjilla, o prefeito Ledezma bate em Chávez e no chavismo:

– Não houve uma derrota eleitoral, houve uma vitória impotente. Ameaçam-nos com tanques de guerra e baionetas. Tem gente que sente que o voto não é secreto, que estão vigiando os votos com olhos invisíveis…

E segue o vídeo com o prefeito Ledezma:

– É inacreditável, eu ouvi um general falar sobre revolução cubana… agora eles (Cuba) devolveram Chávez, ele estava sequestrado, um contrabando entregue à meia noite…

Fim do vídeo originalmente exibido num canal de oposição ao governo. E La Horjilla ataca com Mario Silva:

– Você visita o Mossad em Israel, você é um inepto, você sacou dinheiro roubado, você… prefeito, uma caricatura de Carlos Andrés Perez (ex-presidente da República)… você é um tipo fascista, eterno candidato à presidência da República. Você era carregador de mala de Carlos Andrés Perez, e você é de um tempo em que militares eram como preservativos, vocês usavam e jogavam fora, por isso é inadmissível pra você um general falar em revolução cubana.

Agora quem está na tela é Fernando Ochoa Antich, ministro da Defesa do ex-presidente Carlos Andrés Perez no 4 de fevereiro de 92, quando Chávez e os seus tentaram derrubar o governo. O general diz que o retorno de Chávez na segunda-feira foi “uma manobra política para colocar Nicolás Maduro na presidência da República”. Diz também que o Supremo tomou uma “decisão inaceitável” em 9 de janeiro ao permitir Maduro no poder.

Chamado a opinar sobre a opinião de Antich, o professor da Universidad de Los Andes, Sant Roz, bate no ex-ministro da Defesa:

– Isso é macabro. É desrespeitoso dizer que, por isso, o presidente da República veio para cá. Isso é ridículo.

Fim dos dois programas. Os dois são encerrados com a execução do hino nacional. O mesmo hino. Com imagens diferentes, corais distintos, tratamento visual diverso:

– Glória al bravo pueblo…

Madrugada, quase manhã da sexta-feira, 22 de fevereiro. Na tela do seu site, a NTN24 dispara a manchete que começa a rodar e vai perturbar ainda mais a Venezuela:

– Hugo Chávez está paraplégico, segundo médico Jose Rafael Marquina.

Hoje à noite tem mais.


Pelô:o grande palco do Espicha 2013
===============================================

DICA DA JORNALISTA MARIA OLÍVIA SOARES PARA O FIM DE SEMANA DE LEITORES E OUVINTES DO BP:

Salvador vai viver mais um fim de semana de festas com a realização do Espicha Verão nos largos e praças do Pelourinho nesta sexta, 22, sábado e domingo. O evento, que vai reunir música, teatro, dança, gastronomia, artesanato e mostra de cinema, visa combater a queda do fluxo turístico que ocorre logo após o Carnaval e proporcionar ao soteropolitano mais opções de lazer durante a estação.

De acordo com a coordenadora do Espicha Verão, Isabela Casales, este é o quarto ano seguido de realização do projeto, que tem boa aceitação do público. “Fizemos as duas primeiras edições no Porto da Barra, com palcos flutuantes. No ano passado, fizemos na Ribeira e para este ano escolhemos o Pelourinho”, explicou.

Segundo Casales, que também é diretora de Planejamento e Marketing da Bahiatursa, o Centro Histórico de Salvador reúne facilidades para os visitantes, assim como para os moradores da cidade. “Temos o palco do Terreiro de Jesus, outro palco do mesmo tamanho no Pelourinho e, além disso, haverá uma tenda montada no Largo do Cruzeiro de São Francisco para os artistas que vão pintar quadros ao vivo. Os ônibus turísticos Salvador Bus farão circuitos pelos principais hotéis da cidade para pegar os turistas que queiram comparecer aos eventos. Ao final da programação, os turistas podem retornar aos hotéis nos roteiros de volta nos mesmos ônibus”, informou Isabela.

A programação será aberta nesta sexta-feira (22) com festival de samba no palco do Terreiro de Jesus, a partir das 19h30. Edil Pacheco vai receber sambistas baianos, informa Isabela Casales. Ao mesmo tempo, os demais palcos – Pelourinho, Pedro Arcanjo, Quincas Berro D’Água e Tereza Batista – estarão com programações no mesmo horário. O grupo Cidade Negra é a atração nacional da sexta e deve subir ao palco do Largo do Pelourinho às 22h.

fev
22
Posted on 22-02-2013
Filed Under (Charges) by vitor on 22-02-2013


=================================
Sid, hoje, no portal Metro1

Veja o vídeo que mostra detalhadamente quem disparou sinalizador que matou jovem de 14 anos na Bolívia

O vídeo foi publicado na Bolívia pelo Zona Deportiva Oruro – http://www.facebook.com/zonadeportiva

JOÃO NOGUEIRA (1975)
EMI – ODEON

JOÃO: ONTEM, HOJE E SEMPRE!

(VHS)

==================================================


OPINIÃO POLÍTICA

PMDB e liberdade de expressão

Ivan de Carvalho

O PMDB decidiu utilizar as inserções nacionais de propaganda partidária na televisão e rádio, que serão transmitidas em março, para reforçar a imagem de seus pré-candidatos a governador no Rio de Janeiro, Ceará e Bahia, nas eleições previstas para 2014. As inserções deverão ter de 30 segundos a um minuto de duração cada.

O personagem principal das inserções no Rio de Janeiro será o vice-governador Luiz Fernando de Souza, vulgo Pezão, que é o preferido pelo partido e pelo governador Sérgio Cabral para suceder a este no governo fluminense. No Ceará, a propaganda partidária vai abrir espaço para o líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Eunício Oliveira.

Na Bahia, confirmando a disponibilidade do ex-deputado e ex-ministro Geddel Vieira Lima para candidato a governador, ele terá espaço nas inserções de propaganda partidária. Geddel não se afirma candidato inarredável, admitindo que está à disposição do partido e das oposições baianas e aguarda a conjuntura política de 2014. Até o momento ele não colocou sua candidatura a governador como algo definitivo, mas como hipótese sujeita às circunstâncias.

Se vai abrir espaços nas inserções de sua propaganda partidária para reforçar a imagem de seus possíveis ou prováveis candidatos a governador no Rio de Janeiro, Ceará e Bahia, o PMDB não pretende estender a estratégia a outros Estados. Nestes, as inserções serão “nacionalizadas”, utilizando o conteúdo do programa do PMDB que será transmitido em rede nacional de televisão e rádio no dia 28 deste mês. Um dos temas a serem abordados é o da superação da miséria no país, uma das principais bandeiras do governo de Dilma Rousseff, que o PMDB apoia e do qual participa, embora sob comando do PT.

Mas, se reforçará essa meta do governo da petista Dilma Rousseff, o PMDB também pretende marcar sua propaganda partidária com uma mensagem de defesa da liberdade de expressão, que tem sido defendida também em declarações da presidente da República, mas é ameaçada pelo plano do PT de “regulação da mídia” por lei.

O PT – tendo como “ideólogos”, no tema, o ex-ministro da Comunicação, Franklin Martins e o presidente nacional da legenda, Rui Falcão – vem insistindo muito em impor um mal explicado “marco regulatório” à mídia, marco que ultrapassa as questões técnicas relacionadas com a ordenação dos canais de televisão e das radiofrequências e ameaça impor legalmente uma regulação do conteúdo, componente de caráter notoriamente autoritário, bem na linha do que vêm adotando a Venezuela, o Equador e a Argentina.

Um exemplo disso é a Ancinav (Agência Nacional de Cinema e Audiovisual) e os esquisitíssimos Conselhos Estaduais de Jornalismo (já criados em vários Estados, inclusive na Bahia). A mesma lei (que não é tudo o que o PT quer, mas é uma parte) já prevê o Conselho Federal de Jornalismo. Esses conselhos (na Bahia, a maioria de representantes é da área estatal) poderiam, por exemplo, fazer pronunciamento de censura pública de material jornalístico publicado ou de profissionais, indicando, assim, como estes devem trabalhar e o que não devem dizer ou escrever – até que chegue o dia em que comecem a dizer o que devem dizer e escrever, como ocorre atualmente em Cuba, no Equador, na Venezuela e como parece querer fazer Cristina Kirchner na Argentina.

No Equador, aliás – da mesma maneira que na Venezuela – está sendo feito o que o PT chama, no Brasil, de “democratização da mídia”, em contraposição ao que Franklin Martins chama de “jornalões”: a atomização da mídia, com miríades de micro-veículos sustentados pelo poder público para fazerem a propaganda mal disfarçada do governante, do governo e do partido no poder.

DEU NO ESTADÃO


O Tribunal de Justiça do Rio decidiu nesta quinta-feira desconsiderar o laudo pericial segundo o qual Thor Batista, filho do empresário Eike Batista, trafegava a 135 km/h quando atropelou e matou o trabalhador Wanderson Pereira dos Santos, de 30 anos, que pedalava pela rodovia Washington Luís, em março de 2012. Foi com base nesse laudo que o Ministério Público denunciou Thor por homicídio culposo (sem intenção de matar), pois a velocidade máxima permitida na rodovia é de 110 km/h. Thor dirigia uma Mercedes Benz McLaren.

O laudo, produzido por um perito do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), só foi apresentado e anexado ao processo durante uma audiência realizada em 13 de dezembro passado. Os advogados de Thor pediram que o documento fosse desconsiderado porque, segundo eles, deveria constar do processo desde que ele foi proposto, e não durante seu trâmite. Por dois votos a um, os desembargadores da 5ª Câmara Criminal do TJ-RJ concordaram com o pedido. Ainda pode haver recurso do Ministério Público ou da família de Wanderson.

Na mesma reunião, o Tribunal decidiu revogar a medida cautelar que suspendia a carteira de habilitação de Thor.

Pages: 1 2 3 4 5 6 7 ... 23 24

  • Arquivos

  • Fevereiro 2013
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728