fev
27


DEU NO IG

A mineradora Vale anunciou nesta quarta-feira (27) um lucro líquido de R$ 9,7 bilhões em 2012, valor 74% menor que os R$ 37,8 bilhões registrados em 2011, ano em que a companhia atingiu o melhor desempenho financeiro desde sua fundação em 1942. Segundo a consultoria Economática, o resultado do ano passado é o menor desde o ano de 2004 quando a empresa teve lucro de R$ 6,46 bilhões

No quarto trimestre de 2012, a empresa teve um prejuízo de R$ 5,6280 bilhões, ante lucro de R$ 8,354 bilhões no mesmo intervalo de 2011. Trata-se do primeiro resultado negativo da mineradora desde o terceiro trimestre de 2002 e= o maior já registrado pela empresa na sua história.

Segundo a companhia, a crise internacional impactou diretamente o resultado por conta da “queda eneralizada dos preços de minérios e metais, com exceção do ouro, um metal precioso cujas cotações são influenciadas por outros fatores. Os preços do minério de ferro se tornaram muito mais voláteis, demonstrando grande volatilidade de baixa
especialmente no terceiro trimestre do ano”.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado do quarto trimestre somou US$ 4,394 bilhões, retração de 40,59% em relação ao mesmo intervalo de 2011. Em 2012, o Ebitda da Vale totalizou US$ 19,135 bilhões, queda de 43,32% na comparação com o ano anterior.

A receita operacional entre outubro e dezembro do ano passado totalizou US$ 12,002 bilhões, queda de 18,66% ante o mesmo período de 2011. No ano, a receita encolheu 23,08% em relação a 2011 e atingiu US$ 46,454 bilhões em 2012.

A esperada retração da receita em 2012, com reflexo no Ebitda anual, decorre da queda do preço do minério de ferro. Em setembro de 2012, a cotação da commodity chegou a US$ 86,70, patamar mais baixo desde outubro de 2009, ainda sob efeito da crise mundial.

A queda da receita da Vale só não foi maior porque a companhia manteve patamares praticamente estáveis de produção de minério na comparação anual, com variação negativa de apenas 0,8% em relação a 2011.

Segundo a companhia, o resultado financeiro foi diretamente impactado pela crise internacional , que provocou uma “queda generalizada dos preços de minérios e metais, com exceção do ouro, um metal precioso cujas cotações são influenciadas por outros fatores. Os preços do minério de ferro se tornaram muito mais voláteis, demonstrando grande volatilidade de baixa especialmente no terceiro trimestre do ano”.

O lucro líquido básico (lucro líquido excluindo o efeito de itens não caixa não recorrentes)atingiu R$ 22,2 bilhões, contra R$ 39,2 bilhões em 2011, e o EBITDA foi de R$ 37,4 bilhões, reduzindo-se 33,5%, sendo, porém, ainda assim o terceiro maior da nossa história. A redução foi devida quase totalmente a preços menores em 2012, que tiveram
um impacto negativo de R$ 22,8 bilhões no EBITDA.

A empresa também informa um total de US$ 6,0 bilhões distribuídos para acionistas, o segundo maior da história da Vale e o maior entre as grandes mineradoras em 2012. Em janeiro, a mineradora anunciou proposta ao Conselho de Administração de pagar uma remuneração mínima ao acionista de US$ 4,0 bilhões em 2013, o que ainda se constitui em montante substancial.

* Com Agência Estado

=====================================
Grande, Heredia! Bateu muita saudade de Buenos Aires nos anos loucos!

(Vitor Hugo Soares)

fev
27


=============================================

========================================

DEU NO PORTAL “OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA”

Imprensa em Questão/NOME AOS BOIS

Yoani Sánchez, a jornalista

Por Alberto Dines

Yoani não é blogueira. Blog não é ofício, nem status profissional, é formato de veículo. Ninguém diz “fulano é revisteiro”, diz “fulano é jornalista” porque hoje pode estar num semanário e, amanhã, à frente de um vistoso blog.

A visitante cubana é correspondente de El País em Havana e colunista do Estado de S.Paulo. O diário espanhol segue desde a sua fundação em 1976 a linha socialdemocrata, o jornalão brasileiro é conservador. Prova de que o seu profissionalismo é bem avaliado.

O erro de qualificação parece insignificante, mas não é – desvenda os preconceitos e as discriminações que campeiam numa sociedade infantilizada politicamente como a nossa. A constatação vale tanto para os detratores como para seus admiradores. Ela está sendo usada como pretexto para um confronto arcaico, jurássico, que já deveria estar desativado.

Paixões confundidas

Yoani é uma ativista política, o governo cubano a reconhece como tal, por isso deixou de criar-lhe embaraços, permitiu a sua saída e – esperamos – o retorno. As recentes mudanças em Cuba chanceladas na presença dos irmãos Castro indicam que a democratização cubana precisará de gente como ela.

É uma idealista, os cubanos são idealistas, esta é uma das heranças benditas deixadas pelo regime de Fidel Castro. Na ilha ou aqui, os cubanos transmitem aos interlocutores uma sensação de consistência, dedicação, convicção. Yoani não destoa. Por isso ficou no país em que nasceu e não foi para Miami “fazer América”.

Pretende arrecadar o dinheiro dos prêmios de jornalismo que ganhou no exterior nos últimos anos e com ele fazer um pequeno jornal. Não vai montar um “paladar” (nome tirado de uma novela brasileira que designa um bistrô legal montado em casa, numa varanda ou quintal). Ela sabe que não vai ganhar dinheiro, provavelmente perderá tudo, mas está criando a matriz de uma imprensa independente. Em Cuba, não no exílio.

Podem chamá-la de empreendedora, inovadora – este observador insiste em classificá-la como idealista. Tal como o senador petista Eduardo Suplicy, uma das figuras mais decentes da nossa cena parlamentar.

Yoani incomoda os truculentos e irrita os incendiários. Tranquila e atenta trouxe para as nossas militantes um modelito de despojamento e perseverança que valeria a pena imitar.

============================================

DEU NO BLOG DE MARIO/ METRO1

“Hoje fiz um comentário na rádio sobre alguns assuntos que tenho observado, e acho importante chamar a atenção.

Ontem saiu a notícia que prefeitos e governador assinam protocolo de intenções e cooperação para o avanço do projeto da ponte “Salvador- Itaparica”. Isso é um grande factoide, espuma, não resultará em absolutamente nada! Esse acordo, em bom português, quer dizer que “um dia, quem sabe, vão estudar os impactos da ponte Salvador- Itaparica”. Nada de concreto. Aliás, de concreto mesmo temos o contrato que o secretário de Planejamento José Sérgio Gabrielli firmou com a empresa de consultoria McKinsey, no valor de 40 milhões de reais. O contrato, firmado sem licitação, tem o objetivo de estudar os impactos da ponte.

Eu queria saber qual a justificativa que levou o secretário a firmar um contrato nesse valor, que equivale a cerca de 20 milhões de dólares, sem licitação. Poderia pelo menos fazer uma tomada de preço. Ao que tudo indica, Gabrielli quer usar a ponte como carro chefe de sua candidatura ao governo do estado no próximo ano.

E por falar em McKinsey, em que pé ficou a doação que a consultoria fez a Salvador, para analisar a reforma administrativa que precisava ser implantada por ACM Neto? Será que depois não haverá nenhum tipo de compensação? E será essa realmente a melhor reforma para a cidade, adaptada à nossa realidade?

Eu ainda não me convenci que existe a necessidade de se instituir tantos cargos em comissão como vemos diariamente nas publicações do Diário Oficial. E não adianta dizer que é muito menos que o que existia na gestão de João Henrique, porque esse não deveria ser parâmetro para absolutamente nada.

Além do mais, ACM Neto deixou, em áreas importantíssimas para a cidade, gente indicada por João Henrique. Só para citar, o presidente da Fundação Mário Leal Ferreira, órgão responsável por pensar e planejar a cidade. Essa Fundação tem feito projetos abaixo da critica, como a reforma do Mercado do Rio Vermelho. E é ela que vai ficar responsável pela revitalização da Orla de Salvador, começando pela área da Ribeira e de São Thomé de Paripe? Eu confesso que fico com medo, achando que a visão da nova gestão está muito míope para o que Salvador precisa.

Esse alerta tem que ser feito. Se o prefeito é do tipo que se sensibiliza e não gosta de criticas, agindo como muitos que chegam ao poder, será uma pena. Mas, espero que ele seja uma pessoa de mente aberta, capaz de entender que isso está sendo feito por uma pessoa que tem, inclusive, ajudado ele aqui, contendo e ponderando muitas reclamações e cobranças. Se for assim, Neto vai entender que estou aqui para colaborar com ele e com a cidade.”

Mario Kertész, apresentador de programas de grande audiência na Metrópole, foi prefeito de Salvador duas vezes


DEU NO PORTAL DE NOTÍCIAS EUROPEU TSF

O papa Bento XVI admitiu, esta quarta-feira, que «houve momentos em que as águas estavam agitadas e de vento contrário», mas garantiu que a «barca da Igreja» não vai naufragar.

«Como em toda a história da Igreja, o Senhor escondia-se no Sono, mas eu sempre soube que o Senhor estava na barca, que a barca da Igreja não era minha, nem nossa, mas Sua. O Senhor não deixará a barca afundar-se», acrescentou.

A um dia da sua renúncia, o Sumo Pontífice explicou que a sua «decisão de renunciar ao exercício ativo do meu ministério não revoga a dedicação à Igreja».

«Não voltarei às viagens, aos encontros e conferências, mas não abandono a cruz. Sirvo o Senhor de outro modo», adiantou o ainda chefe da Igreja Católica, no meio da multidão na Praça de São Pedro.

Na sua última audiência pública, Bento XVI disse ainda que quer «rezar pelos cardeais chamados a eleger o sucessor de Pedro». «O Senhor que os acompanhe com a luz e a força do seu espírito», concluiu.

Leia mais sobre o assunto: http://www.tsf.pt/PaginaInicial

fev
27
Posted on 27-02-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-02-2013


=======================================
Lailson, hoje, no Humor World

fev
27

========================================
Sobre Lana Bittencourt postada na área deste clip no You Tube

“Dona de voz bonita e privilegiada, com sensibilidade artística invulgar, Lana Bittencourt empresta a todas as suas interpretações muito do seu próprio temperamento, conseguindo com isso instantes de comovente beleza. Bonito samba-canção de autoria de Jair Amorim e Alcyr Pires Vermelho,”

Se Alguem Telefonar” foi gravado em 1957 e lançado no mercado fonográfico em quatro edições: A primeira foi um 78RPM CB-10372-A nos Discos Columbia, depois foi no LP LANA EM MUSICALSCOPE também nos Discos Columbia, mais recente em 2006 foi na compilação de Lana Bittencourt da Série Maxximum e também Cantores do Rádio da Série Maxximum pela Sony Music, já remasterizados. As capas são mostradas neste vídeo. Lana Bittencourt também cantou essa música no filme do Mazzaropi “Chofer de Praça”. Amâncio Mazzaropi era um dos admiradores famosos do talento de Lana. “Se Alguem Telefonar” é sem dúvida juntamente com “Litlle Darling” os maiores sucessos de Lana Bittencourt. Novamente os maravilhosos “Titulares do Ritimo” fizeram o coro.
==============================================
Confira
Escute e se emocione

(VHS)

============================================

OPINIÃO POLÍTICA

Denúncia exige resposta

Ivan de Carvalho

1. É grave e exige resposta rápida e esclarecedora a denúncia feita ontem pelo vice-líder da oposição na Assembléia Legislativa, deputado Bruno Reis. Ao falar de atrasos de vários meses no pagamento a empreiteiros, fornecedores e terceirizados de mão de obra do Estado da Bahia, ele tocou também num ponto ainda mais sensível – o não cumprimento de obrigações financeiras nos setores de saúde e educação.

O vice-líder da oposição afirmou que há sete meses o governo está sem repassar recursos para programas como o SAMU e o Programa de Saúde da Família. “Encontrei fornecedor da área de medicamento que está desde agosto sem receber. E o pior é que o governo está tirando recursos da saúde e da educação para custear despesas correntes”.

O problema na área da Educação todo mundo já viu no ano passado em que pode dar, com prejuízos pesados para os estudantes e, por causa disso, para toda a sociedade. Não estou discutindo qual lado errou nem de quem foi a culpa, apenas assinalando que a existência de um problema levou a um resultado desastroso no setor, em 2012.

Já quanto à saúde, a questão é inegavelmente mais grave, pois se trata de uma área que não lida apenas com a qualidade de vida futura das pessoas, mas com a qualidade de vida imediata e até – principalmente – com a própria vida. Se o Estado, conforme disse o deputado Bruno Reis, não paga a fornecedores de medicamentos, este é o caminho para que esses medicamentos acabem faltando na rede pública, pois nenhum fornecedor vai continuar fornecendo seus produtos indefinidamente sem receber o pagamento.

Da mesma maneira, se o Programa de Saúde da Família, que é uma excelente iniciativa, não recebe os repasses de recursos devidos, as famílias assistidas pelo programa vão ser prejudicadas, mais pessoas vão ter mais doenças e o Sistema Único de Saúde, que está muito longe de cumprir bem sua função, vai receber uma sobrecarga evitável de demanda, o que, logicamente, lhe aumentará a ineficiência.

Se – ainda segundo a denúncia do deputado – não são repassados recursos destinados ao SAMU, este serviço de urgências e emergências perde capacidade e eficiência e isto, com certeza, fará que aconteçam mortes que não ocorreriam se todos os recursos devidos fossem repassados e aplicados com a competência necessária. Também, ainda nos casos que não ocorra morte, a situação dos pacientes pode se tornar mais grave se o serviço do SAMU perder em presteza, operacionalidade em geral, disponibilidade de recursos médicos ou simplesmente disponibilidade de viaturas.

Não há novidade alguma no que escrevi, salvo a denúncia do vice-líder da oposição na Assembléia Legislativa, divulgada (foi onde a li) no site Política Livre. É a esta denúncia que o governo tem o dever de responder de uma maneira que a desmonte totalmente, sem deixar margem a dúvidas e questionamentos. A alternativa, se for o caso, é confessar o problema imediatamente e resolvê-lo mais depressa ainda, principalmente na área da saúde, sempre conflagrada.

2. O vereador Marcell Moraes, do PV, apresentou projeto de lei na Câmara Municipal de Salvador, proibindo a compra e uso de copos descartáveis (de plástico) nos órgãos municipais. Segundo ele, levam 100 anos para se decompor, sendo, assim, um grande agente de degradação do meio ambiente. Ele sugere a substituição por copos de vidro (estes estão quase em desuso nas repartições públicas por questões higiênicas e por exigirem limpeza após cada uso) ou por “copos ecológicos”, que se decompõem em apenas 18 meses, sendo assim pouco agressivos ao meio ambiente. O vereador levou copos feitos com palha de milho e madeira de reflorestamento para que os colegas os testassem com água e café.

Passaram no teste e Marcell ganhou muitas adesões a seu projeto. Agora é só aprovar e enviar ao prefeito para sancionar. O lobby petroquímico vai chiar, mas é do jogo. Como também pode ser do jogo não ceder.


Ciro fala para empresários na Bahia

=============================================

DEU NO UOL / FOLHA

NELSON BARROS NETO
DE SALVADOR

Dois dias após abrir crise em seu partido ao criticar o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), possível candidato à Presidência da República em 2014, o ex-ministro Ciro Gomes atacou a aliança da presidente Dilma Rousseff (PT) com o PMDB do vice-presidente Michel Temer.

Segundo ele, será muito difícil a presidente escapar de uma coalizão fundamentada no apoio do presidente do Senado, Renan Calheiros, e do presidente da Câmara, Henrique Alves, ambos do PMDB.

“Se escapar [dessas alianças], eu quero o santo dela para trocar o da minha devoção. Eu não acredito que escape”, disse nesta terça-feira (26), antes de evento com empresários baianos, em Salvador, onde palestrou.

Apesar disso, o ex-governador do Ceará e ministro dos governos Lula (Integração Nacional) e Itamar Franco (Fazenda) disse que a presidente “está qualificada” para tentar a reeleição no ano que vem.

Para Ciro, o PSB participa apenas “das migalhas do banquete fisiológico da coalizão PT-PMDB”, sem ter “a menor influência” no governo federal.

Além de voltar a dizer que Eduardo Campos -presidente de seu partido- não tem proposta para o país, ele avaliou as pretensões de Marina Silva (Rede) e Aécio Neves (PSDB) para 2014. Ainda que o trio tenha “todos os dotes e qualificações pessoais” para o cargo, isso não seria suficiente.

“A Marina pegou o lugar que era nosso [do PSB]. Só por essa negação, essa ética católica, essa posição evangélica, enfim. Tem uma turma aí que está desacreditada da política. Ela quer explorar isso, né”, disse Ciro.

Já a estratégia de Aécio, segundo acrescentou, será aproveitar “a estrutura orgânica do conservadorismo brasileiro”.

fev
27
Posted on 27-02-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 27-02-2013

=============================================


DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

O personagem de desenho animados (HQ) Robin, filho de Batman na nova série do super-herói, vai morrer na história “Batman incorporated”, cujo final vai ser revelado esta quarta-feira, segundo revela a página da Internet do jornal New York Post.

O personagem, companheiro de Batman desde 2006 e agora filho de Batman na nova série, é na verdade Damian Wayne, de dez anos idade, filho de Bruce Wayne – Batman — o milionário por trás do homem-morcego.

«Ele salva o mundo. Ele faz seu trabalho e morre como um herói absoluto», afirma Grant Morrison, um dos autores da história, numa entrevista exclusiva ao jornal New York Post.

Na capa da nova edição da HQ é revelada a imagem de Robin envolvido num manto preto, parecido com a capa de Batman, onde se pode ler a sigla R.I.P. (em português, “descanse em paz”) e ver a letra “R” (de Robin) estilizada com o logótipo do herói.

Não é o primeiro Robin a morrer na história de quadradinhos. O personagem Jason Todd foi morto pelo Joker em 2005.

Não se sabe se Robin vai ser substituído, mas, segundo Grant Morrison, «nunca se pode dizer nunca em HQ» e, acrescenta, o «Batman vai ter sempre um companheiro».

Veja mais em: http://www.tsf.pt/

  • Arquivos

  • Fevereiro 2013
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728