Metrò de Salvador:Quase 14 anos de obras, R$ 1 bilhão consumido,
nehum passageiro transportado até hoje (26/2)

=================================================


PATRÍCIA FRANÇA
Do jornal A Tarde

Em meio às negociações entre o governador Jaques Wagner (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM) para viabilizar a transferência da gestão do metrô de Salvador para o Executivo estadual, o Ministério Público Federal na Bahia (MPF) tenta retomar a ação de improbidade administrativa contra o consórcio Metrosal (Camargo Correia/ Andrade Gutierrez / Siemens), responsável pela construção do metrô que se arrasta há 14 anos.

A ação de improbidade foi ajuizada pelo MPF em 6 de janeiro de 2010 por supostas irregularidades no processo licitatório e na execução das obras do metrô. Seis construtoras e 11 pessoas físicas foram acionadas.

Mas em janeiro último, o processo teve sua tramitação paralisada por decisão do desembargador Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, que acatou liminarmente o recurso da construtora Andrade Gutierrez, conforme consta no site do TRF- 1.

A construtora alegou que a ação não pode se basear em provas que derivam da Operação Castelo de Areia, por terem sido declaradas ilícitas pelo STJ, e o Supremo ainda não se pronunciou sobre o caso. A TARDE não conseguiu falar com a construtora.

Buscas legais – O procurador Vladimir Aras, autor do pedido de retomada da ação, argumenta, no entanto, que os documentos que interessam ao caso Metrosal não derivam das escutas da Castelo de Areia, mas do material apreendido na sede da construtora em São Paulo, no curso da operação, cujas buscas foram legalmente autorizadas por um juiz federal.

“A base documental da ação de improbidade é composta pelos papéis apreendidos na sede da empreiteira e que já existiam havia quase uma década, muito antes da interceptação realizada na Castelo de Areia. Tais papéis seriam inevitavelmente descobertos, ainda que não houvesse tal operação”, argumenta o procurador.

METRÔ PARADO

O procurador do Ministério Público na Bahia, Vladimir Aras, argumenta que ação de improbidade administrativa precisa prosseguir para esclarecer se houve danos ao erário no processo de licitação do metrô de Salvador.

“É importante, porque houve gasto público e deve haver transparência na execução dos recursos. O metrô está parado há 14 anos e é preciso saber por quê”, diz Aras.

Além da ação de improbidade para apurar a eventual responsabilidade de gestores nos governos de Antonio Imbassahy (PSDB) e João Henrique Carneiro (PP), o MPF-BA move uma ação penal por suposta formação de cartel e de quadrilha e fraudes, também suspensa por decisão da Justiça Federal.

O projeto do metrô foi assinado em 1999 com um investimento, para os 11,6 quilômetros inicialmente previstos, de R$ 400 milhões. Em meio a várias denúncias de desvios de verbas, superfaturamento, corte de repasses do governo federal e paralisação de operários, o metrô teve seu traçado original reduzido para 6 quilômetros e consumiu mais de R$ 1 bilhão.

==========================================

BAHIA EM PAUTA REFRESCA A MEMÓRIA DOS ESQUECIDOS:

A operação Castelo de Areia foi deflagrada pela Políca Federal em 2009 para investigar crimes financeiros e lavagem de dinheiro, tendo como centro as operações da Construtura Camargo Correa, que integra o consórcio Metrosal.

Como dizem os franceses:

“Amaldiçoado quem pensal mal destas coisas”

( Vitor Hugo Soares)


Arena Fonte Nova:inauguração adiada, inspeção
da FIFA confirmada

=============================================

André Uzêda

Do jornal A Tarde

O temor do esvaziamento de público na festa de inauguração da Arena Fonte Nova, conforme justifica o governo do Estado, motivou a alteração da data de abertura do equipamento esportivo.

A previsão inicial, programada em comum acordo entre poder público e consórcio OAS-Odebrecht (braço privado da construção da praça esportiva), era a de que a entrega simbólica do estádio à população ocorresse no dia 29 de março (aniversário de Salvador). Só que, nesse mesmo dia será celebrada a Sexta-feira da Paixão.

Como todos os anos boa parcela da população costuma deixar a cidade, aproveitando o feriado da Semana Santa, o governo não quis arriscar um possível esvaziamento do evento, que deve contar com a participação da presidente Dilma Rousseff.

Nesta segunda-feira, 25, à noite, Ney Campello, titular da Secretaria da Copa (Secopa-Bahia), esteve reunido com a cúpula do consórcio construtor, na Arena Fonte Nova, tratando de uma nova data de entrega. Ao fim da reunião, foi batido o martelo em relação ao novo dia, contudo, o mesmo ainda não foi divulgado à imprensa.

“Precisamos submeter isso ao governador, para saber se ele aprova ou não a mudança. Ele tem a prerrogativa para isso”, declarou Campello, por meio da assessoria de imprensa.

Em viagem oficial a Pernambuco, o governador Jaques Wagner não participou da reunião, enviando representantes. Hoje, quando retorna, Wagner deve enviar um comunicado oficial divulgando a nova data de abertura.

A mudança não altera a entrega da Fonte Nova para a primeira supervisão da Fifa, que acontecerá daqui a dois dias, em 28 de fevereiro. Na ocasião, a entidade máxima do futebol fará as primeiras inspeções no estádio, em paralelo à execução dos últimos retoques.

Segunda mudança – Esta é a segunda alteração da data de entrega da Arena Fonte Nova. Por contrato de PPP (Parceria Público-Privada), assinado entre governo e consórcio em janeiro de 2010, estava inicialmente previsto que a arena fosse entregue em 31 de dezembro de 2012, incluindo pagamento de multas do consórcio no caso de atraso.

Contudo, em acordo feito, dispensando a aplicação das sanções financeiras, por conta dos atrasos na liberação dos recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), as partes convencionaram 29 de março como nova meta.

Até hoje, há apenas dois estádios prontos para a Copa no País, o Castelão, no Ceará, e o Mineirão, em Minas Gerais.

========================================

Vai para Regina, Gabee (cada dia mais linda e encantadora!) e Claudiio, com o abraço e agradecimentos do Bahia em Pauta. Da bela Baia do Atlântico, para a linda Baia do Pacífico.

Grande terça-feira para todos

(Vitor Hugo Soares)


Regina, Claudio e Gabee:encontro em San Francisco

==============================================


Encontro em San Francisco Bay
Regina Soares
O jornalista e amigo Claudio Leal, que se encontra na Califórnia em visita de prazer e trabalho, marcou encontro com esta residente, de longa data, na cidade de San Francisco. O domingo se vestiu de sol pra amenizar a brisa fria que ainda é a norma na simpática e atrativa cidade da costa oeste dos Estados Unidos.

Claudio, Regina e Fernanda Gabriela, nativa de San Francisco e filha da anfitriã, saíram em passeio pela cidade com o visitante encantado e encantador e, como não podia deixar de ser, fizeram uma parada obrigatória para adimirar uma das sete maravilhas do mundo, a Golden Gate Bridge, que nesse dia se vestia de dourado, literalmente!!!

Outra parada obrigatoria para quem acompanha a historia de San Francisco, é o distrito dos “Hippies”, principalmente o encontro das famosas ruas Haight-Ashbury, movimento jovem iniciado nos anos 60’s e que ainda respira nessa parte do mundo, sem faltar o lunch no famoso restaurante CHA CHA onde deleitamos o paladar.

Como diz o velho ditado, “barriga cheia, coração contente”, e nesse dia de visita tão especial eu diria que o coração cantava de felicidade, tal qual os personagens desse encontro cantavam no carro em alta voz, canções das terras que amam!!!!

Claudio segue em visita à Los Angeles, mas retorna à área da baia, mas uma vez, antes de partir para New York, afim de saborear os vinhos e conhecer o vinhedo onde fincou raiz a autora destas linhas e seus filhos. Claudio já está deixando saudades e sua visita parece muito curta…

Regina Soares, advogada, residente há décadas na área da Baia de San Francisco, reporta da belissima cosmopolita cidade da contracultura, um encontro especial para o BP.

Grazzielli Brito

De Juazeiro (BA)

A visita do governador Jaques Wagner à região no último final de semana foi a oportunidade encontrada pela ASTAXI – Associação de taxistas e outras categorias organizadas, para reivindicar solução para o problema causado aos profissionais taxistas, mototaxistas, fretistas e de autoescola, pelas portarias 2044 e 2045/2012 do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia, onde se determina que a vistorias dos veículos para transporte de passageiros, de todo o estado, devem ser feitos em Salvador, Feira de Santa ou Vitória da Conquista.

Um documento reivindicatório, elaborado após audiência pública na câmara de vereadores de Juazeiro, foi entregue ao governador pelo vereador Mitonho Vargas (PT) e por José Sergio, presidente da ASTAXI. “Essa portaria é impossível de ser cumprida, ainda que se quisesse obedecê-la, para fazer o emplacamento, precisa de vistoria, então o carro iria daqui pra Feira ou Salvador, sem ser emplacado, isso descumpre uma norma do código nacional de trânsito. Outra coisa, essa vistoria deve acontecer uma vez por ano, não dá pra sair de Juazeiro, por exemplo, 116 taxis, 700 moto-taxis, 40 ou 50 ônibus de transporte para fazer essa vistoria”, alega o vereador.

José Sergio explica que a classe e a população sentem os prejuízos causados por essa determinação do órgão. “Existem veículos que foram comprados na necessidade de melhorar a frota, para atender melhor a população, e não pode rodar. O trabalhador está prejudicado, o que era pra ser um benefício direto acabou se tornando um prejuízo e um transtorno porque os veículos estão impedidos de serem emplacados e o profissional não tem como trabalhar”, reclama.

O governador Jaques Wagner ao tomar conhecimento dessa situação se comprometeu a solucionar o problema e disse que vai dar uma dura no diretor-geral do Detran-Ba, Maurício Botelho. “Se eu não viesse aqui, eu não saberia que o Detran ‘inventou’ essa regra, atrapalhando a vida de todo mundo. É lógico que o cara (Botelho) não fez pra atrapalhar a vida de vocês, ele fez pra tentar organizar, mas eu vou telefonar pra ele e dizer: ‘Oh Botelho, você mora onde? Ah, eu moro em Salvador! Então vou mandar você ir lá em Uauá, Juazeiro pra você saber o problema que é o trabalhador ter que ir até Feira de Santana pra fazer vistoria. Se você quer regulamentar está certo, mas então a gente tem que capacitar o órgão de Juazeiro para realizar o serviço’. O cara não pode perder um, dois, três dias de serviço, porque esse é o dinheiro que ele ganha”.

O vereador Mitonho Vargas arrematou dizendo: “As leis devem ser constituídas para contribuir com o cidadão e fazer com que ele seja beneficiado”.

Grazzi Brito,Jornalista, mora em Juazeiro, na margem baiana do Rio São Francisco, de onde colabora com o BP

fev
26
Posted on 26-02-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 26-02-2013


===========================================
Sid, hoje, no portal Metro1

=========================================

Opinião política

A estrada de Ciro

Ivan de Carvalho

Ciro Gomes começou no PSDB. Deputado estadual e federal, ex-prefeito de Fortaleza, ex-governador do Ceará, ex-ministro da Fazenda do presidente Itamar Franco, duas vezes candidato a presidente da República pelo PPS em 1998 (terceiro lugar, com 7. 426 mil votos) e 2002 (quarto lugar, com 10.170 mil votos) está saindo de um recesso político autoimposto.

Está hoje filiado ao PSB, partido presidido e controlado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que alimenta planos de ser candidato à sucessão de Dilma Rousseff, mas não abre o jogo formalmente, pois espera para ver o desempenho do governo federal neste ano, bem como se completa o cenário político com os posicionamentos das oposições. Poderá então concluir que vale a pena arriscar a candidatura a presidente ou preferir outro caminho – nesta última hipótese, o apoio à candidatura de Dilma Rousseff à reeleição parece o caminho mais provável.

Embora tendo um controle firme da estrutura partidária do PSB, Eduardo Campos tem na seção estadual do Ceará um problema de bom tamanho. Começando pelo fato de que o Ceará e Pernambuco estão na mesma região do país, o Nordeste, de modo que a base geográfica inicial da candidatura de Eduardo Campos é a mesma de uma eventual candidatura de Ciro.

Aliás, vale registrar que para uma candidatura de Dilma à reeleição, tanto a candidatura de Campos quanto a de Ciro são extremamente incômodas. Exatamente porque o Nordeste tem sido um extraordinário manancial de votos, primeiro, para Lula, depois, para Dilma. Reduto fechado ou, como diriam chefes políticos dos grotões, “curral eleitoral de porteira fechada”.

Mas, voltando à luta interna no PSB, ao controle do partido exercido por Eduardo Campos, Ciro Gomes tem oposto o que considera sua grande vantagem, a de ter o que chama de “estrada”, pois já foi ministro da Fazenda de Itamar Franco, praticamente salvando a credibilidade do Plano Real, no momento em que foi fortemente atingida pelas afirmações indiscretas do ministro que lhe antecedeu, Rubens Ricupero, que falou o que não devia com o repórter da Rede Globo Carlos Monforte, durante um intervalo de uma entrevista, sem saber que pelas antenas parabólicas tudo estava sendo captado onde elas existiam.

Por sugestão – um insight – de Antonio Carlos Magalhães, foram convencer Ciro Gomes a deixar o governo do Ceará para assumir o Ministério da Fazenda, sob a alegação de que somente ele tinha condições de confrontar a crise e restabelecer rapidamente a credibilidade do plano – missão na qual teve pleno êxito.

A estrada a que se refere Ciro Gomes inclui também, e principalmente, duas candidaturas à presidência da República, com as respectivas campanhas eleitorais e votos, e o conhecimento que o eleitorado teve dele por conta disso. Enquanto Eduardo Campos, hoje muito prestigiado e reconhecido no meio político, não é ainda figura popular fora de Pernambuco.

Ciro pensou ser pela terceira vez candidato a presidente em 2010, mas Lula o convenceu a mudar seu domicílio eleitoral para São Paulo, acenando com uma candidatura apoiado pelo PT e o governo federal para governador de São Paulo. Feito isso, Lula puxou o tapete de Ciro – convenceu o PSB a não lançá-lo candidato a presidente e não concretizou qualquer apoio para que fosse candidato ao governo paulista. Ciro ainda não esqueceu a perfídia.

Agora, ao tempo que insiste na diferença entre ele e Eduardo Campos – a questão de estrada –, o ex-governador do Ceará disparou contra Aécio Neves, Marina Silva e Dilma Rousseff, vale dizer, não deixou de fora qualquer dos nomes evidentes de possíveis candidatos a presidente da República

fev
26

Belo tema musical! Fantástica interpretação!
Um prêmio em boas mãos e grande voz!

Boa terça-feira a todos !

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos

  • Fevereiro 2013
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728