Wagner e ACM Neto:acordo fechado para construção
da megaponte Salvador=Itaparica

===========================================


Governadoria: mesa cheia na assinatura do acordo da ponte

===========================================

Em cerimônia administrativa marcada por forte presença politica e empresarial de representantes de vários municípios do entorno da Baia de Todos os Santos, incluindo Salvador, foi assinado esta segunda-feira (25), na Governadoria, Centro Administrativo da Bahia (CAB), um acordo de cooperação técnica entre o Estado e os municípios de Salvador, Vera Cruz, Itaparica e Jaguaripe, envolvidos no projeto de construção da ponte Salvador-Itaparica.

Segundo os condutores principais e presumíveis beneficiários (administrativa e politicamente) da iniciativa polêmica, que divide opiniões, o objetivo é facilitar a colaboração durante os estudos que pretendem elaborar o plano de desenvolvimento socioeconômico da ponte, que integra o Sistema Viário Oeste.

Sergio Gabrielli, secretário estadual do Planejamento, ex-presidente da Petrobra – apontado como um dos nomes mais fortes do PT à sucessão de Jaques Wagner em 2014 e atualmente um dos maiores entusiastas da construção da mega-obra – informou que os estudos compreendem modelagem econômico-financeira, projetos conceituais de engenharia e análise de impactos ambientais e culturais.

“Existirão novas atividades econômicas com a construção da ponte, inclusive com a atração de empresas para a região, geração de empregos. Por isso vamos promover a análise de impactos ambientais, de desapropriação, entre outros”, disse Gabrielli. A partir do resultado dos estudos, pode haver adequações nos planos diretores municipais e reestruturação da mobilidade urbana nos municípios envolvidos.

Raimundo Nonato,prefeito de Itaparica, disse que o projeto vai garantir um maior desenvolvimento da região. “Este é um projeto ousado. Sabemos que as cidades poderão sofrer alguns impactos negativos, mas principalmente positivos. Precisamos buscar o desenvolvimento econômico e social e esta é uma oportunidade grandiosa”.

O Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), encerrado em 2011, definiu uma proposta conceitual para a ponte, no que se refere aos aspectos paisagísticos, traçado, aproveitamento viário, entre outros itens.

Segundo Gabrielli, o PMI apontou um investimento de aproximadamente R$ 7 bilhões, englobando a construção da ponte, duplicação das rodovias, desapropriações e investimentos em infraestrutura. “Esse valor pode ser alterado, e a partir das analises poderemos reduzir os custos”.

A ponte, no projeto, terá aproximadamente 12 quilômetros e vai reduzir a distância de 24 municípios para Salvador. Santo Antônio de Jesus, por exemplo, terá a distância reduzida em mais de 40%.

“Nos debruçamos nesse projeto há dois anos e precisamos desse tempo para que fossem feitas todas as avaliações. Agora estamos na última fase preparatória, fundamental para as gestões municipais envolvidas e para a população. Creio que assim poderemos superar as dificuldades e esclarecer algumas preocupações”, disse o governador Jaques Wagner.

ACM Neto e Wagner

O governador petista Jaques Wagner informou que em 2014 será lançado o edital para concessão da ponte. “Acredito que em 2014, ainda nesse governo, eu possa assinar a ordem de serviço das obras, que vão apresentar uma valorização tanto para Salvador, quanto para os outros municípios envolvidos. Depois da ordem de serviço, deve haver mais 36 ou 40 meses de obras. Então, a ponte deve ficar pronta em 2017, 2018”.

Ele citou a ponte Rio-Niterói, construída há 40 anos, como exemplo. “Assim como a ponte do Rio de Janeiro, que parecia maior que a necessidade, quando foi planejada, e hoje é um vetor carregado, precisamos pensar em obras estruturantes de longa duração com a ponte Salvador-Itaparica”.

Para o prefeito de Salvador, ACM Neto, não há dúvida do desenvolvimento econômico que será gerado com a ponte. “Esse projeto é importante não apenas para a capital, para o recôncavo, como também para uma maior valorização das ilhas, além de um aproveitamento do potencial da Baía de Todos-os-Santos. Haverá uma grande valorização imobiliária do Comércio, da Cidade Baixa, de toda a península itapagipana, do subúrbio ferroviário. Claro que haverá um impacto no trânsito da capital, que vai ganhar mais uma porta de entrada e saída de veículos, e vamos analisar essas mudanças e viabilizar a organização dessa estrutura”.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2013
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728