==================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Lídice, Campos e o PSB

Ivan de Carvalho

Em um cenário normal, o aviso da presidente estadual do PSB, senadora Lídice da Mata, de que seu partido está na corrida para a sucessão do governador Jaques Wagner poderia ser interpretada de duas formas.

Uma delas, a simples intenção de Lídice da Mata de, por intermédio do PSB, apresentar seu nome – não existe outro na seção baiana em condições políticas e eleitorais para isso – para o governo.

Uma avaliação do quadro sucessório mostra que nas oposições não há um candidato forte (o nome que se destaca nas pesquisas é o do prefeito de Salvador, democrata ACM Neto, que somente em condições especialíssimas, improváveis de ocorrerem, poderia deixar tão cedo o comando da prefeitura para mergulhar numa dura batalha eleitoral).

Enquanto isso, na área governista o quadro também não é confortável. O PT, até onde se sabe e por tudo que dele se conhece, não pretende abrir mão da candidatura a governador, ainda mais estando numa posição de força entre os partidos aliados, graças às suas posições de poder estadual e federal. Essa generosidade não é da sua natureza, antes a contraria.

Mas, apesar dessa situação preponderante, o PT não está bem. Dos quatro nomes relacionados por sua executiva estadual como de pré-candidatos a governador, três (Rui Costa, José Sérgio Gabrielli e Luiz Caetano) precisam, para se afirmar verdadeiramente, construir alianças e afastar obstáculos dentro do próprio PT, além de construir pontes ou metrôs que os unam, não a Itaparica ou Lauro de Freitas, mas aos partidos aliados e, numa segunda e não menos difícil operação, ao eleitorado.

O quarto pré-candidato petista tem a vantagem de ser senador, líder do PT no Senado e enfrenta sérias dificuldades para construir um consenso ou algo próximo disso na sessão estadual do partido e até obter o apoio de Lula (que simpatiza com a candidatura de José Sérgio Gabrielli).
Mas Pinheiro tem a vantagem de, além de senador, portanto, politicamente autônomo, ser o nome petista que aparece com maior preferência no eleitorado – abaixo do democrata ACM Neto e do vice-governador Otto Alencar, presidente estadual do PSD e nome mais popular para o governo na coalizão situacionista. A aparição expressiva de Pinheiro em pesquisas eleitorais (reservadas) decorre na maior parte, no entanto, de ter ele concorrido a duas recentes eleições majoritárias – para prefeito de Salvador, em 2008 e para senador, em 2010. Seus índices representariam, em grande parte, não uma preferência dos eleitores, mas uma “lembrança”. Uma lembrança que não deixa de ter seu valor.

Bem, neste cenário petista assim vazio, Lídice estaria, segundo a primeira daquelas interpretações inicialmente referidas, entrando com o seu PSB no rol de candidatos ao governo para ver se cola, modo pelo qual se poria em situação similar (não significa igual) às de Otto Alencar e Marcelo Nilo, presidente da Assembléia Legislativa.

Ou, na interpretação menos ambiciosa, anunciando a disposição do PSB de disputar o governo apenas como estratégia para valorizar o partido nas negociações eleitorais e na participação no futuro governo.

Essas interpretações eram válidas enquanto não se conhecia – e agora já se conhece – a disposição do presidente nacional do PSB. O governador Eduardo Campos, de Pernambuco, pretende concorrer à presidência da República em 2014, se não houver obstáculo político incontornável. A decisão de Campos e do PSB que ele controla (excetuada a forte dissidência do Ceará, com os irmãos Ciro e Cid Gomes) explica melhor a posição de Lídice da Mata – ela entra na disputa para governador (com seu mandato de senadora garantido até início de 2019) por decisão partidária, para nuclear um palanque com densidade na Bahia para a candidatura presidencial de Eduardo Campos, caso esta se concretize. No mais, o que houver é lucro.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Fevereiro 2013
    S T Q Q S S D
    « jan   mar »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728