DEU NA FOLHA.COM

Nelson Barros Neto

De Salvador

Durante visita ao estádio da Fonte Nova, em Salvador, ontem, 29, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, irritou-se com as seguidas perguntas sobre o metrô da capital baiana -em obras desde 1999 e já tendo consumido cerca de R$ 1 bilhão- e acabou minimizando o que o governo federal chama de “legado” da Copa de 2014.

“Preciso deixar claro que a matriz de responsabilidades é uma iniciativa das prefeituras e dos governos. Não constitui nenhuma obrigação assumida perante à Fifa e ao comitê organizar local”, disse.

Segundo o “Portal da Copa”, site do governo federal sobre o evento, a matriz de responsabilidades envolve “projetos imprescindíveis para a realização do Mundial”.

No ato de assinatura do documento, em 2010, a presidente Dilma Rousseff, ministra da Casa Civil na época, disse se tratar de “um legado permanente, um ganho significativo para a população das cidades”.

O então presidente Lula afirmou: “Agora, todo mundo sabe quais os compromissos que têm e o que precisamos para realizar a melhor Copa de todos os tempos”.

Para Aldo Rebelo, porém, são “compromissos para antecipar obras do PAC [Plano de Aceleração do Crescimento]”, sem obrigação de ficarem prontas para o Mundial.

A declaração aconteceu após o governo da Bahia voltar atrás do anúncio, feito menos de quatro meses antes, na visita anterior da Fifa à arena, de que o metrô de Salvador funcionaria na Copa das Confederações em 2013.

O governador Jaques Wagner (PT) disse ser impossível isso acontecer. Em setembro, a promessa era de que aconteceria uma “operação assistida”, com os trens rodando de maneira provisória, durante os dias de jogos, na chamada linha 1 do projeto.

Mesmo assim, Wagner prometeu que não haverá “nenhum problema de acesso ao estádio”. Segundo ele, a Fonte Nova “é um dos estádios com melhor localização do mundo”, no centro da capital baiana, com possibilidade até de alguns turistas irem a pé de seus hotéis.

Também presente, o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, disse que não haverá “tanta movimentação de turistas” durante a Copa das Confederações. “Assim, confesso não estar tão preocupado sobre isso”, disse.

(Leia reportagem completa sobre o assunto na Folha)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos