Genoiino eoutros suplentes tomam posse

=========================================

Deu no Jornal do Brasil

Ao tomar posse na Câmara dos Deputados, junto com outros 14 suplentes que assumiram nas vagas dos parlamentares que renunciaram por terem se elegido prefeitos, José Genoíno (PT-SP) – condenado no processo do mensalão e motivo de contestações dos oposicionistas e da imprensa em geral – disse que simplesmente cumpria a Constituição: “Me sinto confortável porque estou seguindo as normas da democracia e da Constituição do meu país. Além do mais, eu fui eleito em 2010, quando começou esta campanha condenatória”, desabafou.

“Não serei causa para crise entre os Poderes”

Ele ainda leu o inciso 57 do artigo 5º da Constituição que garante o direito de uma pessoa só ser considerada culpada após o trânsito em julgado de sentença condenatória. Além disso, declarou-se inocente: “tenho a consciência tranquila dos inocentes”, repetiu, em entrevista coletiva depois da posse.

Mas, de qualquer forma, garantiu que cumprirá o que determina a carta Magna: “Eu respeito esta Constituição, lutei por ela e participei da elaboração e da votação. E quem respeita, cumpre”, disse o petista, parlamentar por 24 anos, inclusive durante o período da Constituinte de 1988.

Ele declarou-se ainda confiante de que a Justiça reverta a decisão sobre o seu caso e ressaltou ter assumido o mandato para fazer justiça aos mais de 92 mil votos obtidos na última eleição. Mesmo se dizendo inocente, garantiu que cumprirá a decisão do Supremo caso seja definitivamente condenado. Ele foi considerado culpado pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa, com pena de 6 anos e 11 meses, o que dá direito ao regime semiaberto.

Não serei causa para crise

José Genoíno não comentou o processo do mensalão, tampouco opinou sobre a cassação de mandatos, acusações contra o ex-presidente Lula e nem a suposta tensão entre a Câmara e o Supremo por causa dos deputados que estão sendo julgados. “Não serei causa para crise entre os Poderes”, adiantou.

Na entrevista coletiva, Genoíno estava ao lado da filha Mariana e acompanhado pelos deputados petistas Ricardo Berzoini (SP), José Mentor (SP), Sibá Machado (AC) e José Guimarães (CE), seu irmão. “Os deputados envolvidos têm nosso apoio político e nossa solidariedade; temos a leitura de que houve uma avaliação contraditória no julgamento e esperamos que isso seja revertido”, disse Berzoini, sobre o processo do mensalão.

(Com informações da Aência Brasil e da Agência Câmara )

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos