jan
01


ACM Neto: emoção ao lembrar o avô no discurso de posse
=====================================

DEU FOLHA

NELSON BARROS NETO
DE SALVADOR

O deputado federal ACM Neto (DEM), 33, assumiu oficialmente a Prefeitura de Salvador na tarde desta terça-feira (1º). Prevista para às 15h30 (no horário de Brasília), a posse só aconteceu quase às 17h devido a uma grande confusão na Câmara Municipal.

Houve aglomeração, empurra-empurra e até troca de agressões entre pessoas que queriam ter acesso à cerimônia. Não houve credenciamento prévio para participar da posse e o local não tinha capacidade para acomodar tantas pessoas.

O evento encheu a Praça Tomé de Souza (Municipal) de parentes, assessores e moradores da cidade. O local fica próximo do Elevador Lacerda, um dos principais pontos turísticos da capital baiana. Além de ACM Neto, 43 vereadores e a vice-prefeita Célia Sacramento (PV) foram empossados.

Quando recebeu o diploma, o novo prefeito chorou e ouviu gritos de “ACM voltou”, repetindo as comemorações de 28 de outubro passado, quando ele ganhou o segundo turno da eleição contra Nelson Pelegrino (PT).

“Certa vez, conversando com meu avô [o ex-senador Antonio Carlos Magalhães, morto em 2007], ele me confessou que nunca se sentiu tão realizado como quando foi prefeito de Salvador. Ninguém pode negar que ele fez uma administração que foi um marco para essa cidade [nos anos 1960]”, disse ACM Neto em discurso nas escadarias do Palácio Tomé de Sousa, sede da prefeitura.

O senador José Agripino Maia (RN), presidente nacional do Democratas, compareceu ao evento. Ele precisou de um cordão de isolamento para entrar na sala da Câmara, junto com a mulher, devido à confusão que ocorria. A eleição de ACM Neto foi considerada fundamental para a sobrevivência do DEM, encolhido após derrotas nas urnas pelo Brasil.

A solenidade de transmissão do cargo estava marcada para acontecer ao ar livre, mas o cerimonial do ex-prefeito, João Henrique (PP), decidiu mudar para uma espaço interno. Ele encerrou o segundo mandato com a maior rejeição entre os gestores das capitais brasileiras -75%, segundo o Ibope.

O grupo afoxé Filhos de Gandhy fez uma apresentação em meio a manifestações de samba de roda e capoeira na praça, como costumava ocorrer em eventos com a presença do avô do novo prefeito. Uma associação que cobra a inauguração do metrô de Salvador, em obras desde 1999 e até hoje sem funcionar, também participou.

Dezenas de turistas que visitavam o Elevador Lacerda e o Pelourinho, vizinho ao lugar, aproveitaram para registrar o evento. Os franceses Eric Roumedal, 27, e Michel Barthez, 32, disseram que esperam uma cidade mais limpa e menos violenta na Copa do Mundo de 2014, quando pretendem voltar.

ACM Neto afirmou que, na quinta-feira (3), promoverá uma caravana com o novo secretariado para iniciar um mutirão e começar a resolver os principais problemas de serviços públicos “nos bairros mais pobres” de Salvador.

A solenidade só foi encerrada às 18h20, quando João Henrique terminou o seu discurso, também chorando, e o novo prefeito empossou todos os secretários.

Video com imagens de filmes famosos sobre a letra da
Ave Maria de Aznavour.

Confira

(VHS)

jan
01
Posted on 01-01-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 01-01-2013


Charge de Mariano, no A Charge On Line
=============================================

OPINIÃO POLÍTICA

O ano, o mundo, o PT

Ivan de Carvalho

Terminou ontem o ano em que o mundo não acabou.

Contrariando o espírito de euforia um pouco forçada que marca cada virada no calendário gregoriano, vale lembrar que só os mais afoitos e os que ouviram o galo cantar a respeito do calendário maia, mas não sabiam onde, supunham que “o mundo iria acabar” exatamente no dia 21 de dezembro ou, na melhor das hipóteses, no dia 22, o não-dia. Um estouro, um sumiço, algo assim, e fim. Como não aconteceu, supõem quase todos que podem relaxar. Foi apenas mais um alarme falso, mais um boato.

Estou certo de que essas coisas não se resolverão assim. Não tratam as principais fontes de profecias, especialmente a Bíblia – no Antigo e no Novo Testamento, em Isaías, Ezequiel, Daniel, Evangelhos de Mateus e Lucas e Apocalipse – de um estouro, um sumiço ou do fim precoce do mundo, mas de um “fim dos tempos” que é situado claramente como próximo. Tempos, não mundo. O que acaba é um período e a civilização atual e, após uma grande depuração, civilização melhor será construída. O processo de destruição não tem nas profecias uma duração fixa, mas seria de alguns anos. E se não fosse “abreviado”, diz Jesus, “nenhuma carne sobreviveria”. Mas será, Ele promete.

Tomando emprestado do sombrio “1984”, do genial George Orwell, o “duplipensar”, vamos represar em um escaninho da mente essa questão do “fim dos tempos” e, como se ela não existisse, embora sabendo que existe, tratar ligeiramente do ano que começa esta terça-feira, 1 dw janeiro de 2013. Concentremo-nos no PT. Uma questão importante é o desempenho que a economia brasileira terá, depois do crescimento estimado de apenas um por cento do PIB em 2012. Um crescimento novamente tão pífio pode complicar a reeleição da presidente Dilma Rousseff. Se, no entanto, chegar a quatro por cento ou algo muito próximo, ela fica bem na foto.

O PT, no entanto, continuará quase certamente em inferno astral. Daqui a três, quatro meses, deverá encerrar-se em definitivo o processo do Mensalão no Supremo Tribunal Federal e figuras maiores do PT (José Dirceu, José Genoíno, João Paulo Cunha, sem falar em Delúbio Soares, que foi demitido dessa categoria pelo PT) estarão, junto com outras de partidos aliados, rumando para a prisão e, quem tem, perdendo mandatos parlamentares.

O PT engajou-se em declarações de protesto ou inconformismo e de solidariedade aos seus condenados. O principal deles, José Dirceu, chegou a sugerir uma manifestação pública de 200 mil pessoas para fevereiro. A proposta não é sensata nem factível.
Aliás, no PT já existe gente preocupada com essa solidariedade aos réus petistas. O governador do Rio Grande do Sul e ex-ministro da Justiça, Tarso Genro, afirma que o PT precisa esgotar a “agenda de solidariedade” aos condenados no processo do Mensalão e completa: “Já falamos o suficiente sobre isso”.

Não se pode dizer que Tarso Genro é um alinhado automático ao comando nacional petista, mas ele está claramente querendo abreviar a penosa mistura pública entre o PT e pessoas condenadas criminalmente.

Fechando o quadro petista. Com o fim do Mensalão, deverá ser iniciado o Mensalula, nome dado pelo jornalista e escritor baiano Sebastião Nery (em conversa com Mário Kertész para a Rádio Metrópole) às possíveis complicações judiciais do ex-presidente Lula, hoje sem foro privilegiado, portanto sujeito a responder processos criminais na primeira instância. Existem, de um lado, os novos dados fornecidos e possivelmente ainda a fornecer à Procuradoria Geral da República por Marcos Valério, um dos dois principais operadores financeiros do Mensalão.

Isso deverá gerar um processo em primeira instância. E há o Rosegate – o explosivo caso de Rosemary Noronha, chefe do Gabinete da Presidência da República em São Paulo, apurado pela Operação Porto Seguro da Polícia Federal. Tem que virar um processo criminal e não tem como evitar que cause dores políticas ao ex-presidente da República.

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Rafael Rodrigues
rafael.rodrigues@redebahia.com.br

Otimista por excelência e renovado por mudanças, mesmo abatido por frustrações. O povo soteropolitano está insatisfeito com os maus- tratos com sua cidade, mas acredita que o futuro vai ser diferente. Para 69,6% dos moradores de Salvador, o governo do prefeito eleito ACM Neto (DEM), que toma posse hoje, será melhor que o do prefeito João Henrique (PP).

O índice de otimismo em relação à nova gestão foi medido em uma pesquisa do Instituto Futura, que entrevistou 401 pessoas entre 16 e 26 de novembro. A margem de erro é de 4,9% para mais ou para menos. Segundo o levantamento, outros 14% acreditam que a futura gestão será igual a atual e só para 11% ela será pior.

A confiança de que Neto fará de Salvador uma cidade melhor não vem somente de quem votou nele (53,5% dos eleitores ou 717 mil habitantes). A alta rejeição a João Henrique (PP) ajuda a explicar que mesmo os eleitores de outros candidatos reconhecem em Neto uma possibilidade de melhorar a situação da cidade. São os adeptos da tese de que pior do que está não fica (leia mais sobre os índices relativos ao atual prefeito na página ao lado).

Camadas

De acordo com o levantamento do Futura, o otimismo em relação à chegada do novo prefeito é maior entre os eleitores com idade entre 30 e 39 anos. Nessa faixa etária, 75,3% disseram que a gestão de Neto será melhor do que a anterior. Na outra ponta estão os soteropolitanos entre 50 e 59 anos – 56% deles manifestaram confiança em uma administração melhor a partir de 2013.

Já em relação ao grau de escolaridade, o índice positivo é maior entre os entrevistados com ensino superior (74,7%), seguido de perto pelos eleitores com ensino médio (74,2%). No entanto, a percepção de uma melhor gestão é menor entre aqueles com ensino fundamental (57,8%).

Prioridades

Além de medir a opinião do povo quanto a atual gestão e as expectativas com o governo que se inicia, a pesquisa apontou ainda o que a população elege como prioridade para o próximo prefeito. Apresentados a uma lista de setores do governo, os entrevistados podiam escolher até três como os que, para eles, mais merecem atenção. A área de saúde foi considerada a mais sensível por 68,6% dos entrevistados.

A preocupação com o atual sistema de saúde pública em Salvador foi manifestada ainda em outra pergunta feita aos entrevistados e 39,9% deles elegeram a opção “aparelhar os postos de saúde municipais” como a intervenção direta mais importante a ser realizada pelo próximo prefeito. Na mesma lista, ficaram em quarto e quinto lugar, as opções “contratar mais médicos” e “criar as UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento)”.

O futuro secretário de Saúde, José Antonio Rodrigues Alves, disse saber o tamanho da expectativa em relação à sua gestão. Ao contrário de outras áreas, como o ordenamento urbano, trânsito e limpeza urbana, nas quais Neto não se comprometeu a estipular prazos para que a população perceba melhorias, saúde é o único setor com metas de curto prazo. “Temos que fazer os postos funcionar. Isso é prioridade. Vai ser nosso objetivo principal dos primeiros 120 dias”, disse Alves, em entrevista dada ao CORREIO logo após ter seu nome confirmado no comando da pasta.

“A prefeitura de Salvador enfrentará o desafio de ampliar a rede de atenção básica. Os postos de saúde podem ser melhorados. A terceira capital do país tem que ter uma maior atenção básica, que ainda é insuficiente para cobrir de forma mais resolutiva a população”, disse na ocasião. De fato, o cobertor é curto. As unidades do Programa Saúde da Família (PSF), por exemplo, conseguem alcançar somente 17,6% da população. Para efeito de comparação, a cobertura do PSF em Belo Horizonte é de 95%.

Entre os temas considerados prioritários pela população, aparecem logo em seguida educação (57,1%) e segurança (50,6%), essa última constitucionalmente considerada de responsabilidade do governo do estado. Entretanto, durante a campanha, Neto disse que a prefeitura tem papel importante na redução da criminalidade. Sobretudo, através de ações como aumento da iluminação, instalação de câmeras de monitoramento e uso da Guarda Municipal.

Vereadores
O grau de otimismo medido pelo Futura também se estende aos vereadores. A nova Câmara, que preservou apenas 44% dos nomes, tem a confiança de 58,1% da população. Para outros 20,7%, os futuros vereadores serão piores; e 17,5% acham que nada mudará.

Cultura tem destaque na lista de prioridades

O povo soteropolitano quer saúde, educação e segurança. Mas deseja investimento naquilo que o torna único em relação ao resto do país. Entre as prioridades da nova gestão, segundo a pesquisa, cultura aparece na quarta colocação, com 16%. Surpreendentemente, o setor mereceu mais atenção que áreas, em tese, mais sensíveis para a vida dos cidadãos, como o transporte público (9,2%) ou a criação de empregos (11,7%).

Escolhido para comandar a Secretaria de Desenvolvimento, Turismo e Cultura, Guilherme Bellintani disse saber que, apesar de ver a cultura como elemento de atração de turistas, sua meta é dar autonomia para as políticas do setor. “Minha visão de política cultural tem viés no desenvolvimento e no entretenimento como ferramenta de divulgar a Bahia. Mas isso é só mais um elemento”, afirmou.

“Uma política cultural efetiva tem que focar o desenvolvimento social e humano. Não queremos cidade apenas para turista, mas cidade para o baiano”, completou. Nesse sentido, Bellintani afirmou que será finalidade de sua pasta promover manifestações culturais independentes, que estão longe das vistas dos grandes empresários, mais ligados à indústria do Carnaval.

“Vamos trabalhar com a produção, o envolvimento e a criação, independente se o turista gosta ou não gosta disso, buscando manifestações culturais que estão escondidas, intervenções urbanas, artes plásticas, artistas que estão fora do circuito com apelo comercial. Queremos estimular eventos plurais, para que o baiano se redescubra”, disse.

(Leia integra da reportam sobre a pesquisa na edição impressa do Correio)


Nem todos os 5.564 municípios brasileiros verão os prefeitos eleitos em 2012 tomarem posse neste 1º de janeiro. Em 59 cidades, os candidatos que tiveram mais de 50% dos votos concorreram com os registros de candidatura indeferidos e isso levará à realização de novas eleições. Nestes casos, os presidentes das câmaras de vereadores irão assumir as prefeituras até que o novo pleito aconteça.

Em sete municípios as novas eleições já estão marcadas. É o caso de Guarapari (ES), onde a Justiça Eleitoral já convocou a nova votação para o dia 3 de fevereiro. Em Campo Erê (SC), Criciúma (SC), Tangará (SC), Balneário Rincão (SC), Bonito (MS) e Camamu (BA), os pleitos estão marcados para o dia 3 de março.

O Tribunal Superior Eleitoral não conseguiu encerrar o ano do Judiciário, no último dia 19, tendo julgado todos os processos relativos às eleições municipais de 2012. Apesar disso, a presidenta do tribunal, ministra Cármen Lúcia, anunciou que 90% dos 7.781 recursos sobre registros de candidaturas foram julgados e tiveram alguma decisão. Com isso, cerca de 780 recursos ainda ficaram pendentes de decisão e os casos devem ser resolvidos em 2013.

Ao todo, os processos referentes às últimas eleições municipais somaram 9.189 casos. Entre esses e outros casos, o tribunal julgou um total de 14.048 processos em 2012. Segundo o TSE, a quantidade de processos distribuídos em 2012 foi 30% maior do que a das eleições municipais de 2008. Naquele ano, a corte recebeu 6.026 processos sobre registros de candidatura, sendo que 96% haviam sido julgados até o encerramento do ano

As últimas eleições foram as primeiras com plena aplicação da Lei da Ficha Limpa. Aprovada em 2010, a norma endureceu as regras para que um político possa se candidatar. O percentual de julgamento de recursos da Lei da Ficha Limpa é ligeiramente menor que a média geral: dos 3.366 recursos recebidos pelo TSE, 2.971 foram julgados, cerca de 88%.

As sessões de julgamento do plenário do TSE serão retomadas em 1º de fevereiro, mas o tribunal funciona em esquema de plantão até o dia 6 de janeiro com a presença da presidenta Cármem Lúcia. No entanto, ainda não é possível saber se os processos pendentes sobre as últimas eleições poderão ter decisões monocráticas da ministra, ou se deverão aguardar pelo retorno das atividades plenárias.

jan
01
Posted on 01-01-2013
Filed Under (Artigos) by vitor on 01-01-2013


=======================================
Sid, hoje, no portal Metro1(BA)

  • Arquivos