DEU NO PORTAL DE A TARDE

A presidente Dilma Rousseff chegou a Salvador na tarde desta sexta-feira, 28, para o feriado do Réveillon. O avião aterrissou às 14:15h em solo baiano, com a presidente e seus familiares, que foram recebidos pelo governador Jacques Wagner e a primeira dama Fátima Mendonça. Dilma seguiu direto de helicóptero para a Base Naval de Aratu, onde ficará hospedada.

De acordo com a assessoria de imprensa do Palácio do Planalto, Dilma fez exames de rotina na manhã desta sexta-feira (28) no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e de lá embarcou para a capital baiana, onde passará a virada do ano com a família.

Na região metropolitana de Salvador, a Base Naval de Aratu é destino recorrente para a presidente, onde ela passou o último Réveillon e o feriado de Carnaval deste ano. O local também é conhecido por abrigar um impasse entre quilombolas e Marinha que disputam uma área de 300 hectares.

DEU NO IG

Luciana Lima – iG Brasília

Antes de seguir para a Bahia , onde passará a virada de ano, a presidenta Dilma Rousseff embarcou nesta sexta-feira (28) para São Paulo, para fazer exames de médicos de rotina no Hospital Sírio-Libanês nesta manhã.

A presidenta, que enfrentou um câncer no sistema linfático em 2009 , regularmente se submete aos exames para prevenir a reincidência da doença. A doença foi descoberta na fase de pré campanha. Ela se submeteu a uma cirurgia e tratamento quimioterápico. Depois do tratamento, anunciou que estava curada.

Segundo assessoria do Palácio do Planalto, o médico da presidenta, Roberto Kalil Filho, informou que os resultados dos exames estão “dentro da normalidade”.

De São Paulo, Dilma segue para a Base Naval de Aratu, na região metropolitana de Salvador, onde passará a virada de ano pelo terceiro ano consecutivo, acompanhada da filha, Paula, do neto, Gabriel, e outros parentes.

A escolha de Dilma pelo local se deve à privacidade. No sábado, em conversa informal com jornalistas durante café da manhã no Palácio do Planalto, Dilma reclamou que sente falta de “andar nas ruas” e do “anonimato”.

“Vocês não sabem a falta que faz poder andar nas ruas. Ir ao cinema, ir ao teatro. Sinto falta disso”, comentou a presidenta.

A 40 km de Salvador, a Base de Aratu fica no municípios de Simões Filho e tem sido refugio dos chefes de poder desde o governo de Fernando Henrique Cardoso , que escolheu o lugar para descansar em outubro 1998, após a campanha que o reelegeu. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também foi um frequentador do local.

(Com Agência Estado)


Zé Brizola: “Ele era sempre o primo mais animado”
diz João Vicente, o filho de Jango
=======================================

DEU NO IG

COLUNA DE LU LACERDA

Morreu, na manhã desta sexta-feira (28/12), José Vicente Goulart Brizola, filho mais velho do político Leonel Brizola, no Hospital Municipal Miguel Couto, no Rio, onde estava internado com problema hepático. José Vicente, de 60 anos, deixa três filhos: Juliana (deputada estadual no Rio Grande do Sul), Carlos Daudt Brizola, o Carlito, mais conhecido como Brizola Neto, Ministro do Trabalho, e o vereador Leonel Brizola Neto – todos do PDT. Zé Vicente tinha dois irmãos: Neuzinha (que também já morreu) e João Otávio, que mora no Uruguai. O velório está marcado para esta sexta-feira, a partir das 16h, no Cemitério do Caju. O corpo deve ser cremado na manhã deste sábado (29/12).

João Vicente, primo de Zé Vicente e filho do ex-presidente João Goulart, homenageia o primo, dizendo: “O exílio, dizia Jango, é uma invenção do demônio, nos mata mesmo estando vivos. Hoje partiu para a grande viagem meu primo Zé. No exílio, desfrutamos de vários momentos felizes, inocentes, jovens, enquanto meu pai Jango e meu tio Leonel, sofriam as agruras do desterro. ‘Todos tenemos un verano del 72?, repetia, com alegria, sua irmã e minha prima Neuzinha, enquanto crescíamos longe da Pátria, mas tentando viver o dia a dia dos amigos e as companhias, que lá, na distância, eram as nossas boas lembranças da adolescência.

Zé, com sua guitarra e seu rock, era sempre o primo mais animado. Foi nesse momento da juventude, que passei em Atlântida, no Uruguai, belos dias de acordes musicais no 1º Festival de Rock, a seu convite. Ele tocava com o Papo´s Blues, que naquele momento era um dos grupos mais ouvidos da juventude “Rioplatense”, junto a outros grupos, como “Sui Generis” do Charlie Garcia ou “Almendra” do Spinetta.

Hoje, nessa despedida momentânea para o espaço e o tempo da Terra, fica a saudade, flutuando, de uma época em que, para crescer longe de nossa terra, também houve espaços para os sonhos. Essas lembranças, Zé, quase tão perto como se fossem ontem não se dispersam, ficam perambulando na eternidade, a qual hoje vais ao encontro. Permanecem as recordações, junto com a certeza de que o mundo de paz e amor que aqueles festivais nos traziam como mensagem através de acordes e compassos, continuam presentes no sonho que não acabou. Um saudoso abraço, até sempre!”

dez
28
Posted on 28-12-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 28-12-2012

Boa sexta-feira a todos.

(VHS)

dez
28


DEU NO ESTADÃO/ EDUCAÇÃO

O Ministério da Educação (MEC) liberou nesta sexta-feira, 28, o acesso dos candidatos às notas do Enem 2012. Mais de 4 milhões de estudantes participaram do exame. Eles fizeram provas objetivas de Linguagens e Códigos, matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Também escreveram uma redação.

As notas podem ser consultadas no site http://sistemasenem2.inep.gov.br/resultadosenem/. Para acessar o sistema, o aluno deve informar seu CPF ou número de inscrição e a senha pessoal.

Alguns candidatos reclamam de dificuldade de acesso às notas. Segundo os alunos, a página está lenta e constantemente aparece uma mensagem de “erro inesperado”. Procurado, o MEC disse ao Estadão.edu que não foi registrada queda no site e que, por conta do alto número de acessos simultâneos, alguns estudantes podem estar tendo problemas para conferir a pontuação.

Ontem à tarde, alguns candidatos viram a nota da redação durante teste do site do MEC. Segundo a pasta, o acesso ficou liberado por cerca de 30 minutos somente para quem estava logado no sistema. O ministério descartou a possibilidade de vazamento da pontuação. Disse que o teste é um “procedimento técnico comum” e serviu para verificar se o site estava funcionando como deveria.

Com a pontuação em mãos, os candidatos podem concorrer a vagas em instituições públicas de ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferecerá 129.279 cadeiras no primeiro semestre de 2013.

As inscrições para o Sisu começam em 7 de janeiro. Para se candidatar às vagas o aluno deve ter feito o Enem de 2012 e não ter tirado zero na prova de redação.

Os estudantes já podem consultar as vagas oferecidas pelas 101 instituições públicas de ensino superior que utilizam o Sisu, no site http://sisu.mec.gov.br/.

Os candidatos conseguem pesquisar as cadeiras disponíveis por cidade, curso e instituição. Só para Medicina, por exemplo, são oferecidas 1.830 vagas.

O estudante pode fazer até duas opções de curso no Sisu. Diariamente, o sistema divulga a nota de corte preliminar de cada carreira com base na nota dos alunos que pleiteiam as vagas.

O estudante também deverá especificar uma entre as três modalidade de concorrência existentes. Ele poderá disputar as vagas destinadas à ampla concorrência, as cadeiras reservadas para cotistas ou aquelas separadas para as demais ações afirmativas adotadas pelas instituições.

dez
28
Posted on 28-12-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 28-12-2012


====================================
Pelicano, hoje, no Bom Dia (SP)

================================================

OPINIÃO POLÍTICA

Raios e apagões

Ivan de Carvalho

A presidente Dilma Rousseff disse ontem que é “ridículo” afirmar-se que o país corre o risco de sofrer racionamento de energia elétrica.

Ela, que já foi ministra das Minas e Energia durante a maior parte do primeiro mandato presidencial de Lula da Silva, poderia talvez ter acrescentado que este risco existia caso o Brasil continuasse apresentando um crescimento do Produto Interno Bruto similar ao dos últimos anos da década passada.

Felizmente, se é que podemos dizer assim, isso não aconteceu. Por conta da crise financeira e econômica global e por causa de algumas causas genuinamente internas, o crescimento do PIB desabou e – apesar de “medidas pontuais” desesperadamente repetidas e que já deram sinais de completa fadiga – tornou-se insignificante no terceiro trimestre deste ano. As perseverantes previsões otimistas do ministro da Fazenda, Guido Mantega, já estão sendo objeto de brincadeiras e piadas na mídia internacional.

Já houve uma experiência anterior de severo racionamento de energia. Durou de 1º de julho de 2001 a 27 de setembro de 2002, durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Todo consumo que ultrapassasse o estipulado pelo governo para cada consumidor, segundo um cálculo que levava em conta o consumo médio anterior, gerava uma sobretarifa.

Então, os consumidores foram forçados a gastar menos para ajudar o país e defender os próprios bolsos. Mas este último objetivo, pelo menos, não conseguiram satisfazer. Isto porque, após obrigá-lo a consumir menos energia para não pagar demais, o governo, bem depois de encerrado por generosas chuvas o racionamento, resolveu obrigar os consumidores a pagarem mais porque haviam consumido menos.

É que as empresas de distribuição de energia haviam faturado menos, por venderem menos energia (que não tinham para oferecer, por causa da geração insuficiente por falta de água nas hidrelétricas) e precisavam recuperar seu prejuízo, melhor dizendo, seus lucros cessantes. Foram buscá-los, com a pressurosa ajuda do governo, nos bolsos dos consumidores, mediante a imposição de uma sobretaxa para compensar o consumo reduzido a que fora obrigado.

Depois do racionamento, o país lançou-se em um apressado programa de compra e montagem de usinas térmicas de geração de energia, usando óleo como combustível. Essas usinas e principalmente – como já assinalado – o nível inexpressivo de crescimento do PIB é que permitem à presidente Rousseff considerar “ridículo”, no momento, dizer que há risco de racionamento.

Mas os apagões, eles continuam. Enquanto ontem ela descartava a hipótese de racionamento, da qual o PSDB falara nos últimos dias, moradores de dezenas de bairros do Rio de Janeiro ficaram sem energia na quarta-feira, em alguns casos por mais de 12 horas seguidas. Problemas semelhantes já ocorreram várias vezes neste mês.

Em quase todos os casos de apagões nos anos recentes, o governo sempre atribuiu a culpa a algum raio que atingira, ora uma subestação de não sei onde, ora uma linha de transmissão, causando uma sobrecarga que acionava os sistemas automáticos de desligamento como proteção da rede. Pois agora a presidente da República diz (disse ontem) que não tem nada disso. Quando uma interrupção do fornecimento de energia for atribuída à queda de um raio, “vocês gargalhem”, sugeriu aos jornalistas. “Raio cai todo dia. Um raio não pode desligar o sistema”.

Então, o que houve realmente em cada uma das vezes em que se disse que um raio foi responsável por um apagão? “Se cai (o sistema), é falha humana. Não é sério dizer que o sistema caiu por causa de um raio”, garante a presidente. Quais foram os responsáveis pelas falhas? E quem não foi sério ao invocar a teoria do raio?

O caso merece uma investigação. Mas, séria.

http://youtu.be/8qYMTmwtnXM

O album “Miucha & Antonio Carlos Jobim” foi lançado pela gravadora RCA em 1977 e um dos maiores sucessos deste disco foi a composição de Chico Buarque e Caetano Veloso, “Vai Levando”

Confira, e ótima última sexta-feira de 2012

(VHS)

  • Arquivos

  • dezembro 2012
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31