dez
25
Posted on 25-12-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-12-2012

DEU NO SITE CONGRESSO EM FOCO

A presidenta Dilma Rousseff lamentou hoje (terça, 25) a morte de Claudionor Viana Teles Veloso, mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia que era carinhosamente conhecida como Dona Canô. Em nota de pesar (confira a íntegra abaixo), Dilma exaltou a “maior divulgadora e fã” de Santo Amaro da Purificação, terra natal da baiana de 105 anos que, a exemplo do astro Charlie Chaplin, morre em um dia de Natal.

“Nosso Natal ficou mais triste, perdemos Dona Canô. Uma mulher rica de coragem, principalmente a coragem de ser feliz, como ela mesma gostava de dizer”, declara a presidenta, referindo-se à frase atribuída a Dona Canô, “Ser feliz é para quem tem coragem”, que foi cantada em verso, prosa e percussão pela filha em Reconvexo (“Quem não rezou a novena de Dona Canô / Quem não é recôncavo e não pode ser reconvexo”).

Dona Canô morreu em casa, em Santo Amaro da Purificação (Recôncavo Baiano), por volta das 9h da manhã desta terça-feira de Natal, depois de passar os festejos natalinos com a família. Em 15 de dezembro, havia se internado depois de sofrer uma isquemia cerebral, mas insistiu em se tratar em casa e recebeu alta no último dia 21.

O velório será fechado para familiares e amigos até as 18h desta terça-feira e, em seguida, o corpo de Dona Canô será encaminhado ao Memorial Caetano Veloso, na Praça da Purificação, onde populares poderão dar adeus à matriarca da família Veloso. O sepultamento será às 10h de amanhã (quarta, 26), no cemitério de Santo Amaro.

Confira a íntegra da nota de pesar:

“Nota de pesar da presidenta Dilma Rousseff pelo falecimento de Dona Canô

Nosso Natal ficou mais triste, perdemos Dona Canô. Uma mulher rica de coragem, principalmente a coragem de ser feliz, como ela mesma gostava de dizer. Construiu uma família em torno do amor pela cultura, pela Bahia e pelo Brasil, expresso no talento de seus filhos, entre eles Caetano Veloso e Maria Bethânia. Sua alegria de viver e sua lucidez conquistaram o coração dos brasileiros. Transmito meu sentimento de pesar aos familiares de Dona Canô e aos filhos e filhas de Santo Amaro da Purificação, que hoje perderam sua maior divulgadora e fã. Dona Canô, mulher forte e sábia, nos deixa muita saudades.

dez
25
Posted on 25-12-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-12-2012


Dona Canô com os filhos Caetano Veloso e Maria Bethânia Fotografia © D.R./DN
==================================================


por Elisabete Silva

Dona Canô tinha 105 e faleceu em casa, perto da sua família, como desejava. Respeitada por políticos, empresários, artistas, Dona Canô até inspirou uma música.

“Não tenho [medo da morte], não, meu filho. Acredito em Deus e sempre vivi com a minha família, com pessoas do meu lado, com a casa cheia. Acho que esse é o segredo [da longevidade].” Quando em setembro celebrou 105 anos, foi assim que Dona Canô justificou a sua longevidade. A paixão pela sua família marcou também o momento da sua morte. Estava internada no hospital devido a uma isquemia, mas quis passar o Natal em casa. O seu estado de saúde era suficientemente estável para permitir conceder o desejo a Dona Canô, mas a família já temia o pior. A mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia faleceu no dia de Natal.

O Brasil está assim de luto pela perda de uma das personalidades mais respeitadas do país. Mais do que muitos políticos. Em Santo Amaro, na Bahía, todos tinham um grande respeito por Claudionor Vianna Telles Velloso, mais conhecida por Dona Canô. Os políticos pediam-lhe conselhos, os empresários a sua benção. Mesmo com dois filhos muito populares, Dona Canô era a mais importante aos olhos dos habitantes (e não só) da cidade. As suas ligações políticas permitiram, por exemplo, que fosse aprovados projetos como a iluminação da igreja local e da construção de um teatro.

Devido à política, Dona Canô protagonizou um episódio com o filho Caetano Veloso. Em 2009, o músico criticou Lula da Silva (durante as eleições), dizendo que votaria em Marina Silva porque a candidata “é inteligente como o Obama, não é analfabeta como o Lula, que não sabe falar, é cafona falando, grosseiro”. Dona Canô assumiu que pensava em ligar a Lula a pedir desculpa pelo filho: “Não precisa ofender nem procurar confusão.” Mas quem telefonou foi Lula a Dona Canô: “Está tudo bem, essas coisas acontecem.”

“Fica a lição de amor, de guerreira, uma mãe exemplar. Fica a saudade e a certeza que ela está em um lugar bom. Isso também nos dá um conforto. Bacana ter sido em um dia de Natal, isso é lindo”, disse um dos filhos, Rodrigo, citado pelo Globo. As reações sucedem-se e uma delas foi de Gloria Perez, autora de telenovelas: “Dona Canô, um pouco mãe de todos nós”, escreveu no Twitter.

Mãe de oito filhos, inspirou uma música cantada por Daniela Mercury: “Dona Canô chamou, eu vou…” Tudo começou nos anos 60 quando Dona Canô chamou Caetano: “Caetano, venha ver aquele preto que você gosta!” (Referia-se a Gilberto Gil.)

Recorde aqui a canção:

Postado pelo cantor e compositor Gilberto Gil em seu endereço no Twitter, nesta tarde de terça-feira, 25, da partida de Dona Canô.

================================

No quintal, roupas secando no varal, Caetano toca e sua mãe, dona Canô, canta. É um momento de rara beleza, de encantamento. Canto e encanto.
Acervo de Valeria Belisario (You Tube)

Vídeo de Paula Lavigne, no You Tube:

Horas antes do falecimento de Dona Canô, ocorrido na manhã desta terça (25) Caetano Veloso foi à tradicional Missa do Galo na Igreja da Nossa Senhora da Purificação, na cidade de Santo Amaro, no recôncavo baiano. Sua ex-mulher, Paula Lavigne, postou o vídeo do momento em seu Twitter.

Já no twitter de Caetano, pouco depois do anúncio da morte, foi postada uma mensagem de agradecimento. “Caetano agradece a solidariedade de todos. O velório será às 18h no Memorial Caetano, missa às 9h na Purificação e enterro 10h em Santo Amaro”.

dez
25
Posted on 25-12-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 25-12-2012


===================================
Sid, hoje, no portal Metro1

=====================================
Motriz

Maria Bethânia

Embaixo a Terra e em cima o macho, o céu
E, entre os dois, a idéia de um sinal
Traçado em luz e em tudo a voz de minha mãe
E a minha voz dela e a tarde dói de tão igual

A tarde que atravessa o corredor
Que paz! Que luz que faz! Que voz! Que dor!
Que doce amargo cada vez que o vento traz
A nossa voz que chama verde do canavial, Canavial

E nós, mãe…
Candeias, motriz!

Aquilo que eu não fiz e tanto quis
É tudo o que eu não sei, mas a voz diz
E que me faz e traz capaz de ser feliz
Pelo Céu, pela terra a tarde igual pelo sinal, pelo sinal

E nós, mãe…
A penha – Matriz!
Motriz…
Matriz…
Motriz…

Dona Canô: adeus no Dia de Natal

===========================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

Morreu na manhã desta terça-feira (25), dia de Natal, aos 105 anos, Dona Canô Veloso. A matriarca, que estava tendo assistência domiciliar, teve uma piora em seu estado de saúde e não resistiu. O velório será realizado a partir das 18h, no Memorial Caetano Veloso, em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

Ela foi internada no Hospital São Rafael no dia 15 de dezembro, por causa de uma isquemia cerebral transitória, um déficit neurológico causado geralmente pela diminuição do fluxo sanguíneo até a região do cérebro. Outra causa é a presença de coágulos nos vasos sanguíneos, prejudicando a circulação no sangue e o tráfego de oxigênio.

Na última sexta-feira (21), Dona Canô teve alta médica e retornou para sua casa, em Santo Amaro, onde ficou aos cuidados de uma assistência domiciliar.

Saúde delicada
]No dia 5 de novembro deste ano, Dona Canô foi internada no Hospital São Rafael, em Salvador. Após ficar quatro dias internada por conta de uma gripe, Dona Canô Veloso recebeu alta médica na manhã do dia 9 do mesmo mês.

Para quem não se lembra, em julho de 2011, Dona Canô passou mal em sua casa em Santo Amaro e foi transferida de helicóptero para o Hospital São Rafael, em Salvador, por indicação médica.

Após uma semana de internação, em que passou por uma bateria de exames, ela recebeu alta. Na época, a assessoria de imprensa da unidade médica informou que a matriarca deu entrada com quadro de traqueobronquite, associada a broncoespasmo e ficou na Unidade Cárdio Vascular Intensiva (UCI).

Em agosto do mesmo ano, Dona Canô retornou ao hospital se queixando de dores na coluna. Voltou a ser internada e só foi liberada pelos médicos após conseguir um colete ortopédico. Desde então não foi registrada mais nenhuma internação da matriarca.

Aniversário de 105 anos

No dia 16 de setembro Dona Canô completou 105 anos. Em Santo Amaro, missa e festa íntima fizeram parte das homenagens, que contou com a presença dos filhos Caetano Veloso e Maria Bethânia, além da amiga Regina Casé.

Através de flores, o ex-presidente Lula mandou uma mensagem para a aniversariante: “À querida dona Canô, minha sincera e emocionada homenagem pelo seu 105º aniversário. E parabéns por essa longa vida que ilumina uma família tão especial, honra Santo Amaro da Purificação e orgulha a Bahia e o Brasil. Do amigo, Lula”.

Centenária baiana

Claudionor Viana Teles Velloso, mais conhecida como Dona Canô, era uma cidadã baiana centenária. Mãe de seis filhos, entre eles os músicos Caetano Veloso, Maria Bethânia, era viúva de José Teles Velloso (Seu Zeca), funcionário público dos Correios, falecido em 13 de dezembro de 1983, aos 82 anos.

Considerada uma das mais ilustres cidadãs de Santo Amaro da Purificação, teve publicada suas memórias no livro ‘Canô Velloso, lembranças do saber viver’, escrito pelo historiador Antônio Guerreiro de Freitas e por Arthur Assis Gonçalves da Silva, falecido antes do término da obra.

Quando perguntada sobre a própria fama, Dona Canô sempre disse que não entendia a razão: “Apenas fiquei conhecida por causa de meus dois filhos que nunca se esqueceram de onde vieram nem da mãe que têm”.

  • Arquivos

  • dezembro 2012
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930
    31