Os Novos Baianos – Luiz Galvão, Moraes Moreira, Paulinho Boca de Cantor, Baby Consuelo, Pepeu Gomes, Dadi, Jorginho, Baixinho e Bolacha.
===============================

No video escolhido para o boa noite do BP, Baby Consuelo interpreta divinamente – como só ela sabe – “Farol da Barra”, uma composição de Caetano Veloso e Galvão.Confira.
Adeus outubro!!! Que venha novembro!!!

(Vitor Hugo Soares)


José Sergio Gabrielli, Secretário do Planejamento do Estado da Bahia (Foto: AE)

=====================================
DEU NO BLOG DO JORNALISTA RICARDO SETTI (VEJA).REPRODUZIDO NO BLOG DO NOBLAT.

ELEIÇÕES: Secretário do Planejamento da Bahia faz vergonhosas ameaças ao prefeito eleito de Salvador, ACM Neto (DEM), se não se submeter “à liderança” e “condução” do governo petista

Amigas e amigos do blog, o secretário do Planejamento da Bahia, José Sérgio Gabrielli, ex-presidente da Petrobras e candidato à sucessão do governador petista Jaques Wagner, publicou no Facebook um texto com claras ameaças de retaliação financeira — para dizer o menos — contra o futuro prefeito de Salvador, ACM Neto, do oposicionista DEM.

Em alguns países civilizados, o texto de Gabrielli daria processo e, talvez, cadeia.

Aqui, é claro, fica tudo por isso mesmo. Leiam vocês mesmos e julgem o texto, cujo título vai em negrito, abaixo:

=======================================

Algumas reflexões sobre o dia seguinte a vitória de ACM Neto em Salvador

Os eleitores de Salvador elegeram ACM Neto prefeito. Até aí uma vitória da democracia, pela escolha livre os dirigentes municipais. E agora?

A Prefeitura Municipal de Salvador tem um orçamento de pouco mais de 4 bilhões e não tem capacidade de financiamento por falta de condições financeiras.

Uma Prefeitura que precisa de obras estruturantes no que se refere a mobilidade urbana, a recuperação da Orla Atlântica e Orla do interior da Baia de Todos os Santos, no Centro Antigo da Cidade, nos bairros mais populosos com a necessidade de expansão de rede de assistência básica a saúde e ampliação da rede municipal de educação.

Uma Prefeitura que precisa ampliar o ordenamento urbano com obras de desafogo dos gargalos do trânsito.

Uma cidade que precisa tratar bem as suas diversas populações e incluir milhares de pessoas nos serviços básicos da cidade.

Uma Prefeitura que precisa dos governos do Estado e da União para realizar parte dessas obras.

Mas os eleitores de Salvador escolheram ACM Neto com os partidos DEM, PSDB, PMDB, PPS e PV, partidos que são ferozes opositores ao governo no plano estadual e federal ou em ambos.

Para implementar os projetos necessários para enfrentar as necessidades de Salvador há de haver uma ação harmônica e equilibrada entre a Prefeitura e os governos do Estado e federal.

Como fazer a integração da Linha 1 do Metro com a Linha Dois que vai até Lauro de Freitas, sem o acordo entre os dois governos?

Como fazer os viadutos e passarelas para melhorar o trânsito da cidade sem a cooperação entre as duas esferas de governo?

Como articular as concessões das novas linhas de ônibus com a alimentação das estações de alimentação do Metro sem que haja um trabalho conjunto entre a PMS e o Governo Estadual?

Como fazer as grandes intervenções programadas no Centro Antigo de Salvador sem a equilibrada cooperação da PMS e governo do Estado?

A questão não é de perseguição ou comportamento não republicano de retaliação ao opositor que ganhou as eleições em um determinado município.

A questão é a realidade difícil de diálogo entre um conjunto de partidos que deliberadamente são de oposição ao governo do Estado, e buscam se legitimar no combate a esse governo, com a necessidade desse governo municipal de aceitar a liderança e condução desses projetos pelo governo estadual, que é o único que tem capacidades financeira e gerencial de gerir as ações desses programas.

Some-se a isso a reação dos movimentos sociais que vão exigir da Prefeitura Municipal de Salvador a aceleração dos benefícios prometidos em campanha e a diversificação das atuações do governo municipal, ameaçando ainda mais a combalida posição financeira do município.

Por cima disso, a nova Câmara de Vereadores pode ser mais um campo de batalha entre o Executivo de Salvador e seu legislativo, com vários temas conflitantes na agenda legislativa.

Frente a esse quadro, os partidos que apoiaram Pelegrino [Nelson Pellegrino, candidato derrotado do PT a prefeito] não dispõem de muita alternativa: só resta a oposição ao novo governo.

Não uma oposição por oposição, mas uma ação que busque ampliar as pressões referentes aos interesses de importantes segmentos da sociedade soteropolitana que não estarão representados na coalizão vencedora, que exija um reconhecimento do papel do governo do Estado na execução e liderança desses importantes projetos para a cidade e uma plataforma de reverberação para as demandas do movimento social que tenderão a estar limitadas pelo ideário dos partidos que ganharam a eleição.

Nesse movimento de conflito e tensão, o governo estadual é o único que tem as condições de implementar vários dos programas previstos.

O novo prefeito precisa levar em conta essa realidade de que o Estado é o principal condutor de muitas da soluções dos problemas para o povo da cidade. Não é do feitio da coligação vencedora com tradição oligárquica e autoritária admitir que tem que reconhecerr a importância e tamanho dos seus adversários.

Espero que o povo de Salvador não sofra por sua escolha!


A nova campanha da Dior com o ator deverá estrear em 2013 Fotografia Mario Anzuoni/Reuters/DN

=====================================

O ‘vampiro’ Robert Pattinson será a imagem do próximo perfume masculino da marca, que sairá em 2013. Mas para ser a cara da Christian Dior, a empresa teve de desembolsar uma fortuna (cerca de nove milhões de euros, ou aproximadamente 12 milhões de dólares, segundo publicam em sua edição de hoje o jornal português Diário de Notícias e outros diários europeus).

A elevada quantia deve-se ao apelo midiático alcançado pelo ator como protagonista da saga Crepúsculo e do romance atribulado – que já conheceu uma traição – com a atriz Kristen Stewart, a sua companheira da trama.

Robert Pattinson deverá filmar a nova camapanha em Londres num ambiente que lembrará o filme Moulin Rouge.

O ator junta-se a Jude Law na galeria dos atores escolhidos pela casa francesa para publicidade dos seus perfumes.

Este é mais um contrato milionário assinado por um ator com uma marca de perfumes. Apesar de não serem conhecidos os montantes envolvidos – mas que se adivinham históricos – há duas semanas a Chanel estreou a campanha protagonizada por Brad Pitt que o transformou no primeiro homem a fazer publicidade ao perfume para mulheres mais emblemático da da marca, o Chanel N.º5.


Valério numa das audiências no STF
Foto:Reuters/DN

==================================

DEU NO JORNAL PORTUGUÊS DIÁRIO DE NOTÍCIAS

O empresário considerado o mentor do ‘Mensalão’, Marcos Valério, ofereceu-se para colaborar com a Justiça a troco de benefícios, como segurança ou uma pena menor, confirmou o Supremo Tribunal Federal do Brasil, citado hoje pela imprensa deste país.

Marcos Valério estaria disponível para colaborar com a Justiça brasileira, desde que visse atenuada a sua sentença pelo Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil ou recebesse garantias de segurança não especificadas, escreve o Folha de São Paulo.

O fax com o pedido de Valério foi recebido em setembro pelo tribunal, após o início do julgamento do “mensalão”, o esquema de compra de votos de parlamentares da coligação do Governo durante a Presidência de Luiz Inácio Lula da Silva. O empresário foi condenado a 40 anos de prisão pelo STF.

O presidente do tribunal, Carlos Ayres Britto, confirmou à imprensa brasileira que o fax foi recebido, mas não comentou sobre o conteúdo porque está em segredo de justiça. Britto disse que o documento foi enviado ao relator do processo, o magistrado Joaquim Barbosa.

Segundo o Folha de São Paulo, Valério relatou no fax correr risco de vida e pediu para ser ouvido. A defesa do empresário não comentou.

out
31
Posted on 31-10-2012
Filed Under (Charges) by vitor on 31-10-2012


============================================
Aroeira, hoje,no jornal O Dia (RJ)

==================================

O Canto De Oxum
Nação Ijexá

Nhem-nhem-nhem
Nhem-nhem-nhem-xorodô
Nhem-nhem-nhem-xorodô
É o mar, é o mar
Fé-fé xorodô!

Xangô andava em guerra
Vencia toda a terra
Tinha ao seu lado
Iansã pra lhe ajudar
Oxum era rainha
Na mão direita tinha
O seu espelho onde vivia a se mirar

Quando Xangô voltou
O povo celebrou
Teve uma festa que ninguém mais esqueceu
Tão linda Oxum entrou
Que veio o Rei Xangô
E a colocou no trono esquerdo ao lado seu

Iansã apaixonada
Cravou a sua espada
No lugar vago que era o trono da traição
Chamou um temporal
E no pavor geral
Correu dali gritando a sua maldição!

Iemanjá Rainha do Mar
Paulo Cesar Pinheiro e Pedro Amorim)

Quanto nome tem a Rainha do Mar?
Quanto nome tem a Rainha do Mar?

Dandalunda, Janaína,
Marabô, Princesa de Aiocá,
Inaê, Sereia, Mucunã,
Maria, Dona Iemanjá.

Onde ela vive?
Onde ela mora?

Nas águas,
Na loca de pedra,
Num palácio encantado,
No fundo do mar.

O que ela gosta?
O que ela adora?

Perfume,
Flor, espelho e pente
Toda sorte de presente
Pra ela se enfeitar.

Como se saúda a Rainha do Mar?
Como se saúda a Rainha do Mar?

Alodê, Odofiaba,
Minha-mãe, Mãe-d’água,
Odoyá!

Qual é seu dia,
Nossa Senhora?

É dia dois de fevereiro
Quando na beira da praia
Eu vou me abençoar.

O que ela canta?
Por que ela chora?

Só canta cantiga bonita
Chora quando fica aflita
Se você chorar.

Quem é que já viu a Rainha do Mar?
Quem é que já viu a Rainha do Mar?

Pescador e marinheiro
que escuta a sereia cantar
é com o povo que é praiero
que dona Iemanjá quer se casar.

============================

Saudades, Lúcia

Adeus, Oxum

(Vitor Hugo Soares)

==================================

OPINIÃO POLÍTICA
Relações republicanas

Ivan de Carvalho

Começam a ser discutidas e projetadas as relações que vão se estabelecer entre o futuro governo de Salvador, sob o comando do democrata ACM Neto e os governos estadual e federal, ambos em mãos do PT e sob o comando, respectivamente, de Jaques Wagner e Dilma Rousseff.

Esta é uma questão relevante para a presidente da República e mais relevante ainda para o governador Jaques Wagner, enquanto para o futuro prefeito ACM Neto é essencial.

Antes de lembrar o que já disseram as três pessoas citadas sobre essas relações, creio que vale citar uma declaração do senador petista Walter Pinheiro, que foi candidato a prefeito em 2008 e este ano foi o coordenador político da campanha eleitoral de Nelson Pelegrino: “O povo de Salvador errou em 2008 e em 2012”.

Mas errou como? Por haver eleito, em 2008, um prefeito que está para concluir seu mandato com alto índice de desaprovação para seu desempenho, segundo as pesquisas de opinião pública? Se é nisto que se justifica a frase do senador, então onde fica a justificação do erro de agora, quando o povo de Salvador elegeu para prefeito alguém que ainda não começou a governar?

Bem, melhor buscar justificativa mais coerente. O povo errou em 2008 e em 2012 porque não elegeu os candidatos do PT. Ou, em 2008, porque não elegeu o então deputado Walter Pinheiro e, em 2012, o deputado Nelson Pelegrino. Bem, aí já dá para entender – o povo de Salvador é um povo malcriado, rebelde, que teima em pensar pela própria cabeça, mostrar que ninguém manda, ter suas próprias ideias ou preferências, ainda que de uma ou outra depois se arrependa, abrir seu próprio caminho a andar pelo que já lhe dão pronto.

Acolá votando em Mário Kertész, lá votando em Fernando José, ali votando em Lídice, preferindo depois dar dois mandatos a Imbassahy, mais dois a João Henrique e finalmente entregando o abacaxi para ACM Neto descascar, do seu jeito e como puder, apesar da estranhíssima tese do alinhamento, que foi reprovada – e precisava ser, e precisa continuar sendo rejeitada, em nome de uma política republicana dos governos em todo o país.

Tenho a impressão de que, no Brasil, ainda vamos ouvir falar dessa tese do alinhamento político entre os gestores públicos das três esferas de poder da Federação. Cumpre, de saída, no entanto, deixar muito claro que qualquer discriminação na locação e liberação voluntária de recursos (nem me refiro às obrigatórias) baseada em desalinhamento político (seja em Salvador, Manaus, Aracaju, não importa onde) não seria contra o gestor público “desalinhado”, mas contra o povo da cidade que o elegeu, uma perseguição contra cada pessoa – de infantes a velhos.

Seria desumano, além de jurídica e politicamente inaceitável, porque o dinheiro público é do povo, que o produz pagando tributos, e não dos governantes. Já o by pass, tipo a tentativa de fazer alguma coisa pondo indevidamente à margem a autoridade municipal seria, não desumano, mas antidemocrático, porque uma falta de respeito à decisão popular pelo voto.

Felizmente, neste primeiro momento, do governador Jaques Wagner já temos declarações animadoras. Ele disse que preferia a eleição de outro candidato (o do PT, Pelegrino), “mas respeito” (a decisão popular). Acrescentou que serão “adversários políticos, mas aliados por Salvador”. É exatamente isto que o eleitorado pretendeu, ao eleger um oposicionista aos governos federal e estadual sob uma Constituição republicana onde os negócios públicos devem ser tratados de modo republicano.

  • Arquivos