http://youtu.be/f4PAjjHHzrE
=================================================
“Bonita”, de Tom, na voz de Carol Saboya, com Antoni o Adolfo ao piano, em homenagem a Salvador neste final de domingo.

(Gilson Nogueira)


George McGovern em imagem da Reuters/DN

==========================================

DEU NO JORNAL PORTUGUÊS DIÁRIO DE NOTÍCIAS

George McGovern, ex-senador e ex-candidato presidencial pelo Partido Democrata, que perdeu em 1972 as presidenciais nos Estados Unidos para o republicano Richard Nixon, morreu esta madrugada de domingo(21), com 90 anos de idade.

Segundo informa a AFP, a família anunciou, num comunicado, que McGovern morreu numa casa de repouso em Sioux Falls, no estado de Dakota do Sul, rodeado pela sua família e amigos.

“O nosso pai chegou ao fim de uma longa e frutuosa vida, dedicada aos mais desfavorecidos e à defesa da paz”, dizia o comunicado. “Ele continuou a dar palestras, a escrever e a aconselhar até ao seu 90º aniversário”.

Segundo a AFP, o funeral será realizado em Sioux Falls, mas ainda não foi especificada a data, anunciou a família.

Além do seu trabalho como senador, McGovern ocupou também o posto de embaixador dos EUA na Agência das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, onde permaneceu até 2001, adiantou a AFP.

out
21
Posted on 21-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-10-2012


===============================
Domingo

Volume Dois DVD
Olympia – São Paulo 1998

Dá-lhe, garotos!!!

(VHS)

out
21
Posted on 21-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-10-2012

===============================================

Nelson Barros Neto

Folha de S.Paulo

“Vocês verão a volta triunfal do carlismo na Bahia. O carlismo é uma legenda que não se apaga, queiram ou não os cronistas políticos”, disse o senador Antonio Carlos Magalhães em 2006, um ano antes de morrer, após sofrer sua maior derrota: a perda de uma hegemonia de quase duas décadas no governo do Estado.

A mais concreta chance de retomada se dá agora, seis anos depois, com o herdeiro ACM Neto (DEM), que disputa com Nelson Pelegrino (PT) o segundo turno em Salvador.

Para o governador Jaques Wagner (PT), cuja vitória provocou o discurso de Magalhães, ainda não há uma figura capaz de “reaglutinar” essa corrente política na Bahia.

“Mas, se o neto ganhar, óbvio que vai se tornar uma liderança aqui”, afirma.

Apesar disso -e do discurso do avô-, ACM Neto diz não representar nem mesmo uma maneira “repaginada” ou mesmo “nova” do carlismo.

“Esses rótulos que a imprensa dá são todos inadequados. Todo mundo sabe do orgulho enorme que tenho do senador Antonio Carlos. Agora, não há que se falar em reedição do que quer que seja.”

Aos 33, ele vem adotando apenas o nome “Neto” em parte de suas peças publicitárias, trocou antigos aliados do DEM por rostos jovens do partido e acena para alianças como a com o PV, de sua vice, e com o PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que “todos sabiam que tinha diferenças públicas” com seu avô.

Rival na disputa, Pelegrino diz que a fuga do “carlismo” é pautada por pesquisas.

“Mas eu diria que ele corresponde ao que há de pior no grupo do avô, com opressão, mentiras e cooptação de pessoas”, afirma o petista.

Porém, ao mesmo tempo em que lembra que ex-carlistas como César Borges e Otto Alencar hoje são aliados do PT, ACM Neto passou a citar cada vez mais o avô “e seu amor incondicional pela Bahia”.

No maior evento da campanha até aqui, um comício em setembro com o senador Aécio Neves (PSDB-MG), se emocionou ao falar de ACM -a quem recorre ao prometer ampliar o Bolsa Família na cidade.

“O PT solta boatos na periferia de que vou acabar com o programa, mas a origem dele remete ao Fundo de Combate à Pobreza, de ACM”, diz.
Para o professor Paulo Fábio Dantas, da Universidade Federal da Bahia, ACM Neto tenta se equilibrar entre o ônus e o bônus dessa corrente.

“É ainda recente a memória social sobre o lado autocrático e oligárquico dessa tradição. Por outro lado, também se mantém a imagem carismática e de espécie de déspota eficaz do avô”, afirma.

O cientista político Joviniano Neto diz ser impossível uma desvinculação. “Parte da força dele vem da marca ACM.”

Pela última pesquisa Ibope ele tem 47% das intenções de votos ante 39% do petista.

out
21
Posted on 21-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 21-10-2012


=====================================
M. Aurélio, hoje, no jornal Zero Hora (RS)


Caetano e Gil:candidatos opostos em Salvador

========================================

DEU NO PORTAL DE A TARDE

Se Caetano Veloso declarou apoio a ACM Neto (DEM), Gilberto Gil fez o contraponto: já gravou e vai aparecer na propaganda eleitoral a partir deste domingo, 21, pedindo votos para Pelegrino (PT).

No comício de Dilma, Armandinho, o filho do pai do trio elétrico (Osmar, parceiro de Dodô), deu de presente à presidente uma guitarra branca. Foi a sequência da adesão do mundo artístico, iniciada semana passada com os forrozeiros.

Pelegrino faz esforços para segurar os votos que teve nos bairros populares e na classe média. O comício em Cajazeiras foi avaliado pelos petistas como ‘positivo’. Ou melhor, como dizem os próprios: Dilma venceu Carminha. Na outra ponta, Waldir Pires (PT) e Edvaldo Brito (PTB) reúnem no Fiesta, terça, 23, notáveis de Salvador buscando apoio.

Já ACM Neto atira noutro flanco. Gostou tanto do debate da Band que já soltou um comercial conclamando o povo a assistir os outros três (nas tevês Aratu, Itapuã e Bahia).

Neto entra na última semana em vantagem nas pesquisas. Se algo mudar, será nos próximos sete dias, a contar deste domingo.

(* Informações da coluna Tempo Presente. Leia mais na edição impressa do jornal A TARDE deste domingo)

==================================


Domingou
Torquato Neto

Da janela a cidade se ilumina
Como nunca jamais se iluminou
São três horas da tarde, é domingo
Na cidade, no Cristo Redentor – ê, ê
É domingo no trolley que passa – ê, ê
É domingo na moça e na praça – ê, ê
É domingo, ê, ê, domingou, meu amor

Hoje é dia de feira, é domingo
Quanto custa hoje em dia o feijão
São três horas da tarde, é domingo
Em Ipanema e no meu coração – ê, ê
É domingo no Vietnã – ê, ê
Na Austrália, em Itapoã – ê, ê
É domingo, ê, ê, domingou, meu amor

Quem tiver coração mais aflito
Quem quiser encontrar seu amor
Dê uma volta na praça do Lido
O-skindô, o-skindô, o-skindô-lelê

Quem quiser procurar residência
Quem está noivo e já pensa em casar
Pode olhar o jornal, paciência
Tra-lá-lá, tra-lá-lá, ê, ê

O jornal de manhã chega cedo
Mas não traz o que eu quero saber
As notícias que leio conheço
Já sabia antes mesmo de ler – ê, ê
Qual o filme que você quer ver – ê, ê
Que saudade, preciso esquecer – ê, ê
É domingo, ê, ê, domingou, meu amor

Olha a rua, meu bem, meu benzinho
Tanta gente que vai e que vem
São três horas da tarde, é domingo
Vamos dar um passeio também – ê, ê
O bondinho viaja tão lento – ê, ê
Olha o tempo passando, olha o tempo – ê, ê
É domingo, outra vez domingou, meu amor

Composição: Gilberto Gil e Torquato Neto

  • Arquivos