out
20


Dilma no palanque de Pelegrino em Cajazeiras

============================================

ARTIGO DA SEMANA

Salvador e Cajazeiras em Chamas

Vitor Hugo Soares

Terceira capital do País, que Jorge Amado em seus escritos sempre preferiu denominar de Cidade da Bahia – apelidada também de Roma Negra por muitos intelectuais – Salvador mantém histórica relação com o fogo. Uma identidade que atravessa séculos, mas alcança cultural, social e politicamente suas representações mais simbólicas na segunda metade do século XX.

Foi quando pegaram fogo (ou foram incendiados?) – as dúvidas e suspeitas jamais foram cabalmente esclarecidas – primeiro a lendária Feira de Água de Meninos e, anos depois, o original Mercado Modelo da Bahia, não menos famoso.

Pode parecer óbvio para muita gente, mas a simbologia dos incêndios é a que encontro de melhor para expressar o ambiente e o clima que se vê e se respira na capital baiana nestes últimos dias de campanha encarniçada do segundo turno eleitoral da disputa pela prefeitura da cidade tão querida e tão cantada durante séculos, mas praticamente desmontada e retalhada para atender apetites famélicos nos últimos anos de calamitosa administração e ausência do poder público.

Neste cenário, os deputados federais ACM Neto, do DEM, e Nelson Pelegrino, do PT, brigam pela vitória final casa a casa, voto a voto, em pleito dos mais renhidos, interessantes e emblemáticos em relação às projeções e análises para o futuro político e administrativo do País. Ao fundo de tudo, o fogaréu que se prevê para 2014, evidentemente.

Salvador sai da faixa sombria para transformar-se em cenário mais que especial, polêmico e atraente para qualquer observador ou analista, nestes dias de decisão. São Paulo à parte, obviamente. Mas, no embate pela prefeitura da maior capital da América Latina as favas parecem cada vez mais contadas e mais evidentemente favoráveis ao candidato petista Fernando Haddad (empurrado ladeira acima pelo ex-presidente Lula), que vai deixando “na poeira” o tucano José Serra, a cada nova pesquisa dos diversos institutos (tão atrapalhados ou incompetentes no primeiro turno). Na soterópolis, no entanto, nem com bola de cristal ou visita aos terreiros, é possível ainda antecipar um prognóstico de quem ficará com o Palácio Thomé de Souza depois de apurados os votos de 28 de outubro.

Esta sexta-feira,19, enquanto escrevia as linhas deste artigo semanal de opinião, a presidente Dilma Rousseff desembarcava na Cidade da Bahia em “viagem de palanque”. Veio para “dar uma mãozinha” na campanha de seu companheiro petista Nelson Pelegrino. Atendia ao pedido de socorro do próprio candidato e orientação de seu partido, mas principalmente de Lula e do “galego” Jaques Wagner (apelido do governador da Bahia recebido do ex-presidente e em invariavelmente usado nos comícios).

Uma informação que pode ser útil para quem acredita em pesquisas:minutos antes de Dilma desermbarcar em Salvador, saiu o resultado da primeira pesquisa Ibope/TV Bahia no primeiro turno. Pelos números, o democrata ACM Neto, com 47% das intenções de voto, larga na frente do petista Nelson Pelegrino, com 39% . Notícia de rebentar nervos no palanque das Cajazeiras.

“É a primeira presidenta do Brasil e a primeira vez que um presidente da República vai às Cajazeiras”, anuncia a propaganda do candidato governista no horário eleitoral do rádio e na televisão. Os carros de som do partido, de vereadores e políticos do PT e dos 15 partidos aliados que apóiam Pelegrino, também espalham a notícia “pelos bairros de classe média e da periferia” da capital.

O aviso e a convocação destacam o bairro popular soteropolitano onde Dilma deve pisar pela primeira vez (escrevo bem mais cedo), para participar no início da noite (19h), da manifestação petista. Com horário rigorosamente marcado para terminar às 20h. Ou seja, duas horas antes de começar o último e mais que esperado capítulo da novela Avenida Brasil, com a revelação de seus derradeiros segredos e o desfecho da trama que empolgou o País.

Na tarde de quinta-feira,18, a Justiça Eleitoral torpedeou a ideia dos petistas baianos de misturar o comício com a novela, através da instalação de telões em Cajazeiras, para transmitir Avenida Brasil e, assim, evitar concorrência que poderia implicar em desastrosa perda de público da retórica eleitoral no eventual confronto de audiência com a novela da Globo .

“Se pretende a coligação (de apoio a Pelegrino) transmitir a novela é porque evidencia que tal conduta tem fins eleitorais, usufruindo das imagens de artistas globais e do ibope da programação para beneficiar a sua campanha”, escreveu a juíza da 9ª Zona Eleitoral de Salvador, Ana Conceição Barbuda, ao deferir uma medida liminar a pedido da campanha do candidato do DEM, ACM Neto (candidato mais votado no primeiro turno), proibindo o “telão eleitoral” em Cajazeiras.

“Nunca falamos em exibir novela no comício em Cajazeiras”, disse ontem o governador Jaques Wagner, ao comentar a proibição do TRE baiano durante entrevista na Radio Metrópole. A grande atração do comício será mesmo a presidente Dilma, disse o governador ao “chamar gente” para “a recepção a Dilma em Cajazeiras”, cuidando bem da pronuncia do nome do imenso e problemático bairro popular, que virou referência estratégica nas batalhas eleitorais em Salvador.

Fácil entender a preocupação do governador. No rico folclore político baiano uma das melhores histórias tem Cajazeiras como cenário. O empresário e ex-deputado Pedro Irujo, candidato a prefeito, parecia com a eleição ganha, até o comício no bairro. Espanhol de carregado sotaque, Irujo saudou do palanque a praça cheia de homens e mulheres que o aplaudiam.

“Pofo das Cachaceiras’, disse o candidato, e não foi perdoado pelo eleitor “ofendido”. Começou aí a perder a eleição. Na hora em que escrevo estas linhas, não dá ainda para saber o resultado da passagem de Dilma e Pelegrino por Cajazeiras, que arde em chamas (simbolicamente, é claro) como nunca neste segundo turno. A Conferir.

Vitor Hugo Soares é jornalista. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br

Be Sociable, Share!

Comentários

rosa luiza on 20 outubro, 2012 at 10:41 #

já está complicado com 39% e vc ainda coloca 29% – o que está acontecendo, vh, vc também demonizou?


vitor on 20 outubro, 2012 at 11:04 #

Rosa Luiza:

Você tem razão e peço desculpas ( a voce e demais leitores) pelo erro, já corrigido no texto do BP. Talvez não seja o demônio o culpado, mas algum Exu brincalhão embaralhando a cabeça com tantas
pesquisas e tantos números.

Obrigado por chamar a atenção do autor do texto e editor do BP. Grande abraço

Vitor


Ricardo on 20 outubro, 2012 at 19:43 #

O nome do bairro é casca de banana. Que o diga quem falou ” cazajeiras”.


alda sacramento on 21 outubro, 2012 at 18:08 #

valeu em colocar corretamente o erro. ocorrido na pronuncia do bairro de cajazeiras assim fica explicito que se quer,eles teem noção das nossas necessidades ocorridas todos os dias aqui.O bairro é cajajeiras e não cachaceiras se liga povão.este erro não é só cometido aqui em cajazeiras valeu……….


alda sacramento on 21 outubro, 2012 at 18:14 #

oquei o bairro é cajazeiras .nossas dificuldades são muitas e requerem abilidosos consertos.devido nossas dificuldades diarias,no nosso vai e vem esperamos obter compreenção das devidas autoridades daqui para frente


alda sacramento on 21 outubro, 2012 at 18:31 #

peço desculpas a voce e aos demais leitores não estava presente e se quer ouvi falar do erro so li neste artigo nao é justo,é devido tantas pesquisas e boatos sem fundamentos


rosa luiza on 22 outubro, 2012 at 18:31 #

não conhecia o blog, fico muito ligada no nassif rsrsrs… mas adorei as notas, as músicas do meu bom tempo de juventudo. vc também é muito gentil em responder diretamente aos amigos chatos que encontram erros bobos, é claro. sei que não foi proposital. o demonizou foi brincadeira.


cravelo on 22 outubro, 2012 at 19:33 #

SOMBRA – o lado escuro da força em Salvador.

Depois da cruzada contra a prefeita Moema Gramacho, de Lauro de Freitas, a TUDO FM, notadamente os comunicadores Uziel e Evilásio, volta suas metralhadoras contra Nelson Pelegrino-PT. Todo e qualquer boato e fatos do cotidiano são transformados em munição contra o candidato do PT-Salvador. Se em Lauro de Freitas, o tempo irá revelar o atrás das sombras da cruzada anti-petistas – que nada terá de interesse público, em Salvador, essa cruzada continua com as mesmas “sombras”, porém acrescida da determinação de UZIEL: assumir o mandato de deputado pelo PTN do secretário municipal, João Bacelar (presidente do PTN). Explico para quem não acompanha a política: Uziel é o segundo suplente de Bacelar na Assembléia Legislativa. Luizinho Sobral, primeiro suplente que estava no lugar de Bacelar, foi eleito prefeito de Irecê. Por tabela, Uziel assume se Neto vencer a eleição.

PS. No primeiro turno, a Tudo FM optou por retransmitir a propaganda eleitoral de Lauro de Freitas. Assim, no segundo turno ficaria livre para transformar a emissora em palanque contra a PT, como vem fazendo. Liguem os pontos e a batida do tambor, terão assim, um perfil do caráter dessa manobra.

http://www.flickr.com/photos/joaocarlosbacelar/5411836226/ J.BACELAR E UZIEL


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos