================================================

DEU NO CORREIO

Alguns dos vereadores mais antigos vão perder seus mandatos depois de décadas na Câmara. Na renovação aparecem novos e veteranos nomes da política baiana

A população de Salvador deu uma forte demonstração de descontentamento com seus vereadores na votação deste domingo (7) e resolveu trocar mais da metade dos ocupantes da Câmara Municipal. Dos 43 vereadores, 19 foram reeleitos e 17 não conseguiram a reeleição, além de cinco que não tentaram a volta à Câmara. A renovação inclui nomes veteranos, como Waldir Pires e Edvaldo Brito, e nomes realmente novos na casa, como Hilton Coelho e Marco Prisco.

Entre os que não conseguiram a reelição estão alguns dos vereadores mais antigos em atividade, que já estavam há mais de duas décadas na casa, como atual presidende da Câmara, Pedro Godinho, do PMDB, que tentava seu sétimo mandato. Outros veteranos que vão deixar o cargo político em janeiro estão Gilberto José (PDT), que também ia ser vereador pela sétima vez, Sandoval Guimarães (PMDB), que tentava seu sexto mandato, e Batista Neves e Jorge Jambeiro (PP), que tentavam o quinto mandato. Paulo Magalhães Júnior (PSC), Alcindo da Anunciação (PT) e Téo Senna (PTC) tentavam o quarto mandato, mas também não foram eleitos.

Vereadores com carreira mais recente também não se reelegeram, caso de Léo Kret (PR), surpresa em 2008, mas que este ficou na primeira posição entre os não eleitos. Alguns destes vereadores, no entanto, a depender do Prefeito eleito e de indicações para secretarias ou outros cargos, podem assumir como suplentes. (veja abaixo lista dos vereadores que não conseguiram se reeleger)

Renovação Os novos nomes da casa superaram os 55% dos eleitos. Entre eles estão nomes que aparecem pela primeira vez na Câmara Municipal, como Hilton Coelho, do PSOL, segundo mais votado deste ano, com 16.408 votos, e Marco Prisco, líder da greve de policiais, do PSDB, que aparece como quarto vereador com 14.820 votos. Outros eleitos que renovam a Câmara são velhos nomes da política baiana, como o ex-Governador Waldir Pires, de 82 anos, eleito pelo PT com 13.801 votos, e o atual vice-prefeito Edvaldo Brito, eleito pelo PTB, com 11.966 votos. Todos os quatro aparecem na lista dos 10 mais votados na eleição deste domingo.

Entre os novos vereadores chamam a tenção que dois deles trabalhavam com o atual prefeito João Henrique. Leo Prates (DEM), eleito com 6.787 votos, era sub-chefe do gabinete do prefeito e é amigo pessoal do candidato a prefeito ACM Neto. Já Claudio Tinoco (DEM) presidiu de 2009 a 2012 a Empresa Salvador Turismo (Saltur), órgão oficial de turismo da capital baiana e responsável pela coordenação do Carnaval. O PV elegeu dois novos vereadores, Ana Rita Tavares e Marcell Moraes, ambos voltados para causas em defesa dos animais e do meio ambiente. (veja abaixo lista dos novos vereadores eleitos).

Os reeleitos – Pouco mais 44% dos vereadores atuais conseguiram se reeleger, foram 19 no total, alguns deles aparecem entre os mais votados nas eleições deste domingo. Caso de Carlos Muniz, do PTN, que chega agora a seu segundo mandato como o verador mais votado da capital baiana com 16.959 votos. A vereadora Tia Eron, do PTB, com 40 anos, chega a seu quarto mandato com 15.590 votos e terceiro lugar entre os mais votados. Entre os os dez com maior número de votos, também aparecem os atuais vereadores David Rios (PSD), 14.597 votos, Alan Castro (PTN), 13.477 votos, e Isnard Araújo (PR), com 13.055 votos. (veja abaixo lista dos vereadores que se reelegeram).

*Veja listas com a posição dos candidatos, número e porcentagem de votos nas Eleições 2012:

Os 24 novos vereadores

– Hilton Coelho PSOL
2 – 16.408 – 1,27%

– Soldado Prisco PSDB
4 – 14.820 – 1,15%

– Waldir Pires PT
6 – 13.801 – 1,07%

– Luiz Carlos PRB
7- 13.505 – 1,05%

– Edvaldo Brito PTB
10 – 11.966 – 0,93%

– Toinho Carolino PTN
11 – 11.314 – 0,88%

– Catia Rodrigues PMN
13 – 10.895 – 0,84%

– Ana Rita Tavares PV
14 – 10.039 – 0,78%

– Duda Sanches PSD
19 8.471 – 0,66%

– Suica PT
20 – 8.222 – 0,64%

– Marcell Moraes PV
22 – 7.973 – 0,62%

– Kiki Bispo PTN
24 – 7.617 – 0,59%

– Lessa PT
26 – 7.158 – 0,55%

– Euvaldo Jorge PP
27 – 6.850 – 0,53%

– Leo Prates DEM
28 – 6.787 – 0,53%

– Claudo Tinoco DEM
29 – 6.677 – 0,52%

– Dra Fabiola Mansur PSB
31 – 6.524 – 0,51%

– J. Carlos Filho PT
32 – 6.454 – 0,50%

– Trindade PSL
33 – 6.452 – 0,50%

– Tiago Correia PTN
37 – 5.413 – 0,42%

– Everaldo Augusto PC do B
40 – 4.481 – 0,35%

– Leandro Guerrilha PSL
41 – 4.376 – 0,34%

– Silvio Humberto PSB
42 – 4.123 – 0,32%

– Vado DEM
43 – 4.059 – 0,31%

19 Vereadores Reeleitos

– Carlos Muniz PTN
1 – 16.959 – 1,31%

– Tia Eron PRB
3 – 15.590 – 1,21%

– David Rios PSD
5 – 14.597 – 1,13%

– Alan Castro PTN
8 – 13.477 – 1,04%

– Isnard Araújo PR
9 – 13.055 – 1,01%

– Geraldo Júnior PTN
12 – 11.264 – 0,87%

– Orlando Palhinha PP
15 – 9.865 – 0,76%

– Heber Santana PSC
16 – 8.901 – 0,69%

– Paulo Câmara PSDB
17 – 8.733 – 0,68%

– Alberto Braga PSC
18 – 8.692 – 0,67%

– Pedrinho Pepê PMDB
21 – 8.076 – 0,63%

– Alfredo Mangueira PMDB
23 – 7.940 – 0,62%

– Joceval Rodrigues PPS
25 – 7.437 0,58%

– Gilmar Santiago PT
30 – 6.637 – 0,51%

– Odiosvaldo Vigas PDT
34 – 6.234 – 0,48%

– Moisés Rocha PT
35 – 5.915 – 0,46%

– Carballal PT
36 – 5.785 – 0,45%

– Aladilce Souza PC do B
38 – 5.007 – 0,39%

– Alemão PRP
39 – 4.551 – 0,35%

Os 17 vereadores que tentarem e não se reelegeram

– Leo Kret PR (tentava o segundo mandato)
44 – 7.495 – 0,58%

– Téo Senna PTC (tentava o quarto mandato)
45 – 7.179 – 0,56%

– Pedro Godinho PMDB (tentava o sétimo mandato)
46 – 6.671 – 0,52

– Paulo Magalhães Júnior PSC (tentava o quarto mandato)
48 – 5.991 – 0,46%

– Gilberto José PDT (tentava o sétimo mandado)
49 – 5.895 – 0,46%

– Sabá PRB (tentava o segundo mandato)
50 – 5.798 – 0,45%

– Sandoval Guimarães PMDB (tentava o sexto mandato)
51 – 5.689 – 0,44%

– Vânia Galvão PT (tentava o segundo mandato)
52 – 5.682 – 0,44%

– Alcindo da Anunciação PT (tentava quarto mandato)
53 – 5.657 – 0,44%

– Laudelino Lau PP (tentava o terceiro mandato)
56 – 5.549 – 0,43%

– Marta Rodrigues PT (tentava o segundo mandato)
59 – 5.048 – 0,39%

– Dr. Giovanni Barreto PT (tentava o terceiro mandato)
62 – 4.707 – 0,36%

– Dr. Pitangueira PSD (tentava o segundo mandato)
63 – 4.504 – 0,35%

– Edson da União PSD (tentava o segundo mandato)
65 – 4.312 – 0,33%

– Jorge Jambeiro PP (tentava o quinto mandato)
85 – 3.256 – 0,25%

– Batista Neves PMDB (tentava po quinto mandato)
86 – 3.225 – 0,25%

– TC Mustafa PT do B (tentava o segundo mandato)
88 – 3.135 – 0,24%

Os cinco vereadores que não tentaram se reeleger

– Adriano Meireles (PR)
Candidato a vice em Cairu (eleito)

– Olívia Santana PC do B
Candidata a vice de Pelegrino em Salvador (segundo turno)

– Andréa Mendonça PV

– Everaldo Bispo PMDB

– Pastor Luciano PMN

( Publicado originalmente no portal iBahia )


Fred:”(Só o morto é único)”.

==============================================

Por: Claudio Leal

Fred de Souza Castro

Meses atrás, depois de um longo depoimento gravado, o amigo Fred de Souza Castro, poeta com alma de poeta (o que costuma ser raro), entregou-me um livro de inéditos. Pensou em chamá-lo de “A loucura adiada”, mas, ao que parece, adiou a loucura e o projeto. O título provisório é “Kitanda de bem dizer”. Fred lamentava a dificuldade para editá-lo na Bahia. Entre esses inéditos, pincei um poema, o qual publico em tributo de um dos principais intelectuais baianos. Sem a licença prévia do pintor Ângelo Roberto, digo que também é uma homenagem dele, seu grande irmão e pastor de noites comuns.

O MORTO

Ali segue o morto,
em seu caixão trabalhado,
como uma moeda no cofre.

Já não sofre;
a morte o iguala
às coisas inertes:
cristais,
metais,
o som do espaço.

Seu tempo flui
como areia fina
em ampulheta.

O morto é um anjo;
sequer um homem.
(Um anjo entornado
em seu caixão trabalhado).

Agora é a hora dos adeuses:
um demorado desfilar de olhares
sobre o vazio do lado.

Como carta lacrada
encerram o morto;
meninos e meninas retornam ao lúdico,
iguais em tudo.
(Só o morto é único).

“Aroeira”:Raridade lançada em 1967,? no compacto simples Odeon 7B-213-A, que tinha no verso o frevo “João e Maria”, de Vandré em parceria com Hílton Accioli. As duas músicas também apareceram no LP “Canto geral” (MOFB-3514), de 1968″. (You Tube).
============================================

BOA SEGUNDA-FEIRA DEPOIS DA RESSACA ELEITORAL DE ONTEM(7)

E OLHO VIVO, QUE 28 DE OUTUBRO TEM MAIS!!!

(VHS

================================================

O presidente venezuelano Hugo Chavez convidou os que «constantamente negam as coisas boas realizadas na Venuezuela» ao «diálogo, debate e ao trabalho conjunto pela Venezuela bolivariana».

No seu discurso de vitória após vencer as presidenciais venezuelanas de domingo, Hugo Chavez felicitou a oposição por «reconhecer a verdade e a vitória do povo».

Perante centenas de simpatizantes na varanda do palácio presidencial de Miraflores, Chavez considerou ainda que esta atitude é um «passo muito importante na construção da paz na Venezuela».

O presidente reeleito destacou ainda a «altíssima participação de mais de 80 por cento» neste ato eleitoral e endereçou uma «palavra de reconhecimento a todos os que votaram contra nós».

«Um reconhecimento especial pela sua participação, pela sua demonstração cívica que deram apesar de não estarem de acordo com a proposta bolivariana», concluiu.

(Com informações do portal europeu TSF)


Luizinho festeja vitória em Irecê
===========================================

deu no iBahia

Da Redação –

O deputado estadual Luizinho Sobral (PTN) foi eleito o novo prefeito do munícipio de Irecê, a 473 quilômetros de Salvador. Luizinho obteve 16.738 votos (51,17%), enquanto o candidato Zé das Virgens (PT) conseguiu 15.975 (48,83%) votos. Momentos antes da divulgação do resultado oficial, os admiradores de Luizinho já tomavam as ruas de Irecê em comemorações.

out
08
Posted on 08-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-10-2012


==============================================
Bruno Aziz, hoje,no jornal A Tarde

out
08
Posted on 08-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 08-10-2012

DEU NA FOLHA

O candidato de oposição, Henrique Capriles, admitiu neste domingo sua derrota nas eleições presidenciais da Venezuela. Ele ressaltou sua votação, dizendo que os mais de 6 milhões de votos iniciaram a “construção de um caminho” alternativo ao governo. O oposicionista também reforçou que vai respeitar os resultados oficiais e rejeitou a ação de “setores radicais”.

“Tenho 40 anos de idade, faço parte de uma nova liderança desse país. Esse país tem mais futuro que passado”, discursou o candidato derrotado, Henrique Capriles, que com a campanha presidencial se consolida como novo nome da antichavismo.

“Quero agradecer profundamente aos mais de seis milhões de venezuelanos que me deram sua confiança. São seis milhões de venezuelanos que, a essa hora, provavelmente, sentem tristeza”, disse, em um discurso na sede de campanha, em Caracas.

“Peço aos que hoje estão no poder respeito, reconhecimento aos quase 50% do país que não estão de acordo com esse projeto”, continuou o ex-governador do Estado de Miranda,que, ao lado da diversa coalizão opositora MUD (Mesa da Unidade), prepara-se agora para a próxima disputa eleitoral: as eleições para governadores em dezembro.

“Que nosso povo não se sinta perdedor. Quem foi derrrotado fui eu. Esses mais de 6 milhões abriram um caminho”, seguiu Capriles, vestido com abrigo esportivo com as cores do país, e no mesmo tom de crítica moderada que disciplinadamente seguiu na campanha.

Leia mais sobre o assunto na Folha


Prisco: pedra tucana no sapato do governador Wagner
============================================

DEU NO CORREIO

Da Redação

Com 100% das urnas apuradas, o candidato Carlos Muniz (PTN) conquistou o maior número de votos para vereadores de Salvador. Ele recebeu 16.959 votos, o que representa 1,31% dos válidos. Hilton Coelho (PSOL) aparece em segundo lugar com 16.408 votos – 1,27%.

Tia Eron (PRB) conseguiu 15.590 votos (1,21%), e Soldado Prisco (PSDB) obteve 14.820 (1,15%). Dr. David Rios (PSD), Waldir Pires (PT), Luiz Carlos (PRB), Alan Castro (PTN), Isnard Araujo (PR), e o atual vice-prefeito Edvaldo Brito (PTB) completam a lista do dez mais votados.

Os votos brancos somaram 6,55%, e nulos 7,81. A abstenção ficou em 19,93%.

Em Salvador, 43 vereadores serão nomeados, mas para eleger um membro da câmara municipal é preciso que, além do político, a legenda do seu partido também receba um número significativo de votos.

É necessário avaliar quantos votos cada partido ou coligação recebeu. A partir daí os votos de todos os candidatos que disputam por um partido serão somados aos votos que a legenda recebeu, fazendo com que o sistema eleitoral utilizado nas eleições para Câmara dos Vereadores seja proporcional.

Veja a lista dos 43 candidatos mais votados:

Carlos Muniz (PTN): 1,31%

Hilton Coelho (PSOL): 1,27%

Tia Eron (PRB): 1,21%

Soldado Prisco (PSDB): 1,15%

Dr. David Rios (PSD): 1,13%

Waldir Pires (PT): 1,07%

Luiz Carlos (PRB): 1,05%

Alan Castro (PTN): 1,04%

Isnard Araujo (PR): 1,01%

Edvaldo Brito (PTB): 0,93%

Toinho Carolino (PTN): 0,88%

Geraldo Junior (PTN): 0,87%

Catia Rodrigues (PMN): 0,84%

Ana Rita Tavares (PV): 0,78%

Palhinha (PP): 0,76%

Heber Santana (PSC): 0,69%

Paulo Câmara (PSDB): 0,68%

Alberto Braga (PSC): 0,67%

Duda Sanches (PSD): 0,66%

Suica (PT): 0,64%

Pepê (PMDB): 0,63%

Marcell Moares (PV): 0,62%

Mangueira (PMDB): 0,62%

Kiki Bispo (PTN): 0,59%

Leo Kret do Brasil (PR): 0,58%

Joceval Rodrigues (PPS): 0,58%

Téo Senna (PTC): 0,56%

Lessa (PT): 0,55%

Euvaldo Jorge (PP): 0,53%

Leo Prates (DEM): 0,53%

Claudio Tinoco (DEM): 0,52%

Pedro Godinho (PMDB): 0,52%

Gilmar Santiago (PT): 0,51%

Dra. Fabio Mansur (PSB): 0,51%

J. Carlos Filho (PT): 0,50%

Trindade (PSL): 0,50%

Odiosvaldo Vigas (PDT): 0,48%

Bassuma (PMDB): 0,47%

Paulo Magalhães (PSC): 0,46%

Moises Rocha (PT): 0,46%

Gilberto José (PDT): 0,46%

Sabá (PRB): 0,45%

Carballal (PT): 0,45%

==================================================
OPINIÃO POLÍTICA

O Segundo Turno

Ivan de Carvalho

Formando com o prefeito paulistano Gilberto Kassab a dupla dos principais cofundadores do PSD, o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos – referindo-se ao segundo turno das renhidas eleições na capital do seu estado, mas deixando nas entrelinhas que o mesmo vale também para outros lugares do país – disse ontem à noite que a campanha “vai ser politizada”.

O segundo turno em São Paulo será disputado entre José Serra, do PSDB e Fernando Haddad, do PT, que se classificaram para o segundo turno com uma diferença de pouco menos de três por cento dos votos válidos de frente para o tucano. Afif, que apoia Serra, deixou claro que a politização da campanha se fará predominantemente em cima do Mensalão, cujo processo está sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal “nesta semana”.

Há várias semanas esse processo está sendo julgado, mas a semana que passou foi dedicada ao julgamento que envolve o núcleo de lideranças do PT arrolados como réus e que, na semana passada, receberam sentenças condenatórias de três dos quatro ministros que votaram. Esta semana devem ser colhidos os votos dos outros seis ministros da corte suprema, que, se não houver uma mudança radical da tendência que o tribunal vem adotando desde o começo do julgamento, deverão determinar a condenação de José Dirceu (ex-ministro-chefe da Casa Civil no período do Mensalão no primeiro governo Lula e ainda o mais influente líder petista depois de Lula, José Genoino, ex-presidente nacional do PT e Delúbio Soares, ex-tesoureiro, na mesma época).

Certamente o amargo cálice de fel que Afif está prometendo ao PT na campanha paulistana tende a ser oferecido ao mesmo partido onde quer que esteja disputando o segundo turno para prefeitos de capitais e outras das maiores cidades do país. Não há perspectiva de que em Salvador a campanha de ACM Neto vá poupar a campanha do petista Pelegrino desse tema tão desagradável ao PT e tão intragável a um grande número de eleitores.

Um sinal da provável politização da campanha de Neto foram as declarações duras feitas por ele, assinalando que enfrentou condições muito desiguais no primeiro turno, com um terço do tempo de propaganda do que teve Pelegrino “e, nos debates, o jogo combinado” de adversários seus, “mas no segundo turno vou desmascarar o candidato oficial do governo”. ACM Neto não fez, ontem, qualquer referência ao julgamento do Mensalão, mas é inevitável que este não seja um dos assuntos importantes que porá no debate político, entre outros”.

Duas coisas marcaram fortemente o final da campanha e a eleição em Salvador. No final da campanha, a pesquisa do Ibope divulgada no sábado à noite conferiu uma vantagem de cinco pontos percentuais (34 a 29) a Pelegrino, sobre ACM Neto. Dias antes, já colocara Pelegrino com uma vantagem de três pontos percentuais sobre o democrata ACM Neto (34 contra 31 por cento). O instituto Babesp, vinculado ao governista presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, em sua pesquisa divulgada na sexta-feira, chegou muito mais perto do resultado do que o grandalhão e supostamente bisonho Ibope, pois deu 30,8 a Pelegrino e 29,1 a ACM Neto.

Mas espetacular mesmo foi a incompetência desse extremamente experiente instituto de pesquisas de opinião pública e especialmente eleitorais ou – a outra hipótese – a decidida atitude de uma parte importante dos eleitores de Salvador de esconderem dos pesquisadores do Ibope como eles haviam acabado de votar. A pesquisa de boca de urna do Ibope deu uma vantagem de sete pontos percentuais ao candidato do PT sobre o democrata (43 a 36 por cento).

Parece que os eleitores mentiram feio ao Ibope. Pois na eleição, puseram o democrata ACM Neto em primeiro lugar. Apertadíssimo, admita-se, mas primeiro.

Hoje a saudade de Pernambuco pegou na veia.

Viva Recife!!!

Boa Noite!

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos