DEU NO CORREIO

Da Redação

A Skol cancelou o patrocínio do evento em que os músicos da banda New Hit farão o primeiro show após serem liberados da prisão. A marca informou, por meio de nota para a imprensa, que “em respeito aos seus consumidores está suspendendo o patrocínio até que a questão envolvendo uma das atrações seja esclarecida”.

Enquanto os fãs comemoraram o retorno da banda, diversos usuários das redes sociais compartilharam comentários de indignação com o retorno do grupo.

Nove integrantes da banda foram indiciados pelo Ministério Público (MP/BA) por estupro qualificado com características de crime hediondo e vão responder em liberdade.

Confira nota da Skol na íntegra:

“Sempre antenada em estar próxima de seu público, a Skol é parceira de diferentes eventos com objetivo de oferecer aos fãs da marca ocasiões que proporcionam diversão e alegria. Em relação ao “Festival de Pagode Salvador”, produzido pela “Salvador Produções”, a marca comunica que, em respeito aos seus consumidores, está suspendendo o patrocínio até que a questão envolvendo uma das atrações seja esclarecida”.

Retorno do New Hit

O grupo aparece escalado para o Festival de Pagode Salvador, no Wet’n Wild, no dia 21 de outubro. A produção do evento anuncia o show como “o grande retorno da New Hit” e promete que os “fãs vão enlouquecer”. O vocalista da banda, Eduardo Martins, o Dudu, já havia confirmado que o grupo iria continuar tocando. “A banda vai vir com força total. As fãs nos deram força e vamos ter que retribuir”, disse ao Correio24horas, prometendo “muita música para a galera”.

Além da New Hit, se apresentam no evento as bandas Raghatoni, EdCity, Blackstyle, A Bronkka, Fantasmão e Os Sungas. A camisa para o evento custa R$ 25.

DEU NO PORTAL METRO1

O presidente da Assembleia Legislativa (AL-BA), deputado Marcelo Nilo (PDT)), divulgou por meio do Twitter, nesta sexta-feira (5), uma pesquisa de intenções de votos dos candidatos à prefeitura de Salvador. Segundo a aferição, Nelson Pelegrino (PT) lidera com 30,8%, seguido de perto por ACM Neto (DEM), com 29,1%. Em terceiro aparece Mário Kertész (PMDB), com 7,6% da preferência. Márcio Marinho (PRB) detém 4,2%, Hamilton Assis (PSol) 1,7% e Rogério Tadeu da Luz (PRTB) 0,9%.

Como a margem de erro é de 3,1%, os candidatos petista e democrata estão tecnicamente empatados, indicando a realização de segundo turno.

Ainda de acordo com ao Instituto Babesp, que pertence ao presidente da AL-BA, 8,8% dos eleitores soteropolitanos pretendem votar nulo e 16,9% ainda não sabem em quem irá votar.

A consulta foi feita entre os dias 3 e 4 de outubro e está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) sob o protocolo BA-00379/2012.

============================================

DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

Marina Dias

Quando desceu de seu último palanque antes do primeiro turno das eleições em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva respondeu a uma pergunta, em vídeo, da reportagem de Terra Magazine. Questionado sobre o cenário para domingo (7) e as chances na disputa do candidato petista Fernando Haddad, Lula foi otimista. “Vai dar segundo turno com Haddad em São Paulo”.

De acordo com a última pesquisa Datafolha, Haddad tem 19% das intenções de voto. Em primeiro lugar, empatados tecnicamente, estão Celso Russomanno (PRB), com 25%, e José Serra (PSDB), com 23%.

O ex-presidente participou, nesta sexta-feira (5), de um ato de campanha em apoio a Haddad na Praça da Sé, região central da capital paulista. De acordo com a lei eleitoral, os candidatos não podem fazer discurso ou pedir votos a dois dias da eleição, e, por isso, o microfone foi aberto apenas a Lula, que falou por menos de cinco minutos.

“A gente não pode, nesses últimos dias, aceitar nenhuma provocação. A gente tem que estar de cara alegre”, afirmou o presidente à militância. Lula admitiu ainda que essa é uma das disputas mais “delicadas e emboladas” que ele já viu em São Paulo.

Dirigentes da campanha de Haddad apostam em um eventual segundo turno entre o petista e o tucano, já que os últimos dias mostraram uma “desidratação” de Russomanno. No Datafolha, o candidato do PRB caiu cinco pontos percentuais em uma semana.

Antes da chegada à Sé, vereadores, deputados e centenas de militantes petistas saíram em caminhada, junto com Haddad, da Praça da República em direção à Sé, onde estava montado o palanque, bem em frente à Catedral. Lula chegou de carro apenas para fazer o discurso rápido e cumprimentar os eleitores.

DEU NO YOU TUBE

4/10/2011

TRIBUTO AO GENIAL BATATINHA ,SAMBISTA BAIANO. CHICO BUARQUE MARCOU PRESENÇA NA VOZ E ACOMPANHAMENTO DE VIOLÃO SOLO : FERNANDO BURGOS,VIOLÃO:JAILSON COELHO, VIOLÃO 7 CORDAS: EDSON SETE CORDAS, PANDEIRO: CACAU, BANDOLIN E CAVAQUINHO: AILTON REINER, SURDO,BORDA E PANDEIRO:LAN LAN, NOS BRINDOU

====================================

TUDO DE BOM PARA A SEXTA-FEIRA, OU QUALQUER DIA DE QUALQUER ANO. CONFIRA.

(VHS)

out
05

A Venezuela é um país de contrastes sociais e políticos aos quais as sondagens sobre as eleições presidenciais de domingo não escapam, revelando tendências contraditórias, com conclusões para todos os gostos.

Esses contrastes e contradições estão a ser usados pelos dois principais candidatos às presidenciais – Hugo Chávez, que busca a reeleição, e Henrique Capriles Radonski, o candidato da oposição – como argumentos para motivar os eleitores.

Por um lado, alimentam uma forte confiança dos simpatizantes de Hugo Chávez numa “vitória arrasadora”, mas também apoiam um otimismo exacerbado nos oposicionistas.

Esta situação deixa antever que as eleições poderão ser mais renhidas do que os números refletem, principalmente se tivermos em conta que os analistas coincidem que o número de indecisos é superior à brecha entre os dois principais candidatos, podendo ser eles quem definam o futuro.

Entre as sondagens divulgadas recentemente por empresas prestigiadas destacam-se a da Datanálisis que aponta para 47,3 por cento de intenções de voto favoráveis a Hugo Chávez contra 37,2 por cento para Capriles Radonski.

A empresa Varianzas admite um empate técnico com as intenções de voto em Hugo Chávez em rondarem os 49,7 por cento, contra 47,7 por cento para Capriles Radonski

(Informações do jornal português Diário de Notícias)

out
05
Posted on 05-10-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 05-10-2012


===========================================
Amarildo, hoje, na Gazeta On Line(ES)

===============================================

OPINIÃO POLÍTICA

DNA, Mensalão e segundo turno

Ivan de Carvalho

Somente para que não passe em branco: na quarta-feira, alguns políticos apontavam em um aparente ou presumido ganho de agressividade da campanha de ACM Neto um sintoma de que a candidatura do democrata estaria enfrentando grande dificuldade. Ontem, a propaganda oficial do candidato do PT a prefeito, deputado Nelson Pelegrino, em inserções na televisão já ao anoitecer, chamava o candidato democrata e seu principal adversário de “grampinho”.

Assim, aquele parâmetro com que se pretendia, na véspera, medir as dificuldades da campanha de ACM Neto ficou prejudicado. A julgar por tal parâmetro, o da agressividade, a campanha do petista nada lhe ficou a dever. A não ser que se queira aplicar nisso a frase bíblica do Antigo Testamento na qual o Senhor diz ser Deus zeloso, que pune os erros dos pais nos filhos, “na terceira e na quarta gerações”, não há como buscar seriedade na tentativa de transferir o DNA do conhecido episódio dos grampos baianos de avô para neto – ou Neto. Se DNA fosse vírus e pudesse ser transferido com tanta facilidade, logo se chegaria a epidemias impensáveis, como nunca antes neste país.

Isto posto, muda-se de assunto, para que também não passe em branco neste espaço, em dia tão eletrizante. No momento em que estas linhas estavam sendo escritas, o revisor do processo do Mensalão (Ação Penal 470) no Supremo Tribunal Federal havia votado pela absolvição dos importantes réus José Genoíno, presidente do PT na época em que estava em operação o esquema do Mensalão e José Dirceu, ministro-chefe da Casa Civil do governo Lula, na mesma época.

Mas apesar do generoso entendimento do revisor, a coisa estava braba para o chamado “núcleo político” ativo do esquema. O relator Joaquim Barbosa, em seu voto, já condenara Dirceu, Genuíno e o ex-tesoureiro da executiva nacional do PT, Delúbio Soares, entre outros réus em julgamento ontem. A ministra Rosa Weber também já condenara Dirceu, Genoíno, Delúbio, Marcos Valério e mais quatro pessoas ligadas a ele. E o ministro Luiz Fux seguiu na mesma linha, condenando Dirceu, Genoíno, Delúbio e outros.

Note-se que, dos quatro ministros do STF citados, três foram escolhidos e nomeados pelo ex-presidente Lula e um (Fux) pela presidente Dilma Rousseff. Dos quatro, só o revisor Lewandowski, como já era esperado, absolveu os dois réus politicamente mais importantes, Dirceu e Genoíno. Pelo andar da carruagem, às vésperas da eleição, o STF não se afasta da linha dura adotada desde o começo do julgamento e este poderá, sim, ter sérias repercussões nas eleições de domingo e, mais do que agora, no segundo turno, onde houver.

Muda-se mais uma vez de assunto, mas sem abandonar o segundo turno. Em Salvador, as primeiras providências para a segunda etapa das eleições – que ontem voltou a ser considerada uma certeza – estão em pleno curso. Sabe-se que o candidato do PRB, bispo Márcio Marinho, é apoio certo para o candidato Pelegrino, do PT.

Já declarações políticas extremamente enfáticas do principal líder do PMDB da Bahia, Geddel Vieira Lima, sobre o ex-senador Antônio Carlos Magalhães, as eleições em Salvador e a posição de seu partido no segundo turno induzem fortemente à conclusão de que o PMDB (cujo presidente estadual é seu irmão, o deputado Lúcio Vieira Lima) vai apoiar ACM Neto no segundo turno (claro, se o ex-prefeito Mário Kertész, não for classificado para essa fase do pleito). A campanha de Kertész na mídia eletrônica melhorou muito na fase final e a candidatura experimentou crescimento. Vale muito registrar: ontem, ele agradeceu a sua equipe de campanha, reconheceu as dificuldades (para chegar ao segundo turno), mas não jogou a toalha, fez um “agradecimento especial” aos irmãos Geddel e Lúcio Vieira Lima e garantiu que, ao contrário do que muito se tem especulado, não haverá rompimento político dele com os dois. Quanto ao mais, dirá o futuro imediato.

  • Arquivos