=============================================

———————————————————————–

O sítio do tatu-bola amarelo

Janio Ferreira Soares

Só para irritar os politicamente corretos, resumirei o que ouço dos caboclos do Raso da Catarina sobre o tatu-bola, mascote da Copa 2014. “Muitos o preferem assado. Outros, cozido, com farinha e pimenta. Cachaça e cerveja harmonizam bem com as duas opções. Diferente do peba, seu primo do rabo mole que tem a fama de comer defunto, seu sabor não tem o estranho gosto de terra. Dica nº 1: se por acaso aparecer um fiscal do Ibama durante a farra, convide-o a provar da iguaria e diga-lhe que é guiné, pois esse pessoal da cidade só o conhece de fotos.

Dica nº 2: caso ele desconfie de algo, conte-lhe aquela história do fiscal que foi investigar um caçador com fama de matar animais em extinção e puxou assunto. “O senhor mata muito bicho?” “Um pouquinho!” “Já matou alguma onça?” “Só umas três. Ô menino, traz aí as cabeças das bichas pro homem ver.” E aí ele foi citando vários animais e o caçador sempre lhe mostrando suas cabeças. Foi quando ele arriscou: “e fiscal do Ibama, já apareceu algum por aqui?” “Ôxi!, ô menino, traga aí as cabeças daqueles dois que tiveram aqui mês passado.”

Antes que alguma ONG me condene a 50 chibatadas de cipó-de-boi, repito que tudo não passa de uma provocação a essa turma que deveria era estar protestando contra esses ridículos apelidos sugeridos para o tatu-bola e não acusando Monteiro Lobato de racista.

Aliás, desconfio de uma orquestrada conspiração que, não satisfeita em nos encher com informações sobre a vida de Rafaella Justus e demais “celebridades” nos sites (a propósito, o que leva um casal a expor sua filha de três anos para que o mundo saiba o que ela fez no verão passado?), agora quer até censurar clássicos infantis.

Pior para “Rafinha”, coitada, que corre o risco de nunca conhecer a turma do Sítio do Pica-Pau Amarelo. Em compensação, em breve ela estará no Face com o cabelo à la Neymar, abraçada com um tatu de pelúcia de nome, acredite, Fuleco, Zuzeco ou Amijubi.

Yuri, ex-BBB, até por uma questão de jurisprudência fonética, vai curtir. Eu, vou de Dramin.

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura, Turismo e Esportes de Paulo Afonso, na margem baiana do Rio São Francisco e na porta de entreda do Raso da Catarina, um santuário do tatu-bola desde o tempo em que Virgulino Lampião e seus cangaceiros se escondiam por lá quando perseguidos pelas volantes da polícia.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2012
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     12
    3456789
    10111213141516
    17181920212223
    24252627282930