DEU NO PORTAL R7

Um escrivão da Polícia Federal, Fernando Scuri Lima, foi encontrado morto, em sua própria casa, no Jardim Botânico, região administrativa do DF, na tarde desta quinta-feira (19). Ao lado do corpo, havia uma poça de sangue. Segundo laudo preliminar da Polícia Civil, ele se matou. A arma do policial foi encontrada ao lado do corpo. A mulher do agente, Soraia Pereira Pessoa, foi quem encontrou o marido morto e entrou em contato com o Corpo de Bombeiros.

Lima tinha 35 anos e, segundo a Polícia Federal, era um escrivão móvel (que atuava em vários casos). Por isso, provavelmente teria atuado nas investigações da Operação Monte Carlo, em que o bicheiro Carlinho Cachoeira foi preso.

Segundo o delegado Érito Cunha, Soraia contou que o marido estava depressivo e estava tomando remédios controlados. Mais cedo, ele teria ido ao enterro do colega da PF Wilton Tapajós.

O caso acontece dois dias depois do assassinato do policial federal Wilton Tatajós, de 53 anos, que foi baleado enquanto visitava um túmulo no cemitério Campo da Saudade, na Asa sul, em Brasília.

Tapajós atuou nas investigações de casos de pedofilia, no combate ao tráfico de drogas e nas escutas telefônicas da Operação Monte Carlo, que resultou na prisão e na criação da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do contraventor Carlinhos Cachoeira. Por esta razão a principal linha de investigação da polícia no momento é execução e queima de arquivo.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos