DEU NO JORNAL DO BRASIL (ONLINE)

Ao participar da cerimônia de batismo da Plataforma P-59 em Maragojipe, na Bahia, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira que não recorrerá a medidas de austeridade no combate à crise econômica, como fazem alguns países da Europa. A presidente afirmou ainda que vai transformar a crise econômica internacional em oportunidade para o Brasil melhorar as condições de produção.

“Nós progressivamente iremos transformar a crise em uma oportunidade para cada vez mais melhorar as condições do nosso país de produzir, crescer, aumentar sua renda e distribuir (…) O meu governo, eu posso assegurar a vocês, está atento para garantir que o nosso país, diante desta situação internacional, tenha um desempenho o melhor possível e saia dessa crise aproveitando oportunidades que sempre uma crise traz”, afirmou a presidente.

>> Informe JB: Estranhas coincidências da Petrobras

Dilma afirmou que o governo está removendo entraves ao crescimento econômico sustentável do país ao reduzir as taxas de juros e os impostos. Segundo ela, o governo também trabalha para diminuir os custos da produção.

“Nós queremos de forma sistemática diminuir os custos no Brasil, não da forma como eles estão fazendo lá fora, que é reduzir o salário e os ganhos sociais que os trabalhadores conquistaram ao longo de toda uma história e uma vida de lutas. Nós queremos reduzir os nossos custos baseado na redução dos impostos e na capacitação cada vez maior da nossa força trabalho. O nosso caminho não é o caminho de tirar direito dos trabalhadores. O nosso caminho é outro”, disse.

A presidente disse que o Brasil, ao contrário de alguns países europeus, buscará que os bônus, as vantagens e os lucros do desenvolvimento sejam distribuídos à população. Segundo Dilma, o governo fará concessões em várias áreas para assegurar uma taxa crescente de investimento e de geração de emprego.


DEU EM A TARDE (ONLINE)

Da Redação, com informações de Luana Almeida

Os professores estaduais decidiram, nesta sexta-feira (13), em assembleia, manter a greve que já dura 94 dias. Essa posição era prevista já que nesta quinta a categoria demonstrou insatisfação com a proposta que o governo apresentou na negociação intermediada pelo Ministério Público (MP).

De acordo com o presidente da APLB (sindicato da categoria), Rui Oliveira, os docentes da capital e interior vão se reunir na próxima segunda (16) para preparar uma contraproposta. O sindicalista disse que ainda não saber o teor do documento, que será entregue no MP na quarta (18) após assembleia dos professores.

Até lá, os mais um milhão de estudantes da rede estadual continuam sem aula. Apenas os alunos do 3º ano do ensino médio voltaram às salas de aula desde o dia 25 de junho.

DEU NA UOL

A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, afirmou que a estatal irá se reunir mais uma vez com sindicalistas, em 17 de julho, para conversar sobre a proposta para o PLR (Participação nos Lucros e Resultados) de 2011.

Nesta sexta-feira, os funcionários iniciaram assembleias para decidir se haverá greve a partir do dia 20 de julho se não receberem nova proposta.

“A gente nunca tem um último dia de conversa com o trabalhador, jamais. Com o trabalhador a gente sempre tem mais uma conversa”, disse Graça Foster, durante entrevista após cerimônia de batismo da plataforma P-59, em Maragojipe, na Bahia. “O que a gente busca sempre é um entendimento entre as partes.”

Os trabalhadores questionam a atual proposta de PLR, que reduz em 7,8% o montante que será distribuído aos funcionários da estatal em comparação ao valor referente a 2010.

O principal argumento levantado pela FUP (Federação Única dos Petroleiros) é que há uma expansão de 2,3% no montante a ser distribuído entre os acionistas, referentes ao mesmo período.

Graça Foster, no entanto, não disse se haverá a apresentação de uma nova proposta.

Segundo a presidente, atualmente o diretor responsável pelas negociações com os trabalhadores é José Eduardo Dutra, diretor corporativo e de serviços.

jul
13

Salve Raultito e todos o roqueiro do Brasil e do mundo.Vai dedidado especialmente a Pablo, o sobrinho querido que mora em Belmont, na área da Baia de San Francisco, Califórnia, e ama o Rock como ninguém.

BOA TARDE!!!

(Vitor Hugo Soares)


Caetano:”carão” no público desatento ao Neojibá

======================================

De uma obsrvadora atenta, amiga do Bahia em Pauta, presente ontem(12) à noite, do show de Caetano
Veloso e da orquestra Neojibá, na festa de pré-inauguração para convidados do Shopping Bela Vista, no bairro do Cabula, Salvador:

1- “Depois da terceira música, Caetano Veloso reclamou: Disse que o local projetava os ruídos, mas isso porque as pessoas não paravam de falar. ‘O local reverbera o som, mas com educação se resolve’, afirmou. ‘Vocês estão falando muito e quase não ouviram a Neojibá, uma das grandes novidades que temos na Bahia.

Após o carão, Caetano seguiu em frente e cantou várias de suas belas canções, o público acompanhou, tudo terminou bem, harmonia total com os fãs que lotaram todos os espaços do novo empreendimento e assistiram, de pé, ao show”.
============================
2 – Vale acrescentar, a bem da verdade dos fatos, que dois dos maiores responsáveis pela algazarra da noite foram o prefeito de Salvador e governador da Bahia:João Henrique Carneiro, vaiado todas as vezes em que se anunciava a sua presença no evento; Jaques Wagner, apupado quando o secretário da Industria, Comércio e Mineração. James Correa, auxiliar que o representava na festa, teve a “idéia brilhante” de justificar de público a ausência do governador:
“Ele está negociando o fim da greve  dos professores” (que já dura três meses).

O novo shopping quase vem abaixo.

(Vitor Hugo Soares)

jul
13
Posted on 13-07-2012
Filed Under (Charges) by vitor on 13-07-2012


======================================
Amarildo, hoje, na Gazeta (ES)


===================================
Do album: “Amor / Festa / Devoção”, ao vivo no “Vivo Rio”, RJ, 2010. Composição: Caetano Veloso (1969). Sequência original de audio editada. Remasterização em HQ
(Informações no You Tube)
————————————————————-

BOA NOITE E ÓTIMA SEXTA-FEIRA, 13, PARA TODOS!!!

(Vitor Hugo Soares)


======================================

=================================

OPINIÃO POLÍTICA

Revelações

Ivan de Carvalho

Estas linhas, hoje, não serão sobre política, mas principalmente sobre discos voadores. Aos leitores que sejam absolutamente refratários ao assunto, minhas desculpas. Ficarei contente se alguns persistirem.

“Tudo que vos foi ocultado vos será revelado”, disse Jesus a seus discípulos, referindo-se ao que chamava de Fim dos Tempos, considerados estes como uma era ou um período, um ciclo, não ao que tantos fazem passar como “fim do mundo”, por ignorância ou para facilitar o descrédito.

O fim do planeta Terra evidentemente acontecerá algum dia, mas não era disso que Jesus falava quando se referia ao Fim dos Tempos. Falava de “um grande tribulação” – enormes catástrofes – que destruiria a atual civilização e seria finalizada por sua volta “com muito poder e glória”, marco do início de construção de uma nova e muito melhor civilização, além de marcar a ocorrência de eventos espirituais importantes.

Bem, mas esta é uma questão que sugiro aos padres e pastores explicarem melhor e com certa frequência aos fiéis e, pela televisão e rádio, a todos os que os ouvem. Em verdade, esta é uma temática fundamental na mensagem de Jesus e que é quase ignorada nas pregações.

Mas afirmei nas primeiras linhas que iria falar de discos voadores, os UFOs, na sigla em inglês, e foi por isto que tomei emprestada da Bíblia a promessa-aviso de Jesus de que “tudo que vos foi ocultado vos será revelado”.

Pois bem, segundo publicou ontem o portal UOL, um ex-agente da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), Chase Brandon, confirmou, 65 anos após o incidente de Roswell, que ali foi realmente capturado um UFO, uma nave com tripulante ou tripulantes (o texto do portal de Internet não esclarece bem, mas a versão consolidada do caso é de que havia tripulantes, um dos quais estaria vivo). A nave caíra, a base aérea próxima da cidade de Roswell, no Novo México, anunciara a queda de um flying saucer (prato ou pires voador, o correspondente americano do popular brasileiro disco-voador).

O comunicado oficial da base aérea foi publicado em manchete no dia seguinte, mas nesse dia mesmo o tenente responsável pelas relações públicas da base – que, na véspera, autorizado pelo comando da unidade militar, havia emitido a nota oficial – recebeu ordem de desmentir tudo e afirmar que tratava-se de um balão meteorológico. A ordem viera do Pentágono para o comando da base. Já aposentado e velho, esse tenente não quis morrer com o polêmico segredo e escreveu um livro (adaptado depois para filme) contando tudo o que sabia.

Ele não tivera contato direto com a nave ou tripulantes mortos ou vivos, mas recolhera um pouco do material amplamente espalhado numa fazenda. Não existia nada igual na terra, assegurou, com base nas características que o material apresentava e ele expôs no livro.

Não tinha a prova, pois houve ordem para que o material fosse entregue à base por qualquer que o houvesse eventualmente recolhido – e, como militar obediente, o então tenente entregou a parte que pegara e mostrara em casa ao filho.

O incidente de Roswell, um dos mais famosos – talvez o mais – da ufologia aconteceu em 8 de julho de 1947. Agora, diz o ex-agente da CIA Chase Brandon: “Não era a droga de um balão meteorológico. Era sim o que as pessoas achavam que era quando encontraram aquilo.

Aquele objeto claramente não era deste planeta”. Nos seus últimos dez anos de serviço na CIA, Brandon tornou-se diretor de publicações, trabalhando na sede da agência, em Langley, Virgínia. O local em que trabalhava era secreto, poucos tinham acesso. Um dia, caminhando no local, uma caixa lhe chamou a atenção. Nela havia escrita uma só palavra – Roswell. Ele abriu a caixa deu uma olhada e disse, segundo conta: “Meu Deus, aquilo realmente aconteceu”.

  • Arquivos