============================================

DEU NO IG

Atual campeã do mundo, a partir das 15h45 (horário de Brasilia) a Espanha tenta este domingo (1/7) ser a primeira seleção a conquistar duas edições da Euro em sequência. A seu favor, um time entrosado e que tem marca fantástica de não ser vazada em jogos mata-mata desde o título da Euro em 2008. Foram três jogos naquela Euro, quatro na Copa da África em 2010 e mais dois nesta edição do torneio europeu. Nove jogos seguidos em que a derrota significa o adeus sem que a Espanha seja sequer ameaçada. Não à toa, foram dois títulos com mais um sendo possível.

Depois do empate na estreia contra a Itália, a Espanha assegurou a primeira posição do Grupo C com uma goleada de 4 a 0 sobre a Irlanda e triunfo de 1 a 0 sobre a Croácia. Já a Azzurra ficou com a segunda posição da chave por conta de empate em 1 a 1 com a Croácia e vitória por 2 a 0 na Irlanda.

Já a Itália, desacreditada no início do torneio, tenta encerrar um jejum de títulos na Europa de 44 anos. Desde 1968 a Azzurra ?não fatura o principal torneio do continente. Aquela ainda é sua única conquista em Eurocopas.

Em 2012, as duas equipes chegam à decisão sem encantar. A Espanha derrotou a França por 2 a 0 nas quartas de final sem brilho e superou Portugal nos pênaltis, nas semifinais, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação.

Da Itália, eliminada ainda na primeira fase do Mundial de 2010, pouco se esperava nesta Euro. Porém a Azzurra, com poucos pontos de talento no time, baseou sua campanha nas grandes atuações de Andrea Pirlo e Mario Balotelli, principalmente contra a Alemanha, então favorita ao título, nas semifinais com a vitória por 2 a 1. Antes, nas quartas, a Itália eliminou a Inglaterra em um jogo muito sofrido que acabou em 0 a 0 e foi decidio nos pênaltis.

Se a final desta edição tem dois times que não empolgaram, as diferenças entre as duas seleções podem pesar para que alguma delas conquiste o título. A Espanha aposta na força de um conjunto, em uma sólida defesa e tenta superar a crise de um ataque sem muito poder de penetração.

Já a Itália não tem o mesmo conjunto por viver uma fase de renovação de elenco. Mas aposta na genialidade do veterano meia Andrea Pirlo e em uma dupla de frente capaz de fazer tremer qualquer zagueiro: Mario Balotelli e Antonio Cassano. Tamanhas diferenças fazem com que os dois técnicos esperem um jogo bem equilibrado.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos