jun
19

Música de Chico Buarque, extraído do DVD “João Bosco – 40 anos depois”, gravado pelo Canal Brasil.

Música na caixa, maestro, no aniversário de Chico.

(Maria Olívia)

jun
19

DEU NO ESTADÃO

Julia Duailibi e Fernando Gallo

A deputada Luiza Erundina (PSB), indicada para a vaga de vice na chapa do pré-candidato petista Fernando Haddad, desistiu da indicação. Segundo o presidente paulista do PSB, deputado Marcio França, ela informou a decisão para os colegas de partido, em reunião na tarde desta terça-feira, 18. Erundina havia antecipado que pretendia rever sua decisão de disputar a eleição municipal, depois de o PT ter fechado acordo eleitoral com o PP, de Paulo Maluf.

Veja também:
link Governador da BA ironiza apoio de Maluf a Haddad
link ‘Vale misturar água e óleo para ter tempo de TV’, alfineta Marina Silva
link No Twitter, internautas apoiam reação de Erundina

O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, avisou França sobre a decisão. Ela ainda continua reunida com a cúpula do PSB em Brasília. A tendência agora é que o PSB deixe a indicação do cargo de vice-prefeito para o próprio PT, que ainda negocia com o PC do B.

No decorrer dessa terça-feira, Erundina conversou com os líderes do partido, por telefone, e voltou a reclamar da aliança com Maluf, lembrando a participação dele no Regime Militar. “Não convivo com esse tipo de coisa”, afirmou a deputada.

DEU NA VEJA (ONLINE)

O chanceler do Equador, Ricardo Patiño, informou nesta terça-feira que o fundador do Wikileaks, Julian Assange, solicitou asilo político ao país, e que o requerimento está sendo avaliado. Patiño disse à imprensa que Assange, que está na Embaixada do Equador em Londres, enviou uma carta ao presidente do país andino, Rafael Correa, após fugir da prisão domiciliar. Assange afirma no texto que há uma perseguição contra ele.

Na última quinta-feira, a Suprema Corte da Grã-Bretanha negou o pedido de Assange para a reabertura de seu caso. Ele recorria da extradição à Suécia por crimes sexuais. Sete juízes do mais alto tribunal britânico negaram o recurso.

A resposta foi dada duas semanas após a mesma Corte dar sinal verde a sua extradição à Suécia. Promotores suecos querem interrogar Assange sobre acusações de abuso sexual feitas por duas ex-voluntárias do WikiLeaks em 2010. Assange sempre negou as acusações.

(Com agência EFE)


Professores:unanimidade na manutenção da greve

=================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Da Redação

Em assembléia realizada na manhã desta terça-feira (19), os professores da rede estadual decidiram por unanimidade continuar a greve, que já dura 70 dias. De acordo com o diretor de imprensa do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Luciano Cerqueira, a paralisação continua porque um contra-proposta encaminhada pela categoria ao Governo na semana passada ficou sem resposta.

Uma nova assembleia para discutir os rumos da greve está marcada para a próxima terça-feira (26). A categoria reivindica o pagamento do aumento pleiteado de 22% ao longo de 2012, desde que este valor seja válido para todos os professores – de todos os níveis, incluindo aposentados e probatórios.

De acordo com Marilene Betros, diretora de assuntos jurídicos da APLB, os professores também querem a revogação da lei que transforma o vencimento dos docentes não licenciados em subsídio, aprovada na Assembleia Legislativa em abril, e o pagamento dos salários cortados.

Leia reportagem completa sobre a greve dos professores estaduais no Correio.


=====================================

DEU NO “COMUNIQUE-SE” ( PORTAL ESPECIALIZADO EM NOTICIAS DOS BASTIDORES DA IMPRENSA)

Quem ainda tinha dúvida do surto autoritário que acontece na Bahia teve na tarde desta segunda-feira, 18 de junho, um episódio típico do “grande irmão” tão bem personificado no romance 1984 de George Orwell.

Os detratores das recentes greves no Estado (greves na saúde, na polícia, na educação) procuram de todas as formas desqualificar os movimentos e satanizar seus líderes, a fim de blindar o governo, mais especificamente o governador. Sim, tem a maioria que faz isso para garantir seus cargos, seus postos de trabalho, ainda que pretextando a aludida governabilidade ou o tal “ruim com ele, pior com outro”.

E tem aqueles que ainda duvidavam, honestamente, do surto autoritário. Mas a triste realidade é esta: estamos vivendo um momento de autoritarismo que nada deve a governos que envergonhavam a decência democrática.

No episódio de hoje, um jornalista (Guilherme Vasconcelos), jovem e brilhante, recém saindo da universidade, escreveu um texto sobre a festa publicitária que o governo estadual da Bahia vem fazendo. A reportagem não tem opinião, tem, sim, números e informações, muitas. Uma hora depois de publicada chega a ordem na redação do Bocão News para que fosse tirada do ar. A velha tática: ou me obedece ou fica sem publicidade. E o empresário da comunicação nem pestaneja, não ficar sem seu melhor cliente.

No episódio de hoje, no site Bocão News, ao jornalista restava fechar os olhos para o acontecimento ou tomar um posição em defesa de sua dignidade e postura profissional. Dignamente ele optou por sair da empresa que não oferece nenhum suporte para enfrentar o “grande irmão”.

Leia abaixo a justificativa de Guilherme e mais abaixo a reportagem que irritou o governo

GUILHERME VASCONCELOS

Hoje, pedi demissão do site Bocão News, onde trabalhei nos últimos três meses. Escrevi, com base em dados oficiais, uma matéria que mostrava o crescimento exponencial dos gastos com publicidade do governo Wagner. Para minha surpresa, cerca de uma hora após a matéria ter sido postada, ordens da chefia chegaram até a redação para que a reportagem fosse retirada do ar. De maneira truculenta e desrespeitosa, fui comunicado da decisão por terceiros através de mensagens de texto via celular. Também me foi dito que, por interesses econômicos e por pressão do “democrático” governo petista, a ordem era irrevogável. Diante disso, não poderia agir de outra forma. Não se trata de querer bancar o herói, mas a demissão era a única saída honrosa. A coerência, a dignidade e a liberdade são valores inegociáveis para mim. Na Bahia, estado que lidera a vanguarda do atraso, só verdades convenientes podem ser reveladas. Nosso jornalismo, salvo algumas honrosas exceções, é submisso e se aproxima do amadorismo. A verdade é que aqui, terra dos superlativos– 69 dias de greve dos professores, 12 anos de metrô, pior prefeito de capitas – , praticamente não há jornalismo investigativo. Dizem que estamos na era da transparência. Na Bahia, a censura ainda é regra.

Agradeço a Daniel Pinto, Marivaldo Filho e Luiz Fernando Lima, que muito me ensinaram durante esses três meses e, certamente, continuarão me ensinando.

Para os que leram e gostaram, para os que leram e não gostaram, e para os que não tiveram a oportunidade de ler, transcrevo abaixo a matéria que motivou meu pedido de demissão:
——————————————————–

=====================================

Governo Wagner eleva em 162% gastos com publicidade

Entre 2007, primeiro ano da administração petista, e 2011, o governo Jaques Wagner elevou em 162,5% os gastos com propaganda, promoção e divulgação das ações do Estado. Nesse período, as despesas com publicidade saltaram de R$ 46 milhões para R$ 122 milhões. Os dados estão no relatório de contas de 2011 do governo do estado elaborado pela conselheira do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE), Ridalva Figueiredo.

Em comparação com 2010, quando foram gastos R$ 109 milhões, houve um aumento de 12%. A Secretaria de Comunicação Social e a Casa Civil foram as instâncias do governo estadual que registraram maiores despesas na área, com R$ 29,2 milhões e R$ 13,9 milhões, respectivamente.

Entre as estatais, os gastos com publicidade foram liderados pela Empresa Baiana de Turismo (Bahiatursa), com R$ 11,4 milhões, seguida pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), com R$ 7,3 milhões, e a Empresa Baiana de Alimentos (Ebal), com R$ 3,3 milhões.

Seca

Se o orçamento para a divulgação dos projetos do governo não para de aumentar, os recursos destinados a ações de combate à seca, problema que fez mais da metade dos municípios baianos declarar situação de emergência neste ano, foram considerados insuficientes pelo conselheiro Pedro Lino, que votou pela desaprovação das contas do governo durante julgamento realizado na semana passada.

“Através de pesquisa realizada por minha assessoria nos sistemas corporativos do Estado, verificou-se que foram aplicados recursos no montante de R$ 37.599.143,88 através da execução de apenas dois projetos e duas atividades visando a assistência às famílias e municípios e implantação de soluções hídricas. Entretanto, nenhuma destas ações foi estabelecida como meta prioritária”, critica o conselheiro no parecer sobre as contas do poder executivo, destacando que a quantia empregada para reduzir os efeitos da seca foi mais de três vezes menor do que os recursos destinados a promover as ações do governo.

DEU NA FOLHA

Erundina (PSB-SP) descartou deixar a chapa do pré-candidato petista à Prefeitura de São Paulo, mesmo depois da aliança selada entre ele e o PP de Paulo Maluf.

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Erundina disse que a aliança é constrangedora, mas continua na chapa. “Não sou de recuar. Vou manter a decisão, porque é uma decisão partidária. Vou me empenhar e fazer o melhor que puder para dar minha contribuição, mas vou procurar demarcar campos. De um lado está o seu Maluf; de outro lado estaremos nós e os setores da sociedade que não concordam, ao meu ver, com essa aliança.”

A aliança com o PP foi fechada ontem na casa de Maluf, no Jardim Europa, com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do presidente do PT, Rui Falcão, além de malufistas históricos, como o vereador Wadih Mutran (PP).

O desconforto de Erundina foi evidenciado após ela conceder entrevistas aos sites da revista “Veja” e do jornal “O Globo” afirmando que pretendia rever sua permanência na chapa de Haddad. O petista afirmou que conversaria com ela para “confortá-la” e mantê-la como sua vice.


——————————————-

Erundina:“Isso já é demais”
===============================

DEU NO IG-ESTADÃO

A foto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao lado do deputado Paulo Maluf (PP-SP) foi o estopim da explosão da deputada Luiza Erundina (PSB-SP), que disse estar revendo a decisão de ser candidata a vice e deflagrou uma crise na campanha do candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad.

Erundina disse a integrantes da direção do PSB ter se sentido despretigiada por Lula, que se deslocou até a casa de Maluf hoje mas não foi à cerimônia de formalização de sua candidatura à vice de Haddad na sexta-feira, alegando recomendações médicas (ele fez uma biópsia e retirou um cateter na quarta-feira).

“Isso já é demais”, disse Erundina, segundo uma fonte.

No início da tarde, antes da explosão de fúria de Erundina, colaboradores de Lula e dirigentes petistas disseram que a presença do ex-presidente foi uma exigência de Maluf para fechar o acordo.

Na manhã desta segunda-feira Lula vestiu um terno cinza, entrou mau humorado no carro oficial preto e, contrariando orientações médicas, rodou 24 quilômetros que separam seu apartamento em São Bernardo do Campo da mansão do deputado Paulo Maluf (PP-SP), no Jardim América, em São Paulo. Ela passou os 40 minutos da viagem calado.

Na casa de Maluf trocou poucas palavras, quase sussurros e posou para fotógrafos que se aglomeravam no portão da garagem. Assim que o portão foi fechado Lula dispensou delicadamente a feijoada oferecida pelo anfitrião alegando restrições de saúde, entrou novamente no carro oficial e voltou para São Bernardo.

Lula ficou pouco mais de 10 minutos na casa de Maluf. “Pelo que me recordo foi a primeira vez que ele esteve lá em casa”, disse o deputado.

Para o deputado de 80 anos, que não pode sair do Brasil por causa de um pedido de prisão internacional e vê seu poderio político declinar a cada eleição, uma foto ao lado de Lula dentro de sua casa teria mais valor do que secretarias num futuro governo Haddad ou cargos de segundo escalão no Ministério das Cidades, comandado por seu próprio partido.

O ex-prefeito negou ter feito a exigência mas um colaborador próximo confirmou: “Maluf não tem mais grandes ambições políticas. Para ele o que vale é a biografia”.

jun
19
Posted on 19-06-2012
Filed Under (Charges) by vitor on 19-06-2012


Simanca, hoje, no jornal A Tarde(BA)
===================================


João com Tatiana (e ACM Neto):
longe da Convenão do PT
=======================================

OPINIÃO POLÍTICA

A viagem

Ivan de Carvalho

A política baiana tem uma vocação especial para transformar as coisas mais simples em um dramalhão. Veja-se esse caso da viagem do prefeito João Henrique à Espanha em companhia de sua mulher e secretária municipal da Saúde, Tatiana Paraíso.

Imediatamente surgiu a notícia de que a coisa seria complicadíssima, porque as pessoas na linha de sucessão não poderiam assumir o cargo, o que as tornaria inelegíveis.
O cargo de prefeito iria cair – como a maçã na cabeça de Isaac Newton – nas mãos de uma vereadora do PV, que é candidata a nada. E ela estaria disposta a proceder como dizem que Eva fez com a outra maçã, que, por sinal, não está na Bíblia – tascar os dentes com vontade. Em outras palavras, assinar atos desfazendo muita coisa feita e fazendo muitas outras não feitas. Terrorismo puro. “Fica revogado o aumento das tarifas de ônibus”.

Mas os que pensavam equivocavam-se. Porque, na linha de sucessão – impropriamente chamada assim aqui – havia a procuradora geral do município. O prefeito avisa a Câmara, no caso de viagem superior a 15 dias, mas é a chefe da procuradoria do município que passa a responder pela prefeitura, mantendo-se no próprio cargo, sem a necessidade de assumir o de prefeito. Esta parte está, pois, resolvida.

Viagens de governantes são normais. Especialmente as aéreas. FHC usava um tal de “sucatão”, uma aeronave contemporânea daqueles tapetes voadores das lendas árabes – que eu acho que voavam mesmo, com motores, janelinhas, bancos, essas coisas que aviões e discos voadores têm –, mas o companheiro Lula, como autêntico sindicalista, exigiu melhorias e comprou o Aerolula. E antes mesmo de deixar o cargo começou a preparar os planos para a compra do Aerodilma, este sim, cinco vezes mais caro que o Aerolula e que será capaz de fazer todo brasileiro inflar o peito de orgulho ao vê-lo pela TV pousar nos mais badalados aeroportos do mundo.

Mas outros políticos no Brasil são menos exigentes, viajam até de jatinho ou de helicóptero (existem alguns tão incrivelmente modestos que até pedem emprestados jatinhos ou helicópteros alheios, com notória economia para os cofres públicos). Se tais empréstimos aeronáuticos implicam em despesas públicas por fora, elas não são notórias, até são invisíveis e o que não é visível é irreal. Ou não?

Detestável é a atitude do prefeito de nossa Salvador de viajar para o exterior, para espanhol ver (se fosse para inglês ver, talvez não se humilhasse tanto) em um inaceitável avião de carreira, embora eu não saiba se optou por aquelas cadeiras que permitem estirar as pernas ou por aquelas que obrigam seus ocupantes a serem contorcionistas sujeitos a trombose. Também resta esclarecer se a viagem é particular ou oficial, pois um funcionário da prefeitura comentou que “é oficial”, mas não soube dizer qual é a agenda de compromissos.

Se for particular, isso é o de menos. O direito de ir e vir é assegurado pela Constituição. Obama frequenta Camp David. Putin, não mais exercendo soberania sobre a Criméia, talvez passe as férias inspecionando a KGB, só por nostalgia. Mas governante brasileiro que se preza passar férias no Brasil é exigir demais. Um feriadão, vá lá, na praia de Inema, mas férias não: tem que ficar bem longe do ato de apoio do PP ao candidato do PT e da convenção que oficializará a candidatura petista a prefeito de Salvador. Estas são missões ou diversões prioritárias.


ACM Neto e Celia Sacramento:DEM e PV juntos
==================================

DEU NA TRIBUNA DA BAHIA

Fernando Duarte – Repórter

Com a presença dos principais caciques do Democratas na Bahia, a legenda homologou ontem na convenção realizada no espaço Unique, a candidatura do deputado federal ACM Neto a prefeito de Salvador. O evento anunciou formalmente a coligação entre a legenda e outros três partidos, o PSDB, o PPS e o PV, que indicou a vice, a professora Célia Sacramento.

“Chegou a hora de arrumar a casa, de colocar a cidade em ordem”, apontou o agora candidato ACM Neto.
Lideranças dos quatro partidos estavam presentes na convenção e reiteraram o apoio ao projeto encabeçado pelo parlamentar, entre eles, o presidente do diretório municipal tucano, José Carlos Fernandes, apresentado como nome do PSDB para a vaga de vice, que acabou ocupada pelos verdes.

“A escolha dos partidos foi unânime pelo nome de Célia Sacramento, que possui história de vida diferente do deputado ACM Neto, mas que vai trabalhar conosco por Salvador”, declarou o presidente estadual do DEM, José Carlos Aleluia.

Fogos de artifício e batuques trouxeram ares de uma festa de largo a candidatura democrata, com direito a isopor de bebidas no lado de fora do local, conhecido por suas requintadas celebrações. As amenidades, entretanto, ficaram restritas aos populares presentes e o candidato fez um prenúncio da campanha eleitoral nos próximos meses.

“O partido que governa o estado está chantageando o povo de Salvador, mas nós vamos deixar o coração falar mais alto e ganhar a eleição”, bradou. O tom dele foi dividido entre a própria defesa frente aos comentários dos adversários e o ataque ao modelo de gestão do PT.

“A voz do povo clama por mudanças em Salvador. De que adianta ter apoio do governador e da presidente, se não tem pulso firme para governar a cidade”, questionou Neto. O alvo preferencial, deputado Nelson Pelegrino (PT), mostra a polarização que tende a acontecer nos primeiros momentos da campanha.

“Eu sei onde eu quero ir. Eu sei onde o povo de Salvador quer que eu vá”, profetizou o deputado. Neto foi longe ao afirmar que ser “o melhor prefeito de todo o Brasil”, citando que a Salvador “precisa andar com as próprias pernas”, “sem dever favores a quem quer que seja”, “nem pedir com um pires para o governo do Estado e governo federal”.

A alfinetada veio ainda às alianças sacramentadas pelo PT que, segundo Neto, foram baseadas no “toma lá, dá cá” e no fisiologismo.

No discurso da candidata a vice, Célia Sacramento, o comedimento foi mais tácito. “Minha preocupação com meus irmãos, com meus amigos, com meus companheiros foi se eles iam entender que nós estamos inaugurando um novo momento político para Salvador”, ponderou.

Mulher, negra e professora, Célia foi criticada por aceitar compor uma chapa com o representante do Democratas, tratado como um “estupro” pelo o ex-pré-candidato a prefeito do PV, Virgílio Pacheco. Para ratificar a escolha da vice, Neto voltou a falar sobre a interlocução dela com movimentos sociais e sobre a aliança “programática” entre as legendas.

O distanciamento da figura do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, estratégia utilizada por Neto durante a campanha eleitoral de 2008, quando foi derrotado ainda no 1º turno, não deve ser repetida. Além de saudar lideranças e familiares presentes, o candidato fez questão de evocar o avô. Nas minúcias do discurso do presidente estadual do DEM, José Carlos Aleluia, o candidato virou o falecido.

“Vamos pedir votos para ACM e para Célia Sacramento”, conclamou Aleluia na última fala do discurso. Se há alguma dúvida da estratégia, Neto dirimiu. “Vamos reconstruir a Bahia reconstruindo Salvador”.

Sem Imbassahy, PSDB apoia

Tracejado por figuras conhecidas do meio político, a presença mais aguardada pela imprensa não apareceu à convenção do Democratas ontem. O ex-pré-candidato do PSDB, deputado federal Antônio Imbassahy, não foi, mas os até então debelados tucanos, liderados pelo presidente da Executiva municipal, José Carlos Fernandes, estavam em massa, inclusive no palanque montado no espaço Unique.

Discreto, Fernandes não falou com a imprensa, porém sua presença mostra que o PSDB local aceitou a decisão dos diretórios nacional e estadual.

“A convenção do PSDB autorizou por unanimidade a coligação com o PPS, o DEM, o PV e o PTN, que ainda não foi confirmado”, disse à Tribuna o deputado federal Jutahy Magalhães, um dos principais interlocutores para o acordo com o DEM.

“Essa decisão de caminharmos juntos não foi fácil, mas foi fruto de um processo necessário e correto. Vamos contribuir para a vitória de ACM Neto no primeiro turno para resgatar a autoestima de nossa população, para que essa cidade seja de novo orgulho e porta de entrada de todos os brasileiros”, discursou o parlamentar.

De acordo com Sérgio Passos, presidente estadual da legenda, a ausência de Imbassahy foi sentida também na convenção tucana, na parte da manhã de ontem.

“Ele também não foi para a nossa convenção, que aprovou por unanimidade a coligação com o DEM. As discussões internas levaram ao mesmo caminho e todos estão aqui”, afirmou Passos. O candidato do DEM não pareceu surpreso com a situação. “Na hora certa, ele vai se envolver com a campanha”, minimizou.

Na convenção, PPS, PSDB e PV reafirmaram o apoio ao projeto democrata e, mais uma vez, o PTN foi notado com a participação do deputado estadual Luizinho Sobral e do pré-candidato do partido a prefeito de Camaçari, Maurício Bacelar, irmão do presidente estadual da legenda, João Carlos Bacelar. Nos bastidores, a adesão da legenda carece de pequenos detalhes para ser anunciada. (FD).

Pages: 1 2

  • Arquivos