Dilma:”Descobri, pela primeira vez,
que estava sozinha”.

======================================

DEU NO CORREIO BRAZILIENSE/ESTADO DE MINAS

A reportagem exclusiva do Correio Braziliense/Estado de Minas divulgada neste domingo (17/6) sobre as confissões da presidente Dilma Rousseff durante o período da ditadura causou repercussão internacional. O jornal La Nación do Chile destacou que “os documentos revelados adicionam informações a fatos até então desconhecidos: a situação da presidente Rousseff após ser capturada pela ditadura”.

Dilma Rousseff revela detalhes do sofrimento vivido nos porões da ditadura “Me deram um soco e o dente deslocou-se e apodreceu”, conta Dilma Rousseff Nem os amigos sabiam da tortura sofrida por Dilma em Minas Gerais
O site ABS.es da Espanha, por meio da agência Reuters, disse que “Rousseff também sofreu espancamentos e teve um dente arrancado, segundo os jornais Correio Braziliense e Estado de Minas”.

O portal 24horas do Peru também citou a reportagem dos jornais do Diários Associados. O site lembrou que os periódicos narram uma entrevista da presidente ao Conselho de Direitos Humanos de Minas Gerais feita em 2001. “[Dilma] lembrou que as marcas da tortura são parte dela e que sua vida mudou para sempre.”

A agência de notícias EFE salientou que as sessões de torturas foram realizadas no Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna de São Paulo (DOI-CODI), o principal órgão de repressão e tortura dos opositores políticos.

Relatos

Dilma chorou. Essa é uma das lembranças mais vivas na memória do filósofo Robson Sávio, que, ao lado de uma outra voluntária do Conselho de Direitos Humanos de Minas Gerais (Conedh-MG), foi ao Rio Grande do Sul coletar o testemunho da então secretária de Minas e Energia daquele estado sobre a tortura que sofrera nos anos de chumbo. Com fama de durona, moradora do Bairro da Tristeza, Dilma tirou a máscara e voltou a ter 22 anos de idade. Revelou, em primeira mão, que as torturas físicas em Juiz de Fora foram acrescidas de ameaças de dano físico deformador: “Geralmente me ameaçavam de ferimentos na face”.

Não eram somente ameaças. Segundo fez constar no depoimento pessoal, Dilma revelou, pela primeira vez, ter levado socos no maxilar, que podem explicar o motivo de a presidente ter os dentes levemente projetados para fora. “Minha arcada girou para outro lado, me causando problemas até hoje, problemas no osso do suporte do dente. Me deram um soco e o dente se deslocou e apodreceu”, disse. Para passar a dor de dente, ela tomava Novalgina em gotas, de vez em quando, na prisão. “Só mais tarde, quando voltei para São Paulo, o Albernaz (o implacável capitão Alberto Albernaz, do DOI-Codi de São Paulo) completou o serviço com um soco, arrancando o dente”, completou.

Dente podre

“Uma das coisas que me aconteceu naquela época é que meu dente começou a cair e só foi derrubado posteriormente pela Oban. Minha arcada girou para outro lado, me causando problemas até hoje, problemas no osso do suporte do dente. Me deram um soco e o dente deslocou-se e apodreceu. Tomava de vez em quando Novalgina em gotas para passar a dor. Só mais tarde, quando voltei para SP, o Albernaz (capitão Alberto Albernaz) completou o serviço com um soco, arrancando o dente”

Pau-de-arara

“…Algumas características da tortura. No início, não tinha rotina. Não se distinguia se era dia ou noite. O interrogatório começava. Geralmente, o básico era choque. Começava assim: ‘em 1968 o que você estava fazendo?’ e acabava no Angelo Pessuti e sua fuga, ganhando intensidade, com sessões de pau-de-arara, o que a gente não aguenta muito tempo”

Palmatória

“Se o interrogatório é de longa duração, com interrogador ‘experiente’, ele te bota no pau-de-arara alguns momentos e depois leva para o choque, uma dor que não deixa rastro, só te mina. Muitas vezes também usava palmatória; usava em mim muita palmatória. Em SP usaram pouco esse ‘método’. No fim, quando estava para ir embora, começou uma rotina. No início, não tinha hora. Era de dia e de noite. Emagreci muito, pois não me alimentava direito”

Tortura psicológica
“Tinha muito esquema de tortura psicológica, ameaças. Eles interrogavam assim: ‘me dá o contato da organização com a polícia?’ Eles queriam o concreto. ‘Você fica aqui pensando, daqui a pouco eu volto e vamos começar uma sessão de tortura’. A pior coisa é esperar por tortura”

http://youtu.be/awo7u8F5sTk

Música inédita da dupla Jorge Mautner e Moraes Moreira lançada no Lp Bomba de Estrelas no ano de 1981

NAMORO ASTRAL

A não ser que não te deixes
Não te queixes se você só vir a ser
Feliz quando vier aquele ser de Câncer
Pra se harmonizar pelo verbo amar com alguém de Peixes

Você que tudo equilibra
Não se assuste ou pense que é um unicórnio
Apenas um destino aguarda o ser de Libra
Que é ele se unir, e depois curtir alguém de Capricórnio

Seja negro ou seja louro
Um estouro de explodir o coração
Quando vier alguém que seja um ser de Touro
Para um amor de mel pra quem é de Leo ou é de Leão

Você que vive nos ares
Tem amores como que buquê de flores
Só terá paz com alguém de Sagitárius
Quem disser meu bem, eu e mais ninguém sou teu alguém deAquárius

Tendo assim mais de dois gênios
Feito luas tu flutuas pelos ares
Felicidade só virá com alguém de Gêmeos

Por terras e mares, todos os lugares com alguém de Áries

Você olhos de fuligem
Vê se acalma a alma na obsessão
Só vai se dar bem com alguém, alguém de Virgem

O Partido Socialista francês, do presidente François Hollande, conseguiu a maioria absoluta dos lugares na Assembleia Nacional, indicam as primeiras projeções dos resultados das eleições legislativas realizadas hoje.

As urnas de votação já encerraram e, segundo as projeções do instituto Sofres citadas pelo jornal francês Le Figaro, os socialistas obterão 322 lugares, o que lhes dá a primeira maioria absoluta desde 1981.

Esta maioria evitará que os socialistas dependam do apoio dos verdes, com os quais têm um acordo de governo, e também da esquerda radical.

Já segundo as estimativas da agência noticiosa francesa AFP, os socialistas e aqueles dois pequenos partidos satélite da esquerda obterão entre 312 e 326 assentos parlamentares, de um total de 577.

Os conservadores da União para um Movimento Popular, do antigo presidente Nicolas Sarkozy, ficarão entre os 212 e os 234 lugares.

As primeiras projeções confirmam que a extrema-direita da Frente Nacional, liderada por Marie Le Pen, vai entrar no parlamento francês, obtendo entre um a quatro assentos.

Ségolène Royal, ex-mulher de François Hollande, não conseguiu ser eleita deputada pelo departamento de La Rochelle, segundo dados oficiais citados pela agência AFP.

Os 44,3 milhões de eleitores franceses foram novamente chamados às urnas depois de, na semana passada, terem dado a vitória aos partidos de esquerda, que, em conjunto, obtiveram 47 por cento dos votos.

Os partidos de direita obtiveram 34 por cento e a extrema-direita chegou aos 13,6 por cento.


====================================

Música – “Retrato Da Bahia” (Riachão)

Letra:

Quem chega na praça Cayru
Olha pra cima o que é que vê
Ver o Elevador Lacerda

Que vive a subir e a descer

É o retrato fiel da Bahia

Baiana vendendo alegria

Coisinha gostosa de dendê

Lá na rampa do mercado

Saveirinho abarrotado

Muito fruto, em bom bocado

Tudo bom pra se comer

É o retrato fiel da Bahia

Baiana vendendo alegria

Coisinha gostosa de dendê

jun
17


Ladeira da Montanha: postal ameaçado

======================================

DEU NO JORNAL A TARDE

A parede do lado direito do principal cômodo do arco número 4 da Ladeira da Conceição está completamente encharcada e começa a erodir. Parte dela, também, está se despedaçando. O dano se amplia para outras paredes, e, na parte exterior da casa vizinha, a água sai aos borbotões quando chove.

Há dois meses, a infiltração foi percebida por serralheiros, ferreiros e marmoristas, que são os ocupantes dos arcos que compõem o frontispício da cidade desde 1879, quando ficaram prontos, justamente para dar sustentação à Ladeira da Montanha. Até agora, são eles – os artesãos – os únicos a demonstrar profunda preocupação com as consequências provocadas pela infiltração.

Na encosta contígua à Praça Castro Alves, a Ladeira da Conceição, que prossegue da Ladeira da Gameleira e da Preguiça, logo abaixo da Ladeira da Montanha, dá suporte a esta. Ambas estão integradas e se destacam no Centro Histórico de Salvador, especialmente para quem aprecia a cidade, estando no mar.

“Eu tenho 20 anos aqui na Ladeira da Conceição e o colega ali tem 40. Nunca a gente tinha visto sair água pelas paredes. Isso, dentro de casa. Do lado de fora, está jorrando”, mostrou José dos Santos, 54 anos, serralheiro cuja oficina ocupa os arcos 2 e 4.

“Isso é consequência das obras feitas antes do Carnaval, na Ladeira da Montanha, que fica sobre os arcos”, suspeita o marmorista Otacílio Natalino Silva Pereira, 63 anos. “Quebraram o passeio e disseram que iam nivelar o piso”, lembra. “Foi saneamento, mesmo. Eles botaram uma tubulação e deram o cimento de qualquer forma”, avaliou.

Ele está preocupado porque acha que toda a estrutura pode desabar. “A Montanha pode cair, matar gente e ainda interditar a pista”, concorda o colega José dos Santos, tentando lembrar do acidente que aconteceu em 1978.

Deslizamento – Otacílio já trabalhava na Ladeira da Conceição quando, em 3 de junho daquele ano, houve um deslizamento de terra. Por causa desse acidente, 21 pessoas morreram e 150 ficaram desabrigadas.

Logo depois, foi criada a Codesal, inicialmente subordinada à Secretaria Municipal da Saúde, porque tinha como objetivo, naquele momento, prestar socorro às vítimas de acidentes e calamidades.

Mas a necessidade de contenção é antiga. Em 1845, o presidente da província Francisco José D’Andréa dissera “é preciso segurar a Montanha”, como registra Consuelo Novais Sampaio, em 50 anos de urbanização: Salvador da Bahia no século XIX (Prêmio Clarival do Prado Valadares, Odebrecht, 2005).

Em seu primeiro mandato (1848-1852), o presidente da província Francisco Gonçalves Martins decidiu que faria uma obra definitiva e, graças a esse trabalho, foi considerado o melhor administrador de todos os tempos.

“A obra de contenção da Montanha dependia do melhoramento das condições físicas das ladeiras”, escreveu Sampaio.

Já em 1871, enquanto se construía uma nova muralha de proteção na Montanha, chovia torrencialmente na cidade. Em 8 de junho, parte da Ladeira da Conceição desmoronou, arrastando sobre a ribanceira o que já havia sido construído.

A obra ganhou impulso a partir da presidência do Barão Homem de Mello (que dá nome à Ladeira da Montanha), em 1878, quando foram contratadas obras com a Empresa de Transportes Urbanos de Antônio de Lacerda (o mesmo do Elevador Lacerda), no valor de 200 contos de réis. Em certos trechos, a Montanha ficava superposta à da Conceição e por isso, para dar sustentação, foram construídos 23 arcos que só ficaram prontos em 1879. Em 1991, foi a última vez que os arcos foram restaurados.

Arquitetura – O artista plástico Sérgio Rabinovitz, que já teve os arcos como inspiração para a sua obra, diz que “além de serem uma curiosidade de arquitetura única e formidável, é um detalhe fundamental no magnífico conjunto arquitetônico da Conceição da Praia, cartão-postal da Bahia. Não conheço outro exemplo de casas construídas dentro de arcos. Se perdemos os arcos, estaremos perdendo parte da nossa cara, desfigurando irreversivelmente a nossa identidade visual”, lamentou.

jun
17
Posted on 17-06-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-06-2012


================================
Zé Dassilva, no Diário Catarinense

jun
17
Posted on 17-06-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 17-06-2012


================================
DÁ-LHE, ZECA!

BOA NOITE

(VHS)

DEU NO ESTADÃO

Gabriel Perline

Marta Suplicy esteve no desfile de Samuel Cirnansck, que marcou o encerramento da 33ª edição da SPFW neste sábado, 16, e não deixou de falar sobre a atual estrutura do PT na disputa pela prefeitura de São Paulo, que anunciou ontem Luiza Erundina como vice de Fernando Haddad.

“Eu respeito a Luiza Erundina, mas discordo de que eleição seja uma disputa entre classes. É necessário melhorar os defeitos de Haddad”, disse Marta, que preferiu não citar quais pontos o candidato do PT apresenta déficits. “Os índices que ele apresenta são muito baixos, falta consistência”, completou.

A senadora atualmente ocupa o posto de vice-presidente do Senado e foi aconselhada por Lula, em dezembro de 2011, a desistir de se candidatar à prefeitura pelo PT e ceder a vaga a Haddad. “Eu estou quieta, jamais disse que não o apoio, apenas prefiro ficar na minha”, disse.

Sobre o apoio de Paulo Maluf à chapa de Haddad nesta eleição, Marta ironizou o caso: “Eu pensava que teria pesadelos com o Kassab (prefeito de São Paulo, que chegou a se reunir com líderes do PT para negociar parceria), imagine agora com o Maluf (risos)”. Questionada sobre o comentário, a senadora preferiu não responder.

  • Arquivos