maio
29
Postado em 29-05-2012
Arquivado em (Artigos) por vitor em 29-05-2012 23:19


Gilmar:”futricas divulgadas por estelionatários”

=======================================

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta terça-feira, 29, em entrevista ao Estado, que “querem melar o julgamento do processo do mensalão”, e apontou para um ex-diretor geral da Polícia Federal, delegado Paulo Lacerda. “Dizem que (Lacerda) está assessorando o PT. Eu tive uma informação, em 2011, que o Paulo Lacerda queria me pegar”

Mendes suspeita que Lacerda estaria divulgando “informações distorcidas, informações falsas” sobre sua atuação. O ministro também falou sobre o encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no escritório do ex-ministro Nelson Jobim, da Defesa, onde o ex-presidente teria sugerido adiamento do julgamento do processo do mensalão.

Lula teria tentado intimidar o ministro do STF ao insinuar que ele viajou para a Alemanha com despesas bancadas pelo contraventor Carlos Cachoeira. O ex-presidente e o ex-ministro da Defesa negam que o mensalão tenha sido debatido naquele encontro, em 26 de abril.

Estado: Na conversa no escritório de Jobim, o ex-presidente Lula foi taxativo ou falou veladamente?

Ministro Gilmar Mendes: Em relação à CPMI ele foi taxativo e também quando falou da viagem a Berlim. Três ou quatro vezes ele disse: ‘Eu tenho o controle da CPMI’. Eu fui me fazendo de desentendido. Percebi o intuito dele quando ele disse: ‘Você tem que se preocupar com a CPMI’. Eu disse a ele que não tenho nada com o Demóstenes. ‘Vá fundo na CPMI’, eu disse a ele. Eu disse que não tenho que ter proteção. Ai ele levou um susto, tanto que fez um movimento corporal mais brusco. Mas em seguida veio com a pergunta. ‘E Berlim? E essa história?’

Como o sr. respondeu?

Eu disse a ele: ‘Presidente, o senhor está desinformado. Eu vou a Berlim frequentemente. Desde 1979 que vivo indo à Alemanha. Estudei lá, fiz doutorado, fiz mestrado. Vou a Berlim como você vai a São Bernardo do Campo. Contei ao presidente que na viagem a Praga fui recebido pelo embaixador, ex-chefe do cerimonial dele. E em Berlim fui recebido pelo embaixador Everton Vargas, designado por ele (Lula). O almoço (com o embaixador) estava na agenda, ninguém foi fazer turismo oculto.

E sobre o mensalão?

Repassamos vários assuntos, falamos de nomeação de ministros, da PEC da bengala e a falta de interlocução hoje com o STF. Aí ele falou do mensalão. Eu defendi um julgamento eminentemente técnico, fiz uma defesa nesse sentido. Ele falou: ‘Não é bom agora porque vai pegar o clima eleitoral.’

Quem puxou o assunto sobre o mensalão?

Ele (Lula).


Leia entrevista na íntegra no Estadão

www.estadao.com.br

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos