DEU NO FOLHA.COM

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira estar indignado com a reportagem da revista “Veja” na qual o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes afirma ter ouvido do petista pedido de adiamento do julgamento do mensalão.

Segundo a revista, Mendes relatou que, em encontro em abril, Lula propôs blindar qualquer investigação sobre ele na CPI que investiga as relações de Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários. Em troca, o ministro apoiaria o adiamento do julgamento.

De acordo com a nota de Lula, a versão da revista sobre a conversa é inverídica.

Lula afirma que nunca interferiu em decisões do Supremo e da Procuradoria-Geral da República nos oito anos que foi presidente, inclusive na ação penal do mensalão.

“O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”, afirmou Lula.

Nesta segunda-feira, a oposição informou que vai ingressar com pedido de investigação na Procuradoria Geral da República contra o ex-presidente.

DEM, PSDB, PPS e PSOL afirmam que Lula cometeu três crimes e precisa ser responsabilizado judicialmente.

A reunião ocorreu no escritório de Nelson Jobim, ex-ministro do governo Lula e ex-ministro do Supremo.

Lula disse a Mendes, segundo a “Veja”, que é “inconveniente” julgar o processo agora e chegou a fazer referências a uma viagem a Berlim em que o ministro se encontrou com o senador Demóstenes Torres (ex-DEM-GO), hoje investigado na CPI.

LEIA A NOTA

Sobre a reportagem da revista “Veja” publicada nesse final de semana, que apresenta uma versão atribuída ao ministro do STF Gilmar Mendes sobre um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 26 de abril, no escritório e na presença do ex-ministro Nelson Jobim, informamos o seguinte:

1. No dia 26 de abril, o ex-presidente Lula visitou o ex-ministro Nelson Jobim em seu escritório, onde também se encontrava o ministro Gilmar Mendes. A reunião existiu, mas a versão da Veja sobre o teor da conversa é inverídica. “Meu sentimento é de indignação”, disse o ex-presidente, sobre a reportagem.

2. Luiz Inácio Lula da Silva jamais interferiu ou tentou interferir nas decisões do Supremo ou da Procuradoria-Geral da República em relação a ação penal do chamado mensalão, ou a qualquer outro assunto da alçada do Judiciário ou do Ministério Público, nos oito anos em que foi presidente da República.

3. “O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado Mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”, afirmou Lula.

4. A autonomia e independência do Judiciário e do Ministério Público sempre foram rigorosamente respeitadas nos seus dois mandatos. O comportamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o mesmo, agora que não ocupa nenhum cargo público.

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 28 Maio, 2012 at 22:46 #

Enviado por Ricardo Noblat – 28.5.2012 | 14h38m
POLÍTICA
Calçada da Fama – Que país é este?
Do leitor do blog que se assina André Luiz Cumplido de Sant’anna

Misto de criança índigo e de oni, Lula nos diz muito de como é o seu Brasil. Uma republiqueta etiquetada de 6ª economia do mundo, uma nouvelle riche. Aquele país da terra de ninguém senão do senhor único e dono do pedaço. ”Hoje é tudo por minha conta.”

Deixa a presidência, faz sua sucessora por larga maioria de votos, volta para sua casa de São Bernardo do Campo, mas entende que ainda é o presidente, o presidente que dispensa regras de comportamento, que pode falar com quem quer que seja para ditar ordens desconhecendo o quê seja um Estado-Nação, o quê seja o estado democrático de direito.

Em nada difere de um Hugo Chaves, de um Idi Amin Dada. Vaidoso, não percebeu o quanto tanta gente torceu para que se curasse, porém a doença não lhe incutiu o benefício da humildade nem lhe subtraiu o traço da arrogância.


vangelis on 29 Maio, 2012 at 0:13 #

O Bêbado já de porre dessas últimas drogas pede ao garçom um drinque diferente:
Garçom me vê uma dose de mentira, você tem?
Temos”Eu te amo”, “Nunca vou te deixar”, “Eu quero você comigo” e também temos uma que anda saindo bastante: “Pode confiar em mim”!!!


Ivan de Carvalho on 29 Maio, 2012 at 1:27 #

Vangelis,

Minha humilde desinteligência não conseguiu alcançar o sentido de sua genial piada. Desculpe.
Era uma piada, não era?


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos