==================================================
DEU NO TERRA MAGAZINE

Porque defender a privacidade de Carolina Dieckmann

Bob Fernandes

Carolina Dieckmann teve fotos privadas novamente expostas. Na noite desta terça-feira, 15, hackers invadiram o site da Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) e postaram fotos da atriz nua. A Cetesb tirou o site do ar, como noticiou o Portal Terra.

Espantoso como tem gente, a essa altura do século XXI, que acredita, e prega, serem excludentes o combate à corrupção e a defesa da garantia plena de direitos individuais como, por exemplo, o direito à privacidade.

Como se um anulasse o outro, como se um, forçosamente, impedisse a luta pelo outro. Como se um fosse importante e o outro não. Como se uma coisa significasse “a ética” e a outra fosse frescura, puro marketing de uma “famosinha”. Como se a invasão de privacidade fosse “neutra” do ponto de vista ético; ou “moral”, uma vez que a raiz de tais discursos é essa. Basta ver a chuva de comentários nos sites, e de “campanhas” nas redes sociais.

Como se ambos – corrupção e invasão de privacidade – não fossem crimes, não fossem parte do mesmo pacote de desrespeito, incivilidade e escrotidão. Como se o fato da corrupção produzir estragos muito mais visíveis e muito mais imediatos tornasse a invasão de privacidade um fato “inferior” e menos devastador no médio e longo prazo.

Espantoso como ainda tem gente a defender que se você é atriz, se você é a Carolina Dieckmann, e é da Globo, se você posa nua para o seu namorado, marido, geladeira ou papagaio, você tem que ser “punida”. (Ah, o velho Freud!!!)

Espantoso como tem gente que entende e deixa escapar (mas nem percebe) que se você for mulher, e ainda mais se for bonita e, além de tudo, célebre, você tem mais é que expiar (e ser espiada) em praça pública. Gente que deixa vazar nas entrelinhas e até mesmo nas linhas… “Se você é uma vaca famosa e bela que posou nua dentro da sua casa, que se dane”.

Espantoso como tem gente que ainda não entendeu que o computador, o celular, o diário, o escambau de uma pessoa é, deveria ser, tão inviolável quanto a casa de cada um. Não entendeu que hoje é um pilantra ou um doente invadindo o computador e amanhã pode ser a polícia, pode ser o Estado sem ordem judicial alguma. Como é, a propósito, na China, no Irã…

Essa gente pensa e prega isso e, assim, claro, até o dia em que alguém invadir o computador do cara ou da cara e mostrar quem realmente a pessoa é, pensa e faz. Como cada um é, pode ser, visceralmente… humano.

Isso, claro, até o dia em que alguém invadir a privacidade do marido, da mulher ou dos filhos de quem assim prega, e jogar tudo no olho da web.

Espantoso como a burrice tá ganhando de goleada.

Bob Fernandes, jornalista, foi redator-chefe de CartaCapital. Trabalhou em IstoÉ (BSB e EUA) e Veja. Repórter da Folha de S.Paulo e JB, fez “São Paulo, Brasil” no GNT/TV Cultura. Comentarista da TVGazeta e Rádio Metrópole (BA)

Be Sociable, Share!

Comentários

rosanesantana on 16 Maio, 2012 at 16:26 #

Corrupção e invasão de privacidade andam de mãos dadas neste governo ao qual você serve Bob Fernandes. Você discursa pra quem?


rosanesantana on 16 Maio, 2012 at 16:28 #

Corrupção e invasão de privacidade andam de mãos dadas neste governo ao qual você serve, Bob Fernandes? Para quem você discursa? Qual a sua platéia? Antes de mais nada, ética é atitude, rapaz!


danilo on 16 Maio, 2012 at 22:56 #

na ausência de uma oposição comnativa, vigilante e de verdade, os lullo-petistas inventaram um tipo de oposição (aveludada) ao próprio.

e no final das águas das cachoeiras, faturam o bônus de ser poder, e o charme de ser do contra, pero no mucho…


danilo on 16 Maio, 2012 at 22:58 #

ERRATA:
na ausência de uma oposição combativa, vigilante e de verdade, os lullo-petistas inventaram um tipo de oposição (aveludada) ao próprio governo.

e no final das águas das cachoeiras, faturam o bônus de ser poder, e o charme de ser do contra, pero no mucho…


vangelis on 17 Maio, 2012 at 0:34 #

Resposta para Rosane:
PT! MILITANTES! PETRALHAS!

Ainda mais tem os outros: O Baixinho Intelectual, o Tio Patinhas, o Pinho e Aquele Abraço!!!


Dal on 19 Maio, 2012 at 10:36 #

Corrigindo.

Abomino a atitude cometida seja com quem for pelas pessoas chamadas hackers, não importa a classe social, status, grau da fama ou de difamção. O direito à privacidade é um direito fundamental como reza a CF/88. Não fosse uma pessoa famosa passava no escuro, não merecia pautas e pautas. O que vale é que a cidadania seja informada do desdobramento e ponto. Ficar escarafunchando o assunto é uma forma de dar continuidade a invasão de privacidade seja quem lá de quem for.
Enquanto isso, estamos à beira de termos um Código Florestal nos dentes das motoserras, agora oficializado. A RIO+ 20 está chegando, os Collor da vida pousam de arauto da moralidade por isso, seus nomes foram indicados para compor a CPI do Enchurrada e seus Lamaçais.

Enquanto isso, as enchentes continuam a criara abismos, despenhadeiros e os humanos ir junto virando resíduos – RSS para os outros tantos de humanos que escaparam e para o meio ambiente. Isso só acontece todos os anos. Enquanto isso, a seca não desiste de desidratar a única fonte de vida: A esperança. Isso acontece todos os anos e cada ano mais árido.
Penso que ilustres profissionais, no caso da mídia, autodenominados formadores de opinião, ao alisarem o Banco da Ciência faltaram todas as aulas em que discutiu-se a Ética ou a escola de hoje usa a Ética como um instrumento e não como um Princípio.
Portanto, que tal a mídia se ocupar das questões pertinentes à construção de uma sociedade sustentável do ponto de vista, sócio-político! socioambiental, sem fome, sem sede, com punição aos políticos visceralmente corruptos, corruptores, corrompidos, um país sem a ‘ Lei de Gerson’.

Por uma mídia que informe não desinforme. Por uma mídia Formadora de Opinião Etica e não influenciadora de opinião.
O caso da moça da Globo está sendo tratado à luz da justiça.
Quero dizer com meus comentários sobre a mídia que para toda regra há exceção, Alberto Dines não me deixa enganar.
Finalizo desabafando: que saudade dos melhores tempos: do Jornal em Tempo, O Movimento, da Folha de São Paulo, mas me quedo um pouco contemplada pelos Caros Amigos.
No mais quero sugerir ao Bob que releia ao escrever, uma coisa é linguagem de buteco no buteco regada às melhores cervas mofadas, outra coisa é escrever palavras como ‘escrotidão’.
Saudações sócio-político e ambientais,
Dal Bezerra
Educadora Socioambiental


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos