maio
15

http://youtu.be/6rJpf9eyCB8

===========================================

A presidenta Dilma Rousseff foi vaiada ao encerrar o seu discurso, durante a cerimônia de abertura da 15ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que ocorre em um hotel de luxo em Brasília. Ela prometeu retroescavadeiras a municípios, defendeu uma “parceria respeitosa e produtiva com Estados e municípios” e comentou o cenário de crise econômica internacional.

Quando o discurso da presidente estava próximo do fim, os prefeitos começaram a cobrar uma declaração de Dilma sobre royalties. “Royalties! Royalties”, gritavam. “Vocês não vão gostar do que eu vou dizer”, respondeu Dilma. “Petróleo vocês não vão gostar. Então eu vou falar uma coisa, não acreditem que vocês conseguirão resolver a distribuição de hoje para trás. Lutem pela distribuição de hoje para a frente”, afirmou a presidente, encerrando abruptamente o discurso, demonstrando irritação.

Dilma já vinha sendo cobrada pelos prefeitos desde o início, com o discurso do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski.

“Vejo o Congresso há anos debatendo a reforma política, há anos falando de reforma tributária e eu diria que precisamos fazer a bisavô das reformas, que é a reforma da Federação. Enquanto isso não for feito, vivemos um estrangulamento federativo”, afirmou Ziulkoski.

Dirigindo-se à presidenta, acrescentou: “Tenho a certeza que, como dizia o presidente Lula, ‘quero chegar ao final do meu mandato e passar uma fita métrica’, saber o que evoluiu, o que não evoluiu, o que não melhorou. Tenho certeza que na sequência a senhora também tem esse objetivo. E estamos aqui para ser parceiro, mas para ser parceiro às vezes precisamos dizer alguma coisa”.
Foto: André Dusek/AE Dilma se irrita com vaia de prefeitos. Na foto, ela está com o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski

Ziulkoski também cobrou a sanção do Código Florestal, tal como aprovado na Câmara dos Deputados, e questionou a distribuição dos royalties do petróleo: “Não existe município nem Estado produtor. O que tem é confrontante. Duzentos quilômetros de extensão, o que aquele Estado fez (para ter o petróleo)? Aquilo é nosso, da União, é de todos, não é produtor coisa nenhuma”, disparou.

O presidente da CNM questionou como está sendo feita a política de construção de creches públicas no País, que estaria sobrecarregando as contas municipais. “Só nós estamos gastando. Um cálculo de um custo de R$ 600 por criança, estamos colocando do orçamento do município R$ 400. Vamos colocar por ano mais de R$ 4 bilhões, como vamos fazer isso?”. “O que existe hoje entre Estado e União é montaria, não parceria”, concluiu.

(Com informações do IG e Globo News)


Eduardo Salles:”não quero cultivar ilusões”

=============================================


DEU NO IG

Por intermédio das secretarias de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri) e do Meio Ambiente, o Estado decidiu, na última segunda-feira (14), contratar a firma paulista ModClima para produzir chuvas artificiais no entorno dos municípios de Lençóis, na Chapada Diamantina, e de Vitória da Conquista, no sudoeste.

Em linhas gerais, um avião da empresa transporta água potável e joga sobre as nuvens tornando-as mais densas, o que facilita a precipitação. As chuvas não serão fortes, mas serve para amenizar o calor e molhar o solo, afirma o governo.

As cidades da “experiência piloto”, como o assunto é tratado na Seagri, foram escolhidas pelos seguintes motivos: ambas possuem aeroportos; na Chapada se situa a bacia do rio Paraguaçu, que abastece Salvador; e Vitória da Conquista, que é um dos locais castigados pela seca _ sua população é de 350 mil pessoas.

O investimento inicial é de R$ 200 mil, para 12 horas de voo. Titular da Seagri, Eduardo Salles afirmou não querer cultivar ilusões com os resultados. “As perspectivas não são as melhores, pois o período ideal para as chuvas é outubro. Nesse mês, o avião estará prestando serviço no Paraná, e o nosso compromisso com a empresa vai até setembro. Mas vamos estudar a ideia de mantê-lo também na Bahia nessa época”, afirmou o secretário, que não descarta a possibilidade de outras regiões do semiárido receberem o avião. De acordo com Salles a eficácia da fórmula é de 40%.

O secretário ainda disse ter apresentado ao presidente do BNDES, Luciano Coutinho, três pedidos para o Estado: construção de barragens; criação de biofábrica para produzir mudas de plantas resistentes à seca, como sisal e palma; e instalação de diques de irrigação. Segundo ele, haverá uma reunião posterior com o órgão para tratar de valores desses pedidos.

A reportagem não conseguiu localizar representantes da ModClima para comentar o assunto.


===============================================

Carlos Fuentes entrevistado por Geneton Moraes Neto no programa Dossiê Globo News.Originalmente exibido no canal Globo News em 25/02/2012. Primeira parte.

Atenção especial aos trechos em que Carlos Fuentes fala sobre poder e corrupção e sobre a amizade com Garcia Marquez e Cortázar.

( Postado por Vitor Hugo Soares)

maio
15


Fuentes:”um mexicano universal”/Foto: AFP

========================================

O escritor Carlos Fuentes morreu esta terça-feira (15) na cidade do México, onde se encontrava internado no hospital de los Ángeles del Pedregal.O Ministério da Cultura mexicano confirmou o óbito noticiado há cerca de uma hora pela CNN. Segundo a AFP, o presidente Felipe Calderón deixou uma mensagem na sua conta no Twitter: “Lamento profundamente o falecimento do nosso querido e admirado Carlos Fuentes, escritor e mexicano universal. Descanse em paz”.

O Prémio Cervantes (1987) e Prémio Príncipe de Astúrias (1994) morreu de problemas cardíacos, aos 83 anos. Tinha começado a escrever aos 29 anos e seu último romance “Adão no Éden” foi publicado recentemente em lingua portuguesa pela Porto Editora, de Portugal.

“’Adão no Éden’ não é uma novela inovadora no tema, recorrente no trabalho de Carlos Fuentes”, escrevia Fernando Sousa no Ípsilon de 11 de Maio de 2012. “É possível encontrar os mesmos cenários e personagens semelhantes em ‘La tierra más transparente’, a sua primeira obra, de 1958, um texto que é uma espécie de inventário da sociedade mexicana; em ‘Artemio Cruz’ (1962), reflexões-à-beira da morte de um antigo revolucionário convertido num político de esquemas, corrupto e corruptor, que à hora de desaparecer conta o passado com a sinceridade própria de quem já não tem nada a perder; e em ‘La silla del Àguila’, nova radiografia do poder onde Fuentes imagina o seu país no ano 2020.”

E acrescentava o crítico: “Mas é na sua inspiração literária uma obra apoteótica no estilo que o autor adoptou para nos mostrar o que o México, o México sinistro, lhe mostrou a ele em mais de oito décadas, uma obra que remete por assim dizer para as inaugurais, as dos primeiros anos de escrita, quando a sua estrutura ainda se desenvolvia. Uma obra-mestra.”

Uma obra de referência

Uma das referências da literatura latino-americana há meio século, autor de “A região mais transparente” (1958), o escritor recebeu diversos prêmios internacionais em suas quatro décadas de atividade literária, o último foi o título de doutor Honoris Causa da Universidade das Ilhas Baleares, Espanha.

Filho de um diplomata mexicano, Fuentes nasceu por acaso no Panamá e passou seus primeiros anos em Quito, Montevidéu e Rio de Janeiro, indo viver mais tarde nos Estados Unidos e passando as férias escolares no México, onde estimulado por seu pai passou a defender suas raízes mexicanas.

Entre suas obras mais famosas estão “A morte de Artemio Cruz” (1962); “Aura” (1962); “Terra Nostra” (1975) e “Gringo Velho” (1985).

Fuentes era casado com a jornalista mexicana Silvia Lemús, com quem se casou pela segunda vez nos anos 1970, união da qual nasceram seus filhos Carlos Rafael, que era hemofílico e morreu em 1999 aos 25 anos, e Natasha, que morreu alguns anos depois aos 32 anos por causas desconhecidas.

“Um abraço a Silvia Lemús, neste momento difícil”, postou em sua conta do Twitter a diretora do Conselho Nacional para a Cultura e as Artes (Conaculta), Consuelo Sáizar.

(Com informações da AFP, CNN e Público (Lisboa).

=================================================

Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, o ministro-chefe da Controladoria Geral da União, Jorge Hage, destacou que o prazo de seis meses para adaptação à Lei de Acesso à Informação é curto, se comparado a outros países. Apesar disso, Hage afirma que a lei será a “melhor vacina” para reduzir a corrupção no país e que os órgãos devem estar preparados para cumpri-la:

— Nós fizemos tudo que era possível fazer. Treinamos mais de 600 servidores, que são os que vão atender no quesito informação ao cidadão, e cada ministério, cada órgão terá que manter. Preparamos o sistema eletrônico em computador para acompanhar a tramitação de cada um dos pedidos. Fizemos projetos e seminários de sensibilização dos gestores, dirigentes. Trabalhamos também com treinamento à distância e tivemos também que orientar os ministérios para prepararem seus sites — ressalta.

Hage explicou que, pela nova lei, ministérios e entidades que recebem repasses públicos devem mostrar como os recursos são gastos.

Após uma década de discussões, a partir de quarta-feira, 16, entra em vigor a lei que promete abrir a caixa-preta da administração pública no Brasil. Através dela, será possível saber, por exemplo, quanto de fato ganham os funcionários da prefeitura, quem são e o que fazem os servidores com cargos de confiança (CCs) e como ONGs gastam recursos recebidos do governo.

maio
15


Prédio vira escombros no centro do Rio
===========================================

DEU NO IG (ÚLTIMO SEGUNDO)

O segundo andar do prédio de número 90 localizado na esquina das Ruas do Lavradio e da Relação, no Centro do Rio, desabou no início da manhã desta terça-feira (15). Não há vítimas, de acordo com os bombeiros.

Ainda de acordo com os bombeiros, o edifício pertence ao bloco carnavalesco Cordão da Bola Preta e estava desativado. A parte administrativa do bloco funciona em um prédio vizinho, que será vistoriado pela Defesa Civil para saber se houve danos estruturais com o abalo do desabamento.

No momento, segundo o Centro de Operações da Prefeitura do Rio, a Rua do Lavradio está totalmente interditada. O trânsito está sendo desviado para a Avenida República do Chile. A Rua da Relação também está interditada no trecho entre a Avenida Gomes Freire e a Rua do Lavradio. Neste caso, o fluxo de veículos está sendo desviado pela própria Gomes Freire.

O desabamento ocorreu a cerca de 1 km dos três prédios que desabaram no dia 25 de janeiro deste ano, na Avenida Treze de Maio, também no Centro do Rio de Janeiro. Vinte e duas pessoas morreram na tragédia.

maio
15


========================================

BOM DIA, BAHIA!!! BONJOUR, FRANCE!!!

(VHS)


Hollande:promessas de novos rumos no primeiro discurso

======================================


DEU NO PÚBLICO, DE LISBOA

O novo Presidente francês, François Hollande, quer pacificar a França e reuni-la em torno de valores comuns, com destaque para a justiça. E a justiça, destacou o homem eleito a 6 de Maio pelos franceses, “está na repartição de esforços”. Hollande tomou posse nesta terça-feira, no Palácio do Eliseu, em Paris.

“Não pode haver sacrifícios sempre para os mesmos. Este vai ser o sentido das reformas do Governo”, prometeu Hollande, depois da transmissão de poderes ter sido concretizada e Hollande substituir Nicolas Sarkozy no cargo.

“Somos uma grande nação. Ao longo da história, a França ultrapassou os desafios que foi enfrentando. O povo venceu ao manter-se fiel a si próprio”, declarou Hollande, acrescentando: “O meu mandato é o de trazer justiça para a França, abrir uma nova via na Europa, contribuir para a paz mundial e preservar o planeta.”

O socialista, que se vai encontrar ainda nesta terça-feira à noite com a chanceler alemã, Angela Merkel, reiterou uma ideia que já tinha aflorado no seu discurso de vitória, na noite eleitoral, destacando a atenção que certos países vão dar à política francesa e às posições europeias que Paris vai tomar. “Muitos povos estão a olhar para nós para ultrapassar esta crise. A Europa precisa de projetos, precisa de solidariedade”, vincou Hollande, que aposta numa renegociação do tratado de disciplina orçamental. Para tal terá de convencer Berlim a adoptar menos austeridade e mais políticas de promoção de crescimento.

“Vou propor o novo pacto que vai ligar a redução necessária das dívidas públicas ao indispensável crescimento das economias”, prosseguiu Hollande, que irá participar noutras cerimónias protocolares de tomada de posse antes de viajar para a Alemanha, onde tem encontro marcado, com jantar incluído, com a chanceler.

O novo Presidente irá homenagear o Soldado Desconhecido, Jules Ferry, considerado o pai da escola laica gratuita e obrigatória, e Marie Curie, cientista que nasceu na Polónia e conquistou dois prémios Nobel, um da Física e outro da Química. Para rematar os assuntos domésticos, Hollande reunir-se-á com o presidente da Câmara de Paris, antes da partida para Berlim. Mas na agenda tem outras questões e viagens decisivas, como as escolhas para o Executivo francês e uma viagem aos EUA, onde irá encontrar-se com Barack Obama, na sexta-feira.


Sarkozy, Valerie Trierweiler, Carla Bruni e Hollande à entrada do Palácio do EliseuFoto: Philippe Wojazer/Reuters/Público

================================================

DEU NO PORTAL EUROPEU TSF

François Hollande foi investido esta terça-feira (15) no cargo de novo Presidente da República francesa, para o qual foi eleito em segundo turno há menos de 10 dias. Hollande recebeu o poder das mãos do chefe de Estado derrotado, Nicolas Sarkozy, marcando assim o regresso do socialismo ao Palácio do Eliseu depois de uma ausência de 17 anos.

O novo Presidente assumiu oficialmente funções depois da proclamação dos resultados oficiais, da assinatura do juramento verbal e da receção do colar de grande mestre da ordem da Legião de Honra, a mais alta condecoração francesa.

Eleito a 06 de maio com 51,6 por cento dos votos, François Hollande, de 57 anos, tornou-se assim no sétimo presidente da V república, que ficará cinco anos à frente de uma das principais potências mundiais e que é membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

Depois da cerimónia, Hollande deverá pronunciar um discurso, ao qual se seguirão 21 tiros de canhão, e subir os Campos Elíseos num Citroen conversível.

A cerimónia da tomada de posse decorreu depois da passagem de poder entre Hollande e o antecessor, o conservador Nicolas Sarkozy, numa reunião à porta fechada durante a qual o Presidente cessante transmitiu os códigos nucleares ao novo ocupante do Eliseu.

Depois da reunião, Nicolas Sarkozy deixou o Eliseu, na companhia da mulher, Carla Bruni-Sarkozy.

maio
15
Posted on 15-05-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 15-05-2012


=================================================
Pelicano,hoje, no jornal Bom Dia São Paulo

Pages: 1 2

  • Arquivos