Tecnico Ricardo Silva festeja virada do Leão
Foto:Correio

=========================================

DEU NO CORREIO DA BAHIA

Nelson Oliveira

Impossível outra forma de dar mais moral antes de um Ba-Vi. Mesmo jogando fora de casa, no Engenhão, nesta quarta-feira (9) o Vitória conseguiu bater o Botafogo por 2 a 1, com gols de Pedro Ken e Tartá, e se classificar às quartas de final da Copa do Brasil, quando enfrentará o Coritiba. O triunfo na casa do adversário foi ainda mais importante porque o Leão havia empatado em casa por 1 a 1 e ainda precisou virar o jogo para conseguir o objetivo.

Na partida desta quarta, enquanto o Vitória entrou muito motivado, o Botafogo estava aparentemente muito abalado pela perda de 23 jogos de invencibilidade na goleada sofrida na final do Campeonato Carioca, contra o Fluminense. A equipe carioca demonstrou um futebol futebol tão fraco quanto o público do Engenhão: pouco mais de 6 mil pessoas assistiram a derrota do alvinegro, deixando quase 39 mil lugares vagos no estádio carioca. O Vitória, por sua vez, não tomou conhecimento do rival, sobretudo no segundo tempo, quando teve um jogador a mais por pelo menos meia hora e dominou o jogo.

Esta quinta-feira(10), na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), acontece o sorteio das datas e ordem dos jogos das quartas de final da competição. Enquanto isso, o Vitória já pode pensar no Ba-Vi deste domingo, que pode deixar o primeiro semestre do ano mais positivo do que tem sido até o momento.

O jogo

Não faltaram emoções no primeiro tempo da partida no Engenhão. Logo aos 11 minutos, Loco Abreu teve a primeira grande chance da partida, depois que a zaga do Vitória se atrapalhou na frente de Maicosuel. Porém, após receber o passe, o atacante uruguaio não teve frieza e chutou para fora.

Abreu se recuperou aos 20 minutos, quando usou bem o corpo para atrapalhar Rodrigo. Na sobra, Elkeson ganhou de Wellington Saci e, mesmo depois de ter perdido o equilíbrio e ter caído, fez mais um gol contra seu antigo clube. Na comemoração, respondeu à torcida botafoguense, que o vaiou e criticou muito após a goleada sofrida contra o Fluminense na final do Campeonato Carioca.

Aos 30 minutos, o Vitória perdeu Léo, que caiu de mau jeito no gramado e machucou o ombro. Após a entrada de Romário, o Leão melhorou. Não exatamente pela entrada do reserva, mas porque começou a ir um pouco mais para cima e também porque Jéfferson estava falhando. A primeira chance mais clara para o rubro-negro aconteceu justamente quando o arqueiro saiu mal do gol e Neto Baiano cabeceou. Se Lucas não cortasse em cima da linha, o Vitória abriria o placar.

Em jogada parecida, aos 46 minutos, Jéfferson saiu mal do gol novamente – seria sua quarta falha no jogo, considerando mais algumas rebatidas -, e esbarrou em Neto Baiano. Rodrigo aproveitou a falha e cabeceou para o gol, quando Lucas novamente tirou em cima da linha, desta vez com a mão. Paulo César Oliveira marcou pênalti e expulsou o jogador, que também já havia sido expulso contra o Fluminense. Porém, Neto Baiano cobrou mal a penalidade e Jéfferson, bastante adiantado, rebateu a cobrança. Não houve tempo para mais nada no primeiro tempo.

Após o intervalo, Ricardo Silva tirou um apagado Geovanni e colocou Dinei, para tentar buscar o empate com um a mais. Oswaldo de Oliveira recompôs a defesa, colocando o volante Gabriel no lugar de Felipe Menezes. Correndo atrás do empate, o Vitória teve sua primeira chance com uma boa cobrança de falta de Pedro Ken, defendida por Jéfferson.

Pedro Ken, jogando de forma bastante regular, empataria o jogo aos 21 minutos. A zaga do Botafogo deu bobeira ao tentar evitar escanteio, Dinei aproveitou e tocou para o meia, que ainda cortou dois adversários antes de fuzilar Jéfferson. A partir de então, o Vitória cresceu ainda mais no jogo, principalmente pela ótima entrada de Dinei. O atacante teve duas ótimas chances de cabeça – a primeira defendida por Jéfferson, à queima-roupa, e a segunda para fora, por azar. Neto Baiano também levou azar, quando uma cabeçada fulminante passou à direita do gol alvinegro.

O Leão, porém, continuava acreditando. Aos 23, Dinei puxou boa jogada e abriu na esquerda para Wellington Saci, que vinha mal no primeiro tempo e melhorou no segundo. Saci cruzou com açúcar para o baixinho Tartá, que cabeceou como um especialista e não deu a menor chance para que Jéferson defendesse.

Leia mais sobre triunfo do Leão na edição impressa do Correio

Be Sociable, Share!

Comentários

Mariana on 10 Maio, 2012 at 10:40 #

Foi lindo o jogo, eu vi pela televisão!
E olhe que estava toda a imprensa televisiva e até os gandula (agora é moda, principalmente se for uma moça bonitinha) torcendo contra o Vitória.
Mas, o Leão foi lá, na cidade deles, e papou o Fogão!
E vamos pras quartas e finais…quanto ao Bahia, vai ser devorado no proximo domingo…
Pra cima deles Nego!!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos