deu no site do Estado de S. Paulo

Daiene Cardoso

O presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (RN), defendeu nesta segunda-feira, 23, que a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre as relações do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, com agentes públicos e privados, investigue também os negócios da Delta em todos os Estados em que a empreiteira tenha contratos.

Para Agripino, é importante que a apuração vá além do governo de Goiás, Estado do senador Demóstenes Torres (sem partido), flagrado pela Polícia Federal em centenas de ligações telefônicas com Carlinhos Cachoeira.

“O enraizamento da Delta não é em Goiás, é no Rio de Janeiro, no Ceará e em Brasília”, disse Agripino. “Por isso, temos de fazer uma investigação séria e isenta”, afirmou, após participar de seminário sobre relações internacionais e política externa promovido na capital paulista pela Fundação Liberdade e Cidadania, ligada ao DEM.

Em relação ao funcionamento da CPI, Agripino disse esperar uma investigação equilibrada e sem o predomínio de interesses partidários. “Não é uma CPI de governo nem de oposição”, afirmou. “É uma CPI que busca passar o País a limpo.”

Na opinião do senador, quem vai ser beneficiada com os esclarecimentos proporcionados pela CPI é a sociedade. “Não raciocino em termos se (algum partido) vai ganhar ou vai perder”, afirmou. “A questão é que quem precisa ganhar é a sociedade, com o


================================================
Eternos Pixinguinha e Vinicius de Moraes, os autores!!!

Bravo Dominguinhos e Yamandu, os interpretes!!!

Musica na caixa, como diz Olivia!!

(VHS)

abr
23
Posted on 23-04-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-04-2012

O Bradesco encerrou o primeiro trimestre com lucro ligeiramente maior que o registrado um ano antes e um pouco abaixo do esperado pelo mercado, apesar de um crescimento de 20% nas provisões para dívidas de difícil recuperação.

O segundo maior banco privado do Brasil registrou lucro líquido de R$2,793 bilhões no primeiro trimestre, crescimento de 3,4% ante igual período de 2011. Sobre os três últimos meses do ano passado, houve crescimento de 2,5%.

Analistas consultados pela Reuters esperavam lucro líquido de primeiro trimestre de R$2,853 bilhões para o Bradesco, em meio a um crescimento lento da economia no período e expectativas de aumento de despesas maiores com provisões pelo setor.

O banco informou que a carteira de crédito no primeiro trimestre cresceu 14,6% no comparativo anual, para R$350,83 bilhões, impulsionado por incrementos de 17% nos empréstimos à pessoa jurídica e de 9,4% para pessoa física.

Mas as provisões para devedores duvidosos vieram num ritmo mais acelerado que o crescimento da carteira, avançando 20% sobre um ano antes, para R$20,12 bilhões. No quarto trimestre, o volume de provisões havia sido de R$19,54 bilhões.

Enquanto isso, o índice de inadimplência de operações de financiamento vencidas há mais de 90 dias foi de 4,1% no trimestre passado, ante 3,9% no quarto trimestre de 2011 e 3,6% entre janeiro e março do ano passado.

O Bradesco fechou o trimestre com ativos totais de R$789,55 bilhões, alta de 17% sobre os três primeiros meses de 2011. Já o retorno sobre patrimônio líquido médio anualizado fechou em 21,4%, ante 24,2% no primeiro trimestre do ano passado.

abr
23
Posted on 23-04-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-04-2012

BOA TARDE!!!

abr
23

======================================================

=============================================================


Exemplos da história em Portugal

Washington de Souza Filho

Direto de Covilhã , especial para o Bahia em Pauta

O mês de abril, mesmo com o apontado período de seca meteorológica, corresponde em Portugal a um ditado popular, muito usado no Brasil e conhecido por aqui, apesar de parte da Primavera: “Abril, chuvas mil”. A presença da chuva e temperaturas ainda baixas, apesar da primavera, não afasta da memória dois fatos, um deles com relação direta com a história brasileira, que merecem um tratamento dos portugueses, autoridades e cidadãos, que podem servir de exemplo para brasileiros de níveis iguais.

O primeiro fato, mais distante no tempo, está relacionado à data que está registrada como a do descobrimento do Brasil, em 22 de abril. Pedro Álvares Cabral, o navegante português, financiado pelos reis da Espanha, que comandou a esquadra que aportou no Sul da Bahia, na região de Porto Seguro, nasceu em Belmonte, cidade da Beira Interior, a uma distância de não mais de 30 quilômetros de Covilhã. A cidade usa esta referência, a do lugar onde nasceu Pedro Álvares Cabral para, nesta época de crise econômica na Europa, com efeitos graves em Portugal, para explorar a imagem do descobridor e a implantação de uma rede de museus, inclusive um mais específico, para a preservação da história dos judeus.

A região da Beira Interior, Belmonte em especial, foi para onde os judeus acorreram, no período da Inquisição, e estabeleceram um modo de vida, como cristãos-novos, através da qual preservaram as tradições judaicas. Um jeito de viver, em que a adesão ao catolicismo era, apenas, formal.

O Museu Judaico, ao lado do Museu dos Descobrimentos – uma referência à atuação dos portugueses, no período das grandes navegações – é um dos cincos de Belmonte, que ainda tem uma ruína construída pelos romanos, foi um dos caminhos para Santiago de Compostela e usa uma antiga moagem de oliveira para preservar a produção do azeite de oliva. São atividades que geram emprego e renda.

O mês de abril em Portugal é o da comemoração da liberdade, no dia 25. É a data da Revolução dos Cravos, o movimento organizado por integrantes das Forças Armadas, que derrubou o salazarismo, em 1974. Quase 40 anos depois, a sombra de Oliveira Salazar, o personalista ditador português, ainda paira na vida do país.

Em estudos acadêmicos é um assunto que tem sido revisitado, como na pesquisa do português Filipe Ribeiro de Menezes, obra publicada no Brasil, em 2011. No cotidiano, a questão é outra.

A administração de Santa Comba Dão, o lugar onde nasceu Salazar, anunciou o interesse em comprar a produção de vinho da família e usar o nome ditador como marca. Uma proposta que mereceu reações diversas, principalmente de historiadores, de acordo com os jornais que trataram do assunto, a maior parte de desapreço pela proposta – “no mínimo de, é de mau gosto, no máximo um insulto às vítimas do Estado Novo”, disse ao jornal Público, o historiador Filipe de Menezes. O mesmo tom de outro tema, relacionado ao ditador, que foi relembrado: a implantação de um museu, na casa onde ele viveu.

A intenção é a mesma de Belmonte. Aproveitar a importância histórica para melhorar a renda de uma região. Mesmo que no caso de Cabral na cidade onde nasceu esteja, apenas, parte dos seus restos mortais, já que o seu sepultamento foi na região de Santarém, em relação a Salazar o problema é outro. Portugal passou todo este tempo querendo esquecer o passado que une a história do país a do seu ditador

A derrubada dele provocou uma situação comum, em qualquer canto do país. No lugar que tinha uma via com o nome de Oliveira Salazar, a denominação mudou para 25 de Abril. A troca mais conhecida é o nome da Ponte do Tejo, um cartão-postal de Lisboa, identificada com a data que é comemorada em Portugal como o Dia da Liberdade.
A razão pode ser de ordem econômica ou política, mas a história é a realidade de uma nação e do seu povo, que precisa ser enfrentada. Mesmo quando o debate sobre a verdade, passe pela necessidade de enfrentar os seus mitos. São exemplos que servem para o Brasil.

Washington de Souza Filho, jornalista, professor da Universidade Federal da Bahia, vive em Covilhã, onde cursa doutorado em Comunicação na Universidade da Beira Interior.

http://youtu.be/G1Pp56Ahtno

======================================================

Lua De São Jorge
(Caetano Veloso)

Lua de São Jorge
Lua deslumbrante
Azul verdejante
Cauda de pavão

Lua de São Jorge
Cheia branca inteira
Oh! Minha bandeira
Solta na amplidão

Lua de São Jorge
Lua brasileira
Lua do meu coração

Lua de São Jorge
Lua maravilha
Mãe, irmã e filha
De todo esplendor

Lua de São Jorge
Brilha nos altares
Brilha nos lugares
Onde estou e vou

Lua de São Jorge
Brilha sobre os mares
Brilha sobre o meu amor

Lua de São Jorge
Lua soberana
Nobre porcelana
Sobre a seda azul

Lua de São Jorge
Lua da alegria
Não se vê um dia
Claro como tu

Lua de São Jorge
Serás minha guia
No Brasil de norte a sul

================================================================

BOM DIA A TODOS NO 23 DE ABRIL. NOS QUE ACREDITAM EM MILAGRES COMO CAETANO (E ESTE EDITOR DO BP), ATEUS OU Não.

(VHS)


ACM Neto:o nome do DEM para Salvador
==================================================================

Opinião Política

O DEM em Salvador

Ivan de Carvalho

O Democratas promove hoje, às 15 horas, em um hotel de Salvador, evento para o qual existe a expectativa de estarem presentes os 27 integrantes de sua bancada na Câmara dos Deputados e toda a executiva nacional, presidida pelo senador João Agripino.

Infelizmente para o DEM, o evento ocorre pouco depois de o senador Demóstenes Torres – figura mais combativa e competente do partido e até mesmo do conjunto das oposições no Senado, especialmente quando em causa a cobrança de obediência a princípios éticos por parte do governo – haver sido objeto de fortes denúncias de que fazia o que condenava no adversário.

Isso evidentemente prejudica o DEM e tem algum reflexo no evento de hoje em Salvador. Mas cabe aqui uma consideração: o Democratas, já em dois casos de grande repercussão nacional, adotou providências imediatas e duras contra seus integrantes envolvidos em “malfeitos” – palavra com a qual a presidente Dilma Rousseff prefere qualificar os atos de corrupção, quando ocorrem em seu governo.

Assim foi que ficamos cientes, os cidadãos deste país, que “malfeitos” são um eufemismo para atos de corrupção, quando antes o termo tinha sentido muito mais amplo, pois tanto poderia ser ato de corrupção como uma cadeira desconfortável (e não estou falando das elétricas, às quais me oponho) ou como um bolo que desandou. Atos de corrupção passaram a ser “malfeitos” assim com mensalão passou a ser Caixa Dois de campanha eleitoral. Mas, vida que segue.

Repondo o foco no DEM. Não devia – e afirmei isto neste espaço há poucos dias – ter aceito em seus quadros o já testado no PSDB e reprovado José Roberto Arruda. Mas aceitou e o gajo foi eleito governador do Distrito Federal. Aí, envolveu-se em “malfeitos”. Denunciado, provada a denúncia, o DEM, sob ameaça de expulsão sumária e imediata, forçou sua desfiliação do partido, em dezembro de 2009, e, evidentemente, se ele já não tinha condições políticas de ser candidato à reeleição, passou também a não ter condições de ser candidato a qualquer coisa nas eleições de 2010.

Agora, ao ver envolvido o senador Demóstenes Torres na Operação Monte Carlo que apanhou o empresário e bicheiro Carlinhos Cachoeira, o DEM se aprestou a expulsá-lo da legenda, o que funcionou como uma ordem para que se desligasse dela “voluntariamente”. Foi o que fez o senador, que agora enfrentará o Conselho de Ética do Senado e o Judiciário.

Nos dois rumorosos episódios, o DEM não vacilou em cortar na própria carne e isto seria o normal e a rotina em muitos outros países. Mas não neste, onde um ex-presidente compromete-se com um graduadíssimo ex-auxiliar a “desmontar a farsa do Mensalão”. Quando no cargo, reconhecera os malfeitos. E defendeu-se alegando que não sabia de nada (apesar de ter sido avisado por Marconi Perillo e, depois, Roberto Jefferson). Em um país assim, a implacável autodefesa do DEM é digna de reconhecimento e elogio, pois bem superior ao cinismo que outros partidos (não é somente um) adotam. Pelo menos o DEM pode dizer: “Se o lixo é descoberto, nós o queimamos”. Melhor que encharcar o lixo de desodorante.

Bem, a partir de hoje, a candidatura a prefeito de Salvador do líder do DEM na Câmara federal, ACM Neto, fica partidariamente assentada. Não por um ato solene, para não impor-lhe o selo de oficial ainda. Há a intenção de manter, até a convenção, o discurso da articulação visando coalizão e, inclusive, unidade. Mas a “pré-candidatura” ganha status de partidária e prioridade nacional do DEM.

abr
23


Devotos na igreja de Quintino(Rio) no dia
do santo guerreiro:Maria Olivia, do BP,no meio.
Foto Bruno Gonzalez: O Globo

==========================================================

Deu em O Globo

O padroeiro oficial do Rio é São Sebastião, mas os cariocas mostraram mais uma vez que é São Jorge é um dos santos mais queridos da cidade. Desde as primeiras horas da madrugada desta segunda-feira, multidões saíram às ruas para celebrar o dia do Santo Guerreiro. Nas paróquias dedicadas a São Jorge do Centro e de Quintino, na Zona Norte, missas e procissões reuniram milhares de devotos durante todo o feriado. A movimentação de fiéis, vestidos de vermelho, teve início bem antes da primeira missa do dia na Igreja de São Jorge, no Centro. Por volta das 4h, uma fila de devotos começava na porta da paróquia, na Rua da Alfândega, e chegava até a Avenida Presidente Vargas.

O casal Marcelo Moraes, de 43 anos, e Andréa Carvalho, de 42 anos, chegou à igreja antes do dia clarear para homenagear São Jorge. Ele conta que há seis anos faz questão de comparecer à paróquia da Praça da República.

— Sou devoto, todo ano eu venho para agradecer todas as coisas boas que conquisto com a ajuda de São Jorge — disse Marcelo.

A enfermeira Teresinha dos Santos, moradora de Botafogo, foi pela primeira vez assistir a uma missa na Igreja de São Jorge, no Campo de Santana. Segundo ela, com a visita ela pagou uma promessa feita em agosto passado, quando voltava de uma viagem à Grécia e enfrentou muita turbulência no avião.

— Se estou viva é porque me agarrei ao santo guerreiro. O avião sacudiu muito e pensei que fôssemos todos morrer. Prometi a ele que, se me salvasse, viria assistir a uma missa em sua homenagem no dia dele — contou Teresinha.

Já a idosa Maryalba Figueiredo decidiu recorrer ao santo para lutar contra a corrupção. Ela disse que, desde que se entende por gente, é devota de São Jorge.

— Ele já curou tantos parentes meus adoentados… Por que não pedir agora para ele livrar o Brasil da corrupção? Vou rezar com toda minha força — disse Maryalba.

Com a igreja lotada, às 5h foi celebrada a Missa da Alvorada, que contou com a participação da Banda da Polícia Militar e de músicos do Corpo de Bombeiros. Fogos de artifício saudaram São Jorge, que do lado de fora da igreja também era homenageado por adeptos da Umbanda e do Candomblé.

Por volta das 10h, a fila de fiéis que esperam para entrar na igreja quase dá a volta completa no Campo de Santana. Missas campais estão sendo celebradas a cada uma hora em um palco montado na Praça da República, que teve o trânsito de veículos bloqueado nas proximidades da Igreja de São Jorge.

abr
23
Posted on 23-04-2012
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-04-2012


=====================================================
Pelicano, hoje, no Bahia em Pauta

  • Arquivos

  • Abril 2012
    S T Q Q S S D
    « mar   maio »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30